Pular para o conteúdo principal

Cassini descobre desfiladeiros inundados em Titã


A sonda Cassini da NASA fez "ping" à superfície de Titã com micro-ondas, descobrindo que alguns canais são desfiladeiros profundos e com encostas íngremes cheias de hidrocarbonetos líquidos. Uma destas características e Vid Flumina, a rede ramificada no quadrante superior esquerdo da imagem.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/ASI

A sonda Cassini da NASA encontrou desfiladeiros íngremes e profundos na lua de Saturno, Titã, que estão inundados com hidrocarbonetos líquidos. A descoberta representa a primeira evidência direta da presença de canais cheios com líquido em Titã, bem como a primeira observação de desfiladeiros com centenas de metros de profundidade.

Um novo artigo na revista Geophysical Research Letters descreve como os cientistas analisaram dados da Cassini a partir de uma íntima passagem da nave espacial por Titã em maio de 2013. Durante o "flyby", o instrumento de radar da Cassini focou-se em canais que se ramificam a partir do grande mar a norte, Ligeia Mare.

As observações da Cassini revelam que os canais - em particular, uma rede chamada Vid Flumina - são gargantas estreitas, geralmente com pouco menos de 1 km em largura, com declives superiores a 40 graus. Os desfiladeiros são também bastante profundos - aqueles medidos têm entre 240 e 570 metros.

Os canais de ramificação aparecem escuros nas imagens de radar, tal como os mares ricos em metano de Titã. Isto sugeriu aos cientistas que os canais também podem estar repletos de líquido, mas a detecção direta só foi feita agora. Anteriormente não era claro se o material escuro era líquido ou se eram meramente sedimentos saturados - que, às frias temperaturas de Titã, podem ser gelo e não rocha.

O radar da Cassini é frequentemente utilizado como uma câmara fotográfica, fornecendo uma janela para espreitar a superfície através da densa névoa que rodeia Titã. Mas, durante esta passagem, o radar foi usado como um altímetro, enviando "pings" de ondas de rádio até à superfície da lua a fim de medir a altura de características geológicas. Os investigadores combinaram os dados de altimetria com imagens prévias de radar para fazer a sua descoberta.

A chave para compreender a natureza dos canais foi a forma como o sinal de radar da Cassini foi refletido das profundezas das características. O instrumento de radar observou um brilho, indicando uma superfície extremamente lisa como aquela observada nos mares de hidrocarbonetos de Titã. O "timing" dos ecos de radar, à medida que eram ricocheteados das bordas e do chão dos desfiladeiros, forneceu uma medição direta das suas profundidades.

A presença de tais cortes profundos na paisagem indica que o processo que os criou esteve ativo por muito tempo ou corroeu-os muito mais depressa que noutras áreas da superfície de Titã. Os cientistas propuseram cenários que incluem a elevação de terreno e mudanças ao nível do mar, ou talvez ambos.

"É provável que uma combinação destas forças tenha contribuído para a formação dos desfiladeiros profundos, mas neste momento não sabemos até que ponto cada uma esteve envolvida. O que é claro é que qualquer descrição da evolução geológica de Titã precisa ser capaz de explicar a formação dos desfiladeiros," afirma Valerio Poggiali da Universidade de Roma, associado da equipa de radar da Cassini e autor principal do estudo.

Os exemplos terrestres de ambos os tipos de processos que formam desfiladeiros podem ser encontrados ao longo do rio Colorado no estado americano do Arizona. Um exemplo de erosão elevatória é o Grand Canyon, onde o aumento de altitude do terreno fez com que o rio cortasse profundamente a paisagem ao longo de vários milhões de anos. Para a formação destas gargantas, impulsionada por variações no nível da água, temos o Lago Powell. Quando o nível da água no reservatório desce, aumenta a taxa de erosão do rio.

"A Terra é quente e rochosa, com rios de água, enquanto Titã é fria e gelada, com rios de metano. E ainda assim é notável encontrar características tão semelhantes em ambos os mundos," realça Alex Hayes, associado da equipa de radar da Cassini na Universidade de Cornell em Ithaca, Nova Iorque, coautor do estudo.

Enquanto os dados do altímetro mostraram que o líquido em alguns dos desfiladeiros perto de Ligeia Mare está ao nível do mar - a mesma altitude que o líquido no próprio mar - noutros está dezenas de metros mais elevado. Os investigadores interpretam estes últimos como afluentes que "desaguam" nos canais principais mais abaixo.

O trabalho futuro irá ampliar os métodos usados neste estudo a todos os outros canais que o altímetro de radar da Cassini observou em Titã. Os investigadores esperam que o seu trabalho continue a produzir uma compreensão mais abrangente das forças que esculpiram a paisagem da lua saturniana.

Os desfiladeiros de Vid Flumina podem ser aqui vistos nesta imagem de radar da Cassini.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/ASI

FONTE: http://www.ccvalg.pt/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…