Pular para o conteúdo principal

Sonda japonesa chega a asteroide em forma de pião


Antes de coletar material abaixo da superfície do asteroide Ryugu, cientistas vão mapear o objeto que está a 290 milhões de quilômetros da Terra

Após uma viagem de três anos e meio, uma sonda japonesa chegou às proximidades do asteroide Ryugu, em formato de losango - que muitos compararam a um diamante bruto ou a um pião.

A Hayabusa 2 partiu da base espacial Tanegashima em 2014 para estudar o asteroide de perto.

A missão pretende recolher amostras de rochas e do solo do asteroide.

Makoto Yoshikawa, responsável pela missão, explicou os próximos passos da Hayabusa 2 BBC: "Primeiro, vamos estudar cuidadosamente as características da superfície. Depois, vamos escolher o local da aterragem para fazer a coleta de material".

A ideia é lançar, da Hayabyusa 2, um projétil de cobre - chamado de "impactor" - na direção da superfície do asteroide. Uma vez que a Hayabusa 2 esteja a uma distância segura, uma carga explosiva será detonada no projétil para lançá-lo em alta velocidade na direção da superfície do asteroide e, com o impacto, criar uma cratera.


Hayabusa 2 will use a projectile to excavate fresh material from beneath Ryugu's surface

Depois, a nave se aproximará da cratera e enviará pequenas sondas - do tamanho de caixas de sapato - para fazer a coleta de material.

Missão importante
A partir das amostras do Ryugu, os cientistas esperam avançar nos estudos sobre a origem e evolução do Sistema Solar.

Asteroides são, essencialmente, sobras de material da formação do Sistema Solar, há 4,6 bilhões de anos. Eles contêm água, compostos orgânicos - são ricos em carbono - e metais preciosos.

São tão importantes que há empresas analisando a viabilidade de explorar a mineração de asteroides.


Pesquisadores comparam o asteroide a um pião, em especial porque a rotação de Ryugu está desacelerando

Formato inesperado
Yoshikawa, que é professor do Instituto de Ciência Espacial e Astronáutica do Japão, disse que o formato do asteroide é completamente inesperado, assim como a duração de seu movimento de rotação.

Para ele, asteroides que apresentam essa forma, em geral, tendem a ter "dias" curtos, completando uma rotação a cada três ou quatro horas. Mas o período de rotação de Ryugu é relativamente longo: cerca de 7,5 horas.

"Muitos pesquisadores do nosso projeto acreditavam que, no passado, o período de rotação de Ryugu era mais curto, ou seja, ele girava mais rápido, e depois começou a ficar mais lento. Não sabemos o porquê da desaceleração, mas essa é uma característica interessante", disse Yoshikawa.

Hayabusa 2 passará cerca de um ano e meio pesquisando o asteroide de 900 metros de largura e que está a, aproximadamente, 290 milhões de quilômetros da Terra.


As diferentes faces do Ryugu, o asteroide que pode ajudar pesquisadores a entenderam como o Sistema Solar se formou

Durante esse período, os cientistas esperam desembarcar no Ryugu um robô e um analisador autônomo denominado Mascot - que enviará informações à nave-mãe.

A própria sonda depois pousará no asteroide para coletar material.

O asteroide Ryugu é de um tipo chamado C, considerado relativamente primitivo. Isso significa que ele pode ser rico em minerais orgânicos e hidratados. Por isso, a análise da composição do asteroide ajudará a entender a composição molecular que contribuiu para a criação de vida na Terra.

É provável que a superfície do asteroide tenha se desgastado e sido alterada por eras de exposição ao ambiente hostil do espaço. É por isso que os cientistas da Hayabusa 2 querem conseguir encontrar amostras da partes mais profundas possíveis do corpo celeste.


Hayabusa 2 está carregando uma caixa de utensílios de fabricação alemã para ajudar a explorar o asteroide

A Hayabusa 2 leva a bordo o instrumento Lidar, que mede distâncias através de variações de luz e é usado como sensor de navegação em aproximação e aterragens.

Na terça-feira, os pesquisadores usaram com sucesso o Lidar para medir a distância entre a Hayabusa 2 e o asteroide pela primeira vez.

Está previsto que a missão japonesa deixe Ryugu em dezembro de 2019 e retorne à Terra em 2020.

A primeira Hayabusa foi lançada em 2003 e aterrissou no asteroide Itokawa em 2005. Apesar de ter enfrentado uma série de contratempos, ele retornou à Terra em 2010 com uma pequena quantidade de amostras do asteroide.



FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Sintomas bizarros de “ataque sônico” estariam se espalhando por diplomatas americanos pelo mundo

Por: Rhett Jones

Por mais de um ano e meio, diplomatas norte-americanos sofreram de doenças parecidas, que incluíam danos cerebrais leves e perda de audição, depois de terem alegado ouvir sons incomuns. Os incidentes começaram em Cuba, mas os relatos agora se espalharam para outros países. À medida que as autoridades ampliaram os esforços para tratar os casos potenciais, quase 200 pessoas teriam se apresentado para serem examinadas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos teve pouco a dizer sobre os incidentes que começaram em Havana, no fim de 2016, e o vácuo de informações abriu as portas para teorias da conspiração e outras alegações não checadas. Por ora, ninguém pode dizer com certeza o que está acontecendo nesses casos, mas parece que diplomatas norte-americanos estão sendo alvos de algum tipo de ataque que tem deixado os especialistas perplexos. No começo, os oficiais acreditavam que algum “dispositivo sônico” desconhecido estivesse sendo usado contra as vítimas, mas outra…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…