Pular para o conteúdo principal

Asteroide exilado descoberto nos confins do Sistema Solar


Esta imagem artística mostra o asteroide exilado 2004 EW95, o primeiro asteroide que se confirma ser rico em carbono a existir no Cinturão de Kuiper e uma relíquia do Sistema Solar primordial. Este curioso objeto formou-se muito provavelmente no cinturão de asteroides situado entre Marte e Júpiter e foi depois lançado a milhares de milhões de quilômetros de distância, instalando-se assim no Cinturão de Kuiper.
Crédito: ESO/M. Kornmesser

Com o auxílio dos telescópios do ESO, uma equipe internacional de astrônomos investigou uma relíquia do Sistema Solar primordial. A equipe descobriu que o invulgar objeto do Cinturão de Kuiper 2004 EW95 se trata de um asteroide rico em carbono, o primeiro deste tipo que se confirma existir nos frios confins do Sistema Solar. Este curioso objeto formou-se muito provavelmente no cinturão de asteroides situado entre Marte e Júpiter e foi depois lançado a milhares de milhões de quilômetros de distância, instalando-se assim no Cinturão de Kuiper.

Os primórdios do nosso Sistema Solar foram muito tempestuosos. Modelos teóricos desse período predizem que depois da formação dos gigantes gasosos, estes planetas assolaram o Sistema Solar, ejetando pequenos corpos rochosos das regiões internas para órbitas mais externas, muito afastadas do Sol. Em particular, os modelos sugerem que o Cinturão de Kuiper — uma região fria situada para lá da órbita de Netuno — deveria conter uma pequena fração de corpos rochosos originários do Sistema Solar interno, tais como asteroides ricos em carbono, os chamados asteroides carbonáceos (ou do tipo C).

Agora, um artigo científico recente apresenta evidências sólidas para a existência do primeiro asteroide do tipo C observado no Cinturão de Kuiper, apoiando assim fortemente os modelos teóricos dos primórdios turbulentos do nosso Sistema Solar. Após medições difíceis obtidas por vários instrumentos montados no VLT (Very Large Telescope) do ESO, uma pequena equipe de astrônomos liderada por Tom Seccull da Queen’s University Belfast no Reino Unido, conseguiu obter a composição do objeto anômalo do Cinturão de Kuiper 2004 EW95 e determinar que se trata de um asteroide carbonáceo. Este fato sugere que o asteroide se formou originalmente no Sistema Solar interno, tendo depois migrado mais para o exterior (foram igualmente detectados nos confins do Sistema Solar outros objetos do Sistema Solar interior, no entanto este é o primeiro asteroide do tipo C a ser descoberto tão longe de casa, no Cinturão de Kuiper).

A natureza peculiar de 2004 EW95 foi inicialmente observada durante observações de rotina obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA por Wesley Fraser, também astrônomo na Queen’s University Belfast e igualmente um dos membros da equipe responsável por esta descoberta. O espectro de reflexão do asteroide — um padrão específico de comprimentos de onda da luz refletida por um objeto — era diferente dos espectros de pequenos objetos do Cinturão de Kuiper semelhantes, os quais apresentam tipicamente espectros pouco interessantes sem estruturas, que revelam pouca informação sobre a sua composição.

"O espectro de reflexão de 2004 EW95 era claramente distinto dos outros objetos observados no Sistema Solar externo," explica o autor principal do trabalho, Seccull. "Era de fato suficientemente estranho para merecer uma segunda observação mais detalhada."

A equipa observou 2004 EW95 com os instrumentos X-Shooter e FORS2 montados no VLT. A sensibilidade destes espectrógrafos permitiu aos investigadores obter medições mais detalhadas do padrão de luz refletida pelo asteroide e consequentemente inferir a sua composição.

No entanto, mesmo com o impressionante poder coletor do VLT, 2044 EW95 era ainda difícil de observar. Apesar do objeto ter uma dimensão de 300 km, encontra-se atualmente à colossal distância da Terra de 4 bilhões de km, o que faz com que a obtenção de dados da sua superfície escura rica em carbono se torne um desafio científico bastante grande.

"É um pouco como observar uma montanha gigante de carvão sobre o fundo negro do céu noturno," explica o coautor Thomas Puzia da Pontificia Universidad Católica de Chile.

"Para além de se movimentar, 2004 EW95 é também muitíssimo ténue," acrescenta Seccull. "Tivemos que usar técnicas de processamento de dados muito avançadas para retirar a maior informação possível dos dados." Duas estruturas nos espectros do objeto eram particularmente notórias e correspondiam à presença de óxidos de ferro e filossilicatos. A presença destes materiais nunca tinha sido confirmada anteriormente num objeto do Cinturão de Kuiper e sugere fortemente que 2004 EW95 se formou no Sistema Solar interior.

Seccull conclui: "Dada a localização atual de 2004 EW95, nos confins gelados do Sistema Solar, podemos dizer que o objeto foi lançado para a sua órbita atual por um planeta migratório durante os primórdios do Sistema Solar."

"Apesar de já ter havido referências anteriores a outros espectros de objetos do Cinturão de Kuiper 'atípicos', nenhuma foi confirmada com este nível de certeza," comenta Olivier Hainaut, astrônomo do ESO que não fez parte da equipe. "A descoberta de um asteroide do tipo C no Cinturão de Kuiper é uma das verificações chave de uma das previsões fundamentais dos modelos dinâmicos do Sistema Solar primordial."


Uma equipe internacional de astrônomos usou telescópios do ESO para investigar uma relíquia do Sistema Solar primordial. A equipe descobriu que o invulgar objeto do Cinturão de Kuiper 2004 EW95 é um asteroide rico em carbono, o primeiro do seu tipo a ser confirmado nos frios confins do Sistema Solar exterior.
A linha vermelha na imagem mostra a órbita de 2004 EW95, com as órbitas de outros corpos do Sistema Solar a verde para comparação.
Crédito: ESO/L. Calçada

FONTE: ASTRONOMIA ONLINE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…