Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 7, 2017

Galáxias em fusão têm buracos negros envoltos

Esta ilustração compara o crescimento de buracos negros supermassivos em dois tipos diferentes de galáxias. Um buraco negro supermassivo em crescimento, numa galáxia normal, teria gás e poeira numa estrutura em forma de donut em seu redor (esquerda). Numa galáxia em fusão, uma esfera de material obscurece o buraco negro (direita).
Crédito: NAOJ

Os buracos negros têm uma má reputação na cultura popular pois engolem tudo o que conseguem apanhar. Na realidade, as estrelas, gases e poeiras podem orbitar os buracos negros durante longos períodos de tempo, até que uma grande perturbação empurra esse material.

A fusão entre duas galáxias é uma dessas perturbações. À medida que as galáxias se combinam e os seus buracos negros centrais se aproximam, o gás e a poeira nas proximidades são empurrados para os seus respectivos buracos negros. É libertada uma quantidade enorme de radiação altamente energética à medida que o material espirala rapidamente em direção ao buraco negro faminto, que se to…

Um incrível retrato da Nebulosa do Caranguejo

Animação da composição da nova imagem da Nebulosa do Caranguejo, obtida através da combinação de dados de cinco telescópios que abrangem quase todo o espectro eletromagnético: o VLA, o Telescópio Espacial Spitzer, o Telescópio Espacial Hubble, o Observatório XMM-Newton e o Observatórios de raios-X Chandra.
Crédito: NASA, ESA, NRAO/AUI/NSF e G. Dubner (Universidade de Buenos Aires)

Astrônomos produziram uma imagem altamente detalhada da Nebulosa do Caranguejo, combinando dados de telescópios que abrangem quase toda a amplitude do espectro eletromagnético, desde ondas de rádio vistas pelo VLA (Karl G. Jansky Very Large Array) até ao poderoso brilho de raios-X visto pelo Observatório Chandra. E, entre essa gama de comprimentos de onda, a nítida visão ótica do Telescópio Espacial Hubble e a perspetiva infravermelha do Telescópio Espacial Spitzer.

A Nebulosa do Caranguejo, o resultado de uma brilhante explosão de supernova vista pelos chineses e outros astrônomos no ano 1054, está a 6500 …

Robôs começaram a ensinar novas habilidades a outros robôs

Em um importante passo que nos deixa um pouco mais próximos do inevitável apocalipse robô, pesquisadores do MIT desenvolveram um sistema que ensina robôs como assimilar novas habilidades e então ensinar essas habilidades para diferentes tipos de robôs.

O sistema se chama C-LEARN e foi desenvolvido por pesquisadores do Computer Science and Artificial Intelligence Laboratory (CSAIL), do MIT. Usando o C-LEARN, pessoas que não têm experiência com programação de computadores podem ensinar um robô a executar uma tarefa, como colocar um frasco em um balde, ou puxar um bastão de um contêiner, providenciando algumas regras básicas sobre a tarefa e permitindo ao robô ver uma única demonstração da tarefa sendo completada.

Incrivelmente, um robô pode então transferir esse conhecimento recém-assimilado para outro robô, mesmo que o robô aprendendo seja fisicamente diferente do robô que ensina. Eventualmente, o sistema C-LEARN pode permitir que fábricas utilizem uma porção de robôs diferentes e não…

Viagens espaciais de longo prazo causam queda inevitável em nossa condição física

Mais um dia, mais um estudo mostrando o quão horrível a microgravidade é para o corpo humano. Na mais recente pesquisa sobre o tema, cientistas descobriram que a exposição ao espaço a longo prazo inibe o movimento de oxigênio pelo corpo, reduzindo a capacidade de um astronauta de desempenhar tarefas extenuantes.

A nova pesquisa da Kansas State University mostra que a exposição prolongada ao espaço reduz a capacidade de exercício de um astronauta de 30% a 50%. Isso é… muita coisa. Como apontado no estudo, que você pode conferir no Journal of Applied Physiology, isso parece acontecer porque nosso coração e nossos pequenos vasos sanguíneos são muito ruins em transportar oxigênio para músculos funcionais sob condições de microgravidade. O mais desencorajador é que o efeito conta mesmo quando os astronautas tentam manter um alto nível de condição física no espaço, se exercitando em bicicletas ergométricas e correndo em esteiras.

Para o estudo, uma equipe de pesquisa liderada pelo cinesiol…

Trinta e três físicos famosos assinam uma raivosa carta sobre a origem do universo

Os cosmólogos têm como trabalho descobrir como e por que nós chegamos aqui. Mas se você chamar seu trabalho de anticientífico, vai deixá-los um tanto nervosos.

Uma história recente na Scientific American conseguiu irritar um monte desses pensadores, tanto que 33 deles (quatro dos quais ganhadores de prêmios Nobel) assinaram uma carta em resposta. Os signatários incluem Stephen Hawking, Leonard Susskind, Lisa Randall e outros que escreveram livros e deram aulas ao redor do mundo sobre como nós chegamos aqui. No centro da controvérsia está uma popular teoria de que o nosso universo inflou como um balão logo após o Big Bang. Um grupo de cientistas basicamente disse que essa teoria não era ciência, o que é como chamar o trabalho de um artista de “não-arte”, ou o trabalho de um chef de cozinha de “não-comida”.

Os físicos Anna Ijjas e Paul J. Steinhardt, de Princeton, e Abraham Loeb, de Harvard, escreveram a história inicial, chamada “Pop Goes the Universe” e a publicaram na Scientific Ame…

Arquivo | Relatos extraterrestres – Contato visual de aeronaves

Em 23 de agosto de 1978, membros das tripulações de duas aeronaves que voavam na região central do Brasil relataram a observação de objetos voadores não identificados. O piloto de uma das aeronaves relatou que eles estavam sendo acompanhados por um objeto “não coerente com os conhecidos”.
O documento integra um relatório elaborado pelo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle Aéreo – CINDACTA com registros de aparições de OVNI entre maio de 1977 e agosto de 1978. Fundo Objeto Voador Não Identificado. BR_DFANBSB_ARX_183


Para consultar o acervo do Arquivo Nacional, acesse: http://www.arquivonacional.gov.br/…/sian-sistema-de-informa…

FONTE: http://www.arquivonacional.gov.br/

Os Emirados Árabes revelaram alguns detalhes do misterioso plano para colonizar Marte

No começo deste ano, os Emirados Árabes Unidos chamaram a atenção do mundo quando o Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum anunciou um plano para estabelecer uma colônia em Marte até 2117. As autoridades não revelaram muito sobre o “Projeto Marte 2117″ – mas nesta terça-feira (9), uma pessoa que está ajudando a liderar o esforço discutiu como jovens árabes vão protagonizar a missão.

“Nos Emirados Árabes Unidos, acreditamos que estamos à beira de uma nova era de exploração”, disse Saeed Al Gergawi, diretor do programa Marte 2117 no Mohammed bin Rashid Space Centre (MBRSC), a uma plateia de entusiastas do espaço e repórteres na conferência Humans to Mars em Washington. “[Existe] uma nova corrida espacial que afeta literalmente todos os humanos no planeta.”

We aspire in the coming century to develop science, technology and our youth's passion for knowledge. This project is driven by that vision. pic.twitter.com/4QibJjtiM2— HH Sheikh Mohammed (@HHShkMohd) 14 de fevereiro de 2017
Aspira…

A impressionante hipótese de como o sistema Trappist-1 evitou sua autodestruição

Quando astrônomos anunciaram a descoberta de sete planetas do tamanho da Terra orbitando a ultrafria estrela anã TRAPPIST-1, os terráqueos imediatamente comemoraram a possibilidade de um desses vizinhos planetários poder sustentar vida. Mas, para os físicos, a TRAPPIST-1 apresenta um enigma: como esses sete planetas, todos orbitando sua estrela mais próximos do que Mercúrio está do Sol, sobreviveram? Por que eles não colidiram uns com os outros?

Afinal de contas, é isso que acontece em simulações de modelo. Depois de cerca de um milhão de anos, bem menos tempo do que os bilhões de anos que os planetas do sistema têm sobrevivido, as órbitas circulares dos planetas da TRAPPIST-1 ficam cada vez mais elípticas. Começam a se cruzar, levando a imensas colisões planetárias.

Agora, um time de astrônomos encontrou uma solução provável para essa questão, e é tão elegante que é literalmente música. Uma pesquisa publicada nesta semana no Astrophysical Journal Letters explica como os sete planeta…

Céu da Semana | Petrus Plancius | 08/05 a 14/05/2017

Neste Céu da Semana, saiba a história das Constelações Dourado e Peixe Voador, também chamada de Golfinho.
Localizadas próximo ao Pólo Sul Celeste e pouco conhecidas, essas Constelações foram criadas no século dezesseis, pelo astrônomo holandês Petrus Plancius.

Todas as semanas, Gustavo Rojas, do Laboratório Aberto de Interatividade (LAbI) da UFSCar, apresenta dicas de como olhar para o céu, quais constelações estão em destaque, fases da lua e os principais fenômenos astronômicos.



FONTE: UNIVESP TV

Homo naledi pode ter convivido com ancestrais humanos na África

Fóssil e reconstrução de como seria o rosto do 'Homo Naledi' (Foto: Themba Hadebe/AP; Mark Thiessen/National Geographic)

O Homo naledi, uma espécie de hominídeo descoberta na África do Sul em 2013, viveu "apenas" centenas de milhares de anos atrás, o que indica que ele conviveu com ancestrais humanos na região, afirmaram cientistas nesta terça-feira (9).

Um processo rigoroso de datação mostrou que o Homo naledi viveu entre 236 mil e 335 mil anos atrás, um período extremamente recente em termos paleontológicos, afirmou o cientista Lee Berger, da Universidade de Witwatersrand, em Johanesburgo.

"É a primeira vez que se demonstra que outra espécie de hominídeo viveu junto aos primeiros humanos na África", afirma um comunicado dos pesquisadores. "É algo surpreendente", disse Berger, sobre a época em que viveu a espécie. "Pensávamos que poderia ter sido há milhões de anos."


O professor Lee Berger segura a réplica de um crânio do ‘Homo naledi’…

Cientistas descobrem espécie de dinossauro gigante parecido com ave na China

Ilustração mostra provável aparência de dinossauro gigante parecido com ave chamado Beibeilong sinensis (Foto: Zhao Chuang (Ilustração))

Pesquisadores descobriram uma nova espécie de dinossauro gigante, semelhante a um pássaro, que colocava ovos de 45 centímetros de comprimento onde fica hoje a China central, segundo um estudo.

Medindo cerca de oito metros de comprimento e com peso de até 3 mil quilos, o Beibeilong sinensis ("dragão bebê da China") - viveu há cerca de 90 milhões de anos e é apenas a segunda espécie conhecida de oviraptorossauro gigante no mundo.

A paleontóloga canadense Darla Zelenitsky, coautora do estudo, disse à AFP que o Beibeilong provavelmente se parecia com um casuar gigante, um pássaro que não voa semelhante a um emu.

Provavelmente coberto de penas, os oviraptorossauros tinham bicos robustos e sem dentes e muitas vezes exibiam uma crista no topo de suas cabeças. "Houve um grande mistério por muitos anos sobre qual espécie colocou os maiores ovo…

Novo arquivo ufológico é obtido pelo grupo Cefora

Croqui do incidente em Necochea

Documento descreve famoso caso acontecido na Argentina em 1962

O investigador argentino Roberto Banchs, atendendo a uma solicitação do grupo Cefora, que realiza uma campanha para a liberação de documentos ufológicos do governo e Forças Armadas da Argentina, publicou no Facebook vários papéis importantes. Tornados públicos pela primeira vez, esses arquivos que estavam sob sua guarda descrevem um famoso incidente argentino, ocorrido em 29 de agosto de 1962 em Necochea, província de Buenos Aires.

O caso se tornou público com sua publicação em Ecos Diarios, veículo da Marinha Argentina, e foi investigado pelo capitão Omar Pagani. A ocorrência se deu quando o senhor Osman Alberto Simonini dirigia um caminhão Chevrolet 1957 à noite, saindo de La Dulce e percorrendo a estrada que liga Juarez a Necochea. Na altura do quilômetro 28 da estrada, as 20h10, ele observou uma luz que parecia segui-lo O objeto finalmente emparelhou com ele, a uma distância de 3 metros…

Nebulosas fotoionizadas e a evolução química das galaxias do Grupo Local -- Walter J. Maciel

TÍTULO:
Nebulosas fotoionizadas e a evolução química das galaxias do Grupo Local

RESUMO:
Nebulosas fotoionizadas incluem as nebulosas planetárias e as regiões HII. Estes objetos têm intensas linhas de emissão, que permitem obter abundâncias precisas nas galáxias do Grupo Local. Nesta palestra, apresentamos um resumo dos processos de evolução galáctica, com ênfase na evolução química. Discutimos os principais processos de formação dos elementos químicos, considerando separadamente os elementos que são produzidos essencialmente pelas estrelas massivas e aqueles que podem também ser formados pelas estrelas de massa intermediária, progenitoras das nebulosas planetárias. Concluímos apresentando alguns resultados obtidos recentemente para diversas galáxias do Grupo Local a partir da determinação de abundâncias dos elementos He, N, O, Ne, S, e Ar.



FONTE: Canal Youtube Astronomia ao Meio-dia

O que são os 'nanovenenos' usados no suposto complô para matar Kim Jong-un

Líder da Coréia da Norte afirmou que a CIA tentou assassiná-lo utilizando nanossubstâncias venenosas

O governo norte-coreano acusou a Agência Central de Inteligência (CIA), dos Estados Unidos, de tentar assassinar o líder do país, Kim Jong-un, através do "uso de substâncias bioquímicas incluindo substância radioativa e nanossubstância venenosa".

A acusação veio através de texto divulgado pelo Ministério da Segurança do Estado da Coréia do Norte. Dias antes, o presidente do Estados Unidos, Donald Trump, havia elogiado Kim Jong-un, chamado-o de "muito inteligente".

De acordo com o Ministério norte-coreano, a agência americana teria armado um complô para matar Jong-un subornando um cidadão do país. Além do pagamento, teria sido dado a ele também transceptores via satélite e equipamentos necessários para realizar a missão. O texto afirma que, para a CIA, o uso de nanossubstâncias venenosas é o melhor método, já que não requer acesso ao alvo e os efeitos podem surtir d…

Rover Curiosity recolhe amostras de dunas marcianas

Esta imagem da Mastcam do Curiosity mostra duas escalas de ondulações, além de outras texturas, numa área onde a missão examinou uma duna linear no campo Bagnold, na parte inferior do Monte Sharp, em março e abril de 2017.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS

À medida que sobe monte acima, oriundo de uma faixa de dunas onduladas, o rover Curiosity da NASA transporta um punhado de areia escura para análise que irá completar a investigação dessas mesmas dunas.

Desde o início de fevereiro até ao início de abril que o rover examinou quatro locais perto de uma duna linear para comparar com o que encontrou no final de 2015 e início de 2016 durante a sua investigação de dunas em forma de crescente. Esta campanha de duas fases é o primeiro estudo, de perto, de dunas ativas em qualquer outro lugar que não a Terra.

Entre as questões que esta campanha de dunas marcianas aborda está o modo como os ventos dão formas diferentes às dunas que estão relativamente perto umas das outras, no mesmo lado da mes…

Por que algumas imagens estáticas causam convulsões

A maioria das pessoas hoje em dia está ciente de que luzes estroboscópicas têm o potencial de causar convulsões epilépticas fotossensíveis. Um troll supostamente causou uma convulsão em um jornalista com um tweet. Um episódio de Pokémon mandou quase 700 crianças japonesas para o hospital. Mas imagens fixas também podem podem causar convulsões, e os cientistas estão começando a descobrir agora como isso funciona.

Ainda existe muito que não sabemos sobre desencadeadores de convulsões, já que não existe uma forma confiável de testá-los em humanos ou animais. Um time de pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Utrecht queria saber o que estava acontecendo no cérebro que pudesse ajudá-los a entender melhor por que algumas imagens fixas causam convulsões e outras não.

“Um tipo específico de onda cerebral… chamada oscilação gama, é particularmente afetada por certos padrões visuais”, Dora Hermes, principal autora de uma correspondência publicada nesta segunda-feira na Current Biolo…

Cerâmica líquida vai aonde nenhuma cerâmica jamais foi antes

O material líquido, transparente e com densidade similar à da água, ao ser aquecido, vira uma cerâmica que suporta altíssimas temperaturas. [Imagem: Kansas State University]

Líquido que vira cerâmica

Apenas cinco ingredientes - silício, boro, carbono, nitrogênio e hidrogênio - foram misturados para produzir um novo polímero líquido que, ao ser aquecido, vira uma cerâmica com valiosas propriedades térmicas, ópticas e eletrônicas.

Dadas as propriedades da cerâmica resultante, o polímero poderá ser usado na fabricação de têxteis cerâmicos, melhores lâminas para motores a jato e proteções antitérmicas customizadas, além de permitir a fabricação de peças cerâmicas em impressoras 3-D e poder entrar na composição de baterias.

Com uma densidade similar à da água, o polímero também pode ser produzido em larga escala, por processos industriais.

"Este polímero é um material útil que realmente funciona," disse Gurpreet Singh, da Universidade do Estados do Kansas, nos EUA. "Agora p…