Pular para o conteúdo principal

Estas flores guardam o segredo para espalhar vida além da Terra



Parece que constantemente estamos procurando um amigo lá fora no espaço, apenas para sermos continuamente frustrados. Mas e se, na nossa busca por vida além da Terra, estivermos deixando de olhar uma questão importante? E se a pergunta que realmente devêssemos fazer fosse: temos certeza de que a vida se espalha além da Terra?

Sementes da humilde flor glória-da-manhã podem ter a pista para termos certeza de que a vida pode persistir, em algum lugar, mesmo se nós, humanos, nos destruirmos. Em resultados publicados recentemente no periódico Astrobiology, os biólogos David Tepfer e Sydney Leach demonstraram que os embriões dessas plantas resistentes podem aguentar altas doses de radiação ultravioleta, até 6 milhões de vezes a usada para esterilizar a água que bebemos. Considerando que o espaço e a superfície de planetas próximos como Marte são repletos de luz UV que danifica o DNA, a descoberta soa bem para aqueles que acham que a vida pode viajar entre planetas de carona em asteroides, uma antiga ideia conhecida como panspermia.

“Nós não podemos dizer que temos provas para a hipótese da panspermia, mas podemos dizer que mostrar a resistência de sementes de plantas em condições espaciais torna a hipótese mais plausível”, Tepfer disse ao Gizmodo.

Desde o começo dos anos 2000, cientistas têm testado a ideia de que a vida pode sobreviver a uma viagem interestelar, ao levar microorganismos, sementes e até larvas de insetos para a área externa da Estação Espacial Internacional por semanas e até meses, expondo-os à radiação danosa do Sol e a raios cósmicos, sem mencionar as repentinas mudanças de temperatura e condições de vácuo.

“Nós, humanos, devemos ficar na Terra e limpar a nossa bagunça. Porém, durante os anos em que a nossa espécie estiver viva e tecnologicamente competente, devemos aceitar o nosso papel de disseminadores da vida, talvez usando sementes de plantas carregadas de microorganismos.”

Como você pode imaginar, a maioria dos objetos desses experimentos morreu. Mas em um teste de 2009, cerca de 20% das sementes de tabaco e da planta Arabidopsis thaliana foram capazes de germinar de volta na Terra depois de 558 dias no espaço. No novo estudo, Tepfer e Leach decidiram ver exatamente quanta radiação essas sementes conseguem aguentar, ao bombardeá-las no laboratório com doses crescentes de luz UV, no exato comprimento de onda que causa o maior dano ao DNA. Eles também fizeram o diabólico experimento em sementes de glória-da-manhã, que são maiores, têm revestimentos mais grossos na semente e, sabe-se, resistem décadas no solo antes de germinar.

Acrescentar a glória-da-manhã ao experimento foi uma boa ideia. Em experimentos que duraram até 300 dias, quando a radiação foi aumentada até o limite, essas foram as únicas sementes que não queimaram. “Essa dose alta matou as sementes de Arabidopsis e tabaco, mas as sementes de glória-da-manhã germinaram normalmente e produziram plantas”, Tepfer disse.

É um sinal promissor de que certas sementes podem ter o que precisa para uma jornada interestelar, apesar dos resultados agora precisarem ser feitos no espaço também. Além de sua couraça protetora, Tepfer especula que as sementes de glória-da-manhã, podem ter “mecanismos para consertar componentes celulares essenciais, como DNA, RNA, ribossomos, membranas, etc”, mas mais trabalho é necessário para confirmar essa hipótese. Flavonoides, compostos também encontrados em chá verde e vinho, podem também aumentar a proteção contra raios UV natural da planta.

Minha primeira impressão quando li o estudo de Tepfer foi que isso é uma boa notícia para os humanos que procuram colonizar planetas como Marte, afinal de contas, se quisermos sobreviver a longo prazo, vamos precisar de plantas para nos fornecer comida e oxigênio. Tepfer não concordou, chamando a corrida a Marte de um “truque publicitário”. Em vez disso, ele sugeriu que as sementes podem nos ajudar a disseminar a vida (não humana) a planetas sem vida. Especialmente se nós aprendermos a lição da natureza para produzir sementes que virem protetores ainda melhores da vida.

“Imagine sementes em hibernação mandadas para exoplanetas para liberar vida microbiana ou os componentes necessários à vida”, ele disse. “Nós, humanos, devemos ficar na Terra e limpar a nossa bagunça. Porém, durante os anos em que a nossa espécie estiver viva e tecnologicamente competente, devemos aceitar o nosso papel de disseminadores da vida, talvez usando sementes de plantas carregadas de microorganismos.”

“Mas”, ele acrescentou, “nós precisamos começar logo, dada a nossa propensão à autodestruição”.

Imagem do topo: Michael Lucas / Flickr Creative Commons

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…