quinta-feira, 5 de maio de 2016

Barack Obama e os UFOs


Barack Obama e Ellen DeGeneres

Ao longo de seu mandato, atual presidente norte-americano por várias vezes encarou a questão ufológica e o que o governo tem a dizer a respeito

Neste ano termina o mandato do atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Como é muito comum naquele país, frequentemente o mandatário de plantão se vê diante de questionamentos a respeito do que o governo sabe a respeito de UFOs e vida extraterrestre. É interessante lembrar que quando presidentes concedem entrevistas, especialmente em programas de TV, o costume é que saibam de antemão o que irá ser perguntado. O fato de Obama nunca haver se negado a responder a tais questionamentos tem sido elogiado pelos ufólogos norte-americanos.

Uma das ocasiões em que Obama foi questionado a respeito aconteceu com o filho do ator Will Smith, Jaden, que perguntou ao presidente a respeito de alienígenas. Obama respondeu dizendo que não poderia negar ou confirmar sua existência. Recentemente o presidente esteve no Ellen Show, quando dividiu as atenções com a apresentadora Ellen DeGeneres e uma garota de seis anos de idade, Macey Hensley. A menina falou sobre o filme A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos (Walt Disney Pictures, 2007), perguntando se o Livro dos Presidentes do título original da produção existe. Obama respondeu que é segredo, e Macey perguntou então se alienígenas são reais.

Depois de dividir piadas e gracejos com DeGeneres, Obama finalmente respondeu depois de aparentemente pensar bem a respeito: "A verdade, Macey, é que nós ainda não fizemos contato direto com os alienígenas, mas quando acontecer eu informarei você". Ufólogos norte-americanos apontam que é provável que os presidentes prestem juramento para não revelar assuntos classificados, e que Obama procurou responder à pergunta da garota sem mentir e nem revelar segredos de estado. Em outra entrevista no programa Jimmy Kimmel Live, Obama já havia dito em tom de brincadeira que não poderia revelar nada sobre aliens, enquanto que em uma visita a Roswell, Novo México, em 2012, afirmou que a maioria dos garotos com quem conversa perguntam a respeito de UFOs e extraterrestres.

OBAMA ORIENTOU A CIA A REVELAR INFORMAÇÕES?

Muito mais significativa, entretanto, foi a recente liberação de documentos antes classificados por parte da Agência Central de Inteligência (CIA), em janeiro deste ano. O propósito principal da agência é prover ao presidente dos Estados Unidos, seu gabinete e os chefes dos setores de Inteligência da Câmara de Representantes (semelhante à Câmara de Deputados de nosso Congresso Nacional) e Senado informações vitais para o pleno funcionamento do governo. A liberação aconteceu próximo à estréia mundial dos novos episódios da clássica série Arquivo-X, que foi mencionada nas páginas oficiais da agência junto a uma série de importantes documentos de casos ufológicos. Além disso a CIA apresentou um autêntico manual a respeito de como investigar aparições de discos voadores, detalhando a própria metodologia que seus agentes utilizam. Conforme os pesquisadores norte-americanos apontam, a agência nunca teria liberado tais informações sem a devida permissão de seu comandante direto, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

FONTE: REVISTA UFO

NGC 7635: A Nebulosa da Bolha


Esculpida pelo vento de uma estrela massiva, esta aparição interestelar tem uma forma surpreendentemente familiar. Catalogada como NGC 7635, também é conhecida simplesmente como a Nebulosa da Bolha. Embora pareça delicada, a bolha com um diâmetro de 7 anos-luz oferece evidências de processos violentos. Para cima e para a esquerda do centro da Bolha está uma estrela quente de classe O, várias centenas de milhares de vezes mais brilhante e cerca de 45 vezes mais massiva que o Sol. O furioso vento estelar e a radiação intensa dessa estrela criaram a estrutura de gás brilhante contra material mais denso numa nuvem molecular em redor. A intrigante Nebulosa da Bolha e a rede de nuvens associadas encontram-se a uns meros 7.100 anos-luz de distância na direção da constelação de Cassiopeia. Esta imagem espetacular da bolha cósmica é uma composição de dados captados pelo Telescópio Espacial Hubble em 2016, divulgada para celebrar o 26.º aniversário do lançamento do Hubble.

FONTE: NASA, ESA, Equipe de Arquivo do Hubble (STScI / AURA)

Explicando o rastro deixado pelos aviões

Que conspirações existem é um fato, porém aqui vai a explicação sobre os rastros deixados pelas grandes aeronaves que nada mais são que um fenômeno atmosférico aliado a queima dos gases. Como disse, não sou partidário que as conspirações sejam coisas de loucos, porém há coisas e coisas! vamos lá:



FONTE: Aviões e Músicas

Bobina de Tesla gera campo de força e raio trator


Os nanotubos - que individualmente só podem ser vistos por microscópios eletrônicos - são montados em cabos apenas controlando o campo elétrico gerado pela bobina de Tesla modificada. [Imagem: Jeff Fitlow/Rice University]

Teslaforese

Pesquisadores da Universidade de Rice, nos EUA, modificaram uma bobina de Tesla para criar um aparelho capaz de tecer nanofios à distância.

O processo, que Lindsey Bornhoeft e seus colegas batizaram de Teslaforese, pode ser usado para montar materiais desde a escala nano até a escala macro.

De fato, a demonstração feita Bornhoeft é a realização de um sonho que vem sendo acalentado desde o descobrimento dos nanotubos: a transformação desses nanomateriais ultrafortes em fios e cabos de grandes dimensões, que possam ser usados em aplicações práticas, inclusive em estruturas futuristas, como um elevador espacial.

Campo de força e raio trator

O sistema funciona fazendo com que cargas positivas e negativas oscilantes atinjam remotamente cada nanotubo, levando-os a se juntarem em cadeia para formar fios longos que atingem a escala macroscópica.

A bobina de Tesla modificada também é capaz de gerar uma espécie de raio trator, fazendo com que os nanotubos ou outras nanopartículas sejam puxadas para a bobina a longas distâncias.

Segundo o professor Paul Cherukuri, coordenador da equipe, esse efeito de campo de força sobre a matéria nunca tinha sido observado antes em uma escala tão grande, e o fenômeno era desconhecido até mesmo de Nikola Tesla, que inventou a bobina em 1891 com a intenção de transmitir energia elétrica sem fios.

"Campos elétricos têm sido usados para mover pequenos objetos, mas apenas em distâncias ultracurtas," disse Cherukuri. "Com a teslaforese, temos a capacidade para ampliar maciçamente os campos de força para mover a matéria remotamente."


A equipe está aprimorando o aparelho para mover as nanopartículas de forma seletiva. [Imagem: Jeff Fitlow/Rice University]

"Primeiro ato de uma história incrível"

Em um dos experimentos, os nanotubos se congregaram em cabos, formando um circuito que conecta dois LEDs e então absorve energia do campo elétrico da própria bobina de Tesla para fazê-los se acender.

Além disso, a bobina de Tesla modificada cria um campo de força poderoso a distâncias muito maiores do que se imaginava. A equipe observou o alinhamento e o movimento dos nanotubos a mais de 30 centímetros de distância da bobina. "É uma coisa impressionante acompanhar esses nanotubos ganhando vida e se costurando em fios do outro lado da sala," exagera Cherukuri.

"Há muitas aplicações onde se pode utilizar campos de força fortes para controlar o comportamento da matéria, tanto em sistemas biológicos quanto artificiais," acrescentou o pesquisador. "E ainda mais emocionante é quanta física e química fundamentais estamos descobrindo à medida que avançamos. Este realmente é apenas o primeiro ato de uma história incrível."

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Arquivo Ovni: Ufo aterrissa em Buritama - SP



No ano de 2008 a cidade de Buritama no interior de SP foi palco de muitos avistamentos ufológicos, o vídeo a seguir foi exibido pelo programa Repórter Record, da tv Record em 15/08/2008, onde se constata o pouso de um ovni no sítio de propriedade da amiga Érika Domingues Caldeira a quem envio um grande abraço.



FONTE: Canal Youtube Erika Domingues Caldeira

Conheça as funções das luzes externas de uma aeronave



É possível que em algum momento você já tenha se questionado, principalmente nas ocasiões de trânsito aéreo, a respeito das luzes externas que uma aeronave possui. Separamos este post para que este “problema” seja resolvido: explicaremos qual a função do sistema de Iluminação externa de uma aeronave, dividindo em três grupos básicos: Luzes de Navegação, Luzes Anti-colisão e Luzes Acessórias.
Luzes de Navegação – Essas luzes estão instaladas na ponta das asas e na cauda. Tem como objetivo mostrar a quem observa a trajetória percorrida pelo avião. Deve ser utilizada sempre em período noturno e diurno e por padrão sempre no lado esquerdo virá uma luz vermelha e do lado direito uma luz verde, além do uso de uma luz branca na parte mais afastada da cauda. Então, caso outra aeronave seja avistada ao longe, enxerga-se um clarão vermelho a sua direita e um verde a sua esquerda, isso indicará que a outra aeronave está em sentido oposto, ou seja, em risco de colisão. Já o contrário a esta situação, uma luz vermelha a esquerda e uma luz verde à direita, indica que o outro avião estará voando no mesmo sentido.




Luzes Anti-colisão – Existem duas luzes com essa função, a Beacon e o Strobe.
A “Beacon” era utilizada somente para este fim, mas atualmente também indica que uma aeronave está pronta para acionar os motores ou efetuar o push-back (ser rebocado por veículo até um ponto de táxi). Devem ser acionadas sempre antes da partida dos motores e localizam-se uma na parte superior e outra na parte inferior da fuselagem do avião.
Já o Strobe, tem função estritamente de anti-colisão, ou seja, literalmente “chamar a atenção para si”. É posicionado na ponta de cada uma das asas, junto às Luzes de Navegação, e na cauda. Sua característica é uma luminescência forte, piscando como um flash de uma câmera fotográfica. As luzes estroboscópicas devem ser acionadas assim que uma aeronave for autorizada para o ingresso de decolagem, mantida por todo o voo, e só poderá ser desligada após o pouso e ao sair da pista, ingressando no seguimento de táxi na área de manobras de um aeródromo.




Luzes Acessórias – Nesta categoria enquadram-se as luzes de auxílio ao táxi, decolagem/pouso e em alguns casos as luzes de logomarcas das empresas comerciais. Sua utilização é a critério do piloto, e podem ser aplicadas no período diurno e noturno e a depender da visibilidade local. Como padrão, as luzes de táxi, decolagem/pouso sempre serão utilizadas nos procedimentos a que são destinadas, independente da visibilidade.




FONTE: http://blog.hangar33.com.br/

Casos do Vale do Ogunjá


Vista panorâmica do Vale do Ogunjá, atualmente urbanizado. Até poucos anos,
a região central da foto era composta por matagal e poucas casas estavam construídas.

Num local tomado pela energia mística dos terreiros de candomblé,
fenômenos paranormais e envolvendo objetos luminosos
são reportados pelos moradores já por várias décadas.

Matéria extraída do site Ufo Via.

Reportagem de
Maria das Graças Vilas Boas*
De Salvador/BA, para UFOVIA

O VALE - Nos limites do vale situado em Salvador surgiram vários terreiros, como o de Ilê Ogun Já, fundado e dirigido pelo babalorixá Procópio Xavier de Souza, que entregou a cabeça de seu filho a Ogun Já. Com o desenvolvimento urbano da cidade, o Ilê Ogun já emprestou sua denominação a toda a área em frente, atualmente, Vale do Ogun Já.

A grafia popular do nome uniu os dois termos em “Ogunjá". Um nome bastante incomum, pois é proveniente da religião do candomblé, que foi adotado nesta avenida. Na região há uma grande concentração de população afro-descendente, oriunda da imensa gama de escravos que afluíram para a Bahia nas épocas da Escravidão.

Nos anos 80, quando residi no local, já havia a avenida asfaltada, mas com pouquíssimas residências. O movimento maior era durante o dia e à noite praticamente não existia. Tínhamos dificuldade de locomoção para fazer compras, ir ao médico e, até hoje, o local ainda se apresenta precário.

O Vale do Ogunjá é uma avenida que tem como ponto principal, outras duas grandes avenidas, a Bonocô (que dá acesso a um dos principais shoppings da cidade, o Iguatemi) e a Vasco da Gama, onde podemos contemplar o Dique do Tororó (um dos pontos turísticos da cidade) e o estádio de futebol “Fonte Nova”.

O local, durante o dia é bastante movimentado, com uma fluência de trânsito muito grande, pois o caminho dá acesso ao centro da cidade. Ao fim do dia, transforma-se em um lugarejo “sombrio”, bastante violento e agitado, devido ao número crescente de bares que se instalam na região.


A autora dessa reportagem e sua mãe, Dona Iêda.

DONA IÊDA - Conversando com minha mãe, Dª Iêda, hoje com 77 anos e minha irmã caçula (Iêda Maria) com 42 anos, ambas moradoras da avenida Vasco da Gama (minha mãe por mais de 54 anos) situada próxima ao Ogunjá, me relataram uma passagem curiosa vivida por ambas.

Em uma noite de 1972, cujo mês e o dia não se lembram, entre 18 e 19h, Dª Iêda levou a filha para tomar uma injeção com uma senhora por apelido de Dª Miúda, que morava na rua Silvestre de Farias, conhecida como “Ponto da Mangueira”, situada na própria avenida, porém, do lado contrário.

Ao voltarem para casa, avistaram uma "bola", ou seja, um círculo de grande porte, alaranjado, pairando no céu. Parecia que descia e quem viu primeiro foi Dª Iêda que mostrou para a filha.

Naquele momento entraram em pânico e começaram a correr, acreditando se tratar do fim do mundo.
O círculo alaranjado foi descendo lentamente e tomou parte da pista. Ao chegarem em casa, ainda deu tempo de Dª Iêda chamar o marido para ver o objeto que ficou no céu durante alguns minutos. Outras pessoas também o avistaram naquela noite


Depois de pairar, o objeto foi subindo e desapareceu do nada. As testemunhas ficaram em estado de choque, pois nunca tinham visto nada igual. Dª Iêda declarou que com o passar do tempo não avistou mais nada. Entretanto, a filha sempre vê e sonha com coisas estranhas. Ela trabalha até tarde da noite e na volta para casa, às vezes, tem a sensação de estar sendo seguida. Falou-me que não tem medo e até gosta de falar sobre o assunto. Ela é uma pessoa muito alegre.

"Aquilo possuía uma grande cauda prateada cintilante
e à medida que se movimentava, deixava um rastro luminoso"


Dona Margarida

DONA MARGARIDA - Outro caso, testemunhado por Dª Margarida, outra moradora do vale, ocorreu no ano de 1983, numa segunda-feira às 20h30, o mês não recordou. Só lembrou que foi numa segunda, porque o dia anterior tinha sido domingo e havia recebido visitas em sua casa.

Era noite e Dª Margarida conta que tinha acabado de amamentar o seu filho, de três anos de idade. Então, foi até a janela do quarto (que dava para o fundo da casa) como de costume, para fumar um cigarro. Olhando à frente, onde só existia na época um pequeno prédio, percebeu que esse foi tomado por uma forte luz ou várias luzes.

A construção refletia as cores amarela, verde, azul e vermelha. Segundo ela, surgiu um objeto voador grande e redondo (circular) que tomou toda a área do prédio. Aquilo possuía uma grande cauda prateada cintilante e à medida que se movimentava, deixava um rastro luminoso. Ela afirma que, na hora “não pensou em nada”.

Por incrível que pareça, Dª Margarida disse-me que procedeu de forma muita calma. Fumou seu cigarro, foi dormir e não lembrou de mais nada.

No dia seguinte, um jornal local da tevê entrevistava um senhor residente da praia da Pituba, dizendo-se ter avistado um objeto com as mesmas características na noite anterior. Ela teve então, a certeza de não ter sido a única testemunha do fenômeno.

Em Itiruçu (interior da Bahia ), Dª Margarida tem parentes e disse que lá, os mais antigos conhecem essas "coisas" descidas do céu como sendo a Mãe do Ouro.

'Nenhum laudo concreto foi expedido e Dª Maria ficou bastante fraca,
também paraplégica, pois não andou mais a partir daquele momento'


O prédio que, segundo Dª Margarida, foi iluminado
por luzes multicoloridas de um UFO

O ESTRANHO CASO DE DONA MARIA - Em outra ocasião, Dª Margarida contou que recebeu em sua casa a visita de Dª Maria, sogra de sua filha Cristina. A filha havia dado à luz a um menino no dia 24/06/1994. Dª Maria foi ao quarto ficar um pouco com a criança e lá ficaram a sós. Demorou um pouco e ela saiu do quarto aos prantos. Chorava muito e ninguém sabia o motivo. Naquele momento, Dª Maria se dirigiu até uma barraca de doces que Dona Margarida possuía em frente a sua casa, onde se encontravam mais pessoas e ainda em prantos, ficou próxima a uma cerca de arame. Em seguida, uma luz azul tomou conta do corpo dela. Naquele instante, Dª Margarida chegou a tocá-la com a mão para ver o que estava acontecendo, mas nada acontecia.

A luz que a iluminou, veio do alto e estava escuro no momento. Dª Maria começou a passar mal e buscaram socorro imediato.

Quando chegaram ao hospital, nenhum médico informava o diagnóstico. Um, dizia que era dengue, outro, dizia que deveria fazer exames para investigar. Fato é que, nenhum laudo concreto foi expedido e Dª Maria ficou bastante fraca, também paraplégica, pois não andou mais a partir daquele momento. Freqüentou diversos médicos e não conseguiu se curar.

Ficou de cama, não saiu mais e após três anos do fato ocorrido, veio a óbito. Seu esposo faleceu um ano depois. Já o bebê (Júnior) que D.Maria visitou (seu neto) hoje tem 12 anos e diz que vê a falecida avó sempre dentro da casa. Ele informa que também vê, sempre, um pequeno ser com mais ou menos um metro de estatura, trajando roupa dourada e brilhante que cobre todo o corpo, exceto mãos e cabeça.

Segundo o menino, tal ser possui cabelos longos e brancos e tem uma imensa facilidade para atravessar as paredes. Júnior não expressa nenhuma reação de medo ao avistar este ser, conforme me disse.

Além dos casos reportados aqui, o Vale do Ogunjá tem sido cenário de experiências paranormais de outras testemunhas e épocas distintas.

FONTE: Maria das Graças Vilas Boas é professora do Ensino Fundamental, bancária aposentada, escritora e membro do Conselho Editorial de UFOVIA.

- Fotos: Robson Fialho.

- Produção: Pepe Chaves.
© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.