Pular para o conteúdo principal

Três naves ficarão de guarda vigiando cometa desconhecido


Corpos celestes que nos visitam não vêm só do próprio Sistema Solar - cometas, principalmente, podem vir de bem mais longe. [Imagem: ESA/UCL]

Vigia de cometas

Agora que você já sabe quase tudo sobre defesa planetária, é tranquilizador acrescentar que não estamos parados, reforçando essas defesas continuamente.

A Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Japonesa (JAXA) acabam de aprovar a missão "Interceptador de Cometas" (Comet Interceptor), passando o projeto para a fase de detalhamento, prévio ao início da construção das naves.

O objetivo é investigar cometas ou outros objetos interestelares desconhecidos que se aproximem do Sol pela primeira vez, a exemplo do 'Oumuamua, que alguns cientistas desconfiaram que fosse uma sonda alienígena.

Se esses objetos desconhecidos calharem de vir em direção à Terra, haverá então tempo suficiente para nos prepararmos.

Mesmo se não for esse o caso, a missão estará preparada para dirigir-se rapidamente até o corpo celeste e estudá-lo em detalhes. Projetar, construir e lançar uma sonda espacial leva anos, o que significa que o corpo celeste já teria seguido seu caminho, afastando-se de nós.

E, ao contrário da sonda Rosetta, que estudou o cometa 67P, será possível estudar objetos ainda não afetados pela proximidade do Sol, o que altera drasticamente não apenas sua superfície, mas também seu interior. A expectativa é que isso melhore nossa compreensão das origens do nosso Sistema Solar e do universo mais amplo.


As três naves ficarão no espaço, prontas para avançar em direção ao cometa desconhecido. [Imagem: ESA/UCL]

Interceptador de Cometas

A missão Interceptador de Cometas consistirá em três naves em uma, que ficarão estacionadas no ponto de Lagrange Sol-Terra L2, cerca de 1,5 milhão de quilômetros "atrás" da Terra - considerando a Terra vista do Sol.

Depois que a sonda chegar em L2, a nave principal (A), que funcionará como o central de comunicações, e as duas subnaves (B1 e B2), ficarão de prontidão à espera de um cometa desconhecido ou outro corpo celeste alienígena.

Uma vez que um alvo adequado seja localizado usando telescópios baseados na Terra, as três naves se dirigirão a ele. Pouco antes de chegar ao cometa, as três sondas espaciais se separarão e, juntas, caracterizarão a composição da superfície, a forma, a estrutura e os gases liberados pelo cometa, tudo de diversos pontos de vista.

O novo LSST (Telescópio de Levantamento Sinóptico Grande), atualmente em construção no Chile, deverá dar uma contribuição importante ao projeto, uma vez que ele fará a varredura de todo o céu visível a cada poucas noites e deverá descobrir cometas vindos do Sistema Solar externo a distâncias muito maiores do que os telescópios atuais são capazes.

A missão Interceptador de Cometas deverá ser lançada em 2028.

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…