Pular para o conteúdo principal

UFOs disfarçados por nuvens visitaram bases de armas nucleares


A cada dia novos testemunhas militares surgem, comprovando o interesse dos UFOs por nossas atividades

Descrição de dois eventos comprova que discos voadores podem produzir nuvens a fim de se disfarçar; relatos vieram de ex-militares

O capitão aposentado Michael T. Crowley, da Força Aérea norte-americana (USAF) esteve na ativa entre fevereiro de 1966 a dezembro de 1992. Na primavera de 1991 ele fazia parte da equipe de solo da Base da Força Aérea de Warren, estado do Wyoming, no Esquadrão de Mísseis Estratégicos 320, instalação de lançamento (LCF) Juliet-01. Uma das atividades que sua equipe realizava era cortar a grama da área cercada que continha as instalações da LCF. Crowley realizava esse serviço quando observou uma nuvem se aproximar do sentido sudoeste, exatamente sobre o LCF.

Quando o que parecia uma nuvem ficou sobre a instalação sua altitude era de cerca de 300 metros, e o militar percebeu que oficiais de segurança se aproximaram, observando a nuvem. No interior da mesma apareciam reflexos como os de raios, e os oficiais de segurança apontavam para o fenômeno. Crowley descreve como raios caíram sobre o local, mas com exceção disso tudo estava calmo e sem sinais de precipitação meteorológica. Michael Crowley havia sido meteorologista da USAF e tinha mais de 3.000 horas de voo, e a previsão para aquele dia era de tempo bom, portanto o que observava era muito incomum.

A nuvem emitia um rumor, exibindo luzes nas cores vermelha, amarela, laranja e azul, e podia-se ver um brilho uniforme dentro da mesma. O fenômeno durou cerca de duas horas, e quando o objeto se afastou Crowley terminou de aparar a grama, sem que tenha havido qualquer sinal de chuva no local. Michael Crowley enviou suas observações para o pesquisador Robert Hastings, especialista em casos ufológicos testemunhados em bases militares e locais de armazenamento de armas nucleares, como a AFB Warren onde Crowley serviu. O ex-militar não informa se o caso foi objeto de investigação oficial, e não menciona arquivos a respeito. Mas Hastings comenta que não foi a primeira ocorrência envolvendo um possível UFO oculto por uma nuvem de que tomou conhecimento.

CASO OCORRIDO DURANTE A CRISE DOS MÍSSEIS DE CUBA

Robert Hastings descreve então um caso acontecido em outubro de 1962, durante a Crise dos Mísseis de Cuba. O incidente ocorreu na Base Aérea Ramey, em Porto Rico, e a testemunha preferiu ficar anônima. Esta era policial militar na base, e percebeu às 05h30 do dia do incidente uma nuvem sobre o Mar do Caribe com luzes piscantes em seu interior. A trajetória da nuvem a levava para a região onde os voos eram proibidos, e o militar nesse momento subiu a bordo do veículo que o levaria a seu alojamento. Ele então viu como o objeto pairou sobre o local onde estavam estacionados bombardeiros B-52.

O militar e seus companheiros chegaram ao arsenal, e a nuvem estava sobre esse local, a cerca de 9 metros de altura. Tinha cerca de 1,8 m de espessura e 9 de extensão, e luzes giravam em seu interior, verde, laranja, amarelo e azul. A equipe de alerta saiu e todos ficaram observando o objeto, e apesar de estarem todos armados nenhum tiro foi disparado, nem quando a nuvem se dirigiu ao hangar dos aviões espiões U-2. O objeto enfim se afastou e desapareceu, e o militar saiu em licença por três dias, sendo que ninguém voltou a falar a respeito do incidente. Robert Hastings comenta que as descrições indicam que UFOs podem se envolver em nuvens artificiais, a fim de manter vigilância sobre nossas atividades militares.

FONTE: REVISTA UFO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…