Pular para o conteúdo principal

Será que menor computador do mundo é mesmo um computador?


O menor computador do mundo faz um grão de arroz (esquerda) parecer uma estrutura gigantesca.[Imagem: Umich]

Menor computador do mundo

Em março deste ano, engenheiros da IBM anunciaram ter construído o menor computador do mundo.

Engenheiros da Universidade de Michigan, nos EUA, se sentiram incomodados, já que vêm desenvolvendo sua chamada poeira eletrônica há vários anos.

Os motes - ou "ciscos eletrônicos" - têm pequenos processadores que executam programas em um sistema operacional rudimentar, que lhes permite acessar pequenos bancos de memória RAM e memória flash, bem como se comunicar por ondas de rádio e luz.

Para demonstrar que não estão fora do páreo, David Blaauw e seus colegas apresentaram agora sua última versão de grão de poeira computadorizado: um dispositivo que mede apenas 0,3 mm de aresta, o que é cerca de 10 vezes menor do que o microcomputador da IBM.

Será mesmo um computador?

Essa corrida rumo à miniaturização levantou um debate interessante: O que realmente constitui um computador?

Os dois novos dispositivos de computação que anseiam pelo título de "menor computador do mundo" possuem processador, memória RAM, transmissores e receptores sem fio e células fotovoltaicas para alimentação. Por serem pequenos demais para ter antenas de rádio convencionais, eles recebem e transmitem dados usando luz visível. Uma estação base fornece luz com a programação e recebe os dados.

"Não temos certeza se eles devem ser chamados de computadores ou não. É mais uma questão de saber se eles têm a funcionalidade mínima necessária," contextualiza Blaauw.

Ou seja, essa questão filosófica não se resolverá tão facilmente.

Enquanto isso, enviar a programação e receber os dados por luz pode parecer uma solução engenhosa - e é - mas impôs seus próprios desafios. Ocorre que, devido às dimensões e às correntes minúsculas usadas no funcionamento desses aparelhos, mesmo a luz de um LED induz correntes nos pequenos circuitos, destruindo suas computações.

"Nós tivemos que basicamente inventar novas maneiras de lidar com o projeto dos circuitos, que precisam continuar sendo de baixa potência, mas também devem tolerar a luz," disse Blaauw.


Este é o menor computador criado pela IBM, que, questões filosóficas à parte, agora foi desbancado. [Imagem: IBM]

Proteção para produtos e sensor para tumores

O microcomputador da IBM é uma espécie de etiqueta RFID mais sofisticada, parte de um esforço da empresa para criar uma nova categoria de chips de identificação de produtos chamada de "cripto-âncoras". Segundo a empresa, o chip "pode monitorar, analisar, comunicar e até mesmo agir sobre dados".

A equipe da universidade projetou seu candidato a menor computador do mundo como um sensor de temperatura de alta precisão, que converte as temperaturas em intervalos de tempo, definidos por pulsos eletrônicos. Os intervalos são medidos no chip em relação a uma temporização enviada pela estação base, e então são convertidos em temperatura. Como resultado, o microcomputador pode reportar temperaturas em regiões minúsculas - como um aglomerado de células - com uma margem erro de cerca de 0,1 grau Celsius.

O sistema é muito flexível e pode ser reprojetado para diversas finalidades, mas a equipe está apostando inicialmente nos sensores de temperatura porque o professor Gary Luker, colaborador da equipe, pretende utilizá-los para responder questões básicas sobre a temperatura em tumores.

Alguns estudos sugerem que os tumores ficam mais quentes do que o tecido normal, mas os dados não são sólidos o suficiente para dar uma resposta confiável à questão. O monitoramento localizado da temperatura também poderá ajudar na avaliação dos tratamentos contra o câncer, disse Luker.

Bibliografia:

A 0.04mm3 16nW Wireless and Batteryless Sensor System with Integrated Cortex-M0+ Processor and Optical Communication for Cellular Temperature Measurement.
Xiao Wu, Dennis Sylvester, Gary Luker, Jamie Phillips, David Blaauw
Proceedings of the 2018 Symposia on VLSI Technology and Circuits

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…