Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 24, 2019

A misteriosa "chuva de prata"

Programa que aborda o caso clássico ocorrido em 13 de dezembro de 1954, às 18:15 horas, na cidade de Campinas – SP. Na ocasião três OVNIs cônicos foram avistados por diversos moradores e, um dos OVNIs derramou um metal líquido incandescente que, ao cair nas calçadas, solidificou. O caso teve grande repercussão jornalística e o material foi analisado em diversos países tendo com resultado um percentual altíssimo de estanho, dentre outros elementos químicos. O GUG – Grupo Ufológico de Guarujá teve acesso à amostra em duas ocasiões diferentes e também, teve acesso aos resultados das análises.



FONTE: Enigmas e Mistérios


Cientistas descobrem partícula que pode mudar nossa compreensão do Universo

A partícula X17 poderia ser um vínculo com a matéria escura - GETTY IMAGES

Durante décadas, a comunidade científica reconheceu a existência de quatro forças fundamentais que controlam o Universo: eletromagnetismo, gravidade, força nuclear fraca e força nuclear forte.

Mas, agora, um estudo publicado por cientistas húngaros diz ter observado evidências de uma quinta força da natureza, o que pode revolucionar nossa compreensão de como o mundo funciona.

A análise foi realizada por cientistas do Instituto de Pesquisa Nuclear da Academia Húngara de Ciências (Atomki), que estudaram o comportamento de um átomo de hélio e como ele emite luz quando se decompõe.

Os átomos estudados estavam em um estado chamado "excitado", quando um de seus elétrons, tendo maior energia, salta da órbita que ocupava para uma órbita externa, mais distante do núcleo.

Durante o experimento, a equipe liderada por Attila Krasznahorkay observou que as partículas do átomo foram divididas em ângulos de 115 grau…

Émile du Châtelet, a matemática grávida que correu contra ‘sentença de morte’ para terminar seu maior legado científico

Émilie du Châtelet foi uma talentosa cientista e intelectual - GETTY IMAGES

Ana Pais (@_anapais)
BBC News Mundo

Quando Émilie du Châtelet descobriu que estava grávida, sabia que estava com os dias contados.

Era 1749 e a marquesa tinha 42 anos. Naquela época, a expectativa de vida na França não chegava a 30 anos e o parto tazia sempre um risco enorme.

Mas longe de se resignar ao que considerava sua "sentença de morte", a descoberta da gravidez a levou a se dedicar incansavelmente ao trabalho tido como o seu maior legado científico.

Ela trabalhava por 18 horas diárias, com apenas dois intervalos de uma hora cada, e dormia cerca de quatro horas.

Émilie havia abandonado toda a vida social aristocrática e só interrompia sua produção para ver seu jovem amante e pai de sua quarta e última filha.

Em 4 de setembro de 1749, Du Châtelet deu à luz seu bebê. Seis dias depois, ela morreu de embolia pulmonar.

Se o mau presságio se concretizou, o mesmo aconteceu com sua missão. Du Châtelet…

Encantado com a natureza e indignado com a corrupção: o que Charles Darwin achou do Brasil do século 19

'Darwin ficou encantado com a nossa biodiversidade. A Mata Atlântica foi o bioma mais rico que ele conheceu. Por outro lado, ficou revoltado com a escravidão. Sua família lutava contra o comércio de escravos', afirma o biólogo Nélio Bizzo - GETTY IMAGES

André Bernardo
Do Rio de Janeiro para a BBC News Brasil

No dia 29 de agosto de 1831, o jovem Charles Robert Darwin, então com 22 anos, recebeu uma carta que mudaria sua vida. Um de seus professores na Universidade de Cambridge, o botânico John Stevens Henslow, indicara seu nome para participar de uma expedição científica ao redor do mundo.

O governo britânico, explicava a carta, faria um levantamento cartográfico da costa da América do Sul e pedira a ele que recomendasse alguém para atuar como naturalista. Sua missão a bordo seria observar, registrar e coletar tudo o que achasse interessante, incluindo fauna, flora e geologia, nas terras visitadas pelo navio.

Henslow escolheu Darwin por ser quatro anos mais novo que o capitão …

Teoria da Evolução: por que é errado dizer que viemos dos macacos e outras 4 questões sobre nossa origem

Um erro muito comum é pensar que 'descendemos dos macacos', diz especialista

A publicação do livro A Origem das Espécies, em que Charles Darwin estabeleceu a base da teoria da evolução pela seleção natural, completa 160 anos neste 24 de novembro.

Mas o quanto sabemos de fato sobre a história da nossa espécie?

E por que é um erro dizer que "descendemos dos macacos"?

A BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC, apresenta cinco questões que podem te surpreender sobre a evolução humana.

1. Não descendemos de macacos

Os homens modernos, da espécie Homo sapiens sapiens, não evoluíram dos macacos, mas compartilham de um ancestral comum com eles.

"Um erro muito comum é pensar que 'viemos dos macacos'. Esse erro faz com que muita gente negue a teoria da evolução", afirmou à BBC News Mundo o paleoantropólogo espanhol José María Bermúdez de Castro.

"Para começar, é melhor afirmar que somos mais uma espécie da ordem dos primatas", diz o coordenador …

A incrível vida de Hernando, o filho bastardo de Cristóvão Colombo que é considerado 'precursor do Google'

Hernando Colombo seguiu os passos de seu pai e, em certo sentido, o superou

Carolina Robino
BBC News Mundo

Não é um fato amplamente conhecido, mas quase tudo o que conhecemos sobre Cristóvão Colombo, sabemos graças ao filho bastardo dele, Hernando. Talvez a pessoa que melhor conheceu o "descobridor" da América.

Ambos protagonizam o "Memorial dos livros naufragados" (em tradução livre), obra do historiador e acadêmico da Universidade de Cambridge Edward Wilson-Lee. Um livro fascinante em vários níveis: fala da Idade Média e da Renascença, de intrigas e lutas pelo poder na corte dos monarcas católicos e seus sucessores. Das épicas navegações nos séculos 15 e 16, de grandes invenções, artistas e pensadores.

Mas, acima de tudo, detalha a vida de dois homens visionários ligados por um intenso amor fraternal.

Embora ele nunca tenha sido reconhecido legalmente, Hernando teve um relacionamento muito próximo com seu pai. Viajou com ele na quarta e última viagem de Colombo …

O que é a matemática? Um modelo da realidade ou a própria realidade?

Matemática é a realidade? (GETTY IMAGES)

Pense em Netuno.

À primeira vista, ele é invisível. Mesmo com um bom telescópio.

A uma distância de 4,3 bilhões de quilômetros da Terra, o oitavo planeta do nosso Sistema Solar é pouco mais que um pequeno ponto branco no céu.

É por isso que os planetas mais próximos da Terra, como Vênus ou Marte — que brilham intensamente no céu durante a noite — nos surpreendem desde os tempos antigos.

Por outro lado, só passamos a saber sobre a existência de Netuno no século 19.

Sua descoberta, no entanto, foi duplamente significativa.

Urano e Netuno

Não apenas encontramos um novo vizinho, mas "Netuno marcou a exploração do Sistema Solar, porque não foi encontrado olhando o céu com nossos olhos ou com a ajuda de um telescópio", diz Lucie Green, uma astrofísica do Mullard Space Science Laboratory da University College London.


Netuno foi descoberto a partir de cálculos, e não da simples observação - NASA

Netuno foi encontrado graças à matemática.

No …

Serotonina pode explicar por que “congelamos” quando tomamos um susto

A Drosophila melanogaster, mais conhecida como mosca-da-fruta. Foto: Shutterstock

Neurotransmissor, muito relacionado a regulação de emoções, parece atuar para que possamos avaliar situação perigosa antes de responder a ela

Um novo estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, identificou a serotonina como a substância química responsável por desencadear a resposta de susto do corpo, caracterizada pelo reflexo automático que “congela” o corpo momentaneamente em reação a uma potencial ameaça. A pesquisa revelou que, quando uma mosca-da-fruta experimenta uma mudança inesperada no ambiente, como uma vibração repentina, a liberação de serotonina ajuda a paralisar temporariamente o inseto.

Essas descobertas, publicadas na revista Current Biology, oferecem uma visão abrangente sobre a biologia por trás da resposta de surpresa, um fenômeno onipresente, mas misterioso, que foi observado em praticamente todos os animais estudados até hoje, incluindo moscas, peixes e humanos.

“Imagin…

Novo geoglifo de "astronauta" em Nazca

Programa onde comentamos sobre os 143 novos geoglifos descobertos em Nazca, no Perú, pelos cientistas da Universidade de Yamagata (Japão), sob a direção do pesquisador Masato Sakai. Um dos geoglifos lembra um “astronauta” de capacete. Seriam evidências da presença desses tripulantes dos OVNIs no passado pré-incaico?



FONTE: Enigmas e Mistérios

https://t.co/CLibHiCFIEpic.twitter.com/7DsLwYrz9b— Ufos Wilson (@UfosWilson) November 20, 2019

Cientistas encontram vestígios de partícula que pode decifrar a matéria escura

Por Daniele Cavalcante

Cientistas finalmente encontraram traços do áxion, uma partícula hipotética que raramente interagiria com a matéria normal. Considerada como a melhor explicação para a matéria escura, essa partícula foi proposta pela primeira vez há mais de 40 anos, mas ainda não tinha sido encontrada. Até agora — ou ao menos traços dela.

Roberto Peccei e Helen Quinn trouxeram ao mundo a proposta do áxion, na chamada teoria de Peccei-Quinn. De acordo com a teoria, se os áxions existirem e tiverem uma massa baixa dentro de uma faixa específica, eles podem ser um possível componente da matéria escura fria (MEF).

Bem, não foi exatamente no espaço que os pesquisadores encontraram pistas da existência do áxion. Em vez disso, as assinaturas matemáticas dessa partícula foram encontradas em um material exótico aqui na Terra - o semimetal. Ao contrário do que se espera de uma partícula, o áxion descoberto age como uma onda de elétrons nesse material super-resfriado.

Pista para decifrar …

Como as explosões explodem?

Cortes mostrando detalhes da irrupção de uma explosão não confinada.
[Imagem: Poludnenko et al. - 10.1126/science.aau7365]

Explosões abertas e explosões fechadas

Explosões termonucleares descomunais no espaço e pequenas explosões químicas na Terra se comportam basicamente da mesma maneira.

É o que garantem Alexei Poludnenko e uma equipe de várias universidades dos EUA, que demonstraram isso em uma teoria unificada dos processos de turbulência que geram tanto as explosões confinadas como as não confinadas.

Tipicamente, para formar uma detonação, a queima do combustível deve ocorrer em um ambiente confinado com paredes ou obstáculos, que limitam as ondas de pressão liberadas pela queima. À medida que a pressão aumenta, formam-se ondas de choque, que podem crescer em força até o ponto em que podem comprimir a mistura reagente, acendendo-a inteira de uma vez só e produzindo uma frente supersônica autossustentável.

As estrelas não têm paredes ou obstáculos, o que tornava difícil de entend…