Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 3, 2018

Documentário "Luzandeja" aborda avistamentos de estranhas luzes em Morro da Garça (MG)

Documentário realizado por Pedro Salim, para o mestrado na UFRJ em Ecologia Social com verba do CNPQ. O mesmo aborda o avistamento de estranhas luzes por moradores da zona rural de Morro da Garça, município localizado no centro norte mineiro, distante 210 km da capital Belo Horizonte.



FONTE: canal Youtube psalimp via Cipfani



Estranhas ocorrências envolvem os carros dos Homens de Preto

Os MIBs são normalmente vistos a bordo de reluzentes Cadillac pretos, de modelos antigos mas com aparência de novos

Veículos dos personagens mais bizarros da Ufologia também são responsáveis por relatos assustadores ao longo dos anos e em vários lugares do mundo

Os Homens de Preto fazem parte há décadas do imaginário ligado aos UFOs e, ao contrário da trilogia de filmes lançada pela Columbia Pictures Corporation, nada têm de engraçado. Estranheza e terror estão frequentemente presentes nos relatos das testemunhas que foram desafortunadas o suficiente para receber as visitas desses aterradores personagens e tanto quanto os próprios MIBs, seus carros também se mostram entidades bizarras, capazes de feitos que desafiam a compreensão. O maior especialista do mundo no assunto, Nick Redfern (cujo livro MIB é um dos grandes sucessos) até idealizou um termo: Cars in Black (Carros Pretos, CIBs).

Um bizarro caso envolvendo MIBs e seu carro foi relatado ao grande pioneiro da Ufologia Mundial, o…

Novas informações sugerem que UFO Tic-Tac teve encontro com gigantesco OSNI submerso

O Grupo de Batalha do porta-aviões Nimitz foi o protagonista da ocorrência de 2004

Continuam a surgir mais detalhes a respeito do controverso encontro da Marinha norte-americana com um UFO em 2004

O caso do UFO Tic-Tac continua a repercutir na imprensa mundial. A partir de sua revelação pelo jornal The New York Times em dezembro de 2017 provavelmente todo interessado no Fenômeno UFO já deve saber que o incidente aconteceu no final de 2004, próximo à costa da Califórnia, envolvendo o grupo de batalha da Marinha norte-americana (US Navy) liderado pelo porta-aviões Nimitz. Na mais nova atualização, disponível nos links abaixo, informamos que esse UFO, com aproximadamente 13,7 m ou 45 pés de comprimento foi descrito no documento liberado recentemente como não possuindo meios visíveis de sustentação, e tendo descido rapidamente de 18.300 m de altitude para somente 15m em questão de segundos.

O relatório, obtido pelo I-Team do Las Vegas Now, ainda informa que o Tic-Tac era detectado de for…

Pesquisa do Pentágono também investigou energia escura e a existência de outras dimensões

Não se sabem os motivos pelos quais o Pentágono está interessado nas pesquisas mais avançadas da ciência, como a energia escura

Fenômenos paranormais, entidades invisíveis e criaturas bizarras, além dos efeitos de observações de UFOs em testemunhas também são descritos em documento recentemente divulgado

Seja sob o título de Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP), ou o recentemente divulgado Programa de Aplicação de Sistemas de Armamentos Aeroespaciais Avançados (AAWSAP), do qual o primeiro seria somente uma pequena iniciativa não oficial, o programa de investigação ufológica do Pentágono segue como um assunto polêmico desde dezembro passado, quando foi revelado pelo jornal The New York Times. Agora, um documento recentemente obtido aponta o interesse militar em outras áreas, tais como fenômenos paranormais, entidades bizarras, e mesmo em pesquisas de ponta dos limites do conhecimento cientifico, como energia escura e a possibilidade da existência de outr…

Estas são as pegadas mais antigas já registradas no planeta

Por: George Dvorsky

Uma equipe internacional de pesquisadores diz ter descoberto a pegada mais antiga do mundo. Com uma data de 550 milhões de anos e encontrada numa cama de pedra calcária na China, as impressões foram feitas por uma criatura animal que era bem estranha.

Fósseis do Período Ediacarano, também chamado de período Vendiano, são raros. Os poucos animais que viveram durante essa época, entre 635 milhões e 541 milhões de anos atrás, tinham uma casca mole, não tinham ossos, dentes ou cascas duras. Tecidos moles não são propensos a fossilização, pois eles se degradam rapidamente após a morte, então cientistas têm apenas uma ideia de como eram os primeiros animais de nosso planeta.

O Ediacarano foi o período imediatamente antes da Explosão Cambriana (541 milhões a 510 milhões de anos atrás), um período em que a vida teve uma rápida diversificação. Mas tirando as bactérias e algas verdes, havia alguns animais notáveis no Período Ediacarano. Algumas das primeiras criaturas que s…

O novo supercomputador mais potente do mundo é um milhão de vezes mais rápido que seu notebook

Por: George Dvorsky

Senhores, considerem-se devidamente apresentados ao Summit: um novo supercomputador capaz de fazer 200 milhões de bilhões de cálculos por segundo. A criação do Summit marca a primeira vez em cinco anos que uma máquina dos Estados Unidos aparece ranqueada como a mais potente do mundo.

As especificações dessa máquina de US$ 200 milhões desafiam a compreensão. Construído por IBM e Nvidia para o Laboratório Nacional Oak Ridge, do Departamento de Energia dos EUA, o Summit é uma máquina de 200 petaflops, ou seja, ele pode fazer 20 quadrilhões de cálculos por segundo. Isso é cerca de um milhão de vezes mais rápido que um notebook comum. Como colocou o New York Times, um humano precisaria de 63 bilhões de anos para fazer o que o Summit consegue fazer em um segundo. Ou, como apontado pelo MIT Technology Review, “todos na Terra teriam que fazer um cálculo por segundo, o dia inteiro, por 305 dias para calcular o que a máquina nova consegue fazer em um piscar de olhos”.

A máq…

Aparições misteriosas nos bairros da capital paulista, Brás, Mooca e Belém!

Por Edison Boaventura Júnior*,
Presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá

Seres com capacete são observados na Mooca

No dia 17 de julho de 1978, uma equipe de investigadores do grupo espanhol, CIOVE – Centro Investigador de Objetos Voadores Extraterrestres, coordenados pelo ufólogo Rafael Sempere Durá, estiveram na residência de dona Amália, no Alto da Mooca, para saber detalhes do contato de 3º grau.

Dona Amália contou que no dia 11 de julho de 1978, entre 23:40 horas e 23:50 horas, assistia televisão, enquanto seus filhos dormiam. Em ato continuo, como seu cachorro latisse sem motivo e a imagem de sua televisão começasse a oscilar, resolveu ir até a cozinha pegar o lixo para colocar para fora. Ao sair ao pátio, notou um barulho como zumbido de insetos e ficou paralisada na porta de casa, quando observou dois pequenos seres humanoides.

Observando melhor, notou que atrás daqueles dois seres havia um objeto de forma oval, pousado sobre os quatro pés. Um dos tripulantes fez um sina…

Passagem de astronautas pela Lua causou pequenas flutuações na temperatura do satélite

O astronauta Harrison Schmitt usa uma pá de amostragem ajustável para recuperar amostras lunares durante a missão Apollo 17, em dezembro de 1972. Fitas de dados lunares recentemente restauradas mostram que a atividade dos astronautas da Apollo aqueceu ligeiramente a superfície da Lua.

Após ter passado oito anos recuperando dados sobre a Lua coletados pelas missões Apollo, uma equipe de cientistas relatou, em um estudo, ter solucionado um mistério de décadas: o motivo de a subsuperfície lunar ter experimentado um ligeiro aquecimento durante a década de 1970.

Há muito os cientistas se perguntam qual a causa desse aquecimento lunar, que ocorre desde que as missões Apollo começaram e os astronautas colocaram sondas na Lua para medir o calor vindo do seu interior. As fitas recuperadas pelos cientistas continham dados que preencheram uma lacuna sobre a década de 1970, e ajudaram os pesquisadores a identificar a fonte do aquecimento — que é os próprios astronautas da Apollo. Os astronautas …

A gravidade coletiva, não o Planeta Nove, pode explicar as órbitas de "objetos isolados"

Ilustração de Sedna, que em imagens de telescópios tem um tom avermelhado.
Crédito: NASA/JPL-Caltech

De acordo com um novo estudo, interações parecidas com as dos carrinhos de choque, nas orlas do nosso Sistema Solar - e não um misterioso Planeta Nove - podem explicar a dinâmica de corpos estranhos chamados "objetos isolados".

A professora assistente Ann-Marie Madigan da Universidade do Colorado em Boulder, EUA, e sua equipa de investigadores, desenvolveram uma nova teoria para a existência de objetos esquisitos como Sedna - um planeta menor gelado que orbita o Sol a uma distância de quase 12,8 bilhões de quilômetros. Os cientistas têm tentado explicar por que Sedna e um punhado de outros corpos àquela distância pareciam separados do resto do Sistema Solar.

Uma teoria sugere um novo planeta, ainda invisível, à espreita para lá de Netuno, que pode ter empurrado as órbitas destes objetos isolados.

Mas Madigan e colegas calcularam que as órbitas de Sedna e de outros objetos se…

Os enxames globulares podem ser 4 bilhões de anos mais jovens do que se pensava

Evolução de um sistema binário no interior de um enxame globular.
Crédito: Mark A. Garlick/Universidade de Warwick

Segundo uma nova pesquisa liderada pela Universidade de Warwick, os enxames globulares podem ser até 4 bilhões de anos mais jovens do que se pensava.

Compostos por centenas de milhares de estrelas densamente agrupadas numa esfera compacta, os aglomerados globulares eram considerados quase tão antigos quanto o próprio Universo - mas, graças a modelos de investigação recentemente desenvolvidos, foi demonstrado que podem ter 9 bilhões de anos em vez de 13 bilhões.

A descoberta põe em questão as teorias atuais sobre como as galáxias, incluindo a Via Láctea, foram formadas, pois os enxames globulares eram considerados quase tão antigos quanto o próprio Universo. Pensa-se que existam, só na nossa Galáxia, entre 150 e 180 enxames globulares.

Projetados para reconsiderar a evolução das estrelas, os novos modelos BPASS (Binary Population and Spectral Synthesis) levam em conta os …

ALMA e VLT descobrem demasiadas estrelas massivas em galáxias com formação estelar explosiva, tanto próximas como longínquas

Esta imagem artística mostra uma galáxia poeirenta no Universo distante que está a formar estrelas a uma taxa muito mais elevada do que a da nossa Via Láctea. Novos dados obtidos com o ALMA permitiram aos cientistas observar para além do véu de poeira e ver algo anteriormente inacessível - que estas galáxias com formação estelar explosiva possuem um excesso de estrelas massivas quando comparadas com galáxias mais calmas.
Crédito: ESO/M. Kornmesser

Com o auxílio do ALMA e do VLT, os astrônomos descobriram que, tanto galáxias com formação estelar explosiva do Universo primordial, como uma região de formação estelar situada numa galáxia próxima, contêm uma proporção de estrelas massivas muito maior do que a encontrada em galáxias mais calmas. Esta descoberta desafia as atuais teorias de evolução galáctica, alterando o nosso conhecimento da história da formação estelar cósmica e da formação contínua de elementos químicos.

No intuito de estudar o Universo longínquo, uma equipe de cientist…

Bateria nuclear: Não precisa ser recarregada e dura para sempre

Pode parecer um tanto assustador, mas a bateria nuclear é segura, não precisa recarregar e dura décadas. [Imagem: Elena Khavina/MIPT]

Bateria nuclear sem riscos

Seu próximo telefone celular, ou mesmo seu carro elétrico, poderão ser alimentados por uma bateria nuclear, em lugar das baterias de íons de lítio, graças a um avanço feito por pesquisadores russos.

E não é preciso se preocupar, porque a radiação envolvida nessa bateria nuclear é de baixa energia, podendo ser bloqueada até mesmo por uma folha de papel - o invólucro da bateria é mais do que suficiente para torná-la segura.

A tecnologia das baterias nucleares - betavoltaica ou betabaterias - foi de fato usada na década de 1970 para alimentar marcapassos cardíacos, antes de ser superada pelas baterias de íons de lítio, com vidas úteis muito mais curtas, mas também mais baratas. Além disso, naquela época as baterias nucleares ainda não haviam sido miniaturizadas.

A bateria nuclear, que funciona a partir do decaimento beta de um i…

"Cabeças reservas" em tumbas do Egito continuam a intrigar arqueólogos

'CABEÇA RESERVA' DA QUARTA DINASTIA DO IMPÉRIO ANTIGO ENCONTRADA EM GIZA. (FOTO: CAPTMONDO/WIKIMEDIA COMMONS)

Dezenas de esculturas de cabeças pertencentes a personalidades egípcias foram encontradas desde o final do século 19, mas o seu significado ainda é desconhecido

Era 1894, quando o arqueólogo francês Jacques de Morgan descobriu a primeira "cabeça reserva" egípcia, enquanto explorava uma tumba do reinado de Seneferu, faraó do Império Antigo que governou entre 2613 e 2589 a.C.

Mais de um século de depois, 31 desses bustos foram encontrados em condições nada convencionais para os padrões observados pelos arqueólogos e, por isso, sua função dentro das tumbas e dos processos funerários da época ainda permanece um mistério.

A localização das ‘cabeças’ dentro das tumbas, por exemplo, é um tanto inusitada. “Geralmente, estátuas funerárias ficavam sobre o solo, idealmente em uma capela que fazia parte da superestrutura da tumba ou em uma pequena sala construída especi…

17 fatos e curiosidades sobre a vida do Alan Turing

Após 64 anos de sua morte, o legado do homem que ajudou a pôr fim na Segunda Guerra segue presente

Há 64 anos, uma dose de cianeto pôs fim à vida daquele que é considerado o pai da computação: o inglês Alan Turing. Em seus 41 anos, o matemático acumulou diversos feitos. Ele foi um dos responsáveis por descobrir o local exato onde as tropas nazistas estariam em 6 de junho de 1944, que culminou no desembarque de 155 mil soldados aliados na Normandia, fato que entrou para a história como Dia D.

Seu legado não se limita aí. Hoje ele dá nome a uma lei inglesa, criou o teste usado para testar a qualidade da inteligência artificial e até já foi tema de uma versão comemorativa do jogo Monopoly. Listamos abaixo esses e outros fatos importantes - ou curiosos - sobre uma das mentes mais brilhantes do século XX.

Criança prodígio
Alan Mathison Turing nasceu em 23 de junho de 1912 em Londres, Inglaterra. Ainda na infância, já dava sinais de ser mais inteligente que a média. Aos 13 anos, teve a opo…

Marte já teve química orgânica complexa essencial à vida, revela jipe da Nasa

Um selfie do Curiosity na cordilheira Vera Rubin, em Marte. (Crédito: Nasa)

Salvador Nogueira

Já sabemos há algum tempo que Marte, em seu passado remoto, foi habitável — ou seja, tinha a capacidade de preservar água em estado líquido na superfície. Agora, graças ao jipe Curiosity, sabemos que ele tinha, na mesma época, os ingredientes necessários para a vida — moléculas orgânicas complexas.

Ao analisar amostras colhidas na cratera Gale com idade de cerca de 3 bilhões de anos, o robô da Nasa estabeleceu de forma conclusiva que havia abundância de compostos orgânicos no planeta. Com efeito, os resultados sugerem um conteúdo orgânico comparável ao de rochas sedimentares ricas nessas substâncias aqui da Terra.

Ninguém está dizendo que houve vida em Marte, claro. Mas saber que os ingredientes estavam lá — água e moléculas orgânicas — é um passo importantíssimo em busca dessa resposta. Tanto que o principal objetivo do Curiosity, assim que chegou a Marte, em 2012, era achar esses benditos …

Bóson de Higgs é visto acompanhado pela primeira vez

O BÓSON DE HIGGS COMO VOCÊ NUNCA VIU ANTES (FOTO: CERN | REPRODUÇÃO)

A observação pode ajudar os físicos a entenderem o funcionamento do Universo

A confirmação da existência do bóson de Higgs pelo Grande Colisor de Hádrons (LHC), em 2013, é uma das maiores descobertas da física da década. Ela preencheu a última peça que faltava do Modelo Padrão da física, que ajuda a explicar o comportamento de minúsculas partículas subatômicas, além de confirmar suposições dos cientistas de como o Universo funciona.

Mas, além de ter rendido o prêmio Nobel da Física para os dois teóricos da chamada “partícula de Deus”, a descoberta gerou muito mais dúvidas, afinal sabe-se pouco sobre como ele realmente funciona. Agora, cinco anos depois, algumas respostas começam a surgir.

Dois experimentos - o Compact Muon Solenoid (CMS) e o A Toroidal LHC Apparatus (ATLAS) - utilizaram o LHC para fazer diversas colisões de partículas. Algumas dessas criam o que os pesquisadores chamam de bóson de Higgs. Mas elas sã…

NASA vai estender missão da Juno em Júpiter por mais três anos

Por: Ryan F. Mandelbaum

A sonda espacial Juno, atualmente orbitando Júpiter, estava programada para encerrar sua missão colidindo com o gigante de gás em julho deste ano. Mas isso não vai mais acontecer!

A missão será estendida até 2021, com os trabalhos científicos se prolongando até 2022. Tudo para que ela possa alcançar seus objetivos, conforme noticiou o Business Insider. Isso atrasará o fim dramático da sonda em pelo menos alguns anos.

“A NASA aprovou a continuação da Juno até 2022 para terminar todo o nosso trabalho científico inicialmente programado”, disse Scott Bolton, investigador principal da Juno do Southwest Research Institute, em entrevista ao Gizmodo por e-mail. “As órbitas são maiores do que o planejado, e é por isso que a Juno precisa de mais tempo para coletar nossas medidas científicas planejadas.”

A Juno deixou a Terra a caminho de Júpiter em 2011 e chegou ao gigante de gás em 4 de julho de 2016. Desde então, enviou uma série de dados valiosos que revelaram novas …

Dia terrestre só tinha 18 horas há 1,4 bilhão de anos

Imagens da Terra e da Lua feitas separadamente pela sonda Galileo, num sobrevoo do nosso planeta que antecedeu a ida a Júpiter. (Crédito: Nasa)

Salvador Nogueira
Se você hoje em dia não tem tempo para nada, saiba que a sua sorte é não ter nascido 1,4 bilhão de anos atrás. Naquela época, o dia na Terra durava apenas pouco mais de 18 horas.

Este é um dos resultados obtidos por um novo estudo que faz uma impressionante combinação de geologia com astronomia para desvendar os segredos do passado remoto do Sistema Solar. Stephen Meyers, da Universidade de Wisconsin-Madison, e Alberto Malinverno, da Universidade Columbia, ambas nos EUA, publicaram seus resultados na PNAS, a revista da Academia Nacional de Ciências americana.

Sabe-se há bastante tempo que a Lua está gradualmente se afastando da Terra e que, ao mesmo tempo, a gravidade exercida por nosso satélite natural vem freando gradualmente a velocidade de rotação do planeta — os dias vêm ficando um tantico de nada mais longos com o pass…