Pular para o conteúdo principal

Detectores de ondas gravitacionais identificaram duas potenciais colisões de buracos negros em uma semana



Por Ryan F. Mandelbaum

Menos de duas semanas depois de os detectores de ondas gravitacionais Ligo e Virgo serem religados, eles já captaram evidências de dois pares de buracos negros em colisão.

Os cientistas não tentando apenas descobrir ondas gravitacionais — ondulações que viajam através do espaço inicialmente previstas pela teoria da relatividade geral de Albert Einstein. Desde que detectaram as ondas pela primeira vez em 2015, os pesquisadores progrediram para usar grandes conjuntos de dados gerados por estes eventos — geralmente buracos negros colidindo uns com os outros — para resolver os mistérios do nosso Universo de maneira mais abrangente.

Os dois detectores de ondas gravitacionais, LIGO (que fica nos EUA) e Virgo (que fica na Itália), foram desativados no segundo semestre de 2017 para melhorias em sua sensibilidade. Os detectores atualizados foram reativados em 1º de abril. Foi o começo de sua terceira rodada de observação.

Já falamos algumas vezes que as fusões de buracos negros são corriqueiras, mas as duas primeiras semanas dessa rodada de observação demonstram o quão rotineiro se tornou captar esse tipo de acontecimento. Embora as coisas estivessem calmas na primeira semana, a segunda já trouxe dois sinais do que se acredita que sejam ondas gravitacionais, uma na segunda-feira (8) e outra na sexta (12).

Se os cientistas continuarem vendo esses eventos a uma frequência constante de uma vez por semana, “a astrofísica será transformada para sempre até o final da rodada de observação”, disse Vicky Kalogera, diretora do Centro de Pesquisa e Exploração Interdisciplinar em Astrofísica da Northwestern University, ao Gizmodo em um e-mail.

Um par de detectores nos EUA, chamado de Observatório de Ondas Gravitacionais com Interferômetro a Laser (LIGO), descobriu as primeiras ondas gravitacionais somente em 2015. Elas eram resultado de uma colisão entre dois buracos negros a 1,3 bilhão de anos-luz de distância. Desde então, o experimento do europeu Virgo passou a funcionar e compartilhar informações. Astrônomos já registraram 10 fusões de buracos negros e colisões de objetos menores, chamados estrelas de nêutrons.

Especificamente, os cientistas enviaram alertas para outros telescópios sobre dois de eventos de alta probabilidade. Esses telescópios podem, então, caçar um correspondente em ondas de luz para combinar do sinal captado pelos detectores de ondas gravitacionais, disse Christopher Berry, outro professor da Northwestern University, ao Gizmodo.

Esses sinais parecem ser importantes. “Eles passaram com louvor pelas nossas verificações iniciais de como os detectores estavam se comportando. Agora estamos fazendo verificações mais cuidadosas e realizaremos análises mais completas para descobrir suas propriedades.”

Você pode se perguntar por que já estamos ouvindo sobre essas colisões — os resultados das duas últimas rodadas de observação foram bem guardados. Berry explicou que, nas primeiras vezes, eles queriam se aprofundar nos dados e garantir que tudo que estava por trás dos resultados estivesse correto antes de apresentar qualquer coisa ao público. Agora, a menos que estejam fora do comum por algum motivo, as colisões individuais de buracos negros não são tão importantes quanto as tendências que vêm com mais dados.

Os cientistas ainda têm muitas perguntas sobre essas enormes erupções de energia. Em que parte de uma galáxia estão ocorrendo essas fusões de buracos negros? Existem fusões de segunda geração — dois buracos negros podem se fundir e, em seguida, se fundir novamente a um terceiro , que, por sua vez, pode ter sido mais de um em dado momento? Talvez reunir mais estatísticas poderá ajudar os cientistas a caçar até mesmo a misteriosa matéria escura.

É um grande momento para buracos negros, com toda a certeza.

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…