Pular para o conteúdo principal

Postagens

Duas super-Terras em redor de K2-18

Investigadores do Centro de Ciências Planetárias descobriram que K2-18b poderá muito bem ser uma versão ampliada da Terra. Também descobriram que tem um vizinho.
Crédito: Alex Boersma


Uma nova pesquisa, usando dados recolhidos pelo ESO, revelou que um exoplaneta pouco conhecido de nome K2-18b poderá muito bem ser uma versão ampliada da Terra. Igualmente emocionante, os mesmos investigadores também descobriram pela primeira vez que o planeta tem um vizinho.

"Ser capaz de medir a massa e densidade de K2-18b foi tremendo, mas ainda descobrir um novo exoplaneta exigiu muita sorte e foi também impressionante," afirma o autor principal Ryan Cloutier, estudante de doutoramento do Centro Scarborough para Ciência Planetária do Departamento de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Toronto e do iREx (Institute for research on exoplanets) da Universidade de Montreal.

Ambos os planetas orbitam K2-18, uma anã vermelha localizada a aproximadamente 111 anos-luz de distância na direção…
Postagens recentes

Dados do Herschel ligam os misteriosos ventos dos quasares a formação estelar extrema

Ilustração de um quasar numa galáxia formadora de estrelas. O quasar é alimentado por um buraco negro supermassivo no centro da galáxia. À medida que o gás é puxado para um disco de acreção em torno do buraco negro, aquece até temperaturas muito altas e irradia energia através do espectro eletromagnético, preferencialmente na direção de dois jatos poderosos.
Além disso, a galáxia produz estrelas a uma taxa de centenas por ano. Em comparação, a nossa Via Láctea produz 1-2 estrelas por ano.
Crédito: ESA/C. Carreau


Os astrônomos usaram o Observatório Espacial Herschel da ESA para resolver um mistério de décadas sobre a origem de poderosos ventos de gás frio nos arredores quentes de quasares. A evidência que liga estes poderosos ventos à formação estelar nas galáxias que albergam quasares também pode ajudar a resolver o mistério do porquê do tamanho das galáxias no Universo parecer estar limitado.

Desde a sua descoberta, na década de 1960, que os quasares têm fornecido um tesouro de pergu…

Aluno de física ilustra doenças mentais com incríveis elementos espaciais

Por Gabriel Pietro

Cem Özkeser é um estudante de física que adora desenhar ilustrações espaciais, além de se interessar muito por psicologia.

Então Özkeser teve a ideia de combinar seus desenhos com doenças psicológicas e o resultado é realmente incrível.

1. Depressão



2. Síndrome de Burnout



3. Transtorno de Personalidade Dissociativa



4. Transtorno de Personalidade Histriônica



5. Transtorno de Personalidade Antissocial



6. Transtorno de Personalidade Esquizóide



7. Ansiedade Generalizada



8. Mania



9. Esquizofrenia Paranóide



10. Estresse Pós-Traumático



11. Transtorno de Personalidade Dependente



12. Fobias



13. Esquizofrenia Catatônica


FONTE: explicandoo.com

Em série de reportagens, 'NP' relatou visitas de OVNIs ao Brasil

Estátua batizada de Dagoberto por ufólogos em São Paulo

EDMIR LIMA
DO BANCO DE DADOS FOLHA

Nos anos 1970 e 1990, o Brasil recebeu a visita de uma série de discos voadores e extraterrestres.

O Banco de Dados Folha resgata algumas reportagens publicadas no jornal "Notícias Populares" sobre as inesperadas visitas.

Uma delas é da noite de 7 de março de 1978, quando um objeto voador não identificado sobrevoou as cidades paranaenses de Apucarana, Jandaia do Sul e Cambira, e despertou tanto a curiosidade quanto causou pânico entre os populares.

Quem assistiu à passagem do objeto não teve dúvidas: era disco voador.

O sistema de energia elétrica de Jandaia sofreu interferências no momento da passagem do objeto, o que interrompeu transmissões de rádio e TV. Até a plateia que assistia ao espetáculo do circo Tihanny ficou às escuras.

Segundo observadores, o objeto emitia uma luz intensa e, quando surgiu, apresentava um tamanho três vezes maior que o da Lua. Seu formato se assemelhava a…

Casos de Homens de Preto foram investigados pelo governo

Casos envolvendo os misteriosos Homens de Preto chamaram a atenção do FBI

Os primeiros pesquisadores a denunciar as aterradoras visitas desses personagens foram acompanhados por agentes governamentais

Os Homens de Preto permanecem como um dos mistérios da Ufologia Mundial. Tão estranhas são suas aparições, principalmente as primeiras reportadas ainda nos anos 50, que o governo dos Estados Unidos chegou a investigar as ocorrências. O primeiro pesquisador da ufologia Mundial a denunciar esses personagens ameaçadores foi Albert Bender, que por pouco tempo chegou a liderar uma grande associação de pesquisa chamada International Flying Saucer Bureau (IFSB). Após uma série de fatos estranhos, contudo, Bender recebeu a visita de três homens vestindo ternos escuros que o aconselharam a abandonar as pesquisas. Aterrorizado ele encerrou as atividades de seu grupo, e esses eventos foram descritos no livro de Gray Barker They Knew Too Much About Flying Saucers, publicado em 1956. Barker ainda pu…

Como Isaac Newton perdeu milhões com ações apostando que faria fortuna na América do Sul

O cientista Isaac Newton perdeu dinheiro investindo na companhia Mares do Sul

"Posso calcular o movimento das estrelas, mas não a loucura dos homens", disse Isaac Newton (1643-1727) após perder sua fortuna na bolha financeira criada pela especulação em torno da Companhia dos Mares do Sul- uma companhia público-privada britânica que detinha, na época, os direitos exclusivos de comercialização com a América do Sul.

A aposta no comércio com as colônias espanholas arruinou, em 1720, muitos investidores, como Newton, e deu origem ao termo "bolha".

A Companhia dos Mares do Sul (SSC, na sigla em inglês) foi fundada em 1711, supondo-se que a Guerra de Sucessão da Espanha (1701-1714) terminaria com um tratado que permitiria intercâmbios comerciais com as colônias espanholas no Novo Mundo. Até aquela época, a Espanha impedia trocas comerciais entre as colônias na América Latina e outros países.

Do total de ações da SSC, 22,5% foram destinados à rainha britânica na época, An…

'Cosmos', clássico de Carl Sagan, vai além da divulgação científica

O astrônomo Carl Sagan, com modelo da sonda Viking, da Nasa, nos Estados Unidos

SALVADOR NOGUEIRA

É um livro publicado em 1980, mas sua mensagem não envelhece, e Carl Sagan continua soando tão eloquente quanto na lembrança que temos dele.

A republicação do clássico "Cosmos" é uma ótima oportunidade para recuperarmos a noção de que, na trajetória da humanidade, progresso social e técnico são, infelizmente, opcionais –precisamos, agora, como sempre, fazer as escolhas certas para que eles aconteçam.

Com seu estilo inconfundível, o astrônomo americano usa a história da ciência e do pensamento como plataforma não só para mostrar o encantamento que humanos podem ter com a descoberta do Universo em que vivem mas também para lembrar que, às vezes, esses mesmos humanos podem renunciar a isso e optar pelo obscurantismo.

No passado, isso resultou em dez séculos de severa estagnação. Ela começa, segundo Sagan, com a destruição da Biblioteca de Alexandria, no século 5, e termina com o R…