Pular para o conteúdo principal

Agora você pode ver os manuscritos de Leonardo da Vinci online de graça


Mais de 500 folhas de conteúdo feito na escrita em espelho estão disponíveis online, mas sem a tradução dos temas

Juntar e estudar todo o legado de Leonardo da Vinci não é uma coisa fácil. Mas novos projetos de digitalização pretendem mudar este cenário. Em 2017, a Biblioteca Nacional do Reino Unido e a Microsoft colocaram 570 páginas do Codex Arundel, coleção de notas do artista, na web. E agora a Biblioteca Nacional de Arte, do Victoria and Albert Museum (V & A), em Londres, digitalizou os cadernos Codex Forster. A melhor parte? Todo o conteúdo pode ser acessado gratuitamente.

Nás páginas Arundel, é possível ver desenhos que lembram avião, helicóptero, submarino, paraquedas e até um carro – mais evidências de que o pintor do quadro Mona Lisa era um visionário, visto que na época em que era vivo esses meios ainda não existiam.


TRADUÇÃO DOS CADERNOS DE LEONARDO DA VINCI, CONTUDO, NÃO ESTA DISPONÍVEL (FOTO: REPRODUÇÃO/VICTORIA AND ALBERT MUSEUM)

Segundo o site Open Culture, o aspecto mais inovador da iniciativa do V & A é o uso do IIIF (International Image Interoperability Framework), método padronizado de descrição e inserção de imagens online. "Usamos a funcionalidade de zoom profundo para apresentar alguns dos itens mais espetaculares e detalhados da coleção", comentou Kati Price, diretora de mídia digital do museu.


PROJETO DE DIGITALIZAÇÃO DE MANUSCRITOS DE DA VINCI USOU MÉTODO QUE PADRONIZA IMAGENS NA WEB (FOTO: REPRODUÇÃO/VICTORIA AND ALBERT MUSEUM)

Os cadernos Codex Forster receberam esse nome pois eram do acervo pessoal de John Forster, biógrafo britâncio. O Codex Forster I contém as notas mais antigas do V & A, datadas entre 1487 e 1505. "Feito na famosa 'escrita especular' de Leonardo, os assuntos explorados vão de engenharia hidráulica até um tratado sobre a medição de sólidos", descreve o site do museu.

As partes Forster II e III devem ser digitalizadas em breve. “Estamos planejando tornar esses dois outros volumes totalmente acessíveis em 2019 para celebrar o 500º aniversário da morte de Leonardo”, disse Catherine Yvard, curadora do V & A.

A tradução dos temas não está disponível: por enquanto, é possível se aventurar pelos desenhos e caligrafia de da Vinci, e tentar imaginar o que se passava na cabeça dele. Para conferir as 570 páginas do Codex Arundel, acesse o site da Biblioteca Nacional do Reino Unido. E se você quiser ver a coleção Codex Forster I, entre no portal do museu V & A.


MANUSCRITOS DE DA VINCI DIGITALIZADOS SÃO NA 'ESCRITA-ESPELHO' (FOTO: REPRODUÇÃO/VICTORIA AND ALBERT MUSEUM)

http://www.bl.uk/manuscripts/Viewer.aspx?ref=arundel_ms_263_f001r
http://www.openculture.com/2018/08/leonardo-da-vincis-earliest-notebooks-now-digitized-and-made-free-online.html
https://www.vam.ac.uk/articles/explore-leonardo-da-vinci-codex-forster-i#?c=0&m=0&s=0&cv=0&xywh=-1134%2C0%2C3742%2C1989

FONTE: REVISTA GALIELU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…