Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 8, 2015

Arquivo Ovni: O caso Aguascalientes, México

Com o advento da tecnologia a ufologia tem entrado em caminhos perigosos, são raros os vídeos verdadeiros, que não são frutos de montagens, algumas delas grotescas. No ano de 2008 a localidade mexicana de Aguascalientes foi palco de avistamentos diurnos, avistamentos que não deixam dúvidas de se tratar de algo alheio aos nossos conhecimentos, podemos salientar que na época em questão, não havia a febre de drones como vemos na atualidade, outro ponto são as testemunhas, pessoas sérias e idôneas, é isso que veremos a seguir em dois vídeos gravados por estas pessoas e um terceiro sendo uma reportagem sobre o caso, onde se apresenta todo decorrer destes avistamentos.





FONTE: TERCEIRO MILENIO

Chegou a era dos transumanos

Inseminação artificial: embrião com 'três pais', aprovada na Grã-Bretanha, pode ser um passo rumo a mudanças mais radicais na genética(iStockphoto/Getty Images)

Decisão da Grã-Bretanha de permitir a geração de embriões com DNAs de três pessoas é saudada pelos defensores do transumanismo, que propõem romper os limites impostos ao homem por sua biologia

No dia 24 de fevereiro, o legislativo britânico aprovou uma lei permitindo a geração de embriões com DNAs de três pessoas diferentes. O objetivo é deixar que mães com mutações maléficas em seu DNA mitocondrial não as transmitam para o filho. Segundo a lei, durante a reprodução assistida, essa parte de seu genoma poderá ser substituída pelo de uma doadora, gerando uma criança saudável. Assim, a Grã-Bretanha se tornou o primeiro país a permitir a manipulação genética em células germinais humanas.
Apesar do objetivo puramente médico, a decisão está sendo saudada por alguns pesquisadores como um estágio importante de um longo percur…

Cientistas querem recriar o Big Bang

A busca pelos segredos do universo ganhará o que muitos acreditam que seja seu maior capítulo a partir das próximas semanas.

Em Genebra, o Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern) religará o maior acelerador de partículas do mundo e, desta vez, com uma potência duas vezes superior àquela que foi utilizada para descobrir o Bóson de Higgs – a partícula elementar que dá massa a todas as outras –, um dos maiores feitos da história da física.
Para os especialistas, ao apertar o botão para voltar a dar energia ao acelerador, o que estará sendo feito é abrir uma nova fronteira para a ciência. O acelerador, conhecido como LHC, custou US$ 8 bilhões e levou mais de 20 anos para ser projetado e construído. Hoje, o túnel de 27 km que fica situado cerca de 30 andares por baixo da cidade de Genebra e parte do território da França é considerado como um dos exemplos da cooperação internacional.
Ao fazer prótons circular pelo túnel a uma velocidade recorde, os cientistas promoveram choques para …

Maior lua de Júpiter pode ter oceano subterrâneo

Um oceano salgado subterrâneo poderia explicar as pequenas variações nas auroras de Ganimedes, que deveriam ser maiores devido à interação dos campos magnéticos da lua com seu planeta, Júpiter.[Imagem: NASA/ESA]

Oceano de Ganimedes

Usando o telescópio espacial Hubble, cientistas ligados à NASA afirmam ter encontrado os mais fortes indícios já registrados de que um oceano subterrâneo de água salgada está presente em Ganimedes, a maior lua de Júpiter.

Se os dados estiverem corretos, o oceano subterrâneo de Ganimedes teria mais água do que toda a água na superfície da Terra.

Ganimedes é a maior lua e o único satélite do nosso Sistema Solar com seu próprio campo magnético. O campo magnético da lua produz auroras, faixas brilhantes de gás ionizado, circulando nas regiões dos seus pólos norte e sul. Como Ganimedes está muito próxima de Júpiter, a lua também está embutida no campo magnético do planeta. Quando o campo magnético de Júpiter se altera, as auroras de Ganimedes também se alteram,…

Vida como não conhecemos pode existir em lua de Saturno

Representação de um azotossoma, com 9 nanômetros - aproximadamente do tamanho de um vírus - com um pedaço de membrana cortada para mostrar o interior oco. [Imagem: James Stevenson]

Vidas desconhecidas

"A vida como nós a conhecemos" é o jargão mais utilizado quando se trata de procurar sinais de vida em exoplanetas e exoluas - afinal, será mais fácil detectar algo similar ao que já conhecemos, ainda que não conheçamos todas as formas de vida do nosso próprio planeta.

De qualquer forma, os astrônomos têm procurado por vida extraterrestre naquilo que é conhecido como zona habitável das estrelas, a estreita faixa de temperatura em torno de cada estrela na qual pode existir água líquida.

Mas, e se as células de alguma forma de vida extraterrestre não forem baseadas em água? Digamos, talvez, que fosse uma vida baseada em metano, que tem um ponto de congelamento muito menor?

Mais especificamente, apenas para dirigir melhor os esforços, e se fosse uma vida nativa de Titã, a lua gig…

Lua tem camadas, descobre robô lunar chinês

As letras de "a" a "i" indicam as nove camadas identificadas pelo radar do robô Yutu. [Imagem: Long Xiao et al. - 10.1126/science.1259866]

Camadas da Lua

Resultados preliminares da sonda espacial chinesa Chang'E-3 e seu jipe Yutu sugerem que a história geológica da Lua é mais complexa do que os cientistas pensavam.

Medições de um radar de penetração no solo, feitas pelo Yutu, revelaram ao menos nove camadas no subsolo no local de pouso da sonda, indicando que vários processos geológicos ocorreram lá.

Long Xiao e seus colegas, que publicaram seus resultados na revista Science, atribuem essas camadas a antigos fluxos de lava e intemperismo das rochas para formar o regolito - a poeira que agora recobre quase toda a Lua - ao longo dos últimos 3,3 bilhões de anos.

Eles também sugerem que o local onda a sonda chinesa pousou tem uma composição distinta dos locais de pouso anteriores na Lua.

Percurso em zigue-zague

A sonda espacial Chang'E-3 foi lançada em 2013 co…

Galaxia ondulada: Via Láctea pode ser maior do que se pensava

A Via Láctea "ondulada" pode ser 50% maior do que se pensava anteriormente.
Crédito: Instituto Politécnico Rensselaer

De acordo com novos achados que revelam que o disco galáctico tem várias ondas concêntricas, a Via Láctea é pelo menos 50% maior do que se estimava. A pesquisa, conduzida por uma equipa internacional liderada pela Professora Heidi Jo Newberg do Instituto Politécnico Rensselaer, revisitou dados astronômicos do SDSS (Sloan Digital Sky Survey) que, em 2002, estabeleceram a presença de um anel saliente de estrelas para lá do plano conhecido da Via Láctea.

"Em essência, o que descobrimos é que o disco da Via Láctea não é apenas um disco de estrelas num plano achatado - é ondulado," afirma Heidi Newberg, professora de física, de física aplicada e de astronomia na Escola de Ciências de Rensselaer. "A partir da posição do Sol e para fora da Galáxia, vemos pelo menos quatro ondulações no disco da Via Láctea. Apesar de apenas podermos olhar para parte d…

Cassini sugere atividade hidrotermal no oceano de Encélado

Esta imagem de Encélado é uma impressão de artista que ilustra a possível atividade hidrotermal no fundo oceânico - e por baixo - subterrâneo, com base em resultados publicados recentemente da missão Cassini.
Crédito: NASA/JPL

A sonda Cassini da NASA forneceu aos cientistas a primeira evidência clara de que a lua de Saturno, Encélado, exibe sinais de atividade hidrotermal atual, que podem ser semelhantes ao que vemos nas profundezas dos oceanos da Terra. As implicações de tal atividade, num mundo que não o nosso, abrem possibilidades científicas sem precedentes.

"Estes resultados acrescentam força à possibilidade de que Encélado, que contém um oceano subterrâneo e que exibe notável atividade geológica, poderá conter ambientes adequados para organismos vivos," afirma John Grunsfeld, astronauta e administrador associado do Diretorado de Missões Científicas da NASA em Washington, EUA. "Os locais no nosso Sistema Solar com ambientes extremos e em que a vida possa existir a…

Mensagem de Arecibo

Mensagem de Arecibo, a cor foi adicionada apenas para separar por partes a mensagem e facilitar a compreensão, haja vista que a transmissão em binário não contém informação de cores.

A mensagem de Arecibo foi enviada ao espaço com o objetivo de transmitir a uma possível civilização extraterrestre, informações sobre o planeta Terra e a civilização humana em 1974, pelo SETI com o uso do radiotelescópio porto-riquenho Arecibo. Algumas alterações foram efetuadas no transmissor do radiotelescópio, permitindo transmitir sinais com até 20 terawatts de potência. Como teste inaugural, foi decidido pelo SETI transmitir uma mensagem codificada para o universo. Este sinal foi direcionado para o agrupamento globular estelar M 13, que está a aproximadamente 25.000 anos-luz de distância, e possui cerca de 300.000 estrelas na Constelação de Hércules. A mensagem foi transmitida exatamente em 16 de Novembro de 1974, e consistia-se em 1679 impulsos de código binário que levaram três minutos para serem t…

Telescópio no Chile detalha constelação a 4 mil anos-luz da Terra

Imagem obtida pelo ESO mostra a constelação austral do altar, que está a 4 mil anos-luz da Terra. (Foto: Divulgação/ESO)

Imagem obtida pelo Observatório Europeu do Sul foi feita com 500 fotos.
Cientistas usaram o Telescópio de rastreamento VLT Survey.

O Observatório Europeu do Sul, o ESO, divulgou nesta quarta-feira (11) uma nova imagem da constelação austral do altar, que está a 4 mil anos-luz da Terra. A foto foi obtida pelo telescópio de rastreamento VLT Survey, instalado no Observatório do Paranal, no Chile.

Segundo o ESO, é a vista mais detalhada até hoje dessa parte do céu. A fotografia foi feita a partir da reunião de 500 imagens individuais.
Em comunicado divulgado no site da instituição, o ESO explica que no centro da foto é possível ver o aglomerado estelar aberto NGC 6193, que contém cerca de 30 estrelas brilhantes.

FONTE: G1.COM

Motor de levitação pode gerar energia em Marte

Protótipo do motor baseado no efeito de Leidenfrost, alimentado por gelo seco, ou dióxido de carbono congelado. [Imagem: Gary G. Wells et al.]

Ida e volta

Uma nova técnica para gerar energia a partir do dióxido de carbono pode não resolver o problema dos gases de efeito estufa aqui na Terra, mas pode viabilizar a colonização de Marte.

Ainda que já existam planos para uma viagem sem volta a Marte, uma colonização para valer do planeta vermelho vai exigir uma infraestrutura que suporte mais do que uma aventura.

E um suprimento constante e confiável de energia é uma das primeiras exigências, sobretudo para os pioneiros que pretendam voltar.

Efeito de Leidenfrost

A solução para isso pode estar em um novo tipo de motor de calor criado por Gary Wells e seus colegas da Universidade de Northumbria, no Reino Unido.

O novo motor é baseado no "Efeito de Leidenfrost", um fenômeno que ocorre quando um líquido entra em contato com uma superfície que está muito mais quente do que sua temp…

Exoluas poderiam ser mais prováveis de abrigar a vida do que planetas como a Terra, alega cientistas

Representação artística de uma possível lua de planeta gigante gasoso, a qual, segundo a Dra. Sarah Ballard, poderia abrigar a vida.

Muitos dos planetas descobertos em outros locais de nossa galáxia não são como a Terra, porém mais parecidos com Júpiter.
Tais gigantes gasosos, pelo que sabemos, não são planetas hospitaleiros para a vida, mas agora foi sugerido que as luas destes planetas poderiam ser habitáveis.
Se for confirmada, a tese sugeriria que estes locais poderiam ser fontes predominantes de vida no Universo, e não os mundos como a nossa própria Terra.
A ideia foi discutida pela Dra. Sarah Ballard, da Universidade de Washington em Seattle, num programa de rádio chamado de The Takeaway.
Ela explicou como planetas do tamanho de Júpiter, situados nas zonas habitáveis de uma estrela – onde as condições são ideais para a água no estado líquido, e talvez vida – são mais comuns do que mundos rochosos únicos como a Terra.
Se mesmo alguns destes planetas do tamanho de Júpiter tiverem…

Cientistas descobrem 9 galáxias anãs orbitando a Via Láctea

Astrônomos da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, divulgaram nesta terça-feira um estudo no qual identificam nove galáxias anãs, que eram desconhecidas até agora, orbitando ao redor da Via Láctea.
O descobrimento desses corpos pode ser crucial para se conseguir avanços em termos de conhecimento da matéria escura, a misteriosa substância que mantém unidas as galáxias no universo.
Trata-se da primeira descoberta deste tipo de objeto em cerca de uma década, já que em 2005 e 2006 foram descobertas dúzias de galáxias anãs desse mesmo tipo sobre o hemisfério norte da Terra.
Desta vez, os cientistas detectaram sobre o hemisfério sul, próximo das Nuvens de Magalhães, os novos corpos, bilhões de vezes mais finos e milhões de vezes menores que a Via Láctea.
A mais próxima das nove galáxias anãs se encontra na região da constelação de Reticulum, a 97 bilhões de anos luz da Terra - a meio caminho das Nuvens de Magalhães -, enquanto a mais distante está há mais de 1,2 milhões de anos luz, …

Olá, alguém lá fora? Os cientistas querem falar com alienígenas. Mas será que eles querem falam com os terrestres?

Frank Drake, criador da Fórmula de Drake, que estima o número de civilizações alienígenas na galáxia.

Foi próximo de Green Bank, no estado da Virgínia do Oeste, em 1960, que o rádio astrônomo Frank Drake conduziu a primeira consulta extensiva por civilizações alienígenas no espaço profundo. Ele almejou sua parabólica de 25 metros de um rádio telescópio para duas estrelas próximas, similares ao Sol, sintonizando-o à uma frequência que ele pensava poder ser usada para comunicação interestelar por uma civilização.
Mas as estrelas não tinham nada para nos dizer.
Assim começou o SETI, Search for Extraterrestrial Inteligence ou, em português, Procura por Inteligência Extraterrestre, uma forma de pesquisa astronômica que tem capturado a imaginação de pessoas ao redor do planeta, mas que até agora falhou em receber um único “alô”. Eles não estão lá fora; eles estão muito longe, eles são insulares e distantes; eles estão fora de sintonia, jogando em seus computadores; eles estão nos assist…

Planeta "habitável" Gliese 581D , anteriormente refutado, provavelmente existe

Imagem artística de GJ 581d.

Investigadores estão confiantes de que o planeta chamado GJ 581d, identificado em 2009 e que orbita a estrela Gliese 581, existe mesmo, e que a alegação feita no ano passado foi desencadeada por análises inadequadas dos dados.

O candidato a planeta foi avistado utilizando um espectrômetro que mede a oscilação estelar, pequenas mudanças no comprimento de onda da luz emitida por uma estrela, mudanças estas provocadas por um planeta em órbita. Em 2014, cientistas revisitaram os dados e afirmaram que o "planeta" era, na verdade, apenas ruído nos dados, provocado por manchas estelares. A possível existência do planeta foi amplamente desmentida sem grandes perguntas.

Mas agora investigadores da Universidade Queen Mary de Londres e da Universidade de Hertfordshire questionam os métodos usados para negar a existência do planeta. A técnica estatística, usada na pesquisa de 2014 para explicar a atividade estelar, é simplesmente inadequada para a identific…

Nanomáquinas e suas antenas de luz

Representação esquemática dos feixes ópticos gerados pelas nanoantenas cúbicas, que prometem uma nova etapa no desenvolvimento de circuitos nanoeletromecânicos.[Imagem: D. Sikdar/M. Premaratne/Monash University]

Nanoantenas

Os biochips, ou microlaboratórios, já estão sendo usados em várias aplicações, incluindo a realização de exames de laboratório e a fabricação de radiofármacos,

Esse potencial de aplicação ficou agora ainda mais amplo com o desenvolvimento de nanoantenas cúbicas capazes de gerar feixes de luz muito estreitos e perfeitamente direcionados.

A luz é essencial no interior dos microlaboratórios porque é sua interação com as moléculas dos materiais sendo analisados que permite avaliar a segurança de alimentos, a toxicidade de fármacos, identificar poluentes do ar ou as células de um câncer.

Os nanocubos são dispostos em uma cadeia, com o espaçamento entre eles podendo ser ajustado para tornar o feixe de luz mais fino - conforme a separação entre os nanocubos aumenta, a la…

Folha biônica transforma energia solar em combustível líquido

Esquema de funcionamento da folha biônica. [Imagem: Torella et al. - 10.1073/pnas.1424872112]

Fotossíntese artificial

A energia solar pode ser aproveitada e armazenada utilizando a eletricidade gerada por células fotovoltaicas para produzir hidrogênio, que pode ser armazenado para alimentar células a combustível.

Mas o hidrogênio ainda não conseguiu "pegar" como um combustível prático para carros ou para gerar eletricidade.

Uma outra rota, mais conhecida como "fotossíntese artificial", está trabalhando para converter a energia solar em combustível líquido, que não enfrentaria grandes entraves para sua adoção por fabricantes de automóveis e postos de combustível, além de poder ser usado diretamente para geração termoelétrica.

Agora, uma equipe da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, desenvolveu um processo que utiliza bactérias para converter a energia solar em combustível líquido.

O resultado é uma "folha artificial" que utiliza um catalisador pa…

Arquivo Ovni: Contatos incontestáveis

Exibido nos dias 10 e 17 de setembro de 1993, foi apresentado por Celso Freitas e todo o trabalho jornalístico no Brasil foi conduzido pelo repórter Domingo Meirelles. Apresenta casos de contatos imediatos no Brasil e no exterior, com participação de ufólogos de vários países, além de filmagens e fotos de ovnis selecionadas.




FONTE: JOÃO MARCELO

Foguete brasileiro ajuda a estudar aurora boreal

As antenas do experimento principal mediram a interação de nuvens de elétrons com as auroras, interação esta que é a principal fonte de interferência sobre os satélites. [Imagem: Trond Abrahamsen/Andoya Space Center]

Elétrons da aurora boreal

Pesquisadores da Universidade de Oslo e da ESA (Agência Espacial Europeia, na sigla em inglês) realizaram com sucesso um experimento atmosférico batizado de "ICI-4".

Criado para investigar os efeitos dos fenômenos da aurora boreal nos sistemas de navegação e comunicação por satélite, o experimento utilizou o foguete de sondagem VS-30/Orion V11, cujo primeiro estágio é um motor brasileiro.

O foguete foi lançado da base de Andoya, na Noruega, levando oito experimentos científicos, construídos por equipes de vários países.

Com os dados obtidos, os pesquisadores acreditam que poderão estabelecer um sistema de previsão de clima espacial mais confiável e reduzir as interferências sobre as comunicações por satélite.

A principal hipótese é que…

Nova tecnologia promete uso em larga escala da energia solar

A SOLUÇÃO - Flexíveis, as placas solares OPV se ajustam a qualquer estrutura; na imagem, uma delas foi moldada como uma folha

Placas OPV são feitas de material orgânico, leves e delgadas. Podem enfim popularizar o uso da única fonte de energia capaz de pôr um fim à era dos combustíveis fósseis

Se toda a radiação que atinge a Terra em um único dia, vinda do Sol, virasse eletricidade, seria possível sustentar o consumo da humanidade ao longo de 27 anos. A energia solar, limpa e renovável, funcionaria como perfeito substituto do petróleo, finito e refém da gangorra dos preços. Representaria ainda o mais magnífico processo de troca de matriz energética, no avesso da poluição provocada pela queima de combustíveis fósseis, o mais rápido e danoso atalho para o aquecimento global. E, no entanto, por que a energia solar ainda é pouco usada, quase sempre mais promessa que realidade? As placas de silício necessárias para captá-la por meio de painéis são caras, pesadas e grossas. Apesar de úteis…