sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Nossa homenagem ao Chaves e Chapolim Colorado

Aqui fica nossa homenagem não ao senhor Roberto Bolaños e sim ao seus dois maiores personagens, Chaves e Chapolim, que abordaram de forma engraçada o tema dos discos voadores em seus episódios:




FONTE: TERRY WILSON

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Eu não disse? Cães entendem as palavras ditas a eles, diz estudo


Estudo indica que o melhor amigo do homem é capaz de processar a fala humana de forma mais sofisticada do que se imaginava (Thinkstock/VEJA)

Uma nova pesquisa traz evidências de que os cachorros entendem o que é dito, e não apenas a entonação do dono, na hora de responder a comandos

Cachorros são capazes de responder a diversos comandos feitos por seus donos, mas estes muitas vezes se perguntam se eles entendem o que é dito ou apenas a entonação ou alguma “dica” do que foi falado, respondendo de forma automática. Uma pesquisa publicada nesta quarta-feira oferece as primeiras respostas para essa questão e indica que o melhor amigo do homem é capaz de processar a fala humana de forma mais sofisticada do que se imaginava.

O estudo, publicado no periódico Current Biology, traz evidências de que os cães são capazes de entender tanto componentes subjetivos da fala, como a entonação e o teor emocional, quando as palavras propriamente ditas.

“Apesar de não podermos dizer quanto ou de que forma os cães entendem informações da fala humana, podemos afirmar que os cães reagem tanto a informações verbais quanto a elementos relacionados à pessoa que fala e que esses componentes parecem ser processados em regiões distintas do cérebro deles”, afirma Victoria Ratcliffe, da Escola de Psicologia da Universidade de Sussex, na Inglaterra, e uma das autoras do estudo.

A pesquisa mostrou ainda que os cães processam a fala humana em um hemisfério do cérebro, e as informações adicionais no outro. Estudos anteriores já haviam mostrado essa tendência quando eles processam informações sonoras emitidas por outros cães.

Observando as reações — Para realizar o teste, os pesquisadores reproduziram uma série de comandos diferentes para os cães, e observaram suas reações. Nesses sons, eles misturaram as variáveis do sentido da fala e as informações adicionais, criando palavras com sentido e sem entonação alguma, palavras sem sentido e sem entonação, com sentido e com entonação e assim em diante.

Os sons foram emitidos a partir de ambos os lados do animal, para que cada ouvido recebesse o estímulo ao mesmo tempo e com a mesma amplitude, e os pesquisadores observavam para que lado os cães viravam a cabeça após escutar cada comando. “O conteúdo que chega a cada ouvido é transmitido principalmente ao hemisfério oposto do cérebro. Se um hemisfério é mais especializado em processar certas informações do som, esses dados devem vir da orelha oposta”, explica Victoria.

Assim, quando o cachorro se virava para a esquerda, indicava que a informação no som reproduzido foi captada mais proeminentemente pela orelha esquerda, o que sugere que o hemisfério direito é mais especializado em processar esse tipo de informação.

“Se nós temos um comando ao qual eles estão acostumados a responder, é familiar para eles, eles reagem de uma forma. Mas se nós misturamos as sílabas, formando algo que soa similar mas não tem sentido, o comando perde o sentido para eles também e eles reagem de forma diferente”, explica Victoria.

Quando eram apresentados comandos falados familiares, os cães mostraram uma tendência de processar principalmente no hemisfério esquerdo (ou seja, se viravam para a direita), porém quando a entonação e outras características da fala eram mais exageradas, era o hemisfério direito que agia principalmente.

“Isso sugere que o processamento dos componentes da fala no cérebro do cachorro é dividido entre os dois hemisférios de forma muito similar ao que acontece no cérebro humano”, afirma David Reby, coautor do estudo e pesquisador da Universidade de Sussex.

Os pesquisadores ressaltam que essa descoberta não significa que os cães entendem tudo o que os humanos dizem ou que eles possuem uma habilidade em linguagem semelhante à do homem, mas, de acordo com Victoria, os resultados confirmam a teoria de que esses animais prestam atenção “não apenas em quem somos e como dizemos as coisas, mas também no que dizemos”.


Seis motivos pelos quais seu cachorro é mais inteligente do que você imagina:

Entende a linguagem corporal humana

Qualquer dono de cachorro sabe que o bicho é perfeitamente capaz de compreender gestos e olhares, como a indicação de um local para o qual apontamos ou um olhar de reprovação. O que poucos sabem, porém, é que essa habilidade de compreensão da nossa linguagem corporal é extremamente rara entre os animais — nem mesmo os chimpanzés podem interpretar tão bem nossos gestos quanto os cachorros.


Pode aprender palavras

Além de entender nossos gestos e olhares, cães também podem ser treinados para aprender palavras e seus significados. Certa vez, uma pesquisadora da Alemanha descobriu que seu cachorro aprendeu os significados de dezenas de novas palavras por meio de um processo de dedução lógica igual ao que crianças usam para descobrir nomes de objetos desconhecidos. Em outro experimento, um professor de psicologia conseguiu fazer com que sua cadela aprendesse o nome de 1 000 objetos.


Consegue se comunicar com as pessoas

Os cachorros podem não falar, mas nem por isso são incapazes de se comunicar com os humanos. Assim como o choro de um recém-nascido pode ter vários significados, os cães usam diferentes tipos de latidos e rosnados para se expressar e ser compreendido pelos humanos — pesquisas mostram que os latidos representam apenas 3% das vocalizações dos lobos, provando que o hábito de latir é mesmo um recurso decorrente da domesticação. Outros estudos indicam ainda que a maioria dos donos parece entender os significados dos diversos latidos de seus cachorros.


Faz e valoriza amizades

Ao contrário do que acontece em outros grupos de animais, os líderes das matilhas não são um casal reprodutor dominante, mas sim os cães que têm mais amigos. Quanto maior a "rede de contatos" de um cachorro, maiores são as chances de que os outros o considerem um líder e o siga aonde ele for.


Sente empatia

Existem fortes indícios de que o sentimento de empatia, ou seja, de se sentir mal ao ver alguém sofrendo e ficar feliz quando alguém sorri, está presente nos cães. Em 50% dos casos de briga entre dois cachorros, um terceiro elemento que não estava envolvido na luta se aproxima do perdedor. A aproximação aconteceu mesmo nos casos em que esse terceiro elemento não tinha visto o embate. Isso significa que os cães reagem ao comportamento do companheiro de espécie que indica a derrota.


É capaz de enganar o dono

A inteligência dos cachorros também tem seu lado negativo. Um estudo realizado na Universidade de Viena, na Áustria, mostrou que os cães sabem quando estão ou não sendo observados pelo dono e se comportam de formas diferentes de acordo com isso. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que os animais desobedecem mais ordens quando os donos não estão no mesmo ambiente que eles ou estão distraídos por alguma outra atividade, como ler ou ver TV.

FONTE: REVISTA VEJA


UFOS WILSON: OS CACHORROS PODEM USAM A TELEPATIA E PODEM COMPREENDER QUALQUER IDIOMA DITO NA TERRA, PORÉM QUEM SABE UM DIA A CIÊNCIA POSSA COMPROVAR ISSO E SAIREMOS DO QUADRO DE SERES SUPERIORES.

Vacas com cromossomos humanos agora podem fazer anticorpos humanos



Há anos, geneticistas vêm trabalhando para colocar cromossomos humanos em vacas. Em um estudo recente publicado na revista Science, eles finalmente conseguiram: agora, as vacas produzem anticorpos humanos.

O objetivo é combater o hantavírus, que causa problemas de saúde potencialmente fatais em humanos, como síndrome pulmonar e febre hemorrágica. E certas doenças mortais – como o ebola e MERS – podem ser os próximos alvos.

Os cientistas pegaram fragmentos dos cromossomos humanos 14 e 2 – que contêm os genes para fazer o anticorpo para hantavírus – e os combinaram em um cromossomo artificial, que foi então inserido em vacas. Isto silenciou os genes bovinos correspondentes para o hantavírus: ou seja, as vacas só fizeram versões humanas do anticorpo.

Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico para neutralizar bactérias e proteínas invasoras. Eles são específicos para cada patógeno, e são difíceis de encontrar. Recentemente, sobreviventes do ebola nos EUA doaram sangue para que seus anticorpos possam ser extraídos e usados em outros pacientes sofrendo com a doença.

Os anticorpos foram testados em hamsters infectados com hantavírus, e aumentaram dramaticamente suas chances de sobrevivência. O próximo passo é realizar testes em humanos, e será uma revolução caso este método funcione.

Por enquanto, somos obrigados a usar métodos ineficientes: extrair anticorpos de sangue humano doado, ou criar versões “humanizadas” de anticorpos em camundongos, onde certas camadas da proteína são modificadas para se aproximar da versão humana.

Se o anticorpo de outro animal não fosse modificado, ele seria visto pelo seu sistema imunológico como um invasor; uma injeção disso poderia matar você.

No entanto, os anticorpos de vacas geneticamente modificadas seriam basicamente indistinguíveis da versão produzida pelo corpo humano. Além disso, as vacas são muito maiores e mais eficientes do que ratos de laboratório: uma única vaca pode fazer até 1.000 doses de anticorpos por mês. Algum dia, estes bovinos podem salvar sua vida.

FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Insetos parasitas conseguem controlar o cérebro dos hospedeiros e transformá-los em zumbis


Sugadores de mentes”, a história de duas coisinhas que entram nos corpos das suas vítimas e, não contentes em comê-lo de dentro para fora, ainda controla seus corpos, transformando-os em zumbis. E essa é só uma das histórias de terror envolvendo bichinhos maravilhosamente fotografados por Anand Varma.

Na foto acima, você vê uma joaninha com um casulo contendo seu mestre controlador de mentes.

Dizem que as joaninhas dão sorte – mas uma infectada pela espécie de vespa Dinocampus Coccinellae é, sem dúvida, bem azarada. Quando uma vespa fêmea ferroa uma joaninha, ela deixa apenas um ovo. Quando o ovo choca, a larva começa a comer sua hospedeira de dentro. Quando pronta, o parasita emerge e aloca um casulo entre as pernas da joaninha. Embora seu corpo esteja agora livre de seu algoz, o inseto permanece escravizado, parado sobre o casulo e protegendo-o de predadores em potencial. Algumas joaninhas (essas sim sortudas!) conseguem sobreviver a esse calvário assustador.



VESPA PARASITOIDE Hymenoepimecis argyraphaga

ARANHA Leucauge argyra

A aranha Leucauge argyra sofre uma série de humilhações nas mãos da vespa parasitoide Hymenoepimecis argyraphaga antes de ser livrada desse infortúnio. Paralisada pelo ferrão da vespa, a aranha fica estática enquanto seu algoz deposita um ovo em seu abdômen. Quando o ovo choca, a larva continua grudada na aranha como uma sanguessuga, alimentando-se dos fluídos internos durante uma semana. Quando está pronta para gerar seu casulo, a larva coage a aranha a construir um último projeto. Rasgando de cima para baixo a sua própria teia, a aranha tece uma nova feita apenas de alguns fios mais grossos. A larva recompensa a aranha pelos seus esforços sugando-a até deixá-la seca. Então, aí sim, ela se encasula na intersecção de dois dos fios, onde fica suspensa em segurança, fora do alcance dos seus predadores.



VERME PLATELMINTO Ribeiroia ondatrae

RÃ-TOURO AMERICANA Lithobates catesbeianus

Depois que o verme Ribeiroia ondatrae se reproduz assexuadamente dentro do caracol, sua larva encontra um girino e faz de sua pele sua casa, formando cistos ao redor dos membros em desenvolvimento dele. Com as pernas extras, subtraídas ou comprometidas, a pobre vítima se torna presa fácil para aves predadoras como as garças. Dentro da garça, o verme se reproduz de maneira sexuada. Seus ovos voltam à água quando o pássaro evacua, infectando novas rãs para começar outro ciclo.


VERME Paragordius varius

GRILO DOMÉSTICO Acheta domesticus

O grilo perde sua vontade de viver (e a própria vida) para o verme. A larva do parasita se infiltra no verme quando ele limpa insetos mortos, e então cresce dentro dele. O grilo é terrestre, mas a fase adulta do ciclo de vida do verme é aquática. Quando o verme está preparado para submergir, ele modifica o cérebro do seu hospedeiro, levando o grilo a abandonar a segurança da terra firme e dar um salto mortal na primeira poça d’água que encontrar. Na medida em que o grilo afunda, um verme adulto aparece, às vezes com quase 30 cm.



CRACA PARASITÓIDE Heterosaccus californicus

CARANGUEJO Loxorhynchus grandis

Bem-vindo ao mundo bizarro onde parasitas obrigam seus hospedeiros a mudarem sua sexualidade. Um caranguejo macho infectado por uma craca parasitóide é literalmente afeminado. Ele para de desenvolver garras para luta e seu abdômen aumenta, virando um “útero” para a craca preencher com sua prole. Alimentados pelo caranguejo, os ovos eclodem. Milhares de bebês nascem para infectar outros caranguejos.


Anand Varma é um fotógrafo de história natural freelancer. Sua primeira reportagem foi publicada na edição de novembro de 2014 da National Geographic

FONTE: http://gizmodo.uol.com.br/

Possível ex-funcionária da NASA alega ter visto vídeo de 2 homens andando em Marte, em 1979



Teria o homem pisado em Marte no ano de 1979? Essa é a questão sendo levantada hoje após uma auto proclamada funcionária da NASA alegar ter testemunhado uma filmagem de dois humanos em trajes espaciais caminhando em direção à sonda Viking na superfície marciana.
A mulher, conhecida somente como “Jackie”, fez a espantosa alegação ao vivo num programa de rádio dos EUA chamado Coast to Coast AM. Declarando ser uma ex-funcionária da NASA, que agora reside em North Las Vegas, Jackie revelou ter trabalhado no link de telemetria da sonda Viking na época em que viu as chocantes imagens. A sonda Viking foi a primeira a tirar fotos de Marte e transmiti-las de volta à Terra.
Jackie alega que trabalhava junto com seis colegas na manutenção do equipamento, quando viu os dois homens caminhando na superfície de Marte. Os funcionários tiveram acesso às múltiplas telas que mostravam a filmagem da sonda Viking. Ela lembra que os equipamentos de proteção daqueles astronautas pareciam diferentes dos trajes normais de astronautas.
Após ela ter visto as formas humanas caminhando em Marte, o vídeo teria sido repentinamente cortado.
Um dos convidados do programa Coast to Coast AM calmamente concordou com ela, dizendo que aquilo que ela viu foi mesmo dois homens caminhando em Marte, fazendo reparos na sonda Viking. Ele a assegurou que os humanos podem sobreviver confortavelmente naquele planeta, com trajes espaciais leves.
Várias são as alegações de que a humanidade já esteve, e possivelmente ainda está em Marte, e com toda a áurea de segredo implementado pelos governos mundiais em cima de seus projetos militares e científicos, é possível mesmo que algumas dessas alegações sejam reais.



FONTE: RT NOTICIAS


Vejam link a seguir: http://ufos-wilson.blogspot.com.br/2014/11/advogado-americano-afirma-ter-sido.html

Os verdadeiros gênios estão se esvaindo pelos dedos da vida


Infelizmente estamos vivendo numa sociedade hipócrita, suja, cega e por ai seguem os adjetivos pejorativos, a mesma sociedade que se deixa ser manipulada por padrões ditados pelo sistema, sistema este predador em todos seus níveis, estética, caráter, consumismo, religiões, politica, o ter e não o ser. A grande parte desta "humanidade" confunde o ter com o saber, com o verdadeiro sentido de busca e verdadeiro conhecimento, não este conhecimento imbecil e idiota onde homens de jaleco branco se intitulam cientistas e afirmam categoricamente ser a matemática exata, mas sim o saber que vai de frente com física esdruxula e convencional que é condicionada em "ditas" mentes brilhantes que andam pelos corredores frios das Harvards da vida. Os verdadeiros gênios estão se esvaindo pelos dedos da vida e estamos deixando com que o fútil e o inútil tome conta de nós, há muitos gênios vivendo abandonados, esquecidos propositalmente pelo sistema, outros estão sendo absorvidos, se vendem e se deixam cair nesta rede perigosa e viciosa, enquanto isso tomam o cenário as bundas, os seios, os músculos, as novelas, futebol, os selfies, os tele jornais que em nada contribuem com nosso intelecto, pelo contrário, são depósitos de sangue e desgraças que nos mantém presos nesta matrix, neste mundo mentiroso e ordinário. Estas poucas pessoas estão nos deixando e nós não percebemos, ahhhhhhhh!!! Black Friday!!!! ahhhhhhh!!!! o Neymar fodeu a Marquezine!!! a bolsa de valores caiu!!!! subiu!!!! e assim seguimos por este mundo sujo e cretino, valorizando a pequenez que começamos a aprender lá na escola, no primário onde começaram a depositar mentiras em nosso eu. Dedico este texto a um gênio anônimo que não era Phd, não tinha pós ou doutorado, não era diplomado, porém dominava todos as disciplinas do saber humano e o além, que esta muito longe dos cegos mentais que se renderam e se ajoelharam ao sistema, ele continuará anônimo porém eternamente em minhas lembranças, em nossas conversas agradáveis em tardes de sábados e domingos, em nossas trocas de idéias e informações que foram tão cruciais ao meu saber, algumas delas somente me confirmando oque já sabia, a ele meu eterno muito obrigado!!!

(WILSON ROBERTO)

Terra tem "escudo invisível" contra radiação cósmica


Em busca de uma explicação para o escudo antirradiação, a equipe está centrando as atenções na plasmafera (em roxo), uma nuvem de gás carregado que circunda a Terra. [Imagem: NASA/Goddard]

Radiação cósmica

Cientistas de uma missão da NASA se dizem perplexos com o que acabam de descobrir: um escudo antirradiação em torno da Terra que é uma verdadeira "barreira impenetrável no espaço" - ao menos para partículas cósmicas de alta energia.

Os cinturões de Van Allen, anéis de partículas carregadas mantidos pelo campo magnético da Terra, são conhecidos há décadas. Mais recentemente, as duas sondas gêmeas Van Allen (a missão originalmente se chamava RBSP (Radiation Belt Storm Probes) descobriram um novo cinturão de radiação ao redor da Terra.

Mas o que estas mesmas sondas descobriram agora é diferente.

Embora os cinturões de Van Allen protejam a Terra de grande parte da radiação espacial, os cientistas acreditavam que a radiação mais forte, consistindo de elétrons de energia muito alta, só era barrada aos poucos, conforme as partículas se aproximavam e colidiam com os átomos da atmosfera.

Escudo protetor da Terra

O que os instrumentos das duas sondas revelaram é algo bem diferente: há um verdadeiro "escudo invisível" nas imediações dos cinturões de Van Allen que simplesmente não permite a penetração dos elétrons de alta energia - a radiação mais perigosa não apenas para os satélites de comunicação e para os astronautas em órbita da Terra, mas também para a própria vida na superfície.

"Esta barreira contra elétrons ultrarrápidos é uma característica surpreendente dos anéis. Nós fomos capazes de estudá-la pela primeira vez porque nós nunca havíamos feito uma medição precisa desses elétrons de alta energia," disse Daniel Baker, da Universidade do Colorado, que chamou a nova barreira protetora de "escudo invisível tipo Jornada nas Estrelas".


Os elétrons de alta energia são bruscamente contidos pelo escudo protetor. [Imagem: D. N. Baker et al. - 10.1038/nature13956]

"É quase como se esses elétrons estivessem batendo em uma parede de vidro no espaço. Mais ou menos como os escudos criados por campos de força em Jornada nas Estrelas eram usados para repelir armas alienígenas, estamos vendo um escudo invisível bloqueando esses elétrons. É um fenômeno extremamente intrigante," disse Baker.

Partículas espaciais

Ainda não há uma explicação sobre o que e como se forma essa barreira protetora.

A equipe já descartou a ação do campo magnético terrestre que mantém os anéis antirradiação já conhecidos - os elétrons de alta energia são bloqueados à mesma altitude mesmo em pontos onde o campo magnético da Terra é mais fraco -, bem como as ondas eletromagnéticas das transmissões de dados feitas pelo homem e o formato muito pronunciado dos anéis de radiação, que também foi descoberto pelas sondas Van Allen.

Segundo nota emitida pela NASA sobre a descoberta, a explicação mais provável para a constituição do "escudo invisível" são outras "partículas espaciais" ainda desconhecidas ou não detectadas.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA