Pular para o conteúdo principal

Altar maia de 1,5 mil anos revela trama digna de 'Game of Thrones'


DETALHE DO ALTAR MAIA MOSTRA O REI CHAK TOOK ICH'AAK, O GOVERNANTE DE LA CORONA (FOTO: GUATEMALA'S NATIONAL MUSEUM OF ARCHAEOLOGY AND ETHNOLOGY)

Inscrições em calcário revelam a disputa do Reino da Serpente pelo domínio do trono maia

Uma descoberta em um pequeno sítio arqueológico na Guatemala desvendou uma trama pela disputa do reino maia digna de 'Game of Thrones'. Um altar de 1,5 mil anos repleto de inscrições em calcário foi encontrado nas ruínas de La Corona, perto das fronteiras com o México e Belize, e conta as estratégias da dinastia de Kaanul para chegar ao poder.

Com 1,46 metro por 1,2 metro, contém a inscrição hieroglífica correspondente que mostra o rei Chak Took Ich'aak, o governante de La Corona, "sentado e segurando um cetro do qual emergem dois deuses protetores da cidade". Outras descobertas permitiram aos pesquisadores determinar que o rei Chak Took Ich'aak também governou a cidade vizinha de El Peru-Waka, cerca de 20 anos depois.

Tomás Barrientos, co-diretor de escavações e investigações no local, diz que essas evidências mostram que a dinastia Kaanul, também conhecida como Reino da Serpente, desenvolveu um movimento político em La Corona que lhes permitiu derrotar seus "arquirrivais" em 562 e depois governar as terras baixas maias no sudeste da Mesoamérica por dois séculos.

Esse movimento político foi baseado em alianças com pequenas cidades ao redor de Tikal antes do empurrão final da vitória. Juntamente com essas revelações, os pesquisadores também encontraram detalhes de um casamento entre uma princesa do Reino da Serpente e um Rei da Coroa.

"Este altar nos mostra uma parte da história da Guatemala e, neste caso, cerca de 1.500 anos atrás, eu chamaria isso de a versão maia histórica de Game of Thrones", acrescentou ele, comparando a manobra do reino de Kaanul com a disputa pelo controle dos Sete Reinos.


INSCRIÇÕES REVELAM A LUTA DO REINO DA SERPENTE PELA CONQUISTA DO TRONO MAIA. (FOTO: GUATEMALA'S NATIONAL MUSEUM OF ARCHAEOLOGY AND ETHNOLOGY)

De acordo com Barrientos, a descoberta preenche lacunas históricas sobre as relações políticas da cultura maia. "É uma obra de arte de alta qualidade que nos mostra que eles eram governantes entrando em um período de grande poder e que estavam se aliando a outros para competir, neste caso, com Tikal”.

O Reino da Serpente expandiu-se de sua capital, Dzibanche, para o atual norte da Guatemala, Belize e o estado mexicano de Campeche, mas foi finalmente derrotado por Tikal. "Ter informações sobre o que aconteceu a seguir, como eles estavam tramando uma estratégia política aqui, nos ensina muito sobre política naqueles tempos e a luta por território", disse Barrientos.

A cultura maia atingiu seu apogeu durante o período clássico entre os anos de 250 e 900, antes de entrar em sua fase de declínio, que se estendeu por mais 300 anos antes de desaparecer.

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…