Pular para o conteúdo principal

Postagens

Enquanto realizava buscas por ouro, homem encontra meteorito raro

O METEORITO FOI CONFUNDIDO COM OURO PELO HOMEM QUE O DESCOBRIU (FOTO: DIVULGAÇÃO/MELBOURNE MUSEUM)

Com cerca de 4,6 bilhões de anos, o objeto espacial foi encontrado na Austrália com a ajuda de um detector de metais

Pesquisadores publicaram recentemente um artigo científico no Proceedings of the Royal Society of Victoria descrevendo um meteorito extremamente raro encontrado na Austrália. Além de surpreender pela idade — cerca de 4,6 bilhões de anos — o meteorito tem uma história interessante de como foi encontrado.

O responsável pela descoberta foi David Hole que, em 2015, estava andando com um detector de metal no Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Ele encontrou uma rocha avermelhada muito pesada e decidiu levá-la para casa, onde tentou de tudo para abri-la. Mesmo após marretar e rocha e colocá-la no ácido, a rocha não abriu. Na ocasião, Hole tinha certeza de que havia uma pepita de ouro dentro da rocha — afinal, Maryborough fica na região de Goldfields, on…
Postagens recentes

Físicos aperfeiçoam a Constante de Hubble, que mede expansão do Universo

GALÁXIAS SELECIONADAS POR PROGRAMA DO TELESCÓPIO ESPACIAL HUBBLE PARA MEDIR TAXA DE EXPANSÃO DO UNIVERSO. LINHA CENTRAL MOSTRA CAMPO DE VISÃO TOTAL DO HUBBLE. LINHA INFERIOR APROXIMA CAMPOS DE VISÃO. GIGANTES VERMELHAS ESTÃO IDENTIFICADAS POR CÍRCULOS AMARELOS. (FOTO: NASA/ESA/UNIVERSIDADE DE CHICAGO/ESO)

Astrônomos utilizaram método inovador para tentar acabar com dúvidas sobre número

Astrônomos fizeram uma nova medição de quão rápido o universo está se expandindo com um método totalmente diferente dos utilizados antes. Em estudo publicado recentemente, os pesquisadores da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, disseram acreditar que a descoberta aperfeiçoa a Constante de Hubble — justamente utilizada para medir o fenômeno.

A Constante de Hubble determina a velocidade com que o espaço está se expandindo, ou seja, quão rápido as galáxias se afastam umas das outras. Entretanto, embora a ideia tenha sido proposta há mais de um século, o número já foi contestado ou alterado divers…

Estação espacial chinesa Tiangong-1 cai no Oceano Pacífico

ESTAÇÃO ESPACIAL QUE CAIU NO OCEANO PACÍFICO (FOTO: CSNA)

Laboratório espacial pesava quase oito toneladas: destroços entraram em chamas na atmosfera antes de atingir o oceano

A estação espacial chinesa Tiangong-1 caiu do céu nesta sexta-feira (19 de julho), atingindo o Oceano Pacífico. As informações são da Agência France-Presse. A Administração Nacional Espacial da China (CNSA) havia anunciado previamente que a estação entraria em chamas na atmosfera antes que seus destroços atingissem o oceano.

A previsão inicial era que a queda aconteceria no último fim de semana, mas foi constatado que a estação espacial estava se deslocando em direção à Terra de modo mais lento do que o previsto, o que atrasou a queda. O laboratório espacial pesava quase oito toneladas e 10,4 metros de comprimento.

De acordo com o Escritório de Engenharia Espacial Tripulada da China (CMSEO), a probabilidade de que um ser humano fosse atingido por um objeto espacial pesando 200 gramas seria de uma entre 700 milh…

NASA cria site que transmite missão Apollo 11 “ao vivo”

MISSÃO APOLLO 11 (FOTO: DIVULGAÇÃO/ NASA)

Neste sábado, será possível acompanhar o pouso na Lua exatamente no horário em que ele aconteceu, há exatamente 50 anos

A NASA já divulgou fotos que mostram detalhes da missão que levou o homem à Lua com sucesso em 1969. Mas talvez a ação mais incrível da agência espacial para comemorar os 50 anos do feito seja o lançamento do site The Apollo In Real Time, que está mostrando tudo o que aconteceu na semana em que Buzz Aldrin, Michael Collins e Neil Armstrong viajaram para o satélite natural da Terra.

Ao acessar a página inicial da plataforma, é possível escolher entre acompanhar o início da missão – que aconteceu em 16 de julho de 1969, dia em que o foguete Saturn V foi lançado rumo ao espaço – ou o “tempo real”, em que dá para ver o que estava acontecendo exatamente no minuto em que você está assistindo.

Enquanto este texto está sendo escrito (sexta-feira, 19 de julho, 15h07), por exemplo, Armstrong relata que eles estão passando por cima da…

Entenda como o programa Artemis, da Nasa, pode nos levar a Marte

ARTEMIS É A DEUSA QUE DÁ NOME AO NOVO PROGRAMA ESPACIAL DA NASA (FOTO: ILUSTRAÇÃO: OTÁVIO SILVEIRA)

A Nasa desenhou a missão para começar acelerada; a partir de 2028, porém, será a hora de garantir presença humana permanente na órbita lunar

POR A. J. DE OLIVEIRA | EDIÇÃO: GIULIANA DE TOLEDO

Desde 2017, quando o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou a Diretiva de Política Espacial 1, a Nasa foi incumbida de planejar seu retorno à Lua, com um programa de exploração inovador e sustentável. Inicialmente, a ideia era montar a estação lunar Gateway para uma missão tripulada em 2028. Mas o prazo acabou ficando quatro anos mais curto.

Com isso, a Nasa dividiu o programa Artemis em duas fases. Velocidade define a primeira. Para cumprir a meta de humanos no polo sul da Lua em 2024, a agência terá de deixar a configuração inicial da estação lunar mais enxuta, reduzir os tripulantes da missão à superfície de quatro para dois e contar com envolvimento comercial mais forte bem mais cedo — prin…

Viagem à Lua: como a missão Artemis será diferente do programa Apollo

QUASE GÊMEOS (FOTO: ILUSTRAÇÃO: OTÁVIO SILVEIRA)

O antigo programa lunar e o novo, batizados como os deuses irmãos da mitologia grega, até têm semelhanças, mas seus objetivos na essência são muito diferentes

POR A. J. OLIVEIRA | EDIÇÃO GIULIANA DE TOLEDO

Se Apollo foi o homenageado no programa dos anos 60, agora é sua irmã gêmea na mitologia grega, Artemis, quem dá nome ao projeto da Nasa para retornar à Lua em 2024 — com uma mulher na tripulação. Começam aí as diferenças, apesar do destino comum.

O contexto político em que cada programa foi criado também acentua as mudanças. Apollo é fruto da Guerra Fria e da corrida espacial. “Aquelas missões iniciais para a Lua tinham um único objetivo primário: sermos os primeiros a pousar na Lua”, afirma Sean Potter, do escritório de comunicações da Nasa. Ou seja, mais que um projeto de exploração científica ou de colonização lunar, Apollo era uma campanha para demonstrar a superioridade dos EUA em relação à União Soviética.


Com Artemis é difere…

Apollo 11: conheça as principais conquistas da missão à Lua

TODOS OS CAMINHOS LEVAM À LUA (FOTO: ILUSTRAÇÃO: OTÁVIO SILVEIRA)

O programa Apollo começou como uma missão impossível para os EUA, mas em somente oito anos a promessa de levar humanos à Lua virou realidade

POR A. J. OLIVEIRA | EDIÇÃO GIULIANA DE TOLEDO | ILUSTRAÇÃO OTÁVIO SILVEIRA | DESIGN FEU

Quando o então presidente dos Estados Unidos propôs, em maio de 1961, que seu país se comprometesse a mandar astronautas à Lua até o final daquela década, talvez não imaginasse o tamanho do desafio que colocava nas mãos da Nasa. Era uma missão impossível.

Na época do famoso discurso de Kennedy, os EUA não tinham um foguete capaz de levar humanos até nosso satélite natural, não tinham computadores compactos para guiar a espaçonave, sequer tinham trajes para os astronautas vestirem ou um meio de se comunicarem durante a viagem. Para falar a verdade, nem mesmo sabiam como chegariam lá.

No primeiro ano do programa Apollo, a Nasa gastou US$ 1 milhão com o projeto — quantia que seria consumida pela …