domingo, 20 de abril de 2014

Criador de Arquivo X vai produzir nova série sobre a Área 51



AMC anunciou que Chris Carter, mais conhecido como criador da série de ficção científica Arquivo X, vai produzir uma nova série de televisão sobre a instalação militar secreta conhecida como Área 51.

A rede já havia encomendado um episódio piloto para esta série em julho de 2012. Naquela época, porém, foi anunciado que a série seria baseada em um livro intitulado Área 51, uma história sem censura da base militar dos Estados Unidos por Annie Jacobsen.

A julgar pelo recente anúncio da AMC sobre a nova programação, a ideia não mudou. Mas o projeto já estaria oficialmente em desenvolvimento.

Hollywood Reporter descreve a série como “um thriller de conspiração contemporânea revelando a verdadeira história por trás da famosa Área 51, a instalação militar mais misteriosa da América”. O nome da série seria simplesmente a Área 51.

Carter irá trabalhar como escritor e produtor executivo. Gale Anne Hurd, produtor executivo de The Walking Dead, também foi escalado para o projeto.

O livro de Jacobsen é controverso porque ela faz muitas afirmações questionáveis. A mais notável é a inclusão de uma explicação para o que caiu perto de Roswell, Novo México, em 1947.

Ela afirma, baseado em uma testemunha anônima, que os destroços recuperados em Roswell era, na verdade, uma aeronave alemã avançada e que os corpos recuperados do acidente eram de crianças que tinha sido mutiladas por um médico nazista Josef Mengele.

Este incidente teria sido ordenado por Joseph Stalin, na esperança de enganar os americanos que isto seria uma nave espacial extraterrestre, o que resultaria em um pânico em massa semelhante à causada pela transmissão de rádio 1938 de HG Wells, A Guerra dos Mundos.

Originalmente foi planejado para que Jacobsen participasse como um co-produtor do show. Nada foi confirmado até o momento.

FONTE: ARQUIVO UFO

sábado, 19 de abril de 2014

Marilyn Monroe planejava revelar que JFK viu OVNIs acidentados



Novas evidências parecem apoiar a autenticidade de um documento da CIA que desclassificou uma história controversa.

Originalmente divulgado em 1992, antes de ser tornado público em 1994, o documento contém supostas escutas de Marilyn Monroe e seus amigos que foram gravados pouco antes de sua morte, em 1962.

As transcrições dizem respeito à afirmações de que Monroe tinha planejado realizar uma conferência de imprensa para revelar que o presidente John F. Kennedy tinha dito a ela sobre uma visita a uma instalação de base aérea onde haviam detritos recuperados a partir de um acidente envolvendo OVNIs.

O documento menciona que Monroe “tinha segredos para contar, resultante de seus encontros com o presidente e o procurador-geral, que mencionam uma visita do Presidente em uma base aérea secreta com o objetivo de inspecionar as coisas do espaço sideral”.

O relatório também alega que Monroe ficou frustrada com o Presidente ao sentir que estava sendo ignorada e, como resultado, ameaçou “contar tudo” em uma coletiva de imprensa.

Enquanto a autenticidade do documento permaneceu por muito tempo controverso, uma análise recente mostrou que o mesmo possui um padrão de relatório que foi muito utilizado pela CIA em 1963.

Com Monroe planejando realizar uma conferência de imprensa para revelar isso para o público, alguém teria dado o passo final para garantir que isso não viesse a acontecer? Nós nunca saberemos com certeza.


documentos-monroe

FONTE: ARQUIVO UFO

Projeto MKULTRA



MKULTRA foi um programa experiências em seres humanos, sem consentimento, patrocinado pela Central Intelligence Agency (CIA) – o Serviço de Inteligência dos Estados Unidos da América1 e realizado em varias instituições nos Estados Unidos e no Canada. As experiências do MKULTRA têm relação com o desenvolvimento de técnicas de tortura contidas nos Manuais KUBARK divulgadas também pelos treinamentos da Escola das Américas.

Interesses da CIA nos experimentos

As experiências em seres humanos visavam identificar e desenvolver drogas e procedimentos a serem usados em interrogatórios e tortura, visando debilitar o indivíduo para forçar confissões por meio de controle de mente.

As várias drogas utilizadas, todas do tipo drogas psicoativas, incluiram Mescalina, LSD e outras.

Ewen Cameron - Chefe dos experimentos feitos no Canada , patrocinados pela CIA
No livro "Torture and Democracy" (Tortura e Democracia em Português), do Professor Darius Rejali, traça a História do desenvolvimento de métodos de tortura incluindo a passagem pelos estudos da CIA no MKULTRA, os Manuais KUBARK , as técnicas utilizadas em Abu Ghraib e a evolução de tortura desde os tempos medievais como uma atividade de interesse de vários governos.

Prisioneiros no Campo X-Ray em Guantanamo - Base Naval Americana (2006)
O autor e psiquiatra Harvey Weinstein estabeleceu o relacionamento direto das pesquisas em controle da mente feitas na Inglaterra pelo psiquiatra britanico William Sargant, envolvido nas pesquisas do MKULTRA na Inglaterra, com as experiências de Ewen Cameron no Canadá também para o MKULTRA e com métodos atualmente usados como meios de tortura como , por exemplo, uso de drogas alucinógenas como agentes desinibidores e privação de sono. Ewen Cameron frequentemente contou com a colaboração de William Sargant, tendo ambos sido ligados aos experimentos da CIA.

Origens

As experiências foram feitas pelo Departamento de Ciências da CIA - Central Intelligence Agency Directorate of Science & Technology Office of Scientific Intelligence, em Inglês.

Aprovação por Sidney Gottlieb para sub projeto usando LSD.
O programa secreto começou no início dos anos 1950 e continuou até pelo menos o fim dos anos 1960.

Há pesquisadores que afirmam que o programa provavelmente foi apenas interrompido ou escondido, tendo prosseguido clandestinamente até os dias atuais. Como cobaias humanas, MKULTRA realizou testes sem consentimento em estrangeiros.

Experiências

Muitas das vítimas do MKULTRA foram testadas sob o efeito de drogas, e jamais foram identificadas ou indenizadas pelos danos que foram causados a eles. Um dos casos que foi levado ao conhecimento público é o de um cientista americano que faleceu após haver sido involuntária e secretamente drogado com LSD pela CIA. Os agentes presentes disseram que o que se tinha passado era que Orson (o cientista) tinha cometido suicídio, saltando da janela de um hotel. A família do Dr. Orson continua até a presente data a lutar para apurar a veracidade sobre a versão da CIA com relação aos fatos que culminaram na sua morte.

As drogas usadas no MKULTRA são drogas que visam alterar as funções do cérebro humano e manipular o estado mental dos seres humanos. Tais drogas foram usadas sem o conhecimento ou consentimento daqueles em quem foram aplicadas, tendo sido um dos objetivos do projeto exatamente desenvolver meios de aplicar tais drogas sem que a vítima tivesse conhecimento de que estaria sendo drogada. Evidência publicada através da liberação de apenas parte dos documentos do Projeto MKULTRA, indica que a pesquisa envolveu o uso de animais e de vários tipos de drogas.

Métodos de Tortura

A seguir está uma lista parcial das formas de tortura
Confinamento em caixas, gaiolas, caixões (muitas vezes com uma abertura ou tubo de ar de oxigênio);
Contenção com cordas, correntes, algemas, etc.;
Experiências de quase-morte, comumente asfixia por sufocamento ou afogamento, com reanimação imediata;
Extremos de calor e frio, incluindo submersão em água gelada e queima de produtos químicos;
Esfolamento (apenas camadas superiores da pele são removidas em vítimas destinadas para sobreviver);
Luz ofuscante e continua nos olhos;
Choque elétrico em partes sensíveis e não-sensíveis do corpo;
Ingestão forçada de fluídos corporais ofensivos e matéria, tais como sangue, urina, fezes, carne, etc;
Pendurado em posições dolorosas ou de cabeça para baixo;


Fotos reveladas em 2004 - Abu Ghraib
Deixar a vítima com fome e sede por dias, ou semanas, ou meses;
Privação de sono;
Compressão com pesos e dispositivos;


Abu Ghraib - soldado americano sobre prisioneiro ferido
Isolamento de percepção (faz com que a vítima não sinta os sentidos de: visão, audição, tato, paladar e olfato);
Drogas para criar ilusão, confusão e amnésia, frequentemente administradas por injeção intravenosa;
Ingestão de substâncias químicas tóxicas intravenosas para criar dor ou doença, incluindo agentes quimioterápicos;
Membros superiores e inferiores puxados ou deslocados;
Aplicação de serpentes, araneídeos, larvas, roedores (ex: ratos) e outros animais para provocar sentimentos de medo, nojo e repudia;
Vítimas são forçadas a realizar ou testemunhar abusos;
Profanação de crenças religiosas;
Criar ilusões visuais, auditivas para estabelcer estao de paranoiae sofrimento emocional;
Cirurgia para tortura; causar a percepção de bombas físicas ou espirituais ou implantes;
Ameaças de dano à família, amigos, entes queridos, animais, e outras vítimas;
Uso de ilusão e realidade virtual para confundir e criar uma percepcao não-credível

Médicos e Outros Profissionais Envolvidos

Em Abril de 1953 Sidney Gottlieb chefiava o super secreto Projeto MKULTRA que foi ativado pelo Diretor da CIA Allen Dulles. Gottlieb ficou conhecido também por ter desenvolvido meios de administrar LSD e outras drogas em pessoas sem o conhecimento destas e por autorizar e desenvolver o financiamento de pesquisas psiquiátricas com o objetivo de , segundo suas palavras "criar técnicas de romper a psique humana ao ponto de fazer com que o indivíduo admita que fez qualquer coisa, seja o que for". Ele foi o patrocinador de médicos como Ewen Cameron e Harris Isbell em controversos estudos psiquiátricos em que seres humanos foram utilizados como cobaias humanas, sem o consentimento destes e sem o conhecimento de que estavam sendo usados nestas experiências e , em alguns casos, acreditando estarem recebendo tratamento. Inúmeras vítimas tiveram suas vidas destruídas até a morte. Os recursos para tais pesquisas eram injetados de maneira que não pudesse ser feita a relação imediata com a CIA. Um dos meios era, por exemplo, através da Fundação Rockefeller, uma Fundação aparentemente dedicada ao desenvolvimento de pesquisas médicas em beneficio da sociedade.


Documento do MKULTRA.
O Ten. Cel Fletcher Prouty também estaria envolvido no projeto, durante a década de 1950/60. Ele participou do complexo militar-industrial e ficou famoso pois escreveu livros e artigos que oferecem um raro vislumbre da "elite do poder", como descrito por Buckminster Fuller. Suas obras falavam sobre a formação e desenvolvimento da CIA, as origens da Guerra Fria, o Incidente com avião U2 em 1960, a Guerra do Vietnã, e o assassinato de John F. Kennedy - que ele dizia ser um golpe de estado, organizado pelo complexo militar-industrial americanos. Prouty era especialista em segurança presidencial e black operations.

Exposição do Projeto

A Pesquisa ilegal da CIA veio a público pela primeira vez em 1975 , quando da realização pelo Congresso americano de investigação das atividades da CIA por uma comissão de inquérito do Congresso dos Estados Unidos da América e por um Comitê do Senado americano. Foram os inquéritos chamados de Church Committee e Rockefeller Commission – Comitê Church e Comissão Parlamentar Rockefeller, em Português.

As investigações foram prejudicadas pelo fato de que,em 1973, considerando a possibilidade de uma futura investigação, o então diretor do CIA, Richard Helms, ordenou a destruição de todos os dados e arquivos ligados aos experimentos em humanos feitos durante o Projeto MKULTRA.

As investigações do Comitê e da Comissão se basearam no testemunho sob juramento de participantes diretos na atividade ilegal e em um relativamente pequeno número de documentos que restaram após a destruição de documentação ordenada por Richard Helms.

A CIA afirma que tais experiências foram abandonadas mas Victor Marchetti, um veterano agente da CIA por 14 anos, tem atestado em várias entrevistas que a CIA jamais interrompeu suas pesquisas em controle da mente humana, tampouco o uso de drogas, mas realiza continuamente sofisticadas campanhas de desinformação seja lançando ela mesma, através dos meios de comunicação , falsas teorias e teorias de conspiração que podem ser ridicularizadas e desacreditadas, o que faz com que o foco de atenção não se volte para a CIA e suas pesquisas clandestinas ou que, caso haja qualquer aparente possibilidade de que suas pesquisas sejam expostas, qualquer revelação possa ser imediatamente desacreditada e/ou ridicularizada.

Victor Marchetti, em uma entrevista em 1977, especificamente afirmou que as declarações feitas de que a CIA teria abandonado as atividades ilegais do MKULTRA após os inquéritos, são em si mais uma maneira de encobrir os projetos secretos e clandestinos que a CIA continua a operar, sendo a próprias revelações do MK-ULTRA e subsequentes declarações de abandono do projeto seriam em si mais um artifício para deslocar a atenção de outras atividades e operações clandestinas não reveladas pelos Comites.

Documento do MKULTRA .
Em 1977, o Senador Americano Ted Kennedy, disse no Senado:

"O Vice-Diretor da CIA revelou que mais de trinta (30) Universidades e Instituições participaram em "testes e experimentos " em um programa que incluiu a aplicação de drogas em seres humanos sem o conhecimento ou o consentimento destas pessoas, tanto americanos como estrangeiros. Muitos destes testes incluíram a administração de LSD a indivíduos em situações sociais que não tinham conhecimento de que estavam sendo drogados e posteriormente a aplicação do LSD sem o consentimento destas pessoas, elas não sabiam que estavam sob o efeito da droga. No mínimo uma morte, a do Dr.Frank Olson, ocorreu como resultado destas atividades. A própria CIA diz reconhecer que tais experimentos faziam pouco sentido científico. Os agentes da CIA que monitoravam tais testes com drogas não eram sequer qualificados como cientistas especializados à observação de experiências"

Até o presente, a grande maioria de informação mais específica sobre o Projeto MKULTRA continua classificada como secreta.

Investigações do Church Committee

O Church Committee, uma Comissão de Inquérito do Senado americano, que foi realizada em 1975 e presidida pelo senador estadunidense Frank Church (D-ID), investigou várias atividades da Central Intelligence Agency (CIA), da Agência de Segurança Nacional (NSA) e do Agência Federal de Investigação (FBI), dentre elas experiências ilegais em seres humanos do Projeto MKULTRA, violações de domicílios e interceptações de comunicações sem autorização judicial, assassinatos e outras atividades do governo americano depois que algumas delas foram reveladas pelo escandalo Watergate.

Relatorio do Commitee - Projeto MKULTRA

Documentos do MKULTRA revelados pelas investigacoes - Experimentos com LSD

COINTELPRO - Documentos da Investigacao de John Lennon
Foram muitas as investigacoes do Committee, as mais importantes e que provocaram maiores escandalos estāo ligadas às revelações dos Programas MKULTRA da CIA e do programa COINTELPRO do FBI. Estas foram apenas algumas das investigadas pelo Church Committee. Todas as atividades do programa COINTELPRO de Edgar Hoover, foram consideradas ilegais e as revelacoes do MKULTRA provocaram um escândalo mas conhecido basicamente pelos americanos e pouco ou quase nada foi publicado sobre estes escandalos em paises da America Latina como o Brasil.

Velma Orlikow era uma paciente no Instituto Allan Memorial em Montreal quando a CIA dos Estados Unidos da América estava conduzindo os notórios experimentos de Lavagem Cerebral do MKULTRA no Hospital de Montreal afiliado a Universidade McGui, o Instituto Allan Memorial. Ela era casada com o membro do Congresso Canadense David Orlikow. Velma foi involuntariamente drogada com doses altas de LSD e submetida a fitas gravadas de lavagem cerebral. Juntamente com outros oito pacientes de Ewen Cameron, ela moveu uma ação contra a CIA na Justiça e ganhou.

Em 1979, Orlokow contactou o escritório de advogacia de Joseph Rauh e Jim Turner após ler uma notícia publicada no Jornal New York Times sobre o envolvimento do médico Ewen Cameron do Instituto Allan Memorial nos experimentos. O artigo publicado em 2 de Agosto de 1977, escrito por Nicholas Horrock, intitulava-se "Instituições Privadas Utilizadas pela CIA em Pesquisas de Lavagem Cerebral." O artigo de Horrock se referia ao trabalho de John Marks que coletou documentos das atividades da CIA através de FOIA ou Freedom of Information Act (em Portugues - Lei da Livre Informação). O artigo foi então utilizado para mover a ação que tomou o nome de Orlikow, et al. v. United States case.11 Mais vítimas canadenses se juntaram a causa e ela passou a incluir Jean-Charles Page, Robert Logie, Rita Zimmerman, Louis Weinstein, Janine Huard, Lyvia Stadler, Mary Morrow, e Florence Langleben. A CIA fez um acordo em 1988. Velma faleceu em 1990.

No fim de sua vida, David Orlikow encorajou os outros membros de seu partido, New Democratic Party of Canada , entre eles Svend Robinson a continuar a luta buscando indenização para as vítimas do Allan Institute e para suas famílias.

Documentos da Investigacao de John Lennon




FONTE: WIKIPÉDIA


UFOS WILSON: O PROJETO MK ULTRA SEGUE ATÉ HOJE E MUITO MAIS SOFISTICADO SE UTILIZANDO DE FREQUÊNCIAS DESCONHECIDAS ATINGINDO ALVOS ESPECÍFICOS. VOCÊS JÁ SE PERGUNTARAM O PORQUE DE ATAQUES POR ATIRADORES A ESCOLAS, FACULDADES, CINEMAS, PAIS QUE MATAM FILHOS E VICE VERSA (?) A TEORIA QUE OS ESTADOS UNIDOS JÁ MANTENHA EM SEU PODER OS CONHECIMENTOS DE VIAGEM NO TEMPO PODERIA CORROBORAR COM ALGUNS CASOS, TALVEZ ALGUMAS DESTAS PESSOAS PODIA SER UMA PEDRA NUM CAMINHO FUTURO E UM CIDADÃO SIMPLES A PODERIA ELIMINAR ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA, DEIXANDO LIVRE UM CAMINHO FUTURO PARA ALGUMA AÇÃO POR PARTE DO PODER. POR MAIS ABSURDO QUE PAREÇA É UMA TEORIA VÁLIDA.

Uma interessante dica é o filme "Teoria da Conspiração" onde o tema é abordado, veja-o no link a seguir: http://3000filmes.com/

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Os Ovnis de Gabriel García Márquez


Um dos ícones da literatura universal murreu nesta quinta-feira, 17 de abril de 2014. O escritor colombiano mais importante do século XX, Gabriel García Márquez, deixou de existir, informou o Conselho Nacional para a Cultura e as Artes (Conaculta). Tinha 87 anos. Deste reconhecido escritor se afirma que em algum momento de sua vida, falou sobre o tema dos OVNIs.

Em quantas ocasiões ao falar sobre o tema OVNIse molda nas pessoas um sorriso sem graça, já que o consideram um tema pouco sério, ainda que agora são os governos quem estão dando a noticia sobre este fenômeno. Outra área é o mundo dos intelectuais que se atreveram a falar sobre este tópico, este é o caso do Prêmio Nobel de Literatura 1982, autor de “Cem anos de solidão”, Gabriel García Márquez, de quem fazem alguns dias, o investigador argentino Jorge Suárez, em seu blog “Alternativa Extraterrestre”, publicou uma entrevista realizada ao novelista colombiano, sobre os objetos voadores não identificados, esta na versão digital do jornal “El Tiempo de Colombia”, que reproduzimos com autorização do autor:

- ¿Qual sua opinião sobre os OVNIs?

Minha opinião sobre os OVNIs é de sentido comum: creio que são naves procedentes de outros planetas, mas cujo destino não é a Terra.

- ¿Você acredita na possibilidade da existência de vida em outros planetas?

É comovedora a soberba de quem afirma que nosso planeta é o único habitado. Creio mais que somos algo assim como uma aldeia perdida na província menos interessante do Universo, e que os discos luminosos que vemos passar pela noite dos séculos nos olham como nós olhamos as galinhas.

- ¿De onde crê que procedam e quem os dirige?

Os OVNIs devem estar tripulados por seres cujo ciclo biológico é desmesuradamente mais amplo e frutífero que o nosso. Não se ocupam de nós porque acabaram de estudar-nos fazem milhõe de anos, quando fizeram as ultimas explorações do Universo, e não somente sabem muito de nós mais que a nós mesmos, senão que conhecem inclusive nosso destino. Na realidade, a Terra deve ser para eles uma ilha de emergência nos perigos da navegação espacial.

- ¿Você acredita que o público é informado devidamente sobre o tema?

No creio que haja uma conspiração das grandes potências para ocultar-nos a verdade. Isso seria atribuir-lhes aos donos do mundo.

- ¿A que atribui esta persistência de alguns cientistas em negar a possibilidade de existência de naves extraterrestres, como também o fenômeno?

O que acontece é que a humanidade não soube merecer a sabedoria dos alquimistas, que consideravam o laboratório como uma simples cozinha da clarividência, agora estamos a merce de uma ciência reacionária cujo dogmatismo vulgar não admite as evidências enquanto não tenha dentro de um frasco. São cientistas regressivos que negam a existência dos extraterrestres porque não os podem ver, sem perguntar-lhes sequer se os mesmos no serão os micróbios que nos fazem a guerra dentro do corpo.

Enquanto a ciência é experimental, e não clarividente, como era a alquimia e só pode ser como a poesia em nossos tempos, a humanidade vai continuar a fazer parte do reino de cracas. Seguiremos vendo com a boca aberta estes discos luminosos que já eram familiares nas noites da Biblia, seguiremos negando sua existência ainda que seus tripulantes se sentem a almoçar conozco, como ocorreu tantas vezes no passado, porque somos os habitantes do planeta mais provinciano, reacionário e atrasado do Universo.


Até aqui o publicado na Internet sobre o professor Gabriel García Márquez. No entanto, devemos estar conscientes que o tema é amplo e que também aos intelectuais lhes interessam opinar sobre este fenômeno.

FONTE: http://yohanandiaz.com/

A quem a NASA quer enganar??? 'Selfie' de robô que explora Marte mostra painéis solares mais limpos


Montagem mostra autorretrato do jipe de exploração Opportunity feita no fim de março de 2014 (dir.), quando a maior parte da terra que cobria os painéis solares havia sido removida; à esquerda, o jipe em janeiro (Foto: Nasa/JPL-Caltech/Cornell University/Arizona State University/Divulgação)

Ventos de março tiraram parte da terra de cima do jipe Opportunity.
Dessa forma, haverá mais energia disponível para trabalhos do veículo.

Uma foto tipo "selfie" tirada pelo robô Opportunity, um dos jipes que fazem parte do programa de exploração de Marte da agência espacial americana (Nasa), mostrou que os painéis solares sobre o veículo estão mais limpos que nunca para esta época do ano: o inverno marciano.

Segundo a Nasa, foram os efeitos dos ventos no fim de março que removeram a terra acumulada da superfície do veículo. A foto foi feita pela câmera panorâmica (Pancam) do Opportunity.
O robô pousou no planeta vermelho em janeiro de 2004. Desde agosto de 2011, ele se encarrega de investigar regiões da borda oeste da cratera Endeavour.
A Nasa afirma que a energia extra que será obtida com a maior quantidade de luz absorvida pelos painéis solares limpos vai ser usada para inspecionar a região de "Murray Ridge", também na borda oeste da Endeavour. O objetivo é entender melhor sobre ambientes úmidos existentes no passado de Marte.


Versão da foto tirada em março com cores artificiais mostra a superfície do robô mais nitidamente (Foto: Nasa/JPL-Caltech/Cornell Univ./Arizona State Univ./Divulgação)

FONTE: G1.COM

UFOS WILSON: ALGUÉM AQUI ACREDITA EM PAPAI NOEL OU NO COELHINHO DA PÁSCOA? OS VENTOS EM MARTE SÃO FORTÍSSIMOS E CONSEQUENTEMENTE, CARREGADOS DE PÓ, COMO OS MESMOS PODERIAM LIMPAR OS PAINÉIS SOLARES DO ROBÔ? COMO DISSE WILLIAM SHAKESPEARE: "EXISTEM MAIS COISAS ENTRE O CÉU E A TERRA DO QUE SONHA NOSSA VÃ FILOSOFIA."

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Telescópio espacial Hubble faz um resumo da história do universo


A maioria das galáxias visíveis nesta imagem do Hubble são membros de um enorme aglomerado chamado CLASSE B1608 656, que fica a cerca de 5 bilhões de anos-luz de distância. Mas o campo também contém outros objetos que são significativamente mais perto e muito mais distante -. Incluindo duas lentes gravitacionais apelidado de Fred e Ginger Estes contêm massa suficiente para distorcer visivelmente a luz de objetos por trás deles. Fred, também conhecido mais prosaicamente como [FMK2006] ACS J160919 6532, situa-se perto das galáxias lente na classe B1608 656, enquanto Ginger ([FMK2006] ACS J160910 6532) é marcadamente mais perto de nós. Apesar de suas diferentes distâncias de nós, tanto pode ser visto perto de CLASSE B1608 656, na região central da imagem do Hubble, e são rotulados.

Nova imagem junta em única observação objetos da nossa vizinhança cósmica com galáxias a bilhões de anos-luz de distância

Uma nova imagem do telescópio espacial Hubble divulgada nesta quinta-feira pode ser vista como um breve resumo da História do Universo. Isso porque, graças ao longo período de exposição - um total de 14 horas, o suficiente para captar luz 1 bilhão de vezes mais tênue do que o olho humano consegue -, ela mostra desde objetos na nossa vizinhança cósmica até galáxias a bilhões de anos-luz de distância, o que significa que estão em diferentes estágios da evolução do Universo.
Estudos anteriores feitos nesta região do céu, na direção da constelação de Ursa Maior, demonstraram que muitos dos objetos que parecem próximos uns dos outros na verdade estão separados por bilhões de anos-luz. Isso acontece porque nela estão vários conjuntos de galáxias que funcionam como “lentes gravitacionais”, muito úteis para observação de objetos nos limites do Universo visível.
Entre estas lentes gravitacionais está uma designada CLASS B1608+656, que aparece bem no meio da imagem. Formada por duas galáxias, esta lente distorce e amplifica a luz de um quasar extremamente distante que demorou 9 bilhões de anos para chegar aos detectores do Hubble, o equivalente a dois terços da idade do Universo.

FONTE: NASA/ESA

Nasa descobre primeiro exoplaneta habitável do tamanho da Terra



Astrônomos da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) encontraram um planeta similar a Terra, e que habita seu sol em uma zona onde poderia haver água líquida e talvez até vida. A descoberta, relatada na revista Science, do planeta chamado Kepler-186f, que está a 500 anos-luz da Terra, aumenta as esperanças de que possa haver outros planetas como o nosso no Universo. No sistema solar descoberto, orbitam a estrela que é a metade de nosso Sol e bem mais fria, outros quatro planetas. O Kepler-186f tem diâmetro 10% maior que o da Terra e não se sabe ainda qual é sua massa ou composição, apesar de acreditar-se que é um planeta rochoso como a Terra. As dúvidas são porque o planeta só é observado pela sombra que causa em sua estrela NASA Ames/SETI Institute/JPL-Caltech

Cientistas descobriram o primeiro planeta fora do sistema solar de tamanho semelhante ao da Terra onde pode existir água em estado líquido, o que o torna habitável.

A descoberta reforça a possibilidade de encontrar planetas similares à Terra na nossa galáxia, a Via Láctea, segundo uma equipe internacional de astrônomos liderada por um profissional da Nasa. O trabalho foi publicado na edição desta quinta-feira (17/04/14) da revista científica americana Science.

"É o primeiro exoplaneta do tamanho da Terra encontrado na zona habitável de outra estrela", destaca Elisa Quintana, astrônoma do centro de pesquisas Ames, da Nasa, que ficou à frente da pesquisa.

"O que torna esta descoberta algo particularmente interessante é que este planeta, batizado de Kepler-186f, tem o tamanho terrestre e está em órbita ao redor de uma estrela classificada como anã, menor e menos quente do que o Sol, na zona temperada onde a água pode ser líquida", afirmou.

Recriação artística de Kepler-186f

Considera-se que esta zona seja habitável poque a vida como a conhecemos tem possibilidades de se desenvolver naquele ambiente, segundo os pesquisadores.

Para Fred Adams, professor de Física e Astronomia da Universidade de Michigan, "trata-de de um passo importante na busca para descobrir um exoplaneta idêntico à Terra".

Nos últimos vinte anos foram detectados cerca de 1.800 exoplanetas, dos quais cerca de vinte orbitam ao redor de sua estrela em uma zona habitável. Mas esses planetas são muito maiores do que a Terra e, por isso, é difícil, devido ao seu tamanho, determinar se são de composição gasosa ou rochosa.




FONTE: NASA