Pular para o conteúdo principal

Como exame de DNA pôs em dúvida gênero de herói de guerra dos EUA


Casimir Pulaski lutou ao lado das tropas americanas contra os britânicos em 1777

Ele é considerado um herói de guerra nos Estados Unidos. Diz-se até que chegou a salvar a vida de George Washington, o primeiro presidente do país.

Mas os cientistas afirmam agora que este célebre combatente do século 18 - homenageado em monumentos históricos - era, na verdade, uma mulher ou intersexual.

O general Casimir Pulaski, que se uniu ao Exército americano e lutou contra as tropas britânicas em 1777, é considerado um herói de guerra tanto na Polônia, onde nasceu, quanto nos EUA.

Há cerca de 20 anos, cientistas americanos exumaram seu corpo, que estava sepultado na cidade de Savanah, na cidade de Geórgia, nos EUA, e descobriram que o esqueleto tinha características femininas, mas não conseguiram comprovar que se tratava realmente dele.

Agora um teste de DNA confirmou que os restos mortais pertenciam ao general.

A surpreendente descoberta será contada em um documentário do canal americano Smithsonian Channel, intitulado America's Hidden Stories: The General Was Female?, que estreia nesta segunda-feira.

Quem era Pulaski?

Pulaski nasceu em Varsóvia, em 1745, e se interessou por política desde cedo.

Na adolescência, a Rússia o proibiu de lutar pela independência da Polônia e, na sequência, ele fugiu para Paris.

Na França, conheceu Benjamin Franklin, um dos líderes da Revolução Americana, que o convenceu a apoiar as colônias que lutavam contra a Inglaterra na Guerra da Independência dos EUA.

Acredita-se que Pulaski salvou a vida de George Washington, que comandava as tropas americanas, durante a Batalha de Brandywine em 1777. O general teria encontrado uma rota de fuga pela qual Washington e seus soldados conseguiram bater em retirada.


Pulaski teria salvado a vida de George Washington durante uma batalha

Ele morreu em 1779 aos 34 anos, pouco depois de ter sido ferido durante o cerco à cidade de Savannah.

Seus restos mortais foram depositados em um recipiente de metal sob um monumento erguido em sua homenagem na mesma cidade.

'O mais feminino possível'

Mas, algum tempo depois, o mausoléu precisou ser removido temporariamente - foi quando os pesquisadores conseguiram exumar e estudar seu esqueleto.

Charles Merbs, que era antropólogo forense na Universidade do Estado do Arizona na época, disse ao jornal ASU Now que examinou a ossada junto com a cientista forense Karen Burns, da Universidade da Geórgia, também nos EUA.

"A doutora Burns falou para mim antes de entrar: 'Entre e não saia gritando'", recorda Merbs.

"Ela me disse para estudar o cadáver com cuidado que depois sentaríamos para discutir."

"Quando entrei, vi imediatamente do que se tratava. O esqueleto era o mais feminino possível."

Outra integrante da equipe, Virginia Hutton, explicou à rede de televisão NBC News que uma das maneiras de diferenciar esqueletos masculinos e femininos era pela pélvis.

"Nas mulheres, a cavidade pélvica tem um formato mais oval. Tem menos forma de coração do que a pélvis masculina. A de Pulaski parecia muito feminina."

Criado como homem

Eles precisavam então provar que o esqueleto pertencia mesmo ao general e não havia sido substituído pelo de outra pessoa.


Pulaski morreu aos 34 anos após ser ferido durante o cerco à cidade de Savannah, nos EUA, em 1779

Mas as ferramentas científicas disponíveis na época não permitiam que os pesquisadores identificassem a ossada por meio de testes de DNA.

Apenas recentemente eles conseguiram confirmar a identidade dos restos mortais, usando o DNA mitocondrial da avó de Pulaski, além da verificação de lesões conhecidas e características físicas específicas.

Merbs diz que é pouco provável que Pulaski, criado como homem, tenha acreditado alguma vez que era mulher ou intersexual (termo usado para descrever pessoas que nascem com características sexuais biológicas que não se encaixam nas categorias típicas do sexo feminino ou masculino).

O máximo que ele pode ter pensado, diz o cientista, é que "algo estava errado".

"Naquela época, as pessoas simplesmente não sabiam dessas coisas", acrescenta.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), 1,7% da população mundial nasce com traços intersexuais, ou seja, com características (genitais, cromossômicas ou hormonais) tanto masculinas quanto femininas.

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…