Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 6, 2017

Faça suas próprias músicas espaciais com os sons da TRAPPIST-1

Se você, como eu, não tem nenhuma habilidade musical e sempre sonhou saber algumas coisas sobre música, esta é a sua chance: uma equipe de astrônomos e músicos criaram um programa que permite que você faça músicas com os sons dos planetas orbitando a estrela anã ultra fria TRAPPIST-1. Com ele, você definitivamente terá algo que pode ser chamado de obra de arte.

O player faz parte de um programa maior, chamado System Sounds, e foi criado por um grupo de astrônomos que têm estudado a “cadeia ressonante” dos sete exoplanetas que possuem tamanho similar à Terra e orbitam na TRAPPIST-1 e que foram anunciados ao mundo em fevereiro. Uma cadeia ressonante descreve como as forças gravitacionais dos planetas trabalham juntas para mantê-los todos em órbitas estáveis e circulares um em torno do outro e de sua estrela hospedeira. Como o astrônomo Dan Tamayo explicou ao Gizmodo em maio, TRAPPIST-1 representa a cadeia ressonante “mais longa que já foi descoberta em um sistema planetário”.

De acordo…

O planeta agradecera! Quando é que a humanidade será extinta?

O homo sapiens surgiu há pelo menos cem mil anos, e a civilização, por sua vez, há cerca de alguns milhares de anos. Estes períodos são muito mais longos que a nossa minúscula vida útil, e em uma galáxia de 13 bilhões de anos, eles são menores que até um pulsar cósmico. E diferente de galáxias que precisam de um grande baque para se desfazer, humanos são frágeis criaturas suscetíveis a doenças, fome, guerra, meteoros… é, somos bem patéticos mesmo.

O apocalipse parece cada vez mais inevitável. Já reportamos que nossos queridos lideres cutucam uns aos outros para ver quem dará início a uma guerra nuclear, superbactérias impossíveis de erradicar com antibióticos, e governos se preparando para o asteroide que fará de nós fósseis assim como os dinossauros. Para aliviar esse estresse, perguntamos a futuristas, antropólogos, autores de ficção científica e outros: quando é que a humanidade vai finalmente morrer?

Anders Sandberg

Pesquisador Senior no Instituto do Futuro da Humanidade na Univers…

Vida útil do dínamo lunar estendida por pelo menos mil milhões de anos

Novas medições de rochas lunares demonstraram que a Lua primitiva gerou um campo magnético no seu núcleo metálico líquido (concha avermelhada mais interna). Os resultados levantam a possibilidade de dois mecanismos diferentes - um que poderá ter conduzido um dínamo muito mais forte e mais antigo, e um segundo que manteve o núcleo lunar em "baixa fervura" mais para o fim da sua vida.
Crédito: Hernán Cañellas (fornecido por Benjamin Weiss)

Novas evidências de antigas rochas lunares sugerem que um dínamo ativo já esteve presente no núcleo metálico fundido da Lua, gerando um campo magnético que durou pelo menos mais 1 bilhão de anos do que se pensava anteriormente. Os dínamos são geradores naturais de campos magnéticos em torno de corpos terrestres e são alimentados pela agitação de fluídos condutores dentro de muitas estrelas e planetas.

Num artigo publicado na revista Science Advances, investigadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) e da Universidade Rutgers rela…

Estrela análoga solar mais próxima tem quatro planetas potencialmente rochosos, diz estudo

POR SALVADOR NOGUEIRA

A estrela análoga solar mais próxima também tem um quarteto de planetas potencialmente rochosos, segundo um grupo internacional de astrônomos.

Estamos falando de Tau Ceti, uma anã amarela localizada a 11,9 anos-luz da Terra, na constelação da Baleia. Solitária como o Sol (ou seja, sem estrelas companheiras no sistema), ela é um pouco mais velha que o Sol (5,8 bilhões de anos, contra os 4,6 bilhões de nosso astro-rei) e também um pouco menor (80% do diâmetro solar).

Os quatro planetas são todos superterras, ou seja, um pouco maiores que o nosso mundo, mas provavelmente rochosos. E estão distribuídos de forma similar a Mercúrio, Vênus, Terra e Marte no Sistema Solar, completando uma volta em torno da estrela aproximadamente a cada 20, 49, 163 e 636 dias. Os dois últimos planetas estariam nas bordas interna e externa da zona habitável, quando adota-se uma definição mais otimista dela. Mas, a rigor, nenhum deles recebe nível de radiação similar ao da Terra.

A novida…

Os últimos passeios da Cassini nos levarão para lugares nos quais nenhuma sonda já foi

A sonda espacial Cassini, da NASA, está fazendo seus passeios a milhões de quilômetros de distância, totalmente alheia ao caos da Terra. Depois de 20 anos se aproximando e explorando o sistema de Saturno, no dia 15 de setembro, a Cassini irá mergulhar na atmosfera do planeta, transmitindo toda a cena como se estivéssemos assistindo uma belíssima e emocionante sequência de O Gigante de Ferro.

A sonda irá começar suas cinco voltas finais ao redor de Saturno no dia 14 de agosto, tornando o início do sem fim algo muito mais real. Ainda assim, haverá muito o que se ver durante esses últimos passeios entre o planeta e seus anéis – de acordo com a NASA, a Cassini vai pegar ventos da atmosfera de Saturno, ficando entre 1.630 and 1.710 quilômetros acima do topo das nuvens do planeta. Nessas altitudes, a atmosfera tende a ficar tão densa que a sonda terá que utilizar o seus propulsores para manter a estabilidade. Dependendo de quanto ar de Saturno a Cassini encontrar, a NASA pode decidir empur…

Microssatélites ganham propulsão a água

Cada tanque de combustível do microssatélite acomoda cerca de uma colher de sopa de água.[Imagem: Katherine Fowee et al. (2017)]

Propulsão para microssatélites

Os microssatélites e nanossatélites - ou cubesats -, muito menores do que os veículos espaciais convencionais, estão-se tornando cada vez mais prevalentes graças à sua capacidade de fazer ciência a um custo muito baixo.

Milhares desses satélites em miniatura estão sendo projetados para realizar uma variedade de tarefas, desde imagens de alta resolução e serviços de internet, até a resposta a desastres, monitoramento ambiental e vigilância.

Mas ainda falta um detalhe para que esses microssatélites atinjam todo o seu potencial: um sistema de micropropulsão que consiga fornecer "bits de impulso" precisos e com uma quantidade mínima de combustível, fazendo com que os nanossatélites consigam se posicionar para observar alvos definidos e programados.

Um sistema de propulsão próprio também permitirá que os cubesats deixem d…

Ancestrais mamíferos começaram a voar antes do que imaginávamos

A origem do voo ainda é um conturbado tópico na comunidade científica, como é o caso de qualquer história de origem. O voo provavelmente ocorreu diversas vezes em diferentes grupos. Os insetos possivelmente começaram a voar há 300 milhões de anos, e os pterossauros, os grandes répteis voadores, evoluíram há 230 milhões de anos. Adicione a essa mistura o voo planado e a complexa origem dos mamíferos e essa história passa a ficar ainda mais confusa.

Agora, cientistas anunciam um novo par de animais voadores ancestrais — e eles não são insetos, pássaros ou lagartos. São parentes dos mamíferos, e, com seus 160 milhões de anos, podem ter conquistados os céus dezenas de milhares de anos antes do mais velho mamífero voador. Eles estão a frente dos morcegos em pelo menos 100 milhões de anos.

As duas novas espécies “são os mais primitivos planadores da evolução mamífera, evoluindo cerca de 100 milhões de anos antes dos conhecidos planadores da subclasse de mamíferos theria”, o grupo inclui ma…

Recém nomeado Titanossauro foi o maior animal terrestre que o nosso planeta já viu

Quatro anos depois de seis espécimes serem descobertas na Argentina, cientistas finalmente deram um nome para o que agora é considerado o maior animal que já passou pela Terra. Diga olá para Patagotitan Mayorum – um dinossauro da era cretácea que pesava quase 70 toneladas.

Antes de entrar nos detalhes do novo estudo, publicado esta semana na Royal Society B, vamos rapidamente examinar o quão impossivelmente grande esse titanossauro realmente era.

O peso médio desses gigantes era 76 toneladas, quase o peso de um ônibus espacial ou 10 elefantes africanos. Um típico Patagotitan Mayorum media cerca de 37 metros. O topo de seu ombro atingia 6 metros.

Os pesquisadores apresentaram esses números depois de analisar seis espécimes e mais de 160 fósseis individuais, todos encontrados na mesma pedreira. O dinossauro recentemente descrito foi batizado por causa da região da Patagônia em que os ossos foram descobertos, a palavra grega titã (não precisa de tradução) e Mayo, que é o nome da família…

As Origens da Cosmologia Moderna -- José Ademir Sales de Lima

TÍTULO:
As Origens da Cosmologia Moderna

RESUMO:
A cosmologia moderna está completando 100 anos (1917-2017). Atualmente estamos vivenciando um período de extrema efervescência intelectual na área. Um volume enorme de dados observacionais em quantidade e qualidade sem precedência e um arcabouço teórico mais consistente, impeliram a cosmologia para uma era da precisão, transformando a disciplina em área de ponta da ciência contemporânea. Quais foram as raízes desse impressionante desenvolvimento? Nesta conferência discutiremos o início da cosmologia moderna. Vamos rever como Einstein construiu o primeiro modelo cosmológico, quais os pressupostos newtonianos implícitos e também as hipóteses básicas adotadas para se construir os novos sistemas do mundo. Discutiremos também a evolução histórica da cosmologia teórica e observacional no período decorrente entre o modelo de Einstein (1917) e a descoberta da Expansão Universal por Hubble (1929).



FONTE: Astronomia ao Meio-dia

Eclipse solar que cobrirá os EUA deve ser visto também no Brasil

Eclipse solar deve cobrir a totalidade do território dos EUA no dia 21 de agosto. Foto: Nasa/Reprodução

Fenômeno será visível em alguns Estados do Norte e do Nordeste; para cientista, espetáculo ajuda a popularizar a astronomia

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

O eclipse solar que cobrirá a totalidade do território dos Estados Unidos em 21 de agosto está movimentando também os amantes de astronomia no Brasil. Ele poderá ser visto parcialmente por quem mora nos Estados do Norte e do Nordeste do País. O fenômeno deve ocorrer entre 16h30 e 17 horas, no horário de Brasília.

Pesquisador do departamento de Astronomia da Universidade de São Paulo (USP), Roberto Costa disse que as melhores regiões para visualizar o fenômeno no Brasil estão no extremo norte, mas a observação depende das condições climáticas.

“Amapá, Roraima e as partes do norte do Amazonas, Pará, Maranhão, Ceará, Piauí e o litoral do Rio Grande do Norte terão a melhor visualização”, afirmou. Nessas regiões, o fenômeno pode …

Cientistas acabaram de descobrir o último ancestral comum de todos os macacos?

Os fósseis de macacos antigos são ainda mais raros do que de seres humanos antigos, muito pouco se sabe sobre esses importantes elos perdidos evolutivos. A descoberta inesperada de um crânio infantil de macaco de 13 milhões de anos no Quênia está oferecendo um vislumbre tentador de uma nova espécie que viveu bem antes de humanos e macacos embarcarem em seus caminhos evolutivos diferentes.

Dizer que os cientistas sabem muito pouco sobre macacos antigos seria pouco. Existe uma escandalosa falta de evidência paleontológica para o período Mioceno, uma era importante que decorreu de 23 a 5 milhões de anos atrás. Foi durante este momento crítico que os macacos primitivos começaram a se diversificar, adaptando-se a novos ambientes e se espalhando da África para a Eurásia.

Os paleontólogos encontraram pedaços de dentes e maxilares de macacos que viveram durante o Mioceno, mas os vestígios de seus crânios e membros são excepcionalmente raros. Três espécimes importantes incluem um queixo de 25…

E se fosse descoberto um asteroide em rota de colisão com a Terra? Astrônomo conta o que rola

POR SALVADOR NOGUEIRA

O que aconteceria se um asteroide fosse descoberto em rota de colisão com a Terra? Cristóvão Jacques, astrônomo que lidera o Observatório SONEAR, em Oliveira (MG), maior centro descobridor de asteroides perigosos no hemisfério Sul, já esteve nessa situação duas vezes e pode contar como a coisa se desenrola — e como é difícil prosperar uma conspiração para esconder um eventual impacto da população.

O trabalho de descobrir asteroides consiste basicamente em tirar várias imagens sequenciais da mesma região do céu, em busca de objetos que estejam se movendo de uma foto para outra. Objetos que se movimentem nesse curto espaço de tempo “entregam” que estão em órbita ao redor do Sol, e o passo seguinte é reobservá-los, em cooperação com cientistas do mundo todo, para refinar a órbita e determinar os riscos que ele oferece.

“O processo é o seguinte: a gente descobre o asteroide, verifica se ele já não é conhecido, e, caso não exista na base de dados, a gente envia para …

China lança primeira rede de comunicações quântica

A agência espacial canadense também está testando um satélite de comunicações quânticas.[Imagem: Thomas Jennewein et al./SPIE]

Tecnologia quântica

A China está prestes a colocar em produção seu Projeto Jinan, a primeira rede informática à prova de ataques de hackers e bisbilhoteiros oficiais e um marco importante no desenvolvimento da tecnologia quântica.

Batizada em homenagem à cidade do leste da China onde a tecnologia foi desenvolvida, a rede deverá estar totalmente operacional até o final de agosto de 2017. Jinan será o centro da rede quântica Beijing-Shanghai devido à sua localização estratégica entre as duas principais metrópoles chinesas.

"Nós planejamos usar a rede para defesa nacional, finanças e outros campos, e esperamos disseminá-la como um piloto que, se for bem-sucedido, poderá ser usado em toda a China e em todo o mundo," comentou o professor Zhou Fei, do Instituto Jinan de Tecnologia Quântica em entrevista ao jornal britânico Financial Times.

Ao lançar a red…

Cerâmica de alta temperatura para aviões hipersônicos

A nova cerâmica é 12 vezes melhor do que a melhor existente atualmente para a mesma aplicação. [Imagem: Yi Zeng et al. - 10.1038/ncomms15836]

Voo hipersônico

Um novo tipo de revestimento cerâmico promete resolver os problemas com que estão se deparando os projetistas e engenheiros que tentam tornar realidade as viagens hipersônicas.

Viagem hipersônica significa mover-se a Mach 5 ou mais - pelo menos cinco vezes mais rápido do que a velocidade do som, ou 6.125 km/h.

Quando um avião se move a uma velocidade tão alta, o calor gerado pelo atrito com o ar atmosférico é extremamente elevado, com um impacto sério na integridade estrutural da aeronave. Isso porque as temperaturas que atingem a frente e os bordos de ataque do veículo podem atingir entre 2.000 e 3.000 °C.

Esses problemas estruturais são causados principalmente pelos processos de oxidação e ablação, com o ar e o gás extremamente quentes removendo as camadas superficiais dos materiais externos da aeronave.

Para combater o proble…

A surpreendente capacidade das abelhas de compreender o conceito do zero

Um estudo anterior já havia demonstrado que as abelhas podem contar até quatro (GETTY IMAGES)

São produtoras de mel, cumprem um serviço ecológico essencial polinizando a maioria das plantas que nos servem de alimento e, como se não fosse o bastante, são capazes de entender o conceito do zero.

A capacidade das abelhas para entender a falta absoluta de quantidade foi descoberta por pesquisadores da Universidade RMIT de Melbourne, na Austrália, que apresentaram recentemente o resultado dos seus estudos em uma conferência em Portugal.

A ideia do algarismo zero é difícil de entender até para os humanos: os pequenos parecem ter dificuldade para isso e só o aprendem depois de outros números.

No reino animal, a compreensão desse conceito também não é comum. Mas, enquanto os macacos e os chipanzés, por exemplo, podem chegar a aprendê-lo, o surpreendente é que as abelhas, que têm um cérebro tão pequeno, também o consigam.

Aliás, elas são os primeiros invertebrados que demonstraram ter essa cur…

Série Relatos Extraterrestres: o “Caso Duas Pontes”

Em agosto de 1962, ocorreu aquele que é considerado um dos casos mais intrigantes de contato com objetos não identificados no Brasil. Conhecido como “Caso Duas Pontes”, a ocorrência supostamente envolveu contato e abdução de um garimpeiro no distrito de Duas Pontes, município de Diamantina, Minas Gerais. Nos dias 19 e 20, pai e filho avistaram dois objetos no interior e nas imediações de sua residência. Após o contato com os objetos, o pai desapareceu, o que gerou grande alvoroço na localidade e exigiu a atuação da polícia local. O caso atraiu também a atenção do Centro de Investigação Civil dos Objetos Aéreos não Identificados – CICOANI, que enviou investigadores para averiguar a ocorrência. O menino relatou o ocorrido para policiais, médicos, juízes e jornalistas. Segundo a avaliação dos investigadores do CICOANI, o relato do menino não poderia ser fruto de invenção, “delírio” ou “alucinação”, pois era “sofisticado e discrepante do contexto sócio-cultural”. Na imagem, resumo do dep…

Céu da Semana - 07/08 a 13/08/2017

As constelações criadas pelo astrônomo francês Nicolas de La Caille no século 18 retratam objetos característicos do Iluminismo, período marcado por avanços científicos e manifestações artísticas. Descubra as características da Constelação do Escultor, do Cinzel e do Pintor, que homenageiam os artistas e juntas, formam uma espécie de ateliê.



FONTE: UNIVESP TV

Quatro incríveis histórias de eclipses jamais esquecidas

Por: Rae Paoletta

No dia 21 de agosto, pessoas em todo o EUA poderão ver um eclipse solar total – o primeiro a ser visível de costa a costa em quase um século. Todo o negócio durará cerca de dois minutos e 40 segundos no máximo, o que é legal, mas meio frustrante no grande esquema dos eclipses solares ao longo da história. Em 2009, por exemplo, um eclipse solar visível no Sudeste Asiático estabeleceu o recorde de mais longo do século até agora, com duração de seis minutos e 40 segundos.

Como a maioria dos acontecimentos celestiais ao longo da história, os eclipses foram muitas vezes interpretados como sinais do apocalipse. Felizmente, esses prognósticos pessimistas nunca foram confirmados. Em vez disso, as pessoas construíram instrumentos para melhor ajudar a entender os eclipses e perceberam que eles eram meio que bons.

Em homenagem ao Grande Eclipse Solar Americano, aqui estão alguns dos maiores dos últimos séculos.

magem Cortesia de Jay Pasachoff, via The Huntington Library Catalog…