Pular para o conteúdo principal

Frank Borman: conheça o astronauta que não gostou de ir ao espaço


FRANK BORMAN SE ARRUMANDO PARA O LANÇAMENTO DA MISSÃO APOLLO 8, NO DIA 21 DE DEZEMBRO DE 1968 (FOTO: NASA, VIA WIKIMEDIA COMMONS)

Borman tinha um único objetivo quando aceitou fazer parte da tripulação da missão Apollo 8: derrotar os soviéticos

Se você passou sua infância sonhando (e ainda tem esperança) em ir para o espaço, saiba que a experiência às vezes nem é tão boa quanto imaginamos.

Em entrevista ao programa de rádio This American Life, o astronauta Frank Borman, que hoje tem 90 anos, relatou o quão desinteressante foi a sua estada no espaço enquanto estava à bordo da missão Apollo 8, a segunda missão tripulada do Projeto Apollo, que foi lançada em dezembro de 1968.


Na ocasião, Borman foi um dos três astronautas a circundar a Lua pela primeira vez e fazer imagens do solo do satélite. Junto com James Lovell e William Anders, fez parte da primeira equipe de astronautas a ultrapassar a órbita terrestre.

Apesar de todas essas conquistas históricas, na entrevista, o ex-astronauta afirma que tudo lhe parecia uma missão como qualquer outra. O grande objetivo de tudo aquilo era, afinal de contas, vencer a União Soviética na corrida espacial; algo que era muito mais importante aos seus olhos.

“Eu estava lá porque era a Guerra Fria”, disse Borman. “Eu queria participar dessa aventura norte-americana de vencer os soviéticos. Essa foi a única coisa que me motivou.”

No programa, Broman reafirmou que não tinha interesse nenhum nas questões astronômicas e que se sentiu indiferente em relação à sua experiência espacial. Sobre a sensação de antigravidade, disse que ela é interessante nos 30 primeiros segundo, mas que depois vira rotina.

“Provavelmente eu sou [a pior pessoa para ir para a Lua]”, brinca. “Devastação. Crateras de meteoros. Sem cor alguma, apenas diferentes tons de cinza”, descreve o veterano, que não gostou nada do que viu quando se aproximou do satélite.

Por outro lado, Borman afirma que aprovou a vista da Terra na Lua e o trabalho de Bill Anders em fotografar esse momento histórico.


VISTA DA TERRA EM SOLO LUNAR. FOTOGRAFIA TIRADA PELO ASTRONAUTA BILL ANDERS DURANTE A MISSÃO APOLLO 8 (FOTO: BILL ANDERS/NASA)


Logo da missão

Para o ex-astronauta, os melhores momentos de sua vida foram aqueles passados em terra firme com sua família. E, quando retornou para a casa, não teve interesse algum em comentar como foi a experiência há milhares de quilômetros da atmosfera. “O última coisa que passou pela minha cabeça foi falar sobre como a Lua se parecia”, conta. “Ninguém perguntou!”

Pouco tempo depois, Borman desistiu de continuar seu treinamento na Nasa e recusou a oportunidade de participar de uma outra missão Apollo. Hoje em dia, quase nunca lembra dos dias espacial e leva boa parte do tempo cuidando de sua esposa, que sofre de Alzheimer.




https://www.amazon.com/Apollo-NASA-Mission-Reports-Book/dp/1896522661

FONTE: Revista Galileu - Dion Lima - Dan Beaumont Space Museum

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…