Pular para o conteúdo principal

Espaçonave Hayabusa2 chega ainda mais perto do Ryugu e captura imagem detalhada do asteroide



Por: George Dvorsky

A espaçonave japonesa Hayabusa2 chegou tentadoramente perto do asteroide Ryugu nesta terça-feira (7), oferecendo uma visão sem precedentes de sua superfície coberta de pedregulhos.

Duas semanas atrás, a Hayabusa2 chegou a seis quilômetros de distância do Ryugu, mas a descida desta terça, a terceira da missão, viu a espaçonave chegar a 851 metros do asteroide, o encontro mais próximo já feito até hoje. Os planejadores da missão estão se preparando para um procedimento que fará a Hayabusa2 coletar amostras de rocha e poeira da superfície do Ryugu. A descida desta terça foi feita para medir o fraco puxão gravitacional exercido pelo asteroide de um quilômetro de largura.


Superfície do Ryugu vista de uma altitude de 1.250 metros. Imagem: JAXA, Universidade de Tóquio, Universidade de Kochi, Universidade de Rikkyo, Universidade de Nagoya, Instituto Chiba de Tecnologia, Universidade de Meiji, Universidade de Aizu, AIST

Durante a descida, a Hayabusa2 tirou fotos com sua câmera de navegação ótica de telefoto (ONC-T, na sigla em inglês) e sua câmera de navegação ótica grande angular (ONC-W, na sigla em inglês). A barra de escala de dez metros na parte inferior das fotos fornece a perspectiva necessária. O que parecem algumas pedras espalhadas pela superfície são, na verdade, grandes pedregulhos.


Visão de câmera com ângulo grande angular mostrando o asteroide inteiro. O quadrado em vermelho corresponde à fotografia tirada a uma altitude de mil metros. Imagem: JAXA, Universidade de Tóquio, Universidade de Kochi, Universidade de Rikkyo, Universidade de Nagoya, Instituto Chiba de Tecnologia, Universidade de Meiji, Universidade de Aizu, AIST

Durante a operação de medição de gravidade, os cientistas da JAXA (Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial) monitoraram cuidadosamente o movimento da espaçonave à medida que ela fazia sua queda livre e sua subida, observando a força da gravidade do asteroide na sonda. A JAXA ainda precisa decidir de onde quer que a sonda extraia suas amostras de superfície e onde vai implantar as pequenas sondas de superfície adicionais. Isso deve acontecer em alguns meses, com a sonda voltando à Terra com suas amostras no final de 2020. Porém, como mostram essas novas fotos, a superfície do Ryugu é complexa e traiçoeira. Escolher um local de aterrissagem ideal não será fácil.

Ao estudar os fragmentos que compõem Ryugu, os cientistas esperam fazer descobertas importantes sobre a composição do antigo Sistema Solar e as condições que deram origem à vida na Terra. Os asteroides são objetos antigos e muitas vezes possuem traços de água ou de materiais orgânicos (ou ricos em carbono).

[JAXA Hayabusa 2 Project]

Imagem do topo: JAXA, Universidade de Tóquio, Universidade de Kochi, Universidade de Rikkyo, Universidade de Nagoya, Instituto Chiba de Tecnologia, Universidade de Meiji, Universidade de Aizu, AIST

FONTE: GIZMODO BRASIL

http://ufos-wilson.blogspot.com/2018/07/sonda-japonesa-hayabusa2-tira-foto.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…