Pular para o conteúdo principal

BepiColombo conclui fase orbital na Terra e se prepara para ir a Mercúrio



Por Patrícia Gnipper

Em outubro do ano passado, a missão BepiColombo foi lançada como fruto de uma parceria conjunta entre a ESA (agência espacial europeia) e a JAXA (agência aeroespacial japonesa). A nave passou esses últimos cinco meses orbitando a Terra como parte da fase inicial de sua missão, e agora está pronta para navegar rumo ao planeta Mercúrio.

A nave carrega consigo dois orbitadores, um da ESA e outro da JAXA, cujos instrumentos, além de registrar imagens do planetinha, também fornecerão medições inéditas sobre o primeiro e mais desconhecido planeta do Sistema Solar, dando continuidade ao trabalho feito pela sonda Messenger, da NASA, que passou por lá em 2008 e ali permaneceu por quatro anos.

A jornada da BepiColombo durará sete anos até que a nave chegue a Mercúrio desde a data de seu lançamento e, durante a fase de comissionamento próximo da Terra (concluída em dezembro), a equipe da missão então iniciou testes para garantir o funcionamento dos instrumentos científicos da nave, além de sua propulsão e demais sistemas necessários para que a missão seja um sucesso.



Então, no finalzinho de março, um conselho de revisão confirmou que os requisitos da fase de comissionamento estavam preenchidos, liberando a missão para a próxima etapa, que envolve os preparativos para a nave ser impulsionada pela gravidade de outros planetas, o que impulsionará sua viagem rumo a Mercúrio — além da propulsão elétrica, a nave contará com o "empurrão" gravitacional da Terra, de Vênus e do próprio planeta Mercúrio para entrar em sua órbita.

Desde seu lançamento, a BepiColombo já viajou mais de 450 milhões de quilômetros, o que representa apenas 4% da distância total que percorrerá até chegar a Mercúrio no final de 2025. Neste momento, a nave está a 50 milhões de km da Terra e a equipe da missão leva cerca de três minutos para se comunicar com ela.

Nas próximas semanas, as equipes da ESA e da JAXA realizarão verificações adicionais dos instrumentos relacionados à alta voltagem da nave enquanto aguardam o próximo passo da missão, quando a BepiColombo voltará a cerca de 11 mil km da Terra para um sobrevoo a fim de ser impactada novamente pela gravidade do planeta. Então, em outubro do ano que vem a nave fará o primeiro de seus dois sobrevoos por Vênus, com o segundo programado para agosto de 2021.

Ainda que a distância mínima entre Mercúrio e a Terra seja menor do que a distância mínima entre nosso planeta e Marte, Mercúrio recebeu apenas uma missão de exploração orbital, enquanto Marte já recebeu uma enorme variedade de orbitadores, sondas e rovers superficiais. Entre os motivos que explicam por que Mercúrio é tão inexplorado, enquanto o Planeta Vermelho recebe mais atenção, estão coisas como a atração gravitacional do Sol: como Marte é o quarto planeta do Sistema Solar e a Terra é o terceiro, viajar daqui para lá significa se afastar do Sol e, portanto, sua força gravitacional vai ficando mais fraca. Já ao considerar um trajeto entre a Terra e Mercúrio, que é o primeiro planeta depois do Sol, essa viagem acontece no sentido do astro, ou seja, quanto mais se navega, mais forte é a atração. Só que essa aceleração fornecida pela atração gravitacional faz com que a nave viaje muito mais rapidamente, o que significa que, para freá-la, seria necessário muita propulsão a ponto de a nave ser capturada gentilmente pela gravidade de Mercúrio.

Por isso, a solução encontrada pelos engenheiros da missão foi fazer com que a BepiColombo fizesse esses sobrevoos planetários a fim de, gradativamente, ir ganhando impulso e, consequentemente, velocidade, sem ser impulsionada de uma só vez a velocidades que ficariam cada vez maiores, e seu propulsor elétrico faz leves freadas para que a nave mantenha a velocidade ideal à medida em que vai ficando cada vez mais próxima do Sol. Dessa maneira, a missão, apesar de mais longa, ficou mais econômica e mais segura.

FONTE: ESA via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…