Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 28, 2016

Ufos No Céu Da Amazônia

Ufos No Céu Da Amazônia é um especial que conta a história de dois moradores do Amazonas que passaram por experiências de contatos com seres que ainda não sabem explicar, além de Avistamentos de Ovnis.





FONTE: Fome de Tudo , com Tatiana Sobreira

Ufos na América do Sul

"Ovni sôbre os Andes", nono capítulo da série "Semana da Invasão Extraterrestre", exibida pelo canal Discovery em maio de 1999, é dedicado a casos famosos ocorridos no Chile, Brasil e Perú, especialmente a abdução do cabo Armando Valdés (1977) e queda de disco em Copiapó (1914). Participações e depoimentos de Juana Andaur, Reinaldo Borgel, Pedro Munoz, Jaime Sotomayor, Ademar Gevaerd, Rene Mendez, Carlos Ibanez, Martin Chavez, Luiz Latham, Rodrigo Fuenzalida, Raul Sohr, Humberto Rojas, Raul Salinas, David Jacobs e Sixto Paz.



FONTE: Canal Youtube Nelson Pinta

Hubble

FONTE: NATGEO

A forma surpreendentemente óbvia que podemos caçar vida alienígena

Uma equipe de astrônomos está propondo uma nova forma de caçar vida inteligente que parece bem óbvia quando você para pra pensar: nós precisamos ser os alienígenas. Ou, ao menos, precisamos nos colocar no lugar deles e pensar em que parte do céu precisamos estar para que consigam nos ver.

Encontrar outros seres como nós certamente mudaria o mundo, mas não é algo simples de ser feito. A Busca por Inteligência Extraterrestre (SETI, na sigla em inglês) está atrás deles desde a década de 1960, e até agora só conseguiu vasculhar uma pequena parte do céu em busca de sinais de rádio.

Astrobiólogos já propuseram diversas formas de melhorar a busca: nos concentrando em aglomerados ricas em estrelas, ou então direcionando nossos instrumentos para o centro galático, onde as taxas maiores de formação estelar implicam em mais possibilidades de encontrar mundos habitáveis – ou talvez, o mais importante, onde uma espécie inteligente possa ter instalado um farol.

Outra forma de pensar sobre o proble…

Astrônomos detectam misteriosas explosões de rádio no espaço que se repetem

As “explosões rápidas de rádio” (FRB na sigla em inglês) deixam os astrônomos fascinados. Mas, apesar de uma década de observações, nem todo mundo tem certeza de que elas são reais. Um estudo na revista Nature relata a primeiríssima FRB recorrente já detectada, e pode acalmar o ceticismo de muitos.

“Eu acho que isso é bem formidável”, diz Peter Williams, astrônomo do Centro de Harvard para Astrofísica, ao Gizmodo. “Por muito tempo, eu não tinha certeza de que essas coisas eram realmente astrofísicas. Este artigo resolve a questão.” E Williams (que não estava envolvido neste estudo) é bastante cético sobre explosões de rádio.

FRBs são pulsos de rádio de alta energia com origem desconhecida, que se espalham no céu por uma fração de segundo. A explosão recorrente, chamada FRB 121.102, foi detectada por uma equipe internacional de astrônomos usando o radiotelescópio mais sensível do mundo, o Observatório de Arecibo em Porto Rico.

Esta é a primeira FRB recorrente já observada, e também é …

Desafio do Google para levar rover à Lua vira filme do diretor de Star Wars

O Google convocou J.J. Abrams, de Lost e Star Wars VII, para fazer um filme sobre os participantes do Lunar X-Prize, um desafio promovido pela empresa que tem como objetivo levar um rover para a Lua e fazer uma transmissão em alta definição até o fim de 2017.

Chamado de Moon Shot, o filme foi dividido em 9 episódios e abordará algumas das 16 equipes participantes do desafio. Neles, serão mostradas as histórias das equipes, mais os desafios e bastidores do desenvolvimento do projeto. Abaixo, o trailer:



A produção-executiva do filme é assinada pela Bad Robot, de J.J. Abrams, e pela Epic Digital, do diretor indicado ao Oscar Orlando von Einsiedel. Segundo o Google, os episódios serão lançados gratuitamente a partir de 15 de março no Google Play e 17 de março no YouTube.

Desafio de chegar à Lua
O Lunar X-Prize é um projeto do Google com o objetivo de promover o surgimento de uma nova maneira de explorar o espaço. A ideia é incentivar o acesso eficiente e de baixo custo à Lua por meio da …

Experimento de Miguel Nicolelis faz macaco controlar cadeira de rodas usando apenas a mente

Pesquisadores liderados pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis desenvolveram uma interface cerebral sem fio que permite a macacos controlar os movimentos de uma cadeira de rodas robótica usando apenas os pensamentos. O estudo sugere que interfaces semelhantes poderiam ser usadas para ajudar pessoas com paralisia severa a navegar diversos dispositivos robóticos usando a mente.

Antes desse estudo, pesquisadores conseguiram usar interfaces cérebro-máquina (BMI, na sigla em inglês) para ajudar primatas a controlarem membros artificiais. Mas como a nova pesquisa mostra, também é possível usar as leituras de implantes corticais e usá-los para facilitar o movimento do corpo inteiro. Apesar do estudo ter sido feito com foco nos movimentos de uma cadeira de rodas, as descobertas sugerem que dispositivos robóticos mais sofisticados podem ser controlados via BMIs, sem necessidade de nenhum tipo de intervenção física. Os detalhes do trabalho podem ser encontrados na Scientific Reports, …

Astronauta Scott Kelly ganhou 5 cm de altura após passar um ano no espaço

O astronauta Scott Kelly passou 340 dias na Estação Espacial Internacional e retornou à Terra esta semana. Pelo visto, a estadia espacial teve alguns efeitos curiosos no corpo dele, pois Scott agora está 5 cm mais alto que o irmão gêmeo.

Aparentemente, isso era esperado: livre dos limites da gravidade, a espinha de uma pessoa tende a se alongar na ausência de gravidade.

Infelizmente, Kelly não conseguirá manter sua vantagem de altura por muito tempo, agora que ele está de volta à Terra – a menos que ele faça yoga, talvez.

O corpo de Scott está nos ajudando a responder algumas questões sobre o efeito prolongado do espaço em humanos – incluindo o que a ausência crítica de gravidade faz com a nossa visão, e se a radiação adicional mexe em nosso DNA.

Scott passou 340 dias consecutivos no espaço, um recorde para astronautas americanos. Esse é quase o tempo que astronautas terão de ficar em uma nave espacial para viajar a Marte e voltar. Assim, o corpo de Scott ofereceu à NASA uma oportuni…

Equipe do Hubble quebra recorde de distância cósmica

A galáxia remota GN-z11.
Crédito: NASA, ESA e P. Oesch (Universidade de Yale)

Puxando o Telescópio Espacial Hubble da NASA aos seus limites, uma equipe internacional de astrônomos quebrou o recorde de distância cósmica ao medir a galáxia mais longínqua já vista no Universo. Esta galáxia surpreendentemente brilhante, chamada GN-z11, é vista como era há 13,4 mil milhões de anos atrás, apenas 400 milhões de anos após o Big Bang. GN-z11 está localizada na direção da constelação de Ursa Maior.

"Demos um grande passo para trás no tempo, para lá do que esperávamos ser capazes de ver com o Hubble. Observamos GN-z11 numa altura em que o Universo tinha apenas 3% da sua idade atual," explicou Pascal Oesch, investigador principal que pertence à Universidade de Yale. A equipe inclui cientistas dessa universidade, do STScI (Space Telescope Science Institute) e da Universidade da Califórnia.

Os astrônomos estão aproximando-se das primeiras galáxias formadas no Universo. As novas observaçõ…

Vida nas Galáxias

Seria o Homem o único ser inteligente entre milhões de estrelas e galáxias? Cientistas descobriram radiações cósmicas que podem indicar vida fora de nosso sistema solar.





FONTE: MATERIA DE CAPA

Matéria de Capa - Carl Sagan

Matéria de Capa mostra parte de um acervo sobre a vida e obra do astrônomo, astrofísico, astrobiólogo Carl Sagan, que viveu uma infância pobre no bairro do Brooklin, em Nova York, e passou por algumas das melhores universidades dos Estados Unidos.



FONTE: MATERIA DE CAPA

Piloto perseguiu UFO em 1957

Um F-86D Sabre similar ao que Ted Brunson pilotava em seu encontro com um UFO

Casos de perseguição de UFOs por pilotos militares estão entre os mais confiáveis da Ufologia

Caso consta como inexplicável nos arquivos do Projeto Blue Book

Pilotos de aeronaves costumam ser considerados as melhores testemunhas de observações de UFOs. O elevado nível de treinamento e conhecimento em diferentes ramos do saber a que são submetidos torna muito mais difícil que esses profissionais sejam confundidos por fenômenos naturais, como nuvens, estrelas, planetas e outros, além de evidentemente serem versados no reconhecimento de outras aeronaves. No caso de pilotos militares a confiabilidade de seus testemunhos é ainda mais elevada, tendo em vista as condições ainda mais extremas e arriscadas a que estes são submetidos.

O Projeto Livro Azul, ou Blue Book, da Força Aérea Norte-Americana (USAF), contabilizou até seu encerramento em 1969 um total de 12.618 casos ufológicos. Para cada avistamento era criad…

UFOs disfarçados por nuvens visitaram bases de armas nucleares

A cada dia novos testemunhas militares surgem, comprovando o interesse dos UFOs por nossas atividades

Descrição de dois eventos comprova que discos voadores podem produzir nuvens a fim de se disfarçar; relatos vieram de ex-militares

O capitão aposentado Michael T. Crowley, da Força Aérea norte-americana (USAF) esteve na ativa entre fevereiro de 1966 a dezembro de 1992. Na primavera de 1991 ele fazia parte da equipe de solo da Base da Força Aérea de Warren, estado do Wyoming, no Esquadrão de Mísseis Estratégicos 320, instalação de lançamento (LCF) Juliet-01. Uma das atividades que sua equipe realizava era cortar a grama da área cercada que continha as instalações da LCF. Crowley realizava esse serviço quando observou uma nuvem se aproximar do sentido sudoeste, exatamente sobre o LCF.

Quando o que parecia uma nuvem ficou sobre a instalação sua altitude era de cerca de 300 metros, e o militar percebeu que oficiais de segurança se aproximaram, observando a nuvem. No interior da mesma apa…

Quem foi Dolores Barrios?

Até hoje não se teve mais notícias dos três personagens insólitos.

Reportagem para Revista Ufo ano 2009.

Através do Centro de Estudos Ufológicos de Venâncio Aires (Ceuva), do RS, finalmente chegou às mãos do Núcleo de Estudo Ufológicos de Santa Cruz (NEUS) - presidido pelo consultor da Revista UFO Rafael Amorim - em Santa Cruz do Sul, a reportagem da revista O Cruzeiro, de 16 de outubro de 1954, onde havia uma matéria sobre um encontro ufológico, talvez o primeiro amplamente coberto por jornalistas, no famoso Monte Palomar, Califórnia (EUA). O local teria sido palco da história de George Adamski (1891-1965), contatado norte-americano que julgava estar em sintonia com seres provindos de Vênus. Durante esse evento em 1954, foram divulgados casos - então recentes entre os norte-americanos - e, claro, o contato de Adamski com os supostos ETs. Mostrava uma concepção artística destes "amigos" que estiveram face-a-face com ele, tudo testemunhado por mais duas ou 3 pessoas à distân…

Especial Matéria Escura: Átomos de matéria escura

Esquema (fora de escala) mostrando os hipotéticos áxions (azul) vindos do Sol, convertidos em raios X (laranja) pelo campo magnético da Terra (vermelho), detectados pelo observatório XMM-Newton, que podem ter sido o primeiro sinal detectado da Matéria Escura. [Imagem: University of Leicester]

SIMPs

Apenas para relembrar, os físicos nunca detectaram qualquer sinal da matéria escura propriamente dita, tendo uma ideia de sua quantidade no Universo com base em observações de galáxias, que giram rápido demais para não se esfacelarem, devendo haver algo que gere a gravidade que as mantém coesas - esse algo que falta é que recebe o nome de matéria escura.

Mas as observações das regiões interiores das galáxias não são assim tão previsíveis, não batendo com as simulações da matéria escura. Essas simulações frequentemente assumem que a matéria escura não interage consigo mesma, mas não há nenhuma razão para acreditar que seja assim.

Essa percepção levou ao conceito das SIMPs, (Strongly Interac…

Fim do silêncio de rádio na reentrada

O aparelho de teste consiste em um escudo de calor com um transmissor, tudo exposto a um plasma com milhares de graus de temperatura. [Imagem: DLR]

Comunicação na reentrada

A reentrada na atmosfera de um planeta é uma das fases mais críticas de qualquer missão espacial.

A enorme quantidade de calor gerado pelo atrito com a atmosfera gera um plasma eletricamente carregado que flui em volta da nave.

Esse plasma bloqueia os sinais de rádio, fazendo com que a nave seja incapaz de se comunicar com a estação terrestre durante vários minutos.

Como resultado, informações críticas que possam contribuir para o sucesso ou o fracasso de uma missão não ficam disponíveis nesse período mais crítico.

Depois de décadas de buscas por uma solução, engenheiros da Agência Espacial Alemã (DLR) e da Universidade de Stanford finalmente parecem ter encontrado um meio de resolver este problema.

Túnel de plasma

A equipe conseguiu recriar condições de teste realistas usando um túnel de vento aquecido por um arc…

NASA construirá avião supersônico de passageiros

Conceito artístico do protótipo de testes do X-Avião com tecnologia QueSST, que eliminará o estrondo sônico causado pela quebra da barreira do som.[Imagem: Lockheed Martin]

Supersônico sem estrondo

A volta dos aviões de passageiros supersônicos ficou mais próxima da realidade com o anúncio de que a NASA irá financiar o projeto de uma aeronave de demonstração de baixo ruído.

E quando se fala em baixo ruído de aviões supersônicos a principal referência é ao estrondo sônico, o barulho quase explosivo associado às ondas de choque criadas quando o avião quebra a barreira do som.

O Concorde só podia superar a barreira do som quando estava voando sobre o mar, devido ao risco de quebrar janelas e causar outros acidentes mais graves. Mas esse é um limitador importante e pode fazer a diferença na viabilidade econômica da aeronave.

X-Aviões

O projeto do avião supersônico será o primeiro de um programa chamado Novos Horizontes da Aviação, no qual a NASA pretende construir vários "X-aviões&q…

Não Estamos Sós!

FONTE: DOCUMENTARIOS HD1

Esta estrela imensa é maravilhosa, mas está com os dias contados

Contemple a WR 31a, um estrela massiva rodeada por uma nuvem de gás e poeira em constante e rápida expansão. Esta estrutura celestial exuberante emergiu há apenas 20.000 anos, e está atualmente crescendo a uma taxa de 220.000 quilômetros por hora.

A WR 31a é uma estrela Wolf-Rayet (WR) localizada a cerca de 30.000 anos-luz da Terra. Essas estrelas são particularmente grandes, com massa atingindo normalmente 20 vezes o nosso Sol. A bolha azul característica ao redor do objeto é uma nebulosa Wolf-Rayet composta de poeira, hidrogênio, hélio e outros gases. Esses objetos, que normalmente têm a forma de anel ou esférica, aparecem quando os ventos estelares rápidos entram em contato com o hidrogênio que é cuspido das estrelas WR.

Esta imagem espetacular da WR 31a foi tirada pelo Telescópio Espacial Hubble e divulgada na semana passada.

Estrelas WR duram apenas algumas centenas de milhares de anos, pouquíssimo tempo em padrões cosmológicos. Nosso Sol, por exemplo, já tem 4,5 bilhões de anos…