Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 3, 2019

Mistério envolvendo uma medição do tamanho do próton feita há 10 anos pode ter sido finalmente resolvido

Hall B do JLab, onde o experimento está localizado. Foto: Jefferson Lab

Por Ryan F. Mandelbaum

Uma nova medida precisa do tamanho de um próton mostra que um problema de uma década pode agora ter uma solução.

O próton é indiscutivelmente a partícula mais importante para a nossa vida cotidiana. Ele é um dos três componentes principais dos átomos e determina a identidade dos elementos. Isso torna os valores de suas várias propriedades extremamente importantes.

A discordância experimental sobre uma dessas propriedades, chamada raio de carga, deu início a uma década de medições cada vez mais precisas. Agora, os cientistas divulgaram os resultados da medição por um novo método e sugerem que a incerteza está chegando ao fim.

Os cientistas medem o tamanho do próton usando um valor chamado raio de carga, uma medida de como a carga elétrica é distribuída na partícula. Até 2010, os cientistas mediam o raio usando uma de duas maneiras: espalhando elétrons do próton ou usando algo chamado desloca…

A origem mitológica dos nomes de planetas e luas do Sistema Solar

Por Nathan Vieira

O Sistema Solar abriga todos os objetos espaciais que estão sob o domínio gravitacional do Sol, a estrela "mãe". Desde pequenos, na escola, aprendemos sobre cada um dos oito planetas oficiais que fazem parte deste sistema: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Isso, é claro, sem contar Plutão, que foi "rebaixado" e classificado como um planeta anão em 2006. Mas você já parou para pensar sobre a origem dos nomes dos planetas, e como ou por que esses nomes foram escolhidos? Se a curiosidade bateu agora, fique tranquilo: nesta matéria você vai aprender tudo a respeito.

Os primeiros planetas foram batizados pela primeira vez pelos sumérios, que viviam na região da Mesopotâmia (atual Iraque) há aproximadamente 5 mil anos. Eles identificaram cinco “estrelas” que se moviam no céu, enquanto as outras ficavam paradas, e acharam que essas “estrelas” eram, na verdade, divindades misteriosas. Por isso, cada uma dessas cinco “estrel…

Algoritmo de IA "descobre" rapidamente que a Terra orbita o Sol

Por Felipe Junqueira

Uma inteligência artificial conseguiu aprender em pouco tempo o que a humanidade levou séculos para compreender: a Terra gira em torno do Sol. Este foi um dos primeiros testes de um algoritmo criado para tentar descobrir novas leis da física e até, quem sabe, reformular a mecânica quântica, de acordo com publicação da Nature.

Para que a IA entendesse, por conta própria, que os planetas é que estão orbitando o Sol, o físico Renato Renner e sua equipe do Instituto Federal Suíço de Tecnologia (ETH) inseriram alguns dados sobre o movimento da estrela e de Marte em um algoritmo com aprendizado de máquina que usa equações básicas, imitando a maneira de pensar dos físicos.

Considerando a trajetória tanto do Sol como de Marte em relação à Terra, o algoritmo entendeu que o Astro-Rei é o centro do nosso sistema estelar, e que a Terra também está se movendo em relação a ele. A humanidade não compreendeu isso até os anos 1.500, quando Nicolau Copérnico analisou observações d…

O mistério dos cometas

Cometas foram (e ainda são) fontes de mistérios no nosso Universo. Foi um grande desafio não só descobrir da onde eles vinham, mas também por que eles voltavam.



FONTE: Ciência Todo Dia

NASA abre amostra lunar que estava lacrada há quase 50 anos

Por Felipe Junqueira

A NASA ainda possui algumas amostras lunares coletadas durante as missões Apollo seladas em seus contêineres originais. Agora, em um esforço de preparação para as missões Artemis, a agência começa a escolher algumas delas para analisar com as tecnologias mais modernas que temos disponíveis atualmente, décadas depois.

Uma amostra da Apollo 17, que estava selada desde o retorno da missão em 1972, foi aberta na terça-feira (5), segundo a agência espacial. Avanços em técnicas de análise não-destrutivas, como imagem em 3D, espectrometria de massa e microtomia de alta resolução, agora permitem um estudo desses objetos em escala sem precedente, informa a NASA.

“Podemos tomar medidas hoje que não eram possível durante os anos do programa Apollo”, contou a Dra. Sarah Noble, cientista do programa ANGSA, que vai analisar as rochas lunares. “As análises dessas amostras ampliarão o retorno científico da Apollo, bem como vai permitir que uma nova geração de cientistas e curado…

Comentando foto de disco voador (Odense - Dinamarca - 1974) - 17

Programa onde comentamos sobre as fotos clássicas tiradas por Jorma Vitta em 15 de fevereiro de 1974, na cidade de Odense, na Dinamarca. Ao assistir este programa você saberá detalhes inéditos sobre esta história e, inclusive sobre análises realizadas pelo pesquisador da SUFOI e engenheiro de software, Ole Kammeyer Christensen.



FONTE: Enigmas e Mistérios

Veja também:

No link abaixo (Programa 10) siga os demais vídeos da série "Comentando foto de disco voador":

Foto diurna de OVNI na continuidade da Operação Prato (Manaus - Brasil - 1979) - 10

Comentando foto de disco voador (Nashville - Tennessee - EUA - 1989) - 11

Comentando foto de OVNI (Cocoyoc - México - 1973) - 12

Comentando foto de disco voador (Kapiolari Park - Hawaí - 1974) - 13

Fotos de OVNI foram analisadas no IV COMAR - (14)

Comentando foto de OVNI (Viborg - Dinamarca - 1974) - 15

Fotos de OVNIs em Ipameri - GO (16)

"Como Einstein me ajudou a me tornar um cientista" (Michio Kaku)

Como será o futuro? O Físico americano Michio Kaku dz que o futuro esta sendo inventado em laboratórios científicos. Neste vídeo, ele analisa como os avanços na ciência mudam continuamente nossas vidas e, ciente de que eles também afetarão a educação, ele reflete sobre a importância de ensinar coisas úteis aos alunos. "No futuro, a memorização será obsoleta. Com um piscar de olhos, podemos ver as informações porque teremos internet nas lentes", diz ele. Além disso, Kaku elogia o trabalho dos professores que ele acredita "nunca poder serem substituídos por robôs".

Michio Kaku é co-fundador da teoria das cordas e um dos cientistas mais reconhecidos mundo. Professor de autor de livros mais vendidos, como "Física do impossível" e "O futuro da nossa mente", Kaku investiga para onde a ciência e tecnologia de amanhã irão. Atualmente, ele ocupa a cadeira Henry Semat de Física Teórica na Universidade de Nova York.

Entrevista em espanhol:



FONTE: BBVA Apr…

O conhecimento mais importante da Física

Se você pudesse escolher apenas uma coisa da física para guardar e, em caso de a civilização recomeçar, ter esse único conhecimento, qual você escolheria?



FONTE: Ciência Todo Dia

Que haja... uma nova luz

A molécula com a quiralidade que se deseja responde emitindo luz muito brilhante, enquanto o seu "espelho duplo" permanece escuro.
[Imagem: Steven Roberts]

Luz e quiralidade

A luz é a ferramenta mais rápida para distinguir moléculas quirais destras e canhotas, que têm aplicações importantes em química, biologia e medicina. No entanto, a luz comum sente essa lateralidade molecular apenas fracamente.

Por isso, físicos tiveram que descobrir como gerar um tipo inteiramente novo de luz, que eles chamaram de "luz quiral sintética", que identifica a lateralidade das moléculas de maneira excepcionalmente distinta.

Tal como nossas mãos esquerda e direita, algumas moléculas na natureza também têm gêmeos-espelho. No entanto, embora essas moléculas gêmeas possam parecer semelhantes, algumas de suas propriedades podem ser muito diferentes. Por exemplo, enquanto uma molécula com uma determinada lateralidade - ou quiralidade - pode curar uma doença, seu espelho duplo - ou enanti…

Como aprender profundamente a projetar robôs parecidos com moscas

Conceito de um microrrobô-inseto.
[Imagem: P. Ramdya/EPFL]

Robôs inspirados em moscas

Uma equipe da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, desenvolveu um software de captura de movimento baseado em aprendizado profundo - uma técnica de inteligência artificial - que usa várias visualizações de câmera para modelar os movimentos de uma mosca em três dimensões.

O objetivo final é usar esse conhecimento para projetar robôs parecidos com moscas, uma vez que as moscas têm alguns recursos e habilidades que podem embasar um novo design para sistemas robóticos, sobretudo para microrrobôs voadores.

"Diferentemente da maioria dos vertebrados, as moscas podem escalar praticamente qualquer terreno. Elas podem aderir a paredes e tetos porque têm almofadas adesivas e garras nas pontas das pernas. Isso lhes permite ir a qualquer lugar. Isso é interessante também porque, se você puder descansar em qualquer superfície, você pode gerenciar seu gasto de energia esperando o momento certo p…

Quando os exoplanetas colidem

Ilustração de uma colisão catastrófica entre dois exoplanetas rochosos no sistema planetário BD +20 307, tornando os dois em detritos empoeirados. Há dez anos, os cientistas especularam que a poeira quente neste sistema era o resultado de uma colisão entre dois planetas. Agora, o SOFIA descobriu ainda mais poeira quente, dando ainda mais suporte ao cenário de colisão exoplanetária. Isto ajuda a construir uma imagem mais robusta da história do nosso próprio Sistema Solar. Pensa-se que uma colisão parecida a esta criou, em última análise, a nossa Lua.
Crédito: NASA/SOFIA/Lynette Cook

Um vislumbre dramático das consequências de uma colisão entre dois exoplanetas está a dar aos cientistas uma visão do que pode acontecer quando os planetas colidem. Um evento similar, no nosso próprio Sistema Solar, pode ter formado a Lua.

Conhecido como BD +20 307, este sistema binário fica a mais de 300 anos-luz da Terra e as suas estrelas têm pelo menos mil milhões de anos. No entanto, este sistema madu…

Espaçonave Voyager 2 chegou ao espaço interestelar

Ilustração mostrando as posições das sondas Voyager 1 e Voyager 2 da Nasa fora da heliosfera, região que circunda nossa estrela, que marca o início do espaço interestelar. Crédito: NASA e JPL-Caltech

Os primeiros resultados sobre a saída da espaçonave do Sistema Solar foram publicados, revelando uma viagem mais tranquila que a de sua antecessora, a Voyager 1

Astrônomos divulgaram os primeiros resultados sobre a passagem da sonda Voyager 2 da Nasa para o espaço interestelar, que ocorreu no final de 2018, revelando algumas diferenças notáveis em relação a primeira passagem realizada em 2012 por sua espaçonave irmã, a Voyager 1. Os dados mostram que, embora a passagem da Voyager 1 tenha sido bastante “bagunçada”, a saída da Voyager 2 foi muito mais limpa, à medida em que deixava a influência de nosso Sol e seguia em sua sua jornada para a galáxia.

Usando dados do Plasma Science Experiment da Voyager 2 — uma ferramenta que não estava presente quando da passagem da Voyager 1 ao espaço int…

Físicos anunciam técnica para detectar um buraco de minhoca

Se há duas estrelas, uma de cada lado do buraco de minhoca, a estrela do nosso lado deve sentir a influência gravitacional da estrela que está do outro lado.
[Imagem: Nicolle R. Fuller/NSF]

Como encontrar um buraco de minhoca

A existência dos buracos de minhoca é prevista pela teoria, mas sua existência real continua em debate. Portanto, uma receita prática para detectar esses caminhos cósmicos parece ser uma ótima notícia.

Os buracos de minhoca podem conectar uma área do nosso Universo a um local diferente - ou a um tempo diferente - em nosso próprio Universo, ou mesmo a um universo completamente diferente, defendem alguns.

O que De-Chang Dai (Universidade de Yangzhou, na China) e Dejan Stojkovic (Universidade de Búfalo, nos EUA) se deram conta é que, se há um caminho aberto, então o entorno da entrada do buraco de minhoca deve ser de algum modo influenciado pelo que está do outro lado - e essas influências podem ser detectadas.

"Se um buraco de minhoca conecta suavemente dois …

Fotos de OVNIs em Ipameri - GO (16)

Programa onde comentamos sobre as três fotografias de OVNIs tiradas durante o dia, na cidade de Ipameri – GO, no Brasil, em 8 de maio de 1966, por um executivo da indústria de aviação chamado R. James Pfeiffer e, outras duas fotografias tiradas em 15 de novembro de 1978, pelo senhor Roberto Edilson Peres. Conheça detalhes destes intrigantes fatos ufológicos que marcaram época no estado de Goiás!



FONTE: Enigmas e Mistérios

Veja também:

No link abaixo (Programa 10) siga os demais vídeos da série "Comentando foto de disco voador":

Foto diurna de OVNI na continuidade da Operação Prato (Manaus - Brasil - 1979) - 10

Comentando foto de disco voador (Nashville - Tennessee - EUA - 1989) - 11

Comentando foto de OVNI (Cocoyoc - México - 1973) - 12

Comentando foto de disco voador (Kapiolari Park - Hawaí - 1974) - 13

Fotos de OVNI foram analisadas no IV COMAR - (14)

Comentando foto de OVNI (Viborg - Dinamarca - 1974) - 15

Cometa recém-descoberto contém água de origem interestelar

Imagem do cometa 2I/Borisov, o segundo objeto interestelar confirmado em nosso Sistema Solar, tirada pelo Telescópio Hubble. Imagem: NASA, ESA and J. DePasquale (STScI)

Detecção de água no 2I/Borisov, que se aproxima do Sol, é a primeira registrada em um astro desse tipo

Uma equipe de astrônomos descobriu sinais de água no cometa 2I/Borisov, que veio do espaço interestelar e que está voando em direção ao Sol. É a primeira vez que os cientistas veem no Sistema Solar água originada de outro lugar.

“Há água — isso é ótimo”, diz Olivier Hainaut, astrônomo do Observatório Europeu do Sul, em Garching, Alemanha. A descoberta não é surpreendente, ele diz, porque a maioria dos cometas contém muita água. Mas encontrá-la em um cometa interestelar é um passo importante para entender como a água pode viajar entre estrelas.

Uma equipe liderada por Adam McKay, astrônomo do Goddard Space Flight Center da Nasa em Greenbelt, Maryland, relatou a descoberta em 28 de outubro no servidor de pré-impressão …

Experimento conecta diretamente cérebros humanos pela primeira vez

Estudo permitiu que três pessoas compartilhassem informação através da atividade elétrica dos neurônios, e abre caminho para especulações sobre uma futura “Internet dos cérebros” - Shutterstock

Nós, humanos, desenvolvemos um rico repertório de comunicação, que vai dos simples gestos aos sofisticados sistemas de linguagem. Todas essas formas de comunicação nos conectam de tal maneira que podemos compartilhar nossas experiências e trabalharmos em conjunto.

Agora, um novo estudo substituiu a linguagem pela tecnologia como meio de comunicação, ligando diretamente a atividade de cérebros humanos. No experimento, a atividade elétrica dos cérebros de dois humanos foi transmitida para o cérebro de um terceiro indivíduo na forma de sinais magnéticos, levando consigo uma instrução para executar uma certa tarefa de maneira específica. Este estudo abre as portas para extraordinários novos meios de colaboração humana e, ao mesmo tempo, obscurece algumas noções fundamentais sobre nossa identidade …

A espetacular imagem da Via Láctea refletida em deserto de sal que ganhou homenagem da NASA

A NASA elegeu como "foto astronômica do dia", em 22 de outubro, esta imagem da Via Láctea capturada por Jheison Huerta no Salar de Uyuni, na Bolívia - © JHEISON HUERTA

Alejandra Martins
BBC News Mundo

"O que o maior espelho do mundo reflete nessa imagem?"

A NASA colocou essa questão em seu site quando selecionou a imagem acima como a "fotografia astronômica do dia", em 22 de outubro.

A imagem da Via Láctea foi registrada pelo fotógrafo peruano Jheison Huerta, na Bolívia, no salar de Uyuni, cuja extensão plana de 130 km pode se tornar um espelho gigantesco durante temporadas úmidas.

"Quando vi a foto, senti uma emoção muito grande", disse o fotógrafo. "A primeira coisa que veio à mente foi a conexão entre o homem e o universo. Somos todos filhos das estrelas."

Huerta deu uma entrevista à BBC News Mundo, o serviço em espanhol da BBC, e falou sobre sua foto, o boom da astrofotografia na América Latina e por que antes de capturar uma imag…

Como a inteligência artificial poderia acabar com a Humanidade - por acidente

Um especialista em inteligência artificial diz que robôs 'bem-intencionados' ainda podem se voltar contra nós - GETTY IMAGES

De Stephen Hawking a Elon Musk, algumas das principais mentes do mundo levantaram preocupações de que a inteligência artificial represente uma ameaça aos seres humanos.

Mas, de acordo com um novo livro sobre o tema, não devemos temer a possibilidade de uma revolta de robôs autoconscientes contra seus "mestres" humanos.

E sim com o fato de as máquinas se tornarem tão boas em alcançar os objetivos que estabelecemos para elas que podemos acabar aniquilados por ordenarmos, sem perceber, as tarefas erradas.

O professor Stuart Russell, da Universidade da Califórnia, é autor de Compatibilidade Humana: Inteligência Artificial e o Problema de Controle (sem versão no Brasil) e especialista nos avanços possibilitados pelo aprendizado das máquinas.

"O mote dos filmes de Hollywood é sempre que a máquina espontaneamente se torna consciente. Depois, dec…