Pular para o conteúdo principal

Fotografia de alta velocidade troca distância por tempo


Em lugar de pensar na "distância focal", pense no "tempo focal" - dá no mesmo, mas as lentes ficam minúsculas. [Imagem: Barmak Heshmat/MIT]

Tempo focal

Pesquisadores do MIT, nos EUA, desenvolveram uma nova técnica de óptica para fotografia que captura as imagens com base no tempo de reflexão da luz dentro do conjunto de lentes, em lugar da abordagem tradicional, que se baseia no arranjo espacial das lentes.

Esse novo princípio cria possibilidades de novos recursos para câmeras sensíveis ao tempo ou à profundidade, que não são possíveis com a óptica de fotografia convencional.

Especificamente, Barmak Heshmat e seus colegas projetaram uma óptica para um sensor ultrarrápido conhecido como câmera streak, um sensor de altíssima velocidade que captura a emissão de luz de fenômenos que ocorrem em períodos extremamente curtos. As câmeras streak e outras câmeras ultrarrápidas têm sido usadas para fazer vídeos com trilhões de quadros por segundo, digitalizar livros fechados, criar mapas de profundidade de cenas 3D e até para fotografar objetos não-identificados em Marte.

Essas câmeras baseiam-na na óptica convencional, que tem várias restrições de projeto. Por exemplo, uma lente com uma determinada distância focal, medida em milímetros ou centímetros, deve ficar a uma distância do sensor de imagem igual ou maior a distância focal para que a imagem seja nítida. Isso explica porque os fotógrafos profissionais usam aquelas lentes compridas e pesadas.

Fotografia resolvida no tempo

Na nova técnica, o sinal de luz reflete para frente e para trás entre espelhos cuidadosamente posicionados dentro do sistema de lentes. Um sensor de imagem ultrarrápido captura uma imagem separada para cada tempo de reflexão da luz entre os espelhos. O resultado é uma sequência de imagens, cada uma correspondendo a um ponto diferente no tempo e a uma distância diferente da lente. Cada imagem pode ser acessada em seu horário específico.

Os pesquisadores batizaram a técnica de "óptica dobrada no tempo", porque a arquitetura inclui um conjunto de espelhos paralelos semirreflexivos que reduzem, ou "dobram", a distância focal toda vez que a luz reflete entre os espelhos.

Colocando o conjunto de espelhos entre a lente e o sensor, a distância do arranjo da óptica foi reduzida em uma ordem de grandeza - 10 vezes - sem perder qualquer detalhe da cena.

"Quando você tem uma câmera com sensor rápido, para decifrar a luz passando pela óptica você pode trocar tempo por espaço," detalha Heshmat. "Esse é o conceito central de dobrar o tempo. Você olha para a óptica na hora certa, e esse tempo é igual a olhar para ela na distância correta. Você pode então organizar a óptica de novas maneiras com recursos que não eram possíveis antes."

Bibliografia:

Photography optics in the time dimension
Barmak Heshmat, Matthew Tancik, Guy Satat, Ramesh Raskar
Nature Photonics
DOI: 10.1038/s41566-018-0234-0

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLOGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…