Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 17, 2019

Astrofísica para Todos: curso de Astrofísica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Tema 01: Astronomia Antiga

Astronomia antes dos gregos, astronomia grega, astronomia nas Américas, astronomia pré-telescópio, o desenvolvimento dos telescópios.

Baixe a apostila desta aula clicando aqui.




Tema 02: Noções de Astronomia

Forma e movimentos da Terra. Esfera celeste. Constelações. Estações do ano. Fases da Lua. Eclipses solares e lunares. Medida do tempo: dia, mês e ano. Ano bissexto.

Baixe a apostila desta aula clicando aqui.




Tema 03: Gravitação

Leis de Kepler. Leis de Newton. Lei da gravitação de Newton. Força de maré. Limite de Roche. Conceitos de Relatividade Especial e Geral. Novas leis de gravitação.

Baixe a apostila desta aula clicando aqui.




Tema 04: Luz

Dualidade onda-partícula. Onda eletromagnética. Efeito Doppler.
Espectro eletromagnético. Corpo negro. Átomo de Bohr e a luz. Leis de Kirchhoff para a Luz. Efeitos da Atmosfera na luz.

Baixe a apostila desta aula clicando aqui.




Tema: 05 Noções de Óptica

Reflexão. Refração. Difração. Espalhamento. Polarização. Espel…

Levitação de objetos macroscópicos com luz é possível, sugere pesquisa

Ilustração conceitual de um objeto nano-modelado reorientando-se para permanecer em um feixe de luz.

Materiais especialmente projetados poderiam permitir que naves fossem impulsionadas por luz até planeta extrasolar

Pesquisadores da Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia) estão desenvolvendo uma maneira de fazer levitar e impulsionar objetos usando apenas a luz, através da criação de determinados padrões, em nanoescala, na superfície dos objetos.

Embora ainda esteja na etapa teórica, o trabalho é um passo em direção ao desenvolvimento de uma espaçonave que poderia alcançar o planeta mais próximo fora do nosso sistema solar em 20 anos, alimentada e acelerada apenas pela luz.

Um artigo descrevendo a pesquisa aparece na edição on-line da revista Nature Photonics. A pesquisa foi feita no laboratório de Harry Atwater, Howard Hughes Professor de Física Aplicada e Ciência de Materiais na Divisão de Engenharia e Ciências Aplicadas da Caltech.

Décadas atrás, o desenvolvimento das cham…

Testemunhando o nascimento de um sistema binário massivo

Imagem ALMA da região de formação estelar IRAS07299 e do sistema binário massivo no seu centro. A imagem de fundo mostra correntes densas de gás e poeira (verde) que parecem fluir para o centro. Os movimentos do gás, traçados pela molécula metanol, na nossa direção, estão a azul; os movimentos na direção oposta estão a vermelho. A inserção mostra uma ampliação do massivo binário em formação, com a protoestrela primária e mais brilhante movendo-se na nossa direção mostrada a azul e a protoestrela secundária, mais tênue, movendo-se para longe de nós, mostrada a vermelho. As linhas pontilhadas mostram um exemplo das órbitas da primária e secundária espiralando em torno do seu centro de massa (assinalado pela cruz).
Crédito: ALMA (ESO/NAOJ/NRAO); RIKEN, Zhang et al.

Cientistas do Grupo RIKEN para Investigação Pioneira no Japão, da Universidade Chalmers de Tecnologia na Suécia, da Universidade da Virgínia nos EUA e colaboradores usaram o ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array)…

Fermi da NASA cronometra pulsar "bala de canhão" que acelera através do espaço

O remanescente de supernova CTB 1 assemelha-se a uma bolha fantasmagórica nesta imagem, que combina novas observações a 1,5 gigahertz do VLA (Very Large Array) (laranja, perto do centro) com observações mais antigas do Levantamento Canadiano do Plano Galáctico com o DRAO (Dominion Radio Astrophysical Observatory) (1,42 gigahertz, magenta e amarelo; 408 megahertz, verde) e dados infravermelhos (azul). Os dados do VLA revelam claramente a cauda brilhante e reta do pulsar J0002+6216 e o borda curva da concha do remanescente. CTB 1 tem cerca de meio-grau, o tamanho aparente de uma Lua Cheia.
Crédito: composição por Jayanne English, Universidade de Manitoba, usando dados de NRAO/F. Schinzel et al., DRAO/Levantamento Canadiano do Plano Galáctico e NASA/IRAS

Os astrônomos encontraram um pulsar que viaja pelo espaço a quase 4 milhões de quilômetros por hora - tão rápido que poderia percorrer a distância entre a Terra e a Lua em apenas seis minutos. A descoberta foi feita usando o Telescópio …

OSIRIS-REx revela grandes surpresas no asteroide Bennu

Esta imagem do asteroide Bennu mostra partículas expelidas da sua superfície no dia 19 de janeiro. Foi criada combinando duas imagens obtidas pela sonda OSIRIS-REx da NASA. Também foram aplicadas outras técnicas de processamento de imagem, como corte e ajustamento do brilho e contraste de cada imagem.
Crédito: NASA/Goddard/Universidade do Arizona/Lockheed Martin

A nave espacial da NASA que transportará, em 2023, uma amostra do asteroide próximo da Terra, chamado Bennu, fez as suas primeiras observações detalhadas das plumas de partículas em erupção da superfície de um asteroide. Bennu também se revelou mais robusto do que o esperado, desafiando a equipa a alterar os seus planos de voo e recolha de amostras devido ao terreno acidentado.

Bennu é o alvo da missão OSIRIS-REx (Origins, Spectral Interpretation, Resource Identification, Security-Regolith Explorer) da NASA, que começou a orbitar o asteroide no passado dia 31 de dezembro. Bennu, que é apenas ligeiramente maior que a altura d…

Missão Hayabusa2 acaba de mostrar primeiros resultados científicos sobre o asteroide Ryugu

Por Ryan F. Mandelbaum

A missão Hayabusa2, da Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA), divulgou sua primeira leva de resultados científicos sobre o asteroide Ryugu — e revelou uma série de surpresas sobre essa pequena rocha.

A Hayabusa2 é uma das duas missões que atualmente estão visitando e tentando coletar amostras de asteroides perto da Terra. Suas observações iniciais já revelaram um Ryugu diferente das expectativas: ao invés de uma massa úmida de rochas de formas diferentes, ele é uma pilha giratória de entulho uniforme com menos água do que o esperado. Essas novas descobertas ajudarão os cientistas a escrever a história deste objeto, que agora parece incluir um período de rotação rápida e um nascimento potencialmente caótico a partir de um corpo progenitor.

A Hayabusa2 foi lançada em dezembro de 2014 e chegou ao asteroide Ryugu, de 900 metros de largura, no verão passado do hemisfério norte. Desde então, ele captou imagens incríveis e, no mês passado, aterrissou com …

Missão New Horizons compartilha novos detalhes sobre o objeto espacial mais distante já explorado

Por George Dvorsky

Cientistas da missão New Horizons reuniram-se nesta semana, no Texas, para discutir as últimas descobertas sobre o MU69, o objeto espacial mais distante já explorado. Este objeto do Cinturão de Kuiper — que tem uma semelhança impressionante com um boneco de neve achatado — está se tornando ainda mais estranho do que imaginávamos.

Depois que a New Horizons, da NASA, passou por Plutão em 14 de julho de 2015, os planejadores de missão enviaram a espaçonave em uma trajetória até o 2014 MU69, um objeto transnetuniano distante (TNO, na sigla em inglês). Além de sua localização no Cinturão de Kuiper e de uma tonalidade claramente avermelhada, praticamente nada se sabia sobre o objeto, que foi visto pela primeira vez pelo telescópio espacial Hubble há apenas cinco anos.

A New Horizons voou rapidamente pelo MU69 no dia de Ano Novo de 2019, a velocidades próximas de 53.000 km/h e a uma distância mínima de 3.500 km. Nos dias que se seguiram ao voo, e à medida que as fotos do …

Dom Hélder Câmara falou sobre extraterrestres (Pesquisas 09)

Nave da NASA pode ter explorado um mar em Marte em 1997

ESQUERDA: VISÃO DO SOJOURNER DO MÓDULO DE ATERRISSAGEM DO PATHFINDER. UMA GRANDE PROPORÇÃO DAS ROCHAS PODERIA TER SIDO CORROÍDA POR INUNDAÇÕES. DIREITA: RECONSTRUÇÃO DO MAR HÁ 3,4 BILHÕES DE ANOS (FOTO: MOLA SCIENCE TEAM, MSS, JPL, NASA)

Existência de água seria uma evidência de vida no Planeta Vermelho

Realizada em 1997, a primeira missão espacial da NASA a Marte, a Mars Pathfinder, pode ter registrado uma paisagem de um terreno transbordando. O local de pouso está no vertedouro de um antigo mar que sofreu inundações catastróficas liberadas do subsolo do planeta e de seus sedimentos. Isso poderia gerar evidências de vida no Planeta Vermelho, afirma Alexis Rodriguez, cientista sênior do Planetary Science Institute e autor principal de artigo recente sobre o tema.

Há quase meio século, a nave espacial Mariner 9 produziu imagens que mostram que Marte foi atingido por dois gigantescos tsunamis há aproximadamente 3,4 bilhões de anos, muito maiores do que qualquer outro conhecido que tenh…

Cientistas criam novo estado da matéria, o supercristal, usando lasers

REPRESENTAÇÃO DO SUPERCRISTAL (FOTO: PENN STATE MRI/DIVULGAÇÃO)

Estudo revela que, à temperatura ambiente, o supercristal fica estável

Um supercristal foi criado por pesquisadores da Pennsylvania State University e do Argonne National Laboratory, representando um novo estado da matéria capaz de ficar estável por um longo período de tempo. O objetivo da equipe de pesquisa é descobrir estados de matéria com propriedades incomuns que não existem em equilíbrio na natureza.

"Estamos procurando por estados ocultos da matéria, retirando a matéria do seu estado confortável, que chamamos de estado fundamental", explica Venkatraman Gopalan, professor de ciência dos materiais na Pennsylvania State University.

"Fazemos isso excitando os elétrons em um estado mais alto usando um fóton, e então observando enquanto o material retorna ao seu estado normal. A ideia é que, no estado excitado, ou em um estado que ele passa em um piscar de olhos no caminho para o estado fundamental, encon…

Neurônios eletrônicos integram-se ao tecido cerebral

Os neurônios naturais (verde) mesclaram-se com os neurônios artificiais (vermelho). [Imagem: Xiao Yang et al. - 10.1038/s41563-019-0292-9]

Neurônios artificiais

Uma equipe da Universidade de Harvard, nos EUA, projetou uma sonda neural que funciona e se parece tanto com um neurônio real que o cérebro não consegue identificar os impostores implantados.

O cérebro mantém uma guarda estrita contra invasores, o que significa que qualquer corpo estranho é imediatamente atacado e neutralizado.

Infelizmente, isso inclui as sondas e chips neurais, que estão sendo desenvolvidos para tratamentos médicos, como epilepsia, depressão e outras doenças neurológicas, além de estudos mais aprofundados do próprio cérebro.

"Este avanço literalmente tira a nitidez das diferenças sempre presentes e claras nas propriedades de sistemas criados pelo homem e sistemas vivos," disse o professor Charles Lieber, cuja equipe vem trabalhando há alguns anos em tecidos ciborgues, que misturam biológico e elet…

Livros vermelhos: sugestão de leitura (01)

Novo programa que aborda a apresentação de 2 livros de capa vermelha, importantes para a compreensão da Ufologia Brasileira e mundial.

O livro intitulado "O LIVRO VERMELHO DOS DISCOS VOADORES", do professor Flávio Augusto Pereira, foi editado em 1966 pelas Edições Florença Ltda e é composto de mais de 400 páginas e aborda casos, estatísticas e outras informações ufológicas.



O livro intitulado "VAMPIROS EXTRATERRESTRES NA AMAZÔNIA", do professor Daniel Rebisso Giese, foi editado em 1991 pela Falangola Editora e aborda o conteúdo da Operação Prato ou Fenômeno Chupa-Chupa ocorrido na década de 70, na região norte do Brasil. Recheado de informações e fotografias tiradas, inclusive, por militares do I COMAR (Força Aérea Brasileira).





FONTE: Enigmas e Mistérios

Matéria de Capa | Engenharia de nuvens | 17/03/2019

Nesta edição do Matéria de Capa, teriam os cientistas descoberto o caminho para reverter o aquecimento global e neutralizar as ameaças ao planeta? Será que a solução está na geoengenharia? Há quem acredite que sim e mais: uma intervenção em grande escala no clima da Terra poderia não apenas reduzir as temperaturas, mas até controlar furacões e outros fenômenos climáticos.



FONTE: Matéria de Capa

Estudo indica potencial de vida extraterrestre na Via Láctea

Pesquisa do Inpe sugere a existência de outros planetas rochosos e com alta probabilidade de tectonismo — o que aumenta a chance de serem habitáveis (Imagem: NASA)

Uma das condições que permitiram o surgimento e a manutenção da vida na Terra é o fato de o planeta ser geologicamente ativo, com terremotos e vulcões.

A atividade vulcânica, gerada pela movimentação das placas tectônicas sobre o manto terrestre (tectonismo) possibilita reciclar gases, como o dióxido de carbono, através do manto, da crosta, da atmosfera e dos oceanos. Dessa forma, contribui para tornar a Terra habitável ao manter a temperatura do planeta em condições ideais para a sobrevivência dos seres vivos, explicam os cientistas.

Um estudo feito por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sugere a existência de outros planetas rochosos na galáxia em que se encontra a Terra – a Via Láctea – com altas probabilidades de apresentarem tectonismo, o que aumenta a chance de também serem habitáveis.

Ainda não é telepatia, mas estamos chegando lá

Interface neural dá os primeiros passos para formar uma rede de cérebros, interconectando pessoas. [Imagem: UPM]

Hardware para telepatia

Interfaces neurais, ou interfaces cérebro-computador, permitem controlar dispositivos externos pelo "pensamento" - tipicamente são usadas intenções de movimento de um membro, e não exatamente uma ideia abstrata do tipo "Eu quero isto", ou "Eu quero aquilo".

Assim, é natural pensar que um próximo estágio no desenvolvimento dessas neurointerfaces possa permitir a transferência direta de informações entre pessoas, do cérebro de uma para o cérebro de outra.

Embora se imagine que isto possa estar muito distante no futuro, uma equipe internacional de pesquisadores acaba de publicar um artigo alegando terem dado um passo importante nesse rumo. Eles desenvolveram uma interface neural que permite distribuir uma tarefa cognitiva entre diversas pessoas.

Em seus testes, a equipe usou a interface cérebro-cérebro para estimar os esta…

Astrônomos descobrem 83 buracos negros supermassivos no Universo inicial

Luz de um dos mais distantes quasares conhecidos, alimentado por um buraco negro supermassivo situado a 13,05 bilhões de anos-luz da Terra. A imagem foi obtida com o instrumento HSC (Hyper Suprime-Cam) acoplado ao Telescópio Subaru. Os outros objetos no campo são na maioria estrelas da nossa Via Láctea ou galáxias no campo de visão.
Crédito: NAOJ

Astrônomos do Japão, de Taiwan e dos EUA (Universidade de Princeton) descobriram 83 quasares alimentados por buracos negros supermassivos no universo distante, numa época em que o Universo tinha menos de 10% da sua idade atual.

"É notável que tais objetos massivos e densos pudessem formar-se logo após o Big Bang," disse Michael Strauss, professor de ciências astrofísicas da Universidade de Princeton e um dos co-autores do estudo. "A compreensão de como os buracos negros se podem formar no início do Universo, e de quão comuns são, é um desafio para os nossos modelos cosmológicos."

Este achado aumenta consideravelmente o nú…

Físico e astrônomo brasileiro Marcelo Gleiser é o vencedor do Prêmio Templeton 2019

Marcelo Gleiser, vencedor do premio Templeton 2019 — Foto: Dartmouth College/Eli Burakiae/Divulgação

Ele é o primeiro latino-americano a ganhar o prêmio, criado em 1972, e vai receber 1,1 milhão de libras esterlinas, o equivalente a R$ 5,5 milhões. 'A ciência não mata Deus', diz.

O físico e astrônomo brasileiro Marcelo Gleiser é o vencedor do Prêmio Templeton 2019, anunciou a fundação responsável pela premiação nesta terça-feira (19).

Ele é o primeiro latino-americano a ganhar o prêmio, criado em 1972, e vai receber 1,1 milhão de libras esterlinas, o equivalente a R$ 5,5 milhões. A cerimônia de premiação será em 29 de maio, em Nova York.

"[Ele é] Um dos principais proponentes da visão que ciência, filosofia e espiritualidade são expressões complementares que a humanidade precisa para abraçar o mistério e explorar o desconhecido", diz Heather Templeton Dill, presidente da fundação John Templeton, no vídeo que anuncia o premiado.

Gleiser tem 60 anos e vive atualmente …