Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 5, 2020

Caso Sagrada Família: aliens ciclopes em MG?

[ ENTREVISTA - JÓSE MARCOS GOMES VIDAL ]

CASO SAGRADA FAMÍLIA

Considerado um clássico da casuística nacional, este caso aconteceu em 28 de agosto de 1963, no bairro Sagrada Família, em Belo Horizonte, M.G - foi pesquisado na época pelo grupo CICOANI. Os meninos Fernando, Ronaldo e José Marcos presenciaram uma nave com 4 tripulantes e um ser que desceu e fez contato com eles. O caso Sagrada Família é uma referência na literatura ufológica. E depois de 55 anos, a revista OVNI Pesquisa entrevista José Marcos, hoje com 62 anos, empresário que reside em BH e ainda guarda na lembrança os momentos em que esteve frente a frente com um ser de mais de 2 m de altura, e que travou contato com as 3 testemunhas.

Confiram a entrevista exclusiva e com novos detalhes realizada em 28 de agosto de 2018 pelos pesquisadores Albert Eduardo e Paulo Baraky Werner.









FONTE: Revista OVNI Pesquisa

Nós precisamos voltar para a Lua

Fazem quase 50 anos que nós não voltamos para a Lua, mas isso provavelmente vai mudar em breve. A NASA pretende nos levar de volta, mas o que exatamente isso significa para o futuro da exploração espacial e do Sistema Solar?



FONTE: Ciência Todo Dia

Faleceu Margaret Burbidge, pioneira no estudo do funcionamento interno das estrelas

Às vezes chamada de “Senhora Poeira Estelar”, Burbidge ajudou a revelar as origens cósmicas do elementos químicos.

Margaret Burbidge, astrônoma conhecida por suas contribuições vitais para o nosso entendimento do que acontece dentro de uma estrela e que trabalhou na instrumentação do telescópio espacial Hubble, faleceu aos 100 anos de idade.

A Universidade da Califórnia, em São Diego, onde Burbidge trabalhou de 1962 a 1988, anunciou seu falecimento na segunda (6 de abril) pelo Twitter, ressaltando que ela faleceu no domingo (5 de abril). Burbidge foi reconhecida principalmente por seu trabalho que ajudou a explicar como as estrelas produzem elementos cada vez mais pesados e os distribuem pelo Universo.

Na década de 1950, já se aceitava a ideia de que os elementos químicos são sintetizados dentro das estrelas, mas o mecanismo pelo qual isso acontecia era desconhecido. Burbidge liderou uma equipe com quatro pessoas que publicou uma pesquisa com 100 páginas descrevendo os detalhes d…

Na Rota das Luzes: EP. Seres de Bronze (Parte 1)

Em 14 de setembro de 1979, o espaço aéreo da cidade de Belém é invadido por dois estranhos objetos voadores não identificados. Vários bairros de Belém foram testemunhas, mas dois tiveram um protagonismo especial. No bairro do Marco o jovem Laertes lauro da luz com 20 anos na época, testemunhou duas esferas luminosas desceram ruma ao lago Bolonha próximo, e alguns quilômetros adiante a senhora Ester Costa dos Santos com 50 anos na época, viu duas bolas de luzes descerem do céu e fazer um voo rasante parecendo que iriam pousar naquela região.

Passados exatos quarenta anos do caso, eu estive nos locais investigado juntamente com professor Rodrigo Aguiar, conversando com algumas testemunhas. O resultado você confere agora!



FONTE: Ufologia na Amazônia

https://t.co/hOazc95i22pic.twitter.com/y0EahNHyNH— Ufos Wilson (@UfosWilson) April 11, 2020




Algo está à espreita no coração do quasar 3C 279

Ilustração da estrutura do jato de 3C 279 em abril de 207. As datas das observações, as redes e os comprimentos de onda estão nas legendas.
Crédito: J.Y. Kim (MPIfR), Programa de Blazares da Universidade de Boston (VLBA e GMVA) e Colaboração EHT

Há um ano, a Colaboração EHT (Event Horizon Telescope) publicou a primeira imagem de um buraco negro na galáxia rádio vizinha M87. Agora, a colaboração extraiu novas informações dos dados do EHT sobre o quasar distante 3C 279: observaram os melhores detalhes, até agora, do jato relativista que se pensa originar das proximidades de um buraco negro supermassivo. Na sua análise, liderada pelo astrônomo Jae-Young Kim do Instituto Max Planck para Radioastronomia em Bona, Alemanha, estudaram a morfologia em fina escala do jato perto da base onde se pensa que a emissão altamente variável de raios-gama tenha origem. A técnica usada para a observação do jato é chamada VLBI (very long baseline interferometry). Grande parte do desenvolvimento do VLBI fo…

Investigadores obtêm, pela primeira vez, provas fotográficas de jato emergindo da colisão de galáxias

A galáxia Seyfert 1, TXS 2116-077 (à direita), colide com outra galáxia espiral de massa semelhante, criando um jato relativista no centro de TXS. Ambas as galáxias têm NGAs (núcleos galácticos ativos).
Crédito: Vaidehi Paliya

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Clemson, Carolina do Sul, EUA, em colaboração com colegas internacionais, divulgou a primeira detecção definitiva de um jato relativista emergindo de duas galáxias em colisão - em essência, a primeira prova fotográfica de que a fusão de galáxias pode produzir jatos de partículas carregadas que viajam quase à velocidade da luz.

Além disso, os cientistas descobriram anteriormente que estes jatos podiam ser encontrados em galáxias elípticas, que podem ser formadas na fusão de duas galáxias espirais. Agora, têm uma imagem que mostra a formação de um jato de duas galáxias mais jovens em forma de espiral.

"Pela primeira vez, encontramos duas galáxias em forma de espiral - ou disco - num per…

Dados da Cassini podem explicar mistério atmosférico de Saturno

Imagem a cores falsas de Saturno, construída a partir de dados obtidos pela sonda Cassini da NASA, que mostra o brilho das auroras situadas a cerca de 1000 km do topo das nuvens da região polar sul do planeta. Está entre as primeiras imagens divulgadas num estudo que identifica imagens que mostram emissões aurorais, de entre todo o catálogo de imagens captadas pelo espectrómetro de mapeamento visual e infravermelho da Cassini.
Crédito: NASA/JPL/ASI/Universidade do Arizona/Universidade de Leicester

As camadas superiores nas atmosferas dos gigantes gasosos - Saturno, Júpiter, Úrano e Neptuno - são quentes, assim como as da Terra. Mas, ao contrário da Terra, o Sol está demasiado longe para explicar as altas temperaturas. A sua fonte de calor tem sido um dos grandes mistérios da ciência planetária.

Uma nova análise de dados da sonda Cassini da NASA encontrou uma explicação viável para o que mantém as camadas superiores de Saturno e, possivelmente, dos outros gigantes gasosos, tão quentes…

Sobre a origem das estrelas massivas

Esta imagem mostra uma região do espaço chamada LHA 120-N 150. É uma subestrutura da gigantesca Nebulosa da Tarântula. Esta última é o maior berçário estelar conhecido do Universo Local. A nebulosa está situada a mais de 160.000 anos-luz de distância na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã irregular vizinha que orbita a Via Láctea.
Crédito: ESA/Hubble, NASA, I. Stephens

Esta cena de criação estelar, capturada pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, fica perto dos arredores da famosa Nebulosa da Tarântula. Esta nuvem de gás e poeira, assim como as muitas estrelas jovens e massivas que a rodeiam, é o laboratório perfeito para estudar a origem das estrelas massivas.

A nuvem rosa brilhante e as jovens estrelas que a circundam nesta imagem captada com o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA têm o nome pouco inspirador LHA 120-N 150. Esta região do espaço está localizada nos arredores da Nebulosa da Tarântula, que é o maior berçário estelar conhecido do Universo local. A nebulo…

Um drama na ciência: naturalidade versus ajuste fino

A teoria do bóson de Higgs ganhou o Nobel de Física, mas o experimento que teria detectado o bóson de Higgs ainda é controverso entre os físicos.
[Imagem: CERN]

Madeleine O’Keefe - Symmetry

Suspeitas sobre o bóson de Higgs

Quando os resultados coletados de um experimento parecem precisar ser ajustados com precisão para se encaixar em uma determinada teoria, alguns físicos aceitam isso como como uma coincidência. Outros preferem continuar cavando.

Quando os físicos viram o bóson de Higgs pela primeira vez, em 2012, observaram que sua massa era muito pequena: 125 bilhões de elétron-volts, ou 125 GeV. A medição tornou-se um excelente exemplo de uma questão que persegue os físicos e astrofísicos hoje: O problema do ajuste fino versus a naturalidade.

Para entender o que é suspeito sobre a massa observada da partícula de Higgs ser tão baixa, primeiro você deve saber que ela é, na verdade, a soma de duas entradas: a massa de Higgs pura e simples (que não conhecemos) mais as contribuições de…

Curso de Astronomia (Astrofísica para Todos)

Astrofísica para Todos!
Curso de Astronomia e Astronáutica, nível Galileu Galilei
Prof. Alexandre Zabot, UFSC





























































FONTE: Astrofísica para Todos

Na corrida para voltar a Lua, astrônomos querem leis para assegurar espaço para pesquisa

A cratera Dédalo vista a partir do espaço. A cratera com altos bordos, no lado oposto da Lua, é capaz de oferecer proteção extra contra as conversas de rádio da Terra, que podem contaminar observações científicas delicadas. Um dia, a cratera pode talvez se tornar um sítio lunar protegido. Crédito: NASA

Preocupação é que colonização privada do satélite inviabilize criação de observatórios espaciais no lado distante

A corrida disputada por países e empresas privadas para ver quem retorna primeiro à Lua só faz crescer a importância de proteger o lado distante do satélite – o hemisfério que sempre fica longe de nós. Há décadas os cientistas sustentam que a combinação simultânea de acessibilidade e isolamento do lado distante faz dele um lugar vital para diversas atividades de ciência espacial. No entanto, o ritmo acelerado da exploração lunar, pública e privada, poderá em breve se sobrepor a essa expectativa.

Pelo menos, é isso que teme Claudio Maccone, cientista espacial do Insti…

Colisão com corpo gelado pode explicar estranhas propriedades de Urano

Urano é exclusivamente inclinado dentre os planetas no nosso sistema solar. As luas e anéis de Urânio também são orientadas dessa maneira, sugerindo que se formaram durante um impacto cataclísmico que o inclinou no começo de sua história.

Pesquisa explica as propriedades inusitadas de suas luas e sistema de anéis, provavelmente derivadas do impacto com um objeto com até três vezes a massa da Terra

Há muito tempo que os astrônomos se mostram intrigados com certas características de Urano, um dos planetas classificados como gigantes gelados do Sistema Solar. Por exemplo, todos os planetas do Sistema Solar se movimentam ao redor do Sol na mesma direção e num mesmo plano. Os astrônomos pensam que essa característica está ligada a forma como o sistema se formou, a partir de um disco de gás e poeira que se deslocava num movimento de rotação. A maioria dos planetas também apresenta um movimento de rotação em torno do próprio eixo que ocorre na mesma direção, e têm seus pólos orientados …

Reator bio-híbrido a energia solar será útil em Marte e na Terra

Esta é a biofábrica a energia solar, cujos trabalhadores são bactérias.
[Imagem: Peidong Yang/UC Berkeley]

Híbrido orgânico-inorgânico

Químicos da Universidade de Berkeley, nos EUA, criaram este biorreator para produzir matérias-primas que possam ser utilizadas em Marte ou na Lua, mas descobriram que ele pode ser bem útil aqui na Terra também.

O sistema híbrido usa nanofios de silício para capturar a energia solar e transferi-la para bactérias que transformam dióxido de carbono (CO2) e água em moléculas orgânicas e oxigênio.

Em Marte ou na Lua, ele forneceria aos colonos matéria-prima para fabricar compostos orgânicos que variam de combustíveis a medicamentos, sendo que sua eficiência é maior que a eficiência fotossintética da maioria das plantas.

E, aqui na Terra, esse sistema bio-híbrido pode remover o dióxido de carbono da atmosfera.

Energia solar e bactérias

Os nanofios de silício - fios com alguns nanômetros de diâmetro - estão sendo pesquisados há bastante tempo para o desenvol…

Tem alguma coisa no núcleo dos átomos que ainda não entendemos

Consideradas bem conhecidas até agora, as forças fraca e forte são apenas mais um entre os mistérios que a Física não consegue explicar.
[Imagem: D. E. M. Hoff et al. - 10.1038/s41586-020-2123-1]

Estudo do núcleo atômico

Os átomos não se reconhecem no espelho.

Esta descoberta, feita enquanto físicos estudavam o núcleo atômico, pode mudar a maneira como os átomos são entendidos, e também pode ajudar a explicar fenômenos extremos no espaço sideral.

A descoberta revela que a simetria que existe dentro do núcleo do átomo não é tão fundamental quanto os cientistas acreditavam.

Isso envolve as forças que atuam dentro do núcleo dos átomos, o que é essencial para as teorias que tentam explicar como o Universo se formou a partir de partículas elementares.

"Nós estávamos estudando o que acontece dentro dos núcleos desses átomos para entender melhor esses fenômenos cósmicos e, finalmente, responder a uma das maiores questões da ciência - como os elementos químicos são criados no Universo,&…

Componente único transmite e recebe dados por luz

O mesmo componente é usado para transmitir e para receber dados por luz.
[Imagem: Thor Balkhed]

Componente de comunicação óptica

Para que você use sinais de rádio, seus aparelhos incorporam funções receptoras - para ouvir estações FM, que possuem a parte transmissora - ou precisam simultaneamente de funções receptoras e transmissoras - para se comunicar pelo celular ou pelo Wi-Fi, por exemplo.

De forma bem conveniente, as funções receptora e transmissora estão embutidas no mesmo aparelho, de forma que você nem se dá conta de que são dois circuitos separados, frequentemente usando antenas diferentes.

Mas no mundo das comunicações ópticas - que usam ondas de luz, em lugar das ondas de rádio - talvez a coisa não precise ser assim tão complicada.

Engenheiros suecos e chineses construíram um componente que é tanto um receptor quanto um transmissor óptico, o que significa que ele tanto envia os sinais de luz quanto entende os sinais de luz que recebe, permitindo uma comunicação em duas via…

Eventos acima da velocidade da luz unificam Física Quântica e Relatividade

A evolução das probabilidades e os fenômenos "impossíveis" da Mecânica Quântica podem ter suas origens na Teoria Especial da Relatividade - pelo menos tudo fica menos estranho.
[Imagem: FUW]

Com informações da Universidade de Varsóvia - 03/04/2020

Unificação da Mecânica Quântica com a Teoria da Relatividade

Por quase cem anos, a Mecânica Quântica aguarda uma teoria mais profunda para explicar a natureza de seus fenômenos misteriosos. E, sonho de todos os físicos, talvez uma teoria que a unifique com a Teoria da Relatividade.

Se o raciocínio apresentado agora pelos físicos Andrzej Dragan (Universidade de Varsóvia) e Artur Ekert (Universidade de Oxford) resistir ao escrutínio de seus colegas de todo o mundo, a história pode estar muito bem prestes a pregar uma peça cruel em todos esses físicos, de todas as gerações desde Einstein.

A "teoria desconhecida" procurada há décadas, explicando a singularidade da Mecânica Quântica - com o perdão do trocadilho -, seria deriv…

Vida em rocha abaixo do fundo do mar reacende esperança de vida em Marte

Testemunhos de sondagem recolhidos 122 metros abaixo do fundo do mar (5,7 km de profundidade) revelam uma grande população de bactérias aeróbicas. A rocha de basalto aparece em cinza, os minerais da argila em alaranjado e as células bacterianas são as esferas verdes.
[Imagem: Suzuki et al. 2020, DOI: 10.1038/s42003-020-0860-1, CC BY 4.0]

Bactérias abaixo do fundo do mar

A vida está impregnada na Terra de uma forma que parecia impensável há poucos anos.

É bom não esquecer que, há poucas décadas, os cientistas defendiam que não haveria vida nos oceanos apenas algumas centenas de metros abaixo da superfície porque, teorizavam eles, nenhum ser vivo suportaria as pressões e nem poderia viver na ausência de luz.

Mal sabiam eles que nem mesmo o fundo sólido do mar representaria um limite para a vida.

Biólogos e geólogos japoneses encontraram colônias enormes e prósperas de bactérias vivendo não no fundo do mar, mas no interior de rochas recolhidas 122 metros abaixo do solo oceânico.

Eles us…

O enigma da antimatéria

Logo após o surgimento do Universo, quantidades iguais de matéria e antimatéria foram criadas. Esse é um dos maiores enigmas do Universo atual: o sumiço da antimatéria.



FONTE: Ciência Todo Dia


Hubble encontra as melhores evidências de um elusivo buraco negro de massa intermédia

Esta ilustração uma estrela sendo dilacerada por um buraco negro de massa intermédia, rodeado por um disco de acreção. Este fino disco giratório de material consiste dos remanescentes de uma estrela que foi despedaçada pela forças de maré do buraco negro.
Crédito: ESA/Hubble, M. Kornmesser

Novos dados do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA forneceram as evidências mais fortes até agora para buracos negros de tamanho intermédio no Universo. O Hubble confirma que este buraco negro de massa intermédia mora dentro de um denso enxame de estrelas.

Os buracos negros de massa intermédia (BNMIs) são um "elo perdido" há muito procurado na evolução dos buracos negros. Até à data já foram encontrados alguns candidatos a BNMI. São mais pequenos do que os buracos negros supermassivos que se encontram nos núcleos de galáxias grandes, mas maiores do que os buracos negros de massa estelar formados pelo colapso de estrelas massivas. Este novo buraco negro tem mais de 50.000 vezes a massa …