Pular para o conteúdo principal

Físicos aperfeiçoam a Constante de Hubble, que mede expansão do Universo


GALÁXIAS SELECIONADAS POR PROGRAMA DO TELESCÓPIO ESPACIAL HUBBLE PARA MEDIR TAXA DE EXPANSÃO DO UNIVERSO. LINHA CENTRAL MOSTRA CAMPO DE VISÃO TOTAL DO HUBBLE. LINHA INFERIOR APROXIMA CAMPOS DE VISÃO. GIGANTES VERMELHAS ESTÃO IDENTIFICADAS POR CÍRCULOS AMARELOS. (FOTO: NASA/ESA/UNIVERSIDADE DE CHICAGO/ESO)

Astrônomos utilizaram método inovador para tentar acabar com dúvidas sobre número

Astrônomos fizeram uma nova medição de quão rápido o universo está se expandindo com um método totalmente diferente dos utilizados antes. Em estudo publicado recentemente, os pesquisadores da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, disseram acreditar que a descoberta aperfeiçoa a Constante de Hubble — justamente utilizada para medir o fenômeno.

A Constante de Hubble determina a velocidade com que o espaço está se expandindo, ou seja, quão rápido as galáxias se afastam umas das outras. Entretanto, embora a ideia tenha sido proposta há mais de um século, o número já foi contestado ou alterado diversas vezes.

A nova medição ocorreu graças ao Telescópio Espacial Hubble, da NASA, e caiu no centro de uma questão muito debatida em astrofísica que pode levar a uma nova interpretação das propriedades fundamentais do universo.

Uma delas utiliza estrelas Cefeidas distantes para fazer a medição, mas é muito difícil calcular com precisão as distâncias para objetos tão distantes. Em 2001, esse número foi acertado em 72 quilômetros por segundo por megaparsec (km/seg/Mpc) – um parsec é equivalente a 3,26 anos-luz de distância.

Mais recentemente, físicos construíram um modelo baseado na estrutura ondulante da luz que sobrou do Big Bang, que é chamado de Fundo de Microondas Cósmico. As medições de Planck permitem aos cientistas prever como o universo inicial teria evoluído para a taxa de expansão que os astrônomos podem observar hoje. À época, o time concluiu que a taxa era de 67.4 km/sec/Mpc.

A nova medida da constante de Hubble usa uma espécie de estrela conhecida como gigante vermelha. Suas observações indicam que a taxa de expansão do universo é de pouco menos de 70 km/seg/Mpc. "A discrepância que vimos antes não desapareceu, mas essa nova evidência sugere que ainda não se sabe se há uma razão imediata e convincente para acreditar que há algo fundamentalmente defeituoso em nosso atual modelo do universo", afirmou a líder das pesquisas Wendy Freedman, segundo a NASA.

Algumas estrelas terminam suas vidas como gigantes vermelha, estágio de evolução para qual o Sol está caminhando. Em um certo ponto, esse astro sofre um evento catastrófico chamado de flash de hélio, no qual a temperatura sobe para cerca de 100 milhões de graus e sua estrutura é rearranjada, o que acaba diminuindo dramaticamente sua luminosidade.

Os astrônomos sabem como medir o brilho aparente de estrelas nessa fase, o que os permite usar os dados como uma maneira de calcular a distância entre elas. "Nosso pensamento inicial era que, se há um problema a ser resolvido entre as Cefeidas e o Fundo de Microondas Cósmico, então o método das gigantes vermelhas poderia ser o desempate", apontou a especialista.

Esses resultados não parecem favorecer fortemente uma resposta sobre a outra, de acordo com os pesquisadores, mesmo se mais aos resultados de Planck. Sendo assim, a busca pela (in)constante continua. "A constante de Hubble é o parâmetro cosmológico que define a escala, o tamanho e a idade absolutos do universo; é uma das maneiras mais diretas que temos de quantificar como o universo evolui", destacou Freedman sobre a importância da questão.

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…