Pular para o conteúdo principal

As misteriosas inscrições encontradas em folhas de palmeira em língua que ninguém consegue identificar


Uma biblioteca indiana na cidade de Chennai tem quatro manuscritos em folhas de palmeira em uma linguagem não identificada (GOVERNMENT ORIENTAL MANUSCRIPTS LIBRARY)

Uma inscrição antiga, em uma língua que ninguém consegue identificar, está entre os mais de 70 mil manuscritos recolhidos de diferentes lugares na Índia e que fazem parte do acervo da Biblioteca de Manuscritos Orientais do Governo, na cidade de Chennai, no sul do país.

Não há informações sobre a origem desse obscuro e antigo manuscrito, escrito em folhas de palmeira.

"Não temos registro deste documento. Ele fazia parte da coleção quando a biblioteca foi aberta em 1869", diz o bibliotecário Chandra Mohan.

"Nossa biblioteca abriga 50.180 inestimáveis manuscritos em folha de palmeira, 22.134 em papel e 26.556 livros de referência."

Destes todos, mais de 49 mil são escritos em sânscrito (língua ancestral da Índia e Nepal), e outros 16 mil, em tâmil, uma língua falada no sul da Índia.

Muitas das preciosas folhas de palmeira e placas de cobre do acervo da biblioteca vêm das coleções particulares do engenheiro escocês Colin Mackenzie, o primeiro topógrafo-geral da Índia, cargo criado em 1815, nos tempos em que o país asiático fazia parte do Império Britânico.

O coronel Mackenzie chegou à Índia em 1783, e tinha um grande interesse em matemática e idiomas.

"Ele conseguiu que alguns de seus funcionários viajassem por todo o país, especialmente o sul, para coletar esses manuscritos", disse Mohan durante uma entrevista ao jornal The Hindu. Ele reuniu obras de literatura, história, medicina e natureza - pertencentes a diferentes períodos.

Na biblioteca

Mackenzie morreu em 1821 e sua coleção foi comprada pela Companhia das Índias Orientais.

A coleção foi agrupada em três e uma parte foi enviada para Chennai, no sul da Índia.

Dois outros oficiais da empresa, C.P. Brown e T. Foulkes, também tinham sua própria coleção.

Um professor de sânscrito da Universidade Presidency, de Calcutá, identificado apenas como Pickford, teve o papel crucial de reunir todos esses documentos sob um mesmo teto.


Alguns dos manuscritos reunidos no local estão em diferentes línguas, incluindo telugo (GOVERNMENT ORIENTAL MANUSCRIPT LIBRARY)

Mas esse teto continuou mudando e, mais recentemente, a biblioteca foi transferida do campus da Universidade de Madras para o sétimo andar da Biblioteca Anna Centenary, em Chennai.

A biblioteca abriga manuscritos em várias outras línguas, incluindo telugu (falado na Índia), urdu (Paquistão, Bangladesh e partes da Índia e Nepal) e persa.

Acadêmicos de todo o mundo - uma média de 90 por dia - visitam a biblioteca para estudar as informações contidas nos documentos.

Possíveis conexões do século 16

Um desses estudiosos, que visitou a biblioteca em 2008, encontrou este manuscrito não identificado.

"Ele acreditava que os manuscritos vieram de Karnataka e provavelmente pertenciam ao período de Krishnadevaraya", diz Chandra Mohan.

Krishnadevaraya era um guerreiro do século 16 que governou o antigo Império Vijayanagara, uma monarquia hindu do sul da Índia, por cerca de duas décadas.


O bibliotecário Chandra Mohan pede ajuda de acadêmicos para decifrar o documento

O bibliotecário diz que não há como confirmar a teoria do estudioso.

O manuscrito não identificado é distribuído em quatro páginas - e está na sala de exibição da biblioteca.

Chandra Mohan diz: "Em 1965, publicamos um anúncio em um jornal regional e pedimos a linguistas e acadêmicos para nos ajudar a identificar a inscrição, mas não obtivemos qualquer resposta".

Um visitante poderia ajudar a decodificá-lo?
A biblioteca está agora empenhada em preservar o manuscrito. A esperança é que um visitante o decodifique um dia.

Uma combinação de métodos químicos e manuais está sendo usada para evitar a deterioração do documento.

"A cada três meses, usamos óleo de capim-limão e óleo de citronela para preservar as cópias", diz Mohan.

"Também incorporamos a tecnologia moderna e agora plastificamos vários documentos, além de nossos esforços em digitalização e transcrição."


Um número grande de documentos está sendo digitalizado na biblioteca (GOVERNMENT ORIENTAL MANUSCRIPTS LIBRARY)

O governo do Estado de Tamil Nadu concedeu à biblioteca US$ 45 mil para modernizar e digitalizar seu conteúdo.

O processo de recuperação do documento provavelmente o tornará mais fácil de ler. Mas isso poderia levar à sua identificação?

"Talvez, em algum momento no futuro, um acadêmico possa nos fornecer mais informações sobre esse manuscrito. Ou então todas as informações serão perdidas."

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…