Pular para o conteúdo principal

Cientistas extraem sangue líquido de cavalo de 42 mil anos de idade encontrado congelado na Sibéria



Por George Dvorsky

Os cientistas da região de Iakutsk, na Sibéria, conseguiram extrair amostras de sangue líquido de um potro de 42 mil anos de idade que foi encontrado embebido em permafrost em 2018. Os cientistas esperam recolher células viáveis com o objetivo de clonar a espécie de cavalo extinta.

O potro foi descoberto na depressão de Batagaika em 11 de agosto de 2018. O permafrost deixou os restos mortais em muito boa forma, aumentando a esperança de que suas células possam ser extraídas. Acredita-se que o espécime pertença a uma espécie extinta de cavalo, conhecida como raça Lenskaya (também chamada de cavalo Lena), conforme escreveu o jornal Siberian Times no ano passado.

Uma colaboração entre a Universidade Federal do Nordeste em Iakutsk (NEFU) e a Fundação de Pesquisa Biotecnológica Sooam, da Coreia do Sul, está atualmente analisando os restos mortais com a intenção explícita de clonar o cavalo pré-histórico.

Para fazer isso, no entanto, os pesquisadores teriam que extrair e cultivar células somáticas viáveis — algo que eles ainda não foram capazes de fazer. Todas as mais de 20 tentativas de cultivar células do tecido do animal falharam. Uma análise detalhada do cavalo começou no mês passado, com o trabalho previsto para durar até o final de abril.

Como o Siberian Times noticiou nesta terça-feira (16), os pesquisadores já conseguiram extrair amostras de sangue líquido dos vasos cardíacos do espécime, que foram bem preservadas devido às condições favoráveis de sepultamento e do permafrost, de acordo com Semyon Grigoryev, chefe do Museu Mammoth em Iakutsk. Não está claro se as células viáveis podem ser cultivadas a partir da amostra de sangue.


A amostra de sangue extraída do espécime. Imagem: NEFU

Em entrevista à agência de notícias russa TASS, e conforme divulgado pelo Siberian Times, Grigoryev disse que a autópsia mostrou “órgãos belamente preservados” e tecidos musculares preservados com sua “cor avermelhada natural”. Além disso, o potro ainda exibe pelos na cabeça, pernas e partes do corpo. Ter “pelo preservado é outra descoberta que fez a comunidade científica vibrar, pois todos os cavalos antigos anteriores foram encontrados sem pelo”, disse Grigoryev. Quando vivo, o animal apresentava uma cor castanha, com cauda e crina pretas.

“Nossos estudos mostraram que, no momento da morte, o potro tinha de uma a duas semanas de idade, então ele havia acabado de nascer”, disse Grigoryev. “Como em casos anteriores de restos muito bem preservados de animais pré-históricos, a causa da morte foi afogamento na lama, que congelou e se transformou em permafrost. Muita lama e lodo que o potro engoliu durante os últimos segundos de sua vida foram encontrados dentro de seu trato gastrointestinal.”

A natureza conservada do cavalo, junto com a amostra de sangue, significa que ele é “o animal da era do gelo mais bem preservado já encontrado no mundo”, declarou Grigoryev. Bem, “mais bem preservado” está nos olhos do observador, mas Grigoryev tem um argumento sólido. Em 2013, cientistas russos encontraram sangue líquido nos restos de um mamute-lanoso de 15 mil anos. O sangue retirado do potro é 27 mil anos mais velho.

Como apontado, um dos principais objetivos dessa colaboração entre a NEFU e a Sooam é ressuscitar esse animal por meio dos processos de clonagem. Um detalhe importante é que a Sooam está no negócio da clonagem de cães de estimação na Coreia do Sul, e seu pesquisador principal é Hwang Woo Suk, o controverso geneticista acusado de várias violações éticas flagrantes durante os anos 2000.

Aparentemente, o trabalho “está tão avançado” que a equipe está procurando uma égua de barriga de aluguel “para o papel histórico de dar à luz a espécie ressurgida”, relata o Siberian Times com seu típico entusiasmo desenfreado.

Claramente, existem algumas questões éticas e tecnológicas sérias que precisam ser abordadas. Reviver espécies é controverso por uma série de razões, incluindo a diminuição da qualidade de vida do clone (que será submetido a experimentos durante toda a sua vida), o problema da diversidade genética e da consanguinidade e a ausência de um habitat da era do gelo para abrigar a espécie ressuscitada, entre outras limitações.

A colaboração russo-coreana também está tentando clonar um mamute-lanoso, e a pesquisa obtida a partir do estudo do potro poderia ser usada como base para esse experimento pendente. A ressurreição de uma espécie extinta, quer queiramos quer não, pode acontecer mais cedo do que pensamos.



[Siberian Times]

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…