Pular para o conteúdo principal

Asteroide que matou os dinossauros também mexeu com a evolução dos tubarões



Por: Jessica Boddy

Mais de 500 espécies diferentes de tubarão vagueiam pelos oceanos da Terra: desde tubarões pequenininhos até o icônico grande tubarão branco, passando pelos tubarões-duendes. E, aparentemente, o equilíbrio atual de espécies surgiu depois do evento de extinção em massa do Cretáceo-Paleógeno, há 66 milhões de anos, segundo uma nova pesquisa.

No período Cretáceo (entre 142 milhões e 66 milhões de anos atrás), uma ordem de tubarões chamados Lamniformes comandava os mares. Os tubarões lamniformes modernos incluem o grande tubarão branco, o alopias e o tubarão-mako.

Porém, estudando as formas variadas de centenas de dentes de tubarões fossilizados antigos, pesquisadores descobriram que a diversidade de tubarões Carcharhiniformes — a maior ordem de tubarões atual, que inclui tubarões-martelo, tubarões-tigre e mais — explodiu após a extinção em massa do fim do Cretáceo, enquanto muitos tubarões Lamniformes foram extintos.

Esse equilíbrio é o que ainda vemos nas águas de hoje: dominância dos Carcharhiniformes com uma leve difusão de Lamniformes. Outras ordens de tubarões incluem Hexanchiformes (como os tubarões-cobras), Pristiophoriformes (tubarões-serra) e Heterodontiformes.

“Este é um estudo interessante, com nuances, que acrescenta contexto à extinção em massa do fim do Cretáceo envolvendo duas grandes linhagens de tubarões”, disse ao Gizmodo Neil Aschliman, biólogo evolucionista da Universidade de St. Ambrose, que não esteve envolvido na nova pesquisa.

“Estudar os fósseis de tubarão é tanto uma maldição quanto uma bênção”, continuou Aschliman. “Espécimes inteiros são extremamente raros, porque os esqueletos cartilaginosos desses animais não se fossilizam prontamente. Os tubarões produzem e perdem continuamente dentes propícios para se tornarem fósseis durante toda a sua vida. Devido a esse tesouro de dentes, temos uma sólida compreensão de quando no registro geológico diferentes grupos de tubarões se originaram e foram extintos.”

Os pesquisadores mediram as formas variadas de 597 dentes de tubarão antigos de todo o mundo, entre 72 milhões e 56 milhões de anos atrás. A maneira como a forma do dente mudou — ficando mais alta ou mais baixa, mais larga ou mais semelhante a uma agulha — permite mapear a diversidade de tubarões pós-extinção, como apontado no artigo da Current Biology publicado na quinta-feira (2).

Curiosamente, após o evento de extinção, tubarões Lamniformes que tinham dentes largos em forma de triângulo desapareceram, enquanto Carcharhiniformes com o mesmo tipo de dente prosperaram.


Versão de um artista para a vida marinha conforme ela existia antes da extinção no Cretáceo-Paleógeno. Ilustração: Julius Csotonyi

Essa disparidade pode ser explicada por mudança de fontes alimentares após a extinção, disse Mohamed Bazzi, principal autor do estudo e paleontólogo da Universidade de Upsália, na Suécia, em entrevista ao Gizmodo. Tubarões Lamniformes provavelmente comiam muita lula e répteis marinhos, mas muitos deles morreram. Pequenos peixes ósseos, por outro lado, começaram a enxamear os mares, para o deleite dos tubarões Carcharhiniformes que os atacavam.

Essa dinâmica pode ter sido a base para uma linha do tempo evolutiva levando à diversidade dos tubarões atuais, disse Bazzi.

Entender essa linha do tempo pode até ser útil para impedir que os tubarões de hoje sejam extintos. Esse risco de extinção é sério, pois nós estamos acabando com os peixes nos oceanos e contribuindo para o aquecimento global. Atualmente, mais de 50% das espécies de tubarões estão em perigo de extinção, ameaçadas ou quase ameaçadas, apontaram os pesquisadores.

“Explorando as mudanças em sua diversidade ao longo de milhões de anos, talvez possamos avaliar a importância de vários contribuidores — como temperatura, nível do mar e disponibilidade de presas — como principais impulsionadores da evolução dos tubarões”, disse Bazzi ao Gizmodo. “Os tubarões cumprem um papel ecológico muito delicado, mas importante. A sua morte pode ter consequências terríveis para a saúde e a estabilidade de toda a cadeia alimentar marinha. Eles também são criaturas notáveis que capturam a imaginação do público, embora sejam tristemente mal compreendidos.”

[Current Biology]

Imagem do topo: Elias Levy (Flickr)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Sintomas bizarros de “ataque sônico” estariam se espalhando por diplomatas americanos pelo mundo

Por: Rhett Jones

Por mais de um ano e meio, diplomatas norte-americanos sofreram de doenças parecidas, que incluíam danos cerebrais leves e perda de audição, depois de terem alegado ouvir sons incomuns. Os incidentes começaram em Cuba, mas os relatos agora se espalharam para outros países. À medida que as autoridades ampliaram os esforços para tratar os casos potenciais, quase 200 pessoas teriam se apresentado para serem examinadas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos teve pouco a dizer sobre os incidentes que começaram em Havana, no fim de 2016, e o vácuo de informações abriu as portas para teorias da conspiração e outras alegações não checadas. Por ora, ninguém pode dizer com certeza o que está acontecendo nesses casos, mas parece que diplomatas norte-americanos estão sendo alvos de algum tipo de ataque que tem deixado os especialistas perplexos. No começo, os oficiais acreditavam que algum “dispositivo sônico” desconhecido estivesse sendo usado contra as vítimas, mas outra…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…