Pular para o conteúdo principal

Arquivo Ovni: “aparição” de OVNIs assusta moradores da Região Tocantina (Maranhão)



Um dos casos mais impressionante aconteceu no município de Coquelândia, povoado de 27 mil habitantes, localizado a 36 km da sede do município de Imperatriz, aconteceu com o eletricista José Alfredo de Ribamar no dia 13 de Março de 2007.

"Já passavam de 1 hora da madrugada, eu estava assistindo televisão quando vi uma forte luz que vinha pela aresta da porta ouvi um barulho parecendo de uma moto, pensei se tratar de algum carro com alguém que estivesse precisando de ajuda. Quando eu sai na porta da minha casa, vi um objeto muito grande, que devia esta a uns 6 metros de altura.

Quando tentei me aproximar para ver melhor o objeto, fui atingido por uma luz muito quente que me lançou a uma distancia de 1 metro e meio.

Fiquei desacordado por um bom tempo, sendo acordado por um vizinho, Sr. Alberto, cabo da Policia Militar do Estado do Maranhão.

Ele disse que também tinha avistado a forte luz e tinha vindo ver o que era, quando viu o objeto de forma arredondada me pegando e me lançando para longe e em seguida sair em disparada em direção ao céu.

Quando acordei minhas roupas estavam todas chamuscadas, estava com dores em minhas costas e meio enjoado.

Depois disso tenho um pouco de receio de sair a noite, sempre fico olhando para o céu para ver se não vejo algo, tenho muito medo que possa vir a acontecer de novo".

Em outro caso ocorrido em Imperatriz (MA), as imagens gravadas pelo cinegrafista profissional João Bosco Brito dos Santos, de 43 anos, nas quais aparecem uma estranha “bola de fogo” no céu, que muda de formato e desaparece repentinamente, são o único registro feito até agora do que pode ser um suposto Objeto Voador Não Identificado (OVNI), descrito por moradores de municípios da Região Tocantina. Esse mesmo fenômeno teria sido avistado por moradores no povoado de Imperatriz, Coquelândia.

O cinegrafista Bosco Brito ainda se emociona ao lembrar das imagens que fez da porta de sua casa, situada na rua Simplício Moreira, no Centro, numa das raras vezes que o suposto OVNI ou UFO (sigla em inglês para descrever objetos voadores não identificados) foi avistado em área urbana.
“Aquilo me impressionou. Eu nunca tinha visto uma coisa daquela, como se fosse um disco voador se movimentando. Isso foi por cerca de 15 minutos, mas na primeira vez só consegui filmar durante 58 segundos, pois a luz surgiu em uma velocidade tremenda. Depois eu consegui gravar outras imagens mais demoradas”, comentou o cinegrafista, que disse acreditar na existência de seres extraterrestres.

Primeira vez

A primeira vez que o suposto OVNI apareceu foi no dia 19 de março, Quarta-feira de Cinzas, entre 19h15 e 19h25. O cinegrafista só filmou 58 segundos de imagens. Na segunda vez que o objeto surgiu, cinco dias depois (24), no mesmo local, ele conseguiu gravar por oito minutos.
“No segundo dia, eu já estava mais tranqüilo, porque no primeiro eu me abalei muito. Da segunda vez, as imagens ficaram melhores e eu ainda as mostrei ao vivo na hora da gravação à algumas pessoas que estavam perto de mim e elas se assustaram. Teve gente que saiu correndo quando viu a transformação daquela coisa que também fez curvas, virou de ponta cabeça e ficou multicolorida”, relembrou Bosco Brito.
O cinegrafista, que trabalhou na TV Mirante de Imperatriz entre 1986 a 1988 e atualmente administra um estúdio de produções cinematográficas, lembrou que teve outros dois encontros de supostos OVNIs até agora. O primeiro foi em Fortaleza (CE), no início da década de 80 e o segundo em Augustinópolis (TO) em 1988, quando o município ainda pertencia ao estado de Goiás, mas nos dois casos ele não se interessou pelo tema.
“Em Fortaleza, quando eu tinha de 15 para 16 anos, vi uma luz incandescente passando pelo céu sobre a gente. Depois, em Augustinópolis também vi a luz piscando em vertical e horizontal, que acredito ser um OVNI. Claro que nesse dia eu vi a olho nu e não com a câmera de filmagem, que a gente tem o recurso de aproximar a imagem”, ressaltou Bosco Brito.

Dom

Disse ainda acreditar que tem um dom especial e inexplicável para atrair o suposto OVNI. Apesar das imagens, ele também admitiu que muitas pessoas o vêem com desconfiança, temendo se tratar de um truque, situação que ele faz questão de rebater imediatamente, citando como fonte sua referência pessoal e comercial na cidade, “nunca tive problemas com drogas, nunca fumei ou bebi. Eu também não colocaria em jogo o meu nome e o da minha família inventando uma coisa dessa”, defendeu-se o cinegrafista, que é casado e pai de três filhos.

Vídeo em questão:




Outro relato interessante recolhido por João Bosco Brito, na fazenda Dois Irmãos, aos arredores de Imperatriz (MA). O relato parte do funcionário da fazenda conhecido como Marquinhos, onde discorre o avistamento que teve com um objeto não identificado.




Nesta outra reportagem do ano de 2003, realizada pelo repórter Luiz Amaral da TV Mirante, aborda sobre supostos avistamentos de Ovnis (Objetos Voadores Não Identificados) no povoado de Coquelândia, em Imperatriz-Ma. Mostra que o local é palco de avistamentos ovnis desde os anos 70.



FONTE: O Estado do Maranhão/João Bosco Brito/Jailson Pereira

Comentários

  1. É muito grande a ocorrência com caçadores. Muita gente do Nordeste conta essa mesma história. Para mim, a mensagem parece ser "não se deve caçar os animais". Parece também que não há interesse em matar esses caçadores, mas apenas assustar, alertar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

A mulher que descobriu a metamorfose e se embrenhou de espartilho na Amazônia no século 17

Merian desenvolveu uma forma diferente de enxergar a natureza. Ela é considerada a primeira ecologista do mundo | Imagem: Gravura de Jacobus Houbraken em retrato de Georg Gsell

No século 17, a alemã Maria Merian se propôs a investigar o mundo dos insetos. Acabou desenvolvendo uma forma diferente de pensar e enxergar a natureza e, aos 52 anos, partiu para uma perigosa aventura na América do Sul, para detalhar os ciclos de vida de borboletas, mariposas e outros insetos.

Os feitos de Merian, numa época em que pouca gente desbravava o continente americano abaixo da linha do Equador - em especial as mulheres -, deram a ela a fama de primeira ecologista do mundo.

Ela nasceu na Alemanha em 1647, numa família de editores, escultores e comerciantes, e logo cedo aprendeu a arte da ilustração.

O interesse pelos insetos surgiu no próprio jardim da casa de Merian, ainda na infância.

Aos 13 anos, ela decidiu pintar o ciclo de vida de um bicho da seda numa época em que o comércio da seda era muito …