Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 13, 2015

Como saberemos se há vida alienígena nos exoplanetas?

Astrofísica Sara Seager

Ao olharmos para as estrelas que piscam no céu noturno é fácil esquecer que aquelas luzes distantes e ofuscadas são sóis. E, bem como o globo de chamas no centro do nosso sistema solar, esses sóis podem ter planetas em suas órbitas.

Não é como se pudéssemos ampliar nossa visão para enxergarmos as superfícies de um planeta alienígena.

“Pensamos que há centenas de bilhões de planetas, só em nossa galáxia”, diz a astrofísica Sara Seager. Ela uma exploradora nata, a qual dedica a sua vida à caça de exoplanetas longínquos, com condições similares às da Terra, que possam abrigar a vida.

Mas como iremos saber quais planetas fora do sistema solar podem abrigar a vida? Não podemos olhar em suas superfícies – a distância é simplesmente muito grande – e se uma espécie alienígena não for inteligente, ela também não estaria transmitindo.

Porém, Seager acredita ter uma forma de visualizar assinaturas biológicas em exoplanetas – e isto envolve uma sonda no formato de uma …

Será que o Grande Colisor de Hádrons encontrou um novo tipo de partícula?

Esta semana, físicos do Grande Colisor de Hádrons revelaram a descoberta de vestígios que podem indicar uma nova partícula fundamental. Ela pode ser um primo mais pesado do bóson de Higgs, ou até mesmo o gráviton – um elemento quântico que contém a força da gravidade.

A evidência vem de dois experimentos separados, porém complementares, conhecidos como CMS (Solenoide de Múon Compacto) e ATLAS (Dispositivo Instrumental Toroidal para o LHC).

Nenhuma dessas constatações é sólida o bastante para reivindicar uma descoberta, mas é promissor o fato de que ambos os experimentos viram pistas de uma partícula exatamente no mesmo local.

Sigma
Valores sigma são uma medida para representar a possível presença de uma partícula. Para um resultado ser considerado uma “descoberta”, é preciso ter um sigma 5: isso equivale a uma probabilidade de 1 em 3,5 milhões de o resultado ser um acaso. O sigma 3 é considerado um resultado “interessante”, com uma chance maior de ser coincidência.

A equipe do CMS en…

Uma estrela em erupção prova que nossa galáxia é mágica mesmo sem a Força

Eis a imagem completa, conforme vista pelo Hubble em infravermelho.

Você não precisa de uma força mágica para testemunhar as maravilhas cósmicas – só de um bom telescópio. Felizmente, os cidadãos da Terra têm o Hubble, que vem capturando o universo há 25 anos. E, na semana de lançamento do novo Star Wars, você pode apreciar o mais recente retrato astronômico do Hubble, que também lembra bastante um sabre de luz duplo.

É a imagem perfeita para deixar você pensando em O Despertar da Força durante o dia inteiro, enquanto você conta as horas para sair do trabalho e ir ao cinema. Mas tem muito mais coisa acontecendo nesse espaço turbulento do espaço do que a comparação com o sabre usado por Darth Maul. Você está olhando para jatos gêmeos de plasma sendo disparados de uma estrela adolescente a velocidades supersônicas, queimando e cauterizando a nebulosa ao redor deles. A estrela em si queima brilhantemente em direção ao centro da imagem, situada em uma nuvem espessa de poeira interestelar…

A destruição dos oceanos esta por vir: Tesouros submarinos de minérios e metais ainda desconhecidos

Pesquisadores vão investigar depósitos de metais na Elevação do Rio Grande e em planícies abissais ao largo da Ilha da Madeira, no Atlântico Norte.[Imagem: Elevação do Rio Grande/CPRM]

Profundezas do mar grande

A formação rochosa submarina conhecida como Elevação do Rio Grande, uma cordilheira de 3 mil km2 no fundo do oceano Atlântico, a 1,5 mil quilômetros de distância da costa brasileira, guarda um verdadeiro tesouro em minerais e elementos químicos cada vez mais escassos na superfície terrestre.

Para desbravar essa fronteira ainda desconhecida, pesquisadores brasileiros e britânicos reuniram-se no projeto Marine E-tech, um esforço multidisciplinar para estudo a formação dos depósitos de metais em águas profundas.

Além da Elevação do Rio Grande, na qual os pesquisadores brasileiros se concentrarão, a iniciativa contará com pesquisas em planícies abissais ao largo da Ilha da Madeira, no Atlântico Norte.

Metais biogênicos

"O Brasil possui 8.500 km de costa com uma série de recur…

Alemanha liga reator de fusão nuclear bizarro

Em vez de um torus circular, o anel do Wendelstein 7-X é totalmente retorcido. [Imagem: IPP]

Reator estelarator

Depois de quase 10 anos de construção, engenheiros alemães ligaram pela primeira vez o estranho reator de fusão Wendelstein 7-X.

Na primeira operação experimental, a equipe conseguiu gerar o primeiro plasma de hélio no interior do reator, que tem uma arquitetura torcida e um sistema de operação bem diferente dos tokamaks, como o que equipa o projeto internacional ITER, por exemplo.

O Wendelstein 7-X é o maior reator de fusão do tipo estelarator do mundo e pretende demonstrar que essa arquitetura é adequada à produção de energia.

Ao contrário de um tokamak, que é alimentado por uma corrente de plasma, que precisa ser isolada magneticamente das paredes do reator, um reator do tipo estelarator não tem corrente, eliminando de pronto o problema das instabilidades do plasma.

Além disso, um estelarator pode funcionar continuamente, e não em pulsos, como os tokamaks.


Vista geral da…

Avistados dois grandes objetos na borda do Sistema Solar

Este objeto foi localizado perto de Alfa Centauro. [Imagem: R. Liseau et al.]

Planeta X?

Astrônomos podem ter encontrado os primeiros indícios de um hipotético e lendário Planeta X, que se acredita existir nos confins do Sistema Solar.

A NASA vem tentando encontrar o Planeta X há algum tempo, mas o ânimo entre os astrônomos aumentou depois que a possibilidade da existência de mais dois planetas gigantes bem para lá de Plutão foi demonstrada em meados do ano passado.

Agora, duas equipes, trabalhando independentemente, anunciaram observações que podem indicar a existência de dois grandes corpos celestes ainda desconhecidos.

Os dados ainda precisarão ser confirmados, mas o anúncio já fez toda a comunidade astronômica dirigir seus telescópios para as regiões indicadas.

Estrela

René Liseau e seus colegas das universidades Chalmers (Suécia) e do Instituto Nacional de Astrofísica (México), usaram dados do telescópio ALMA, no Chile, para encontrar um objeto perto da estrela Alfa Centauro.

&q…

Ufologia no programa "Roberto Justus +" - 07/12/2015

FONTE: BURN - Brazilian UFO Research Network

Mistério da água em falta resolvido em estudo compreensivo de exoplanetas

Esta ilustração de dez Jupiteres quentes estudados pelo astrônomo David Sing e colegas com os telescópios Hubble e Spitzer. A partir do topo, à esquerda, os planetas são WASP-12b, WASP-6b, WASP-31b, WASP-39b, HD 189733b, HAT-P-12b, WASP-17b, WASP-19b, HAT-P-1b e HD 209458b.
Crédito: NASA, ESA e D. Sing (Universidade de Exeter)

Um estudo de 10 "Júpiteres quentes", feito com o Hubble e o Spitzer, levou a que uma equipe científica resolvesse um mistério de longa data - a razão porque alguns destes mundos parecem ter menos água do que o esperado. Os resultados fornecem novos dados sobre a ampla gama de atmosferas planetárias na nossa Galáxia e sobre a formação de planetas.

Dos quase 2000 planetas confirmados em órbita de outras estrelas, um subconjunto são planetas gasosos com características semelhantes às de Júpiter, mas que orbitam muito perto das suas estrelas, tornando-os muito quentes.

A sua proximidade à estrela torna difícil a observação devido ao brilho estelar. Por ca…

Galileu, Quixote e Poltergeist? Confira os novos nomes oficiais dos exoplanetas!

Concepção artística do planeta Poltergeist, ao redor do pulsar Lich (antigo PSR-1257+12). (Crédito: Nasa/Caltech)

POR SALVADOR NOGUEIRA

Saem nomes insossos como PSR 1257+12 c, 55 Cancri b e Mu Arae b. No lugar deles, entram referências inspiradas, como Poltergeist, Galileu e Quixote. Esses são apenas alguns dos 31 planetas que foram oficialmente renomeados pela União Astronômica Internacional, numa iniciativa para dar designações mais palatáveis aos mundos descobertos fora do Sistema Solar.

Os novos nomes foram escolhidos democraticamente por meio de votação da internet, a partir de sugestões dadas por grupos amadores e profissionais de astronomia espalhados pelo mundo.

Embora houvesse algumas sugestões brasileiras, nenhuma delas foi eleita. Ainda assim, o Brasil foi o oitavo país com o maior número de votantes, com cerca de 10 mil participações (1,76% do total). No total, foram aproximadamente 573 mil votos válidos contabilizados pela IAU, vindos de 182 países e territórios.

O país …

Arquivo da CIA com importante avistamento de UFO é encontrado

Documento encontrado comprova a existência de muitos arquivos da CIA ainda desconhecidos pelos ufólogos

Pesquisador Paul Dean fez o achado e o analisou, demonstrando ser este prova de que a Agência Central de Inteligência ainda possui muito material ufológico não divulgado

Já nos anos 70 estava claro para muitos pesquisadores que a Agência Central de Inteligência (CIA) possuía um longo envolvimento com a questão dos UFOs. Em 1978 o grupo Guarda Terrestre de Discos (GSW), após um longo processo baseado na Lei de Liberdade de Informações, conseguiu que a agência liberasse cerca de 900 páginas de arquivos ufológicos antes classificados. O pesquisador Brad Sparks apontou na época que outros 200 documentos eram mencionados nesses arquivos, porém de maneira suspeita não foram acrescentados à liberação.

A CIA tem liberado regularmente documentos sobre UFos, de maior ou menor relevância, e vários ufólogos têm encontrado arquivos não divulgados no sitema de buscas do site da agência. Essa fer…

A História da Matemática

A História da Matemática 1 - A Linguagem do Universo



A História da Matemática 2 - O Gênio do Oriente



A História da Matemática 3 - As Fronteiras do Espaço



A História da Matemática 4 - Além do Infinito


FONTE: UNIVESP TV

Céu da Semana - De 14 a 20 de Dezembro de 2015 - Trumpler e a Poeira Interestelar

FONTE: UNIVESP TV

Força Aérea Argentina torna público casos de avistamentos de OVNIs

A CEFA (Comissão para o Estudo de Fenômenos Aeroespaciais). ligada à Força Aérea Argentina (FAA), a qual examina casos possíveis de objetos voadores não identificados (OVNIs) dentro do espaço aéreo argentino, publicou os resultados de casos reportados de novembro de 2014 a novembro de 2015. Andrea Perez Simondini, Diretora da CEFORA (Comitê para Estudos do Fenômeno OVNI na República Argentina), informou que a organização sob seus cuidados “aspira pela liberação” e “olha favoravelmente à resposta da FAA às demandas populares a respeito de relatos que chegam até seus escritórios“.

Uma revisão do site da FAA mostrou algo novo desta vez. No site http://www.faa.mil.ar/mision/cefae.html, normalmente consultado pela AIM, e sob o seção da Comissão para o Estudo de Fenômenos Aeroespaciais, Resolução de Casos de 2015 (http://www.faa.mil.ar/mision/informe_cefae_2015.pdf ), a agência notou que “os avistamentos apresentados cobrem a totalidade dos relatos submetidos à CEFA através de sua página…

A “vida” de um elétron é ao menos 5 quintilhões de vezes maior do que a idade do universo

A física básica sugere que elétrons são essencialmente imortais. Uma experiência fascinante recentemente falhou em derrubar essa suposição fundamental. Mas os esforços dela produziram um tempo de vida mínimo revisado para elétrons: 60.000 yotta-anos, o que é – preste atenção – cerca de cinco quintilhões de vezes a atual idade do universo.

Os yotta anos
Um elétron é a partícula subatômica mais leve que transporta uma carga elétrica negativa. Não há componentes conhecidos nele, e é por isso que os elétrons são considerados os blocos básicos do universo, ou uma partícula elementar.


A instalação Borexino (Crédito: INFN/Gran Sasso)

Uma equipe de pesquisadores de diversas nacionalidades que trabalham no experimento Borexino, na Itália, buscava sinais de elétrons decaindo em partículas mais leves, mas, como esperado, não deu muito certo. Isso é bom, porque confirma o que físicos vem suspeitando há muito tempo. Se eles encontrassem evidências de que elétrons decaem em fótons e neutrinos – pa…

Inteligência artificial aprende a escrever feito gente e engana humanos

Em geral, uma inteligência artificial precisa analisar milhares de exemplos para aprender algo novo, como reconhecer padrões. Mas uma equipe de pesquisadores desenvolveu um algoritmo que pode ensinar novos conceitos ao computador usando apenas um exemplo.

Normalmente, sistemas de inteligência artificial têm que ser treinados com grandes conjuntos de dados antes que possam executar uma tarefa. Ao contrário dos computadores, os seres humanos podem realizar o que os pesquisadores chamam de “aprendizagem de primeira” com relativa facilidade.

Pesquisadores criaram uma AI que pode fazer o mesmo, usando uma técnica chamada Aprendizagem Bayesiana de Programa. Ela usa probabilidades para deduzir as regras básicas por trás da formação de letras no alfabeto – é semelhante à forma como os seres humanos aprendem conceitos.

A equipe explica como o software funciona:

Enquanto um programa de computador convencional decompõe sistematicamente uma tarefa de alto nível em seus cálculos mais básicos, um …

Elon Musk quer nos proteger de robôs assassinos com inteligência artificial do bem

Elon Musk, o cara que tem medo de robôs assassinos, tem um plano para salvar a humanidade de um apocalipse robótico: desenvolver sistemas avançados de inteligência artificial. Isso mesmo, a mesma tecnologia que poderia nos levar ao apocalipse robótico.

Vamos explicar um pouco mais a história.

Na sexta-feira (11), o chefe da Tesla e vários executivos de tecnologia – incluindo Reid Hoffman (cofundador do LinkedIn) e Peter Thiel (cofundador do PayPal) – anunciaram a criação do OpenAI, uma instituição sem fins lucrativos voltada para “avançar a inteligência digital para o benefício da humanidade como um todo, sem a obrigação de gerar um retorno financeiro”.

Os fundadores da companhia já anunciaram um investimento de US$ 1 bilhão em pesquisa nos próximos anos. Musk dividirá a presidência da OpenAI com o investidor Sam Altman.

Como Altman explicou em uma entrevista, a premissa do OpenAI é incentivar o estudo de sistemas de inteligência artificial. Eles também planejam compartilhar o desenv…

Minissérie sobre contato final com alienígenas estreia no SyFy

Ricky Stormgreen é escolhido como o representante dos alienígenas, cuja aparência será um choque para muitos

Canal irá exibir nos Estados Unidos adaptação de livro de Arthur C. Clarke sobre a chegada dos alienígenas entre esta segunda-feira e a próxima quarta

O Fim da Infância (Childhood´s End) foi pela primeira vez publicado em 1953, e é um dos mais conhecidos livros de Arthur C. Clarke, o mestre da ficção científica responsável por 2001: Uma Odisseia no Espaço e suas sequências. Atualmente publicado no Brasil pela Editora Alpeh, a obra narra a chegada à Terra de uma avançada civilização alienígena no início da Era Espacial. Os visitantes, logo chamados de Senhores Supremos, em pouco tempo eliminam a guerra, as doenças e a maior parte dos problemas humanos, apesar da desconfiança de muitos em razão do fato de os alienígenas nunca se mostrarem.

O líder dos extraterrestres é Karellen, que usa o título Supervisor e escolhe como representante entre os humanos o secretário-geral da ONU R…

A estranha razão que fará a rotação da Terra ser mais lenta neste século

Se você quer completar suas depressivas previsões para o futuro, aqui vai uma que é fascinante e inócua ao mesmo tempo: com o derretimento de camadas de gelo, a rotação da Terra está ficando mais lenta, e isso fará com que nossos dias fiquem um pouco mais longos.

Esta é a conclusão de um estudo feito por Harvard e publicado na Science Advances. Segundo os autores, a redução das geleiras está afetando a taxa de rotação e inclinação axial da Terra, ao redistribuir a água resultante do degelo glacial e espalhando-a pelo mundo. Como a água muda dos pólos em direção ao Equador, o centro do nosso planeta está ficando um pouco mais amplo. E este “cinturão” maior está fazendo com que a Terra seja “freada” — da mesma forma que uma patinadora abre os braços para diminuir sua velocidade durante um giro.

Os pesquisadores calculam que um dia na Terra já ficou um milissegundo mais longo no último século — e que nós teremos 5 milissegundos a mais no dia em 2100. Como este acréscimo de milissegundos…