Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 3, 2015

Major da Polícia Militar do Ceará que perseguiu UFOs

O piloto de helicóptero Welliston Paiva perseguiu discos voadores e encontrou ETs no sertão durante seu trabalho na PM

O interesse de Welliston Paiva pela Ufologia começou há muitos anos, quando dois alienígenas entraram em seu quarto, conversaram com ele e o levaram até sua nave, estacionada sobre a casa do contatado. Aos trinta anos de idade os contatos se intensificaram, e além de suas experiências pessoais, Paiva passou a pesquisar casos ufológicos e a ação de ETs no Nordeste. Tais estudos incluem os de casos de abdução de crianças jovens, e adultos, e Paiva passou o interesse pelos UFOs para seu filho. Juntos, são presença frequente em eventos de Ufologia em várias cidades da região.

Welliston Paiva é major da Polícia Militar do Ceará, e bacharel em segurança com especialização em políticas públicas. Tem 25 anos de experiência e 3.500 horas de voo em helicópteros, e chegou a perseguir UFOs com sua aeronave, a pedido da torre de controle do aeroporto de Fortaleza. Paiva também já…

Leis de Newton podem dispensar matéria escura?

Sem a matéria escura, as velocidades das estrelas deveriam decrescer com a distância a taxas diferentes para os dois tipos de galáxias. Mas as velocidades são notavelmente constantes. [Imagem: M. Cappellari/Sloan Digital Sky Survey]

Velocidades constantes

Astrônomos mediram pela primeira vez com precisão a velocidade de estrelas em órbitas circulares em torno de galáxias espirais e de galáxias elípticas.

Seguindo a hipótese da matéria escura, essas velocidades deveriam diminuir com a distância da galáxia, a taxas diferentes para os dois tipos de galáxias.

Em vez disso, porém, os dados mostraram que as velocidades são praticamente as mesmas para as diversas localizações das estrelas nos dois tipos de galáxias.

Uma das descobertas mais marcantes do século 20 foi que as galáxias espirais, como a nossa Via Láctea, giram muito mais rapidamente do que o esperado. Os cientistas então levantaram a hipótese da "matéria escura", uma substância desconhecida e invisível que geraria a g…

Ampliando seus conhecimentos em Astronomia

FONTE: UNIVESPTV

Quasar

Imagem em raio X feita pelo Chandra do quasar PKS 1127-145, uma fonte luminosa de raios-X e luz visível a cerca de 10 bilhões de anos-luz da Terra. Um enorme jato de raio-X estende-se a pelo menos um milhão de anos do quasar. A imagem tem 60 arcosegundos de lado. RA 11h 30m 7.10s Dec -14° 49' 27" em Crater. Data da observação: 28 de maio de 2000. Instrumento: ACIS.

Um quasar (abreviação de quasi-stellar radio source, ou fonte de rádio quase-estelar) é um objeto astronômico distante e poderosamente energético com um núcleo galáctico ativo, de tamanho maior que o de uma estrela, porém menor do que o mínimo para ser considerado uma galáxia. Quasares foram primeiramente identificados como fontes de energia eletromagnética (incluindo ondas de rádio e luz visível) com alto desvio para o vermelho (redshift), que eram puntiformes e semelhantes a estrelas, em vez de fontes extensas semelhantes a galáxias. Os quasares são os maiores emissores de energia do Universo. Um único quasar em…

Pulsar

O Pulsar de Caranguejo. Esta imagem combina informação óptica recolhida pelo Hubble (a vermelho) e imagens raio-X do Chandra (a azul).

Pulsares são estrelas de nêutrons muito pequenas e muito densas. Os pulsares podem apresentar um campo gravitacional até 1 bilhão de vezes maior que o campo gravitacional terrestre. Eles provavelmente são os restos de estrelas que entraram em colapso, fenômeno também conhecido como supernova. Foram observados pela primeira vez pela astrônoma Jocelyn Bell Burnell.

Ficheiro:Vela Pulsar jet seen by Chandra Observatory.ogv

À medida que uma estrela vai perdendo energia, sua matéria é comprimida em direção ao seu centro, ficando cada vez mais densa. Quanto mais a matéria da estrela se move em direção ao seu centro, mais rapidamente ela gira. Qualquer estrela possui um campo magnético que em geral é fraco, mas quando o núcleo de uma estrela é comprimido até se tornar uma estrela de nêutrons, o seu campo magnético também sofre compressão, com isso as linhas d…

Como as xícaras de café que chegaram ao espaço vão aperfeiçoar a medicina

Além de levar café aos lábios dos astronautas, essas seis xícaras vão ajudar os cientistas a descobrir como fluidos complexos se movimentam na gravidade zero(NASA/Reprodução)

Os sacos de plástico usados para tomar café na Estação Espacial Internacional foram substituídos por xícaras. Uma boa notícia para os astronautas que à primeira vista parece distante de preocupações mundanas, mas que pode repercutir até em importantes melhorias tecnológicas que impactam nossa saúde

Os astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) passaram a beber cafés em xícaras no início deste mês. Assim podem aposentar um velho (e incômodo) hábito de tomar suas bebidas em sacos de plástico com canudos. As novíssimas xícaras foram desenvolvidas por cientistas da Nasa e da Universidade Estadual de Portland, nos Estados Unidos, e fabricadas em impressoras 3D. Pode parecer uma notícia distante do cidadão comum, mas não se engane. A tecnologia envolvida na criação das xícaras se mostra út…

Esta é a galáxia mais distante que conhecemos no universo, e é a primeira de muitas

Uma equipe de pesquisadores identificou a galáxia mais distante já detectada pela humanidade. A EGS-zs8-1 está tão longe do nosso planeta que só agora estamos vendo a luz que ela emitia há 13 bilhões de anos.

Acredita-se que a galáxia se formou quando o universo era extremamente jovem. Afinal, estima-se que o universo tenha 13,8 bilhões de anos, um pouco mais velho do que a luz dela.

Os cientistas conseguiram encontrá-la por ser um dos objetos mais brilhantes e de maior massa no universo primitivo. Pascal Oesch, que participou do estudo, diz em comunicado à imprensa que “ela já tinha mais de 15% da massa atual da Via Láctea, mas teve apenas 670 milhões de anos para fazer isso”.

A idade da galáxia foi determinada com o instrumento MOSFIRE no telescópio do Observatório Keck, no Havaí. Trata-se de uma câmera que consegue detectar o brilho emitido por objetos longínquos no espaço.

A luz vinda de lugares muito distantes tende para o infravermelho, e apenas instrumentos como o MOSFIRE – at…

Morre Joseph Lechleider, pioneiro da internet banda larga

Joseph Lechleider, Ph.D. em engenharia, foi o primeiro a mostrar que era possível enviar confiavelmente sinais de banda larga através de linhas telefônicas tradicionais de cobre. Ele faleceu recentemente aos 82 anos.

As pesquisas de Lechleider na década de 80 seriam essenciais para dar às empresas de telefonia a tecnologia para oferecer serviço de alta velocidade via DSL. Em 2013, Lechleider entrou no Hall da Fama dos Inventores por suas realizações.

Na década de 80, as empresas de telefonia estavam tentando descobrir como usar suas redes existentes para proporcionar experiências multimídia mais ricas. A internet ainda era bastante restrita, e as empresas de TV a cabo – que seriam potenciais concorrentes – não estavam tão presentes nos EUA.

As empresas de telefonia tinham uma vantagem, porque quase todos tinham linhas telefônicas em casa. Mas era difícil entregar, de forma confiável, muito mais do que as transmissões de voz (e experimentos de videofone) através das linhas já existent…

Um gel inspirado em um organismo unicelular pode criar robôs que se movem como humanos

Já conseguimos criar robôs eficientes para trabalhos em fábricas e situações de emergência, mas essas máquinas pesadas e grandes sofrem com sérias limitações de movimentação. Mas e se os androides do futuro se mexerem assim como seres humanos?

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, criaram um polímero em gel que imita o euglena mutabilis, um organismo unicelular que usa energia para mudar sua forma autonomamente e assim conseguir se mover. Esse gel é um sinal de que criações sintéticas também podem se mover da forma como fazem vidas orgânicas, mesmo sem músculos para expandir e contrair.

Isso pode nos levar a uma material que transformaria um desengonçado C3PO em um humanoide perfeito.

O euglena “oferece inspiração para nosso trabalho devido à sua movimentação elegante”, explicou a doutora Anna Balasz, coautora do estudo que foi publicado na Scientific Reports na semana passada.

O polímero em gel pode se tornar uma peça fundamental nos robôs do futuro. Ele não apenas m…

SP Pesquisa - Bóson de Higgs

Em março de 2013, as manchetes do mundo todo se voltaram à descoberta do bóson de Higgs. Era a peça que faltava para completar o Modelo Padrão da Física de Partículas, o arcabouço teórico que explica de que são feitas todas as coisas que são vistas na natureza - dos átomos do nosso corpo às reações nucleares no coração das estrelas. A descoberta foi feita no LHC (o maior acelerador de partículas do mundo), na Suíça. O Brasil teve certa participação, ao colaborar para o processamento da montanha de dados vindos dos aceleradores, compondo uma sofisticada rede computacional chamada SPRACE, montada na UNESP com financiamento FAPESP. O programa apresenta tal participação e explica o que é o campo de Higgs, onde está o bóson e por que a descoberta é tão relevante.




FONTE: SP Pesquisa

Viagem a Marte poderá causar danos ao cérebro

Estas imagens mostram a redução na complexidade dos dendritos após a irradiação que simula os raios cósmicos que os astronautas receberão no espaço.[Imagem: Vipan Parihar et al. - 10.1126/sciadv.1400256]

Sistema nervoso

A lista de possíveis problemas a serem enfrentados pelos astronautas pioneiros das missões a Marte ganhou mais um item: danos ao cérebro causados pela radiação cósmica.

Em 2013, um estudo feito com base nos dados coletados pelo robô Curiosity enquanto ele viajava para Marte revelou que os astronautas sofrerão o impacto dos raios cósmicos e das partículas solares, com risco de desenvolvimento de câncer.

Agora, um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia sugere que a longa exposição aos raios cósmicos pode causar danos significativos ao sistema nervoso central, resultando em sequelas semelhantes às sofridas por pessoas com demência.

Raios cósmicos são partículas de alta energia originadas do espaço e que viajam quase à velocidade da luz.

Físicos mobi…

Cientistas estão buscando uma maneira de transformar todo sangue doado no tipo O

Se você entende um pouco de diferentes tipos sanguíneos, sabe como esse é um assunto delicado quando falamos em transfusão de sangue. Caso o tipo sanguíneo do doador não seja compatível com o de quem vai receber o sangue, é possível que o paciente morra. Por isso cientistas estão trabalhando para mudar artificialmente o sangue doado para o tipo O, o doador universal.

Em termos simples, o tipo sanguíneo se refere a uma molécula extra de açúcar ligada à superfície das células sanguíneas. As pessoas com sangue A têm um tipo de molécula, as do tipo B têm outro, e as do AB possuem ambas as moléculas. Mas o pessoal do tipo O não tem nenhuma. E é por isso que eles conseguem doar seu sangue para qualquer um.

Mas cientistas encontraram uma enzima que pode ser usada para eliminar a molécula de açúcar extra que existem no tipos A e B. Normalmente, no entanto, essa enzima não é muito eficiente. Mas de acordo com um estudo recente, os cientistas conseguiram modificá-la para que ela fique cerca de…

Como cientistas desviam a luz para tornar objetos imperceptíveis aos seus olhos

Pesquisadores vêm tentando criar formas de atingir a invisibilidade na vida real. Na última década, eles passaram a apostar em ilusões de óptica inteligentes, que desviam a luz em torno de um objeto, tornando-o indetectável aos olhos.

Essa tecnologia só foi demonstrada com objetos muito pequenos, mas cientistas do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (Alemanha) alegam ter desenvolvido um sistema portátil que faz pequenos objetos desaparecerem de vista, e que pode ser usado para demonstrações em sala de aula.

Como ser invisível
Para tornar um objeto invisível, é preciso mudar a trajetória da luz que passa ao redor dele, de tal forma que ela chegue ao outro lado com pouca distorção. Isso faz parecer que o objeto não está lá, mesmo quando olhamos diretamente para ele.

Além de desviar a trajetória da luz, é preciso fazê-la viajar mais rápido ao redor do objeto. Infelizmente, isso não é fácil: a luz viaja muito rápido no ar, quase à velocidade no vácuo – o limite inquebrável da natureza.

Astrônomos encontraram um planeta gasoso orbitando bem próximo a uma pequena estrela

Astrônomos estavam observando uma pequena estrela anã vermelha a 500 anos luz de distância da Terra quando se surpreenderam ao perceber que a pouca luz dela estava ficando ainda mais fraca. E rapidamente eles detectaram a fonte dessa mudança: a massa escura de um planeta que passava entre a estrela distante e o ponto de observação na Terra.

A estrela HATS-6 tem cerca da metade do tamanho do nosso Sol, tanto em massa quanto em diâmetro. É uma das menores estrelas que astrônomos já identificaram com um planeta gigante gasoso, e, aparentemente, nossos modelos não conseguem explicar como esse gigante gasoso conseguiu se aproximar tanto da estrela.

O planeta em questão, HATS-6b, tem mais ou menos a massa de Saturno, ou 100 vezes a massa da Terra. Mas por causa da sua distância orbital próxima, o calor da estrela fez o gás de HATS-6b inflar o planeta como um balão de ar do tamanho de Júpiter. Com um período orbital de apenas 3,3 dias, os astrônomos dizem que o planeta está significativamen…

Entrevista com o ufólogo Jaime Rodrigues

FONTE: Jaime Rodrigues

Documentário mostra as pesquisas sobre robôs militares e seus possíveis problemas

Robôs são o futuro. Exoesqueletos, familiares, cirurgiões, que se defendem com espadas, que apresentam telejornais: nossos amigos de metal vem adquirindo novas habilidades e novas funções. Robôs também são o futuro nas forças armadas — o Exército dos EUA é um dos maiores financiadores das pesquisas neste campo, o que inevitavelmente leva a uma pergunta: teremos robôs assassinos no futuro?

Esta é uma das perguntas que este documentário do Motherboard tenta responder. Eles tiveram acesso ao ATLAS e ao ESCHER, dois modelos humanoides desenvolvidos com o apoio das forças armadas norte-americanas. Claro, eles ainda não são robôs assassinos, mas assustam um pouco, sim.

Além dos robôs e os pesquisadores responsáveis, o Motherboard também conversou com pensadores como Jody Williams, ativista política conhecida por seu trabalho no combate pela proibição das minas terrestres — que lhe rendeu o Prêmio Nobel da Paz em 1997 –, e o físico do MIT Max Tegmark. The Dawn of Killing Machines tem cerca …