Pular para o conteúdo principal

A reta final no pique-bandeira espacial


Astronautas Bob Behnken e Doug Hurley serão os primeiros a voar numa cápsula tripulada da SpaceX, no ano que vem. (Crédito: Nasa)

Salvador Nogueira

Nasa e SpaceX entraram num acordo quanto aos procedimentos adotados para o futuro lançamento de astronautas ao espaço, em mais um importante passo no programa comercial de tripulação da agência espacial americana, que está atrasado em vários anos, mas deve fazer seu primeiro voo tripulado de teste em 2019.

Duas empresas estão nessa disputa de pique-bandeira espacial promovida pela Nasa. Além da SpaceX, a tradicional Boeing também está no jogo, com sua cápsula Starliner.

Em 2014, as duas companhias ganharam a concorrência por contratos que mudam as regras do jogo no voo espacial. Em vez de a Nasa pagar os custos de cada missão, a ideia agora é só comprar as passagens, por preço fixo, e deixar empresas privadas fazerem o transporte à Estação Espacial Internacional (ISS).

Pelo contratos (de US$ 2,6 bilhões para a SpaceX, US$ 4,2 bilhões para a Boeing), as empresas devem desenvolver cápsulas capazes de levar humanos ao espaço, demonstrá-las em testes e então promover seis voos de quatro tripulantes à ISS.

Quem chegar primeiro terá a honra de resgatar de lá uma bandeira americana deixada pelo ônibus espacial Atlantis, no último voo dessas naves, em 2011. Daí o “pique-bandeira”.

Desde a aposentadoria dos ônibus, a Nasa tem dependido das cápsulas russas Soyuz para levar seus astronautas ao espaço. Cada assento é vendido a peso de ouro, e os últimos lugares já contratados serão usados no ano que vem.

Neste momento, a agência espacial americana está confortável com a situação. A SpaceX deve fazer o primeiro teste de sua nova cápsula Dragon em novembro deste ano — a nave já está em Cabo Canaveral sendo preparada para voo. Se tudo correr bem, o segundo teste deve levar os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley à ISS em abril de 2019.

A Boeing, por sua vez, está um pouco mais atrasada — estima o primeiro voo da Starliner, sem tripulação, para até o começo do ano que vem, e o primeiro lançamento com astronautas em meados de 2019.

Enquanto isso não acontece, a Nasa comprou da Boeing alguns assentos nas Soyuz que a empresa americana ganhou como parte de um acordo numa disputa judicial com a companhia russa Energia ligada à plataforma marinha de lançamento de foguetes conhecida como Sea Launch.

Astronautas da Nasa os vem usando desde então, e a agência americana diz que ainda tem mais um assento em julho de 2019, o que estenderia a presença de ao menos um americano na ISS até o fim do ano.

Há, portanto, margem razoável para que pelo menos uma das duas concorrentes no pique-bandeira consiga entrar em operação antes que os EUA fiquem sem carona para a estação espacial.



FONTE: mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…