Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 30, 2019

Brasileiros encontram evidências de que ancestral do homem saiu da África 500 mil anos antes

Pedra lascada encontrada na Jordânia por pesquisadores brasileiros — Foto: Cecília Bastos/IEA/USP/Divulgação

A descoberta traz mais uma peça ao grande quebra-cabeça temporal e espacial que é a reconstituição dos primeiros passos dos hominídeos pelo mundo.

Por Elida Oliveira, G1

Em uma montanha da Jordânia, no Vale do Zarqa, um grupo de pesquisadores brasileiros e italianos encontraram evidências que podem trazer um novo entendimento sobre a dispersão dos primeiros hominídeos pelo mundo: lascas de pedras, provavelmente vindas da fabricação de instrumentos, indicam que o gênero homo saiu da África 500 mil anos antes do que era conhecido, há 2,4 milhões de anos. E não foi o homo erectus que levantou e saiu andando por aí – nesta época, ele nem havia surgido. A hipótese apresentada pelos pesquisadores (que ainda precisa de complementação já que não foram encontrados fósseis) é que o primeiro homo a explorar o planeta foi o habilis.

As evidências estão em um artigo científico publicado ne…

Casuística ufológica nordestina: Caso Convap 2 (Trailer)

Se você assistiu a primeira parte não deixe de ver a continuidade desse caso. Novas revelações surpreendentes. Aqui uma parcial do que vem por aí. Confira!



FONTE: União de Pesquisas Ufológicas do Piauí (UPUPI) - Flávio Tobler

Veja a primeira parte do Caso Convap no link abaixo:

Casuística ufológica nordestina: o Caso Convap


Sonda da NASA encontra um dos menores exoplanetas já observados

Os três planetas descobertos no sistema L98-59 pela Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) da NASA são comparados a Marte e Terra em ordem crescente de tamanho nesta ilustração.
Créditos: Goddard Space Flight Center da NASA

Chamado de L 98-59b, o planeta tem tamanho similar à Terra

O satélite de pesquisas TESS, da NASA, encontrou um “pequeno” planeta orbitando uma estrela próxima. Chamado de L 98-59b, o planeta tem o tamanho entre o de Marte e o da Terra, e é o menor dos objetos espaciais descobertos pela TESS até hoje.

Dois outros mundos orbitam a mesma estrela e, embora os tamanhos dos três planetas sejam conhecidos, a equipe planeja fazer estudos com outros telescópios para determinar se eles têm atmosferas e quais gases estariam presentes em sua composição.

O L 98-59b tem cerca de 80% do tamanho da Terra e é cerca de 10% menor do que o recordista anterior descoberto pela TESS. A sua estrela hospedeira, L 98-59, tem cerca de um terço da massa do Sol e fica a cerca de 35 ano…

Investigadores lançam luz sobre origens dos buracos negros

Ilustração de um buraco negro.

Astrofísicos encontraram evidências da formação direta de buracos negros que não precisam de emergir de uma estrela remanescente - uma descoberta que pode fornecer aos cientistas uma explicação para a presença de buracos negros extremamente massivos nos estágios iniciais do nosso Universo.

Os professores de Física e Astronomia Shatanu Basu e Arpan Das, da Universidade Western, Canadá, desenvolveram uma explicação para a distribuição observada de massas e luminosidades de buracos negros supermassivos, para as quais não havia anteriormente explicação científica.

O estudo foi publicado na passada sexta-feira na revista The Astrophysical Journal Letters.

A descoberta é baseada na simples suposição de que os buracos negros supermassivos se formam rapidamente em curtos períodos de tempo e então - de repente - param. Esta explicação contrasta com o entendimento atual de que os buracos negros de massa estelar emergem quando o núcleo de uma estrela massiva colap…

Robô leve para procurar compostos leves na Lua

O protótipo passou por testes em regiões arenosas e pedregosas na costa da Holanda. [Imagem: LUVMI/Divulgação]

Robô lunar

Os robôs espaciais têm sido fundamentais na coleta e análise de amostras da Lua e de Marte.

O inconveniente é que o alto custo de construir e levar essas máquinas até outros corpos celestes significa que as missões são raras e muito espaçadas no tempo.

É aí que entra o LUVMI, um robô leve e de baixo custo, que não pesa mais do que 40kg, incluindo os instrumentos científicos.

Os rovers tradicionais costumam perfurar as rochas com brocas ou raios laser, para obter amostras frescas, antes de transferi-las para análise. Em vez disso, O LUVMI irá descer um instrumento de análise miniaturizado até a superfície, partindo do seu próprio umbigo, reduzindo o risco de contaminação e o tempo de análise pela metade.

LUVMI é uma sigla em inglês para "instrumentação móvel para detecção de compostos lunares voláteis".

O veículo será equipado com uma série de instrumento…

Rede Cerebral: três jogadores unem seus cérebros para jogar Tetris

É a primeira vez que mais de duas pessoas se unem em uma rede cérebro-a-cérebro, sendo que todas são capazes de receber e enviar informações às outras usando apenas o cérebro.[Imagem: Mark Stone/University of Washington]

Rede cérebro-a-cérebro

A comunicação telepática pode estar um passo mais próxima da realidade graças a uma nova demonstração de uma rede cérebro a cérebro.

Linxing Jiang e colegas da Universidade de Washington criaram um experimento que permitiu que três pessoas trabalhassem juntas para resolver um problema comum usando apenas suas mentes.

Nessa "rede cerebral", ou BrainNet, três pessoas brincaram de um jogo tipo Tetris usando interfaces cérebro-a-cérebro.

Esta é a primeira demonstração de duas coisas: uma rede cérebro-a-cérebro de mais de duas pessoas, e uma pessoa sendo capaz de receber e enviar informações a outras pessoas usando apenas o cérebro.

BrainNet

Como no Tetris, o jogo usado no experimento mostra um bloco no topo da tela e uma linha que precisa…

Análise de DNA revela a origem de povo citado na Bíblia

ESCAVAÇÃO NO CEMITÉRIO FILISTEU DA CIDADE DE ASCALÃO. INVESTIGAÇÕES GENÉTICAS DO POVO BÍBLICO INDICAM ORIGEM EUROPEIA. (FOTO: MELISSA AJA/LEON LEVY EXPEDITION)

Equipe sequenciou genomas dos filisteus, que viviam em cidade portuária de Israel entre séculos 12 e 8 a.C.

A análise do DNA de 10 indivíduos mostrou que a origem de um dos povos bíblicos mais misteriosos, os filisteus, vem da Europa. A descoberta foi realizada após os pesquisadores encontrarem os restos mortais de uma criança na região de Ascalão, em Israel. A cidade era lar de um dos portos mais importantes durante a Idade do Ferro e a Idade do Bronze (entre 3,6 mil e 2,8 mil anos atrás).

De acordo com o estudo publicado na revista Science Advances, a equipe descobriu que os traços genéticos foram introduzidos em Ascalão por volta da chegada estimada dos filisteus no local, sugerindo que os ancestrais do povo migraram pelo Mediterrâneo e chegaram alí no início da Idade do Ferro. Também foi observada uma mistura genética entr…

Comentando foto de ovni triangular (Bélgica - 1990) - 06

Programa onde comentamos sobre a foto tirada por Patrick em abril de 1990, na Bélgica, durante uma grande onda ufológica. Ao assistir este programa você saberá detalhes inéditos sobre esta história e, saberá de declarações exclusivas prestadas pelo fotógrafo, 21 anos depois da tomada da fotografia, dirigidas ao jornal da RTL TV. Esta fotografia de um OVNI triangular seria autêntica ou fraude?



FONTE: Enigmas e Mistérios

Comentando foto de disco voador (França - 1974) - 01

Comentando foto de disco voador (Colorado - 1929) - 02

Comentando foto de disco voador (Santo André/SP - 1977) - 03

Comentando foto de disco voador (Yungay - Perú - 1967) - 04

Comentando foto de disco voador (Rio de Janeiro - Brasil - 1971) - 05


Ufos Wilson - Uma importante observação: a foto foi comprovado ser uma fraude, mas usar de argumento para explicar alguns avistamentos da época, o Lockheed F-117 Nighthawk ou o Northrop Grumman B-2 Spirit, é fora de cogitação. São aeronaves que voam a grande altitude, possuem a co…

O que é o Bule de Russell, o argumento mais usado nas discussões entre ateus e religiosos

Um bule de chá está no centro de muitas discussões entre ateus e fiéis

Você está tomando um chá tranquilamente, quando um amigo aparece e diz: "Sabia que no espaço há um bule que gira em torno do Sol?"

O que você faria?

Provavelmente, sua reação imediata seria pedir uma prova a ele. Onde está o tal bule?

Mas seu amigo lhe diz que não pode mostrá-lo porque ele é tão pequeno que nem o telescópio mais poderoso do mundo consegue detectá-lo.

Embora a ideia pareça uma loucura, mas você acaba aceitando a situação, porque não há como demonstrar que não existe, de fato, um bule viajando pelo espaço.

Seu amigo também não tem provas, mas está convencido de que a teoria é real.

Se os dois estão no mesmo barco, a quem recai a responsabilidade de apresentar evidências sobre a veracidade ou inveracidade do bule?


Criado por Russell, o exemplo do bule de chá leva a discussões apaixonadas sobre a existência de Deus

Aparentemente boba, essa discussão é a base de muitos dos mais acalorados deb…

Sangue robótico dá vida longa aos robôs

O peixe-leão robótico nadou 36 horas contra a correnteza sem precisar recarregar. [Imagem: Cornell/Rob Shepherd Lab]

Sistema vascular robótico

Pesquisadores da Universidade Cornell, nos EUA, criaram um sistema de circulação de líquidos dentro de estruturas robóticas.

Esse sistema vascular e seu "sangue robótico" permitem armazenar energia para alimentar robôs em tarefas sofisticadas e de longa duração.

Além de bombear um líquido hidráulico denso em energia, o sistema vascular sintético é capaz de transmitir força, operar acessórios e ainda fornecer estrutura ao robô, tudo em um projeto integrado.

"Na natureza, vemos quanto tempo os organismos podem operar enquanto realizam tarefas sofisticadas. Os robôs não podem realizar proezas semelhantes por muito tempo. Nossa abordagem bioinspirada pode aumentar drasticamente a densidade de energia do sistema e permitir que robôs macios permaneçam ativos por muito mais tempo," disse o professor Rob Shepherd, cuja equipe havia…

Quasipartículas imortais renascem das próprias cinzas

Fortes interações fazem com que as quasipartículas sejam autênticas fênix quânticas. [Imagem: K. Verresen/TUM]

Imortalidade na matéria

O ditado popular diz que nada dura para sempre. As leis da física parecem confirmar isso: em nosso planeta, todos os processos aumentam a entropia, ou seja, a desordem molecular. Por exemplo, um vidro quebrado nunca mais se recompõe.

Mas os ditados - e as teorias - também não parecem conseguir escapar desse destino inexorável.

Físicos da Universidade Técnica de Munique e do Instituto Max Planck para a Física de Sistemas Complexos, na Alemanha, descobriram que coisas que parecem inconcebíveis no mundo cotidiano são possíveis no nível microscópico, onde reina soberana a mecânica quântica.

"Até agora, a suposição era que as quasipartículas em sistemas quânticos interagentes decaem após um certo tempo. Agora sabemos que é exatamente o oposto: Interações fortes podem até mesmo parar completamente o decaimento," explica o professor Frank Pollmann.

Telescópio Hubble registra "fogos de artifício" cósmicos

HUBBLE MOSTRA EXPLOSÃO DA CONSTELAÇÃO ETA CARINAE (FOTO: NASA, ESA, N. SMITH (UNIVERSIDADE DO ARIZONA, TUCSON), E J. MORSE (BOLDLYGO INSTITUTE, NOVA YORK))

Imagem divulgada pela NASA mostra explosão em câmera lenta da constelação Eta Carinae

Há cerca de dois séculos, um sistema de duas estrelas localizado na constelação Eta Carinae, a 7,5 mil anos-luz da Terra, vem criando uma espécie de fogo de artifício em câmera lenta. Pelo menos é esse o efeito visual da constelação, que em 1838 entrou numa explosão chamada Grande Erupção.

Seis anos depois, ela cresceu e se tornou a segunda estrela mais brilhante no céu. De lá pra cá, ela perdeu um pouco do brilho, mas uma imagem feita pelo telescópio Hubble, e divulgada nesta segunda (1º de julho), mostra que o efeito continua e traz detalhes até então nunca vistos do sistema.

Explosões violentas de massa não são novidade na Eta Carinae, mas a Grande Erupção foi especialmente dramática. A maior das duas estrelas que formam o sistema é um corpo c…