Pular para o conteúdo principal

Meteorito coberto de cristais intriga cientistas


METEORITO COM CRISTAIS PODE AJUDAR A EXPLICAR FORMAÇÃO DO SISTEMA SOLAR (FOTO: REPRODUÇÃO/YOUTUBE CARL AGEE)

Análise indicou que a rocha tem aproximadamente 4,6 bilhões de anos

Cientistas encontraram uma rocha espacial do tamanho de uma bola beisebol, cravejada de cristais verdes e que foi considerada "completamente diferente" de qualquer outro meteorito ígneo (quando a pedra fundida esfria e se solidifica) já estudado na Terra.

Estima-se que o fragmento tenha cerca de 4,6 bilhões de anos, sendo o mais antigo já encontrado. Publicado na revista Nature Communications, o relatório da descoberta indica que naquele período uma enorme nuvem de poeira e gás desmoronou em torno do Sol, e objetos como planetas emergiram e se formaram o sistema solar conhecido atualmente.

"Esta pesquisa é fundamental para entender como os planetas se formaram no início do sistema solar", disse em comunicado Carl Agee, da Universidade do Novo México, nos Estados Unidos. “Esses processos ígneos agem como pequenos fornos que estão derretendo a rocha e processando todos os sólidos do sistema solar. Em última análise, é assim que os planetas são formados."

A rocha foi encontrada nas dunas da Mauritânia e recebeu a identificação de Northwest Africa 11119. Os estudiosos não sabiam se ela vinha do espaço devido à sua cor clara, mas a avaliação científica confirmou que a amostra vinha de fora do planeta.

“Não é apenas um tipo de rocha extremamente incomum: está nos dizendo que nem todos os asteroides são iguais. Alguns deles parecem como a crosta da Terra porque são claros e cheios de sílica”, falou Agee. "Eles não apenas existem, mas ocorreram durante um dos primeiros eventos vulcânicos que aconteceram no sistema solar."

É possível ver mais detalhes da pedra no vídeo do pesquisador.



Agee adquiriu a pedra com um traficante de meteorito e a entregou para a estudante de doutorado, Poorna Srinivasan. Ela confirmou que a rocha veio de algum lugar do sistema solar. "Mas não podemos realmente identificá-lo como um corpo conhecido que foi visto com um telescópio", comentou Srinivasan.

Embora os cientistas não saibam exatamente de onde o fragmento vem, eles o associaram a outros dois meteoritos encontrados na Terra: o Northwest Africa 7235 e o Almahata Sitta. Eles acreditam que as três rochas podem ter a mesma origem.

Além dessa possível conexão, a idade e a composição do meteorito fazem com que seja diferente de tudo que já examinaram antes. "Esta rocha se destaca como algo completamente diferente de qualquer um dos mais de 40 mil meteoritos que foram encontrados na Terra", declarou Srinivasan.

Para os pesquisadores, essa amostra vai ajudar a ampliar a compreensão sobre a formação do sistema solar. "Meteoritos como este foram os precursores da formação do planeta e representam um passo crítico na evolução dos corpos rochosos nos sistema solar", afirmou Daniel Dunlap, estudante de pós-graduação da Universidade do Estado do Arizona, nos EUA.


Mapa de raios X de cor falsa do NWA 11119 mostrando fenocristais de tamanho de sílica , clinoenstatita, augita e plagioclásio. Zoneamento não foi observado em fenocristais de sílica ou piroxênio, mas o zoneamento normal aparece em fenocristais de plagioclásio. Os fenocristais são cercados por massa de terra temperada, consistindo de cristais altamente zonados, que variam em tamanho, de submicrometros a centenas de micrômetros.

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…