Pular para o conteúdo principal

Novo método pode revelar até os buracos negros mais evasivos de nossa galáxia



Os buracos negros fazem o tipo forte, silencioso — um velho enigma. O telescópio Hubble estima aproximadamente 100 milhões de buracos negros apenas em nossa galáxia, mas, por sua força gravitacional ser tão intensa, a luz não pode escapar deles. Mesmo com os equipamentos mais avançados, os buracos negros “perdidos”, vagando pelo espaço, são quase impossíveis de se encontrar.

Mas uma nova pesquisa de um grupo de cientistas da Universidade Keio, no Japão, pode mudar tudo na caça por esses gigantes evasivos. Inicialmente, a equipe decidiu observar o gás molecular ao redor de uma remanescente de supernova chamada W44, localizada a 10 mil anos-luz de distância de nosso sistema solar.

Entretanto, após usar o telescópio ASTE, no Chile, e o Rádio-Telescópio 45-m no Nobeyama Radio Observatory, no Japão, pesquisadores descobriram uma movimentação estranha dentro dessa nuvem molecular, que apelidaram de “Bullet”, movimentando-se a 360.000 km/h. A equipe postulou que um buraco negro escondido poderia estar causando a atividade incomum e decidiu estudar o assunto de forma mais aprofundada. Suas descobertas foram publicadas em janeiro, no Astrophysical Journal Letters.

“Maior parte da ‘Bullet’ tem um movimento de expansão com velocidade de 50 km/s, mas a ponta da ‘Bullet’ tem uma velocidade de 120 km/s”, disse, em um comunicado à imprensa, Masaya Yamada, estudante de pós graduação da Universidade Keio e líder do estudo. “Sua energia cinética é algumas dezenas de vezes maior do que a injetada pela supernova W44. Parece impossível que possa gerar tamanha nuvem de energia sob ambientes comuns.”

O grupo sugeriu que um dos dois cenários a seguir pode ter causado a “Bullet”: um “modelo de explosão” ou um “modelo de irrupção”. No primeiro, gases densos próximos ao buraco negro desencadeiam uma explosão, acelerando o gás em nossa direção. No segundo, o buraco negro dá origem a um fluxo de gás de alta velocidade. A equipe ainda não tem certeza sobre qual das duas possibilidades é mais possível, mas irá investigar mais profundamente a situação, utilizando o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), no Chile, um rádio-observatório constituído por 66 antenas.

Imagem: Universidade Keio

Os pesquisadores esperam que seu método, de estudar movimentos dentro de nuvens de gás, os ajudará a revelar mais buracos negros, porque esses trapaceiros não vão se revelar por conta própria. Em janeiro, cientistas das universidades de Durham e Southampton encontraram “buracos negros monstruosos” no centro das galáxias próximas à nossa própria Via Láctea, envoltas por trás de nuvens de gás e poeira. Talvez o método da Universidade de Keio ajude a encontrar mais algumas dessas feras furtivas e outros buracos negros menores em nossa galáxia também.

“Encontramos uma nova maneira de descobrir esses buracos negros evasivos”, afirmou Tomoharu Oka, membro da equipe.



Imagem do topo: Universidade Keio

[Nobeyama Radio Observatory]

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…