Pular para o conteúdo principal

Finalmente estamos descobrindo mais sobre o MU69, a estranha rocha achatada nos extremos do sistema solar



Por Ryan F. Mandelbaum

A missão New Horizons divulgou os primeiros resultados dos estudos de 2014 sobre o MU69, o objeto espacial mais distante já explorado.

Apelidado de Ultima Thule, ele parece ser um par de rochas grudadas, medindo cerca de 16 quilômetros de diâmetro cada. Ele orbita o Sol a uma distância de aproximadamente 6 bilhões de quilômetros (Plutão orbita a 5,9 bilhões de quilômetros). Parece que ele se manteve relativamente inalterado desde o início do sistema solar, e já apresentou algumas surpresas quando a espaçonave da New Horizons transmitiu as primeiras imagens – e agora, esses primeiros resultados foram divulgados e analisados. Mas as coisas estão só começando para a equipe de pesquisadores.

“Ainda está muito cedo”, afirmou Alan Stern, pesquisador principal da missão New Horizons, ao Gizmodo. “Nós só estamos conseguindo respirar agora”.

O astrônomo Marc Buie descobriu o MU69 utilizando o telescópio Hubble em 2014, e os cientistas da New Horizons visualizaram o objeto pela sua espaçonave após uma campanha bem-sucedida registrar imagens do planeta anão Plutão. O MU69 é um clássico objeto frio do Cinturão de Kuiper, o que significa que ele orbita o Sol em um trajeto relativamente circular e inalterado. “Inalterado” é o que melhor descreve essa rocha; os autores do estudo a chamam de “cristalina”. Essencialmente, é como uma cápsula do tempo do início do sistema solar e que não foi alterada pela influência do Sol ou outros planetas.

A New Horizons acompanhou o objeto e o observou detalhadamente no dia 1º de janeiro. Nesta quinta-feira (16), os cientistas da missão revelaram a primeira série de análises dos resultados no periódico acadêmico Science. Essa análise inicial revelou algumas coisas importantes: primeiramente, o objeto é um “binário de contato”, o que significa que são duas rochas que colidiram relativamente devagar. Surpreendentemente, essas rochas são achatadas, e não esféricas. Em segundo lugar, não há qualquer evidência de anéis, satélites, poeira, uma atmosfera de gás ou qualquer interação com o vento solar. Em terceiro lugar, o brilho e a textura variam em diferentes partes do objeto, mas sua composição não parece variar.



Esses são apenas resultados iniciais, e os cientistas vão continuar coletando dados da New Horizons por, pelo menos, mais um ano. Mas pesquisadores estão sempre tentando entender a história da MU69. O objeto parece ter se formado após duas nuvens homogêneas de seixos colidirem sob influência da gravidade e, então, lentamente se fundiram uma a outra.

Cientistas que estudam formações planetárias estão animados com a ideia desse mundo cristalino. “Nós conseguimos ver algo que se parece mais ou menos com o que era no final da formação dos planetas, que se formou onde está agora”, Christa Van Laerhoven, pesquisadora de pós-doutorado na University of British Columbia e que não é afiliada à equipe do New Horizons, afirmou ao Gizmodo. Ela explicou que o MU69 tem um tamanho um pouco grande demais para que o eletromagnetismo seja a força dominante, e um pouco pequeno demais para ser dominado pelos efeitos da gravidade, o que significa que ele poderia fornecer mais dados para auxiliar na compreensão do processo de formação planetária.

E a forma achatada do objeto é especialmente um mistério. “É um pouco surpreendente que haja algo tão achatado no sistema solar”, afirmou Kat Volk, cientista associado da University of Arizona e que também não faz parte da New Horizons, ao Gizmodo. Físicos geralmente assumem que tudo no espaço é esférico, então será necessário um certo esforço para entender como o MU69 acabou ficando nesse formato.

É apenas um objeto, no entanto, então não podemos generalizar o resto do Kuiper Belt. “Se pudéssemos ver mais deles, seria ótimo”, afirmou Volk. “Especialmente nessa dimensão de tamanho que é difícil ser visto da Terra”.

A equipe da New Horizons espera continuar estudando objetos do Kuiper Belt e o espaço, e pode até planejar um voo de outro objeto já que a espaçonave continua sua jornada para longe do Sol, disse Stern. Mas até lá, existem muitos outros mistérios a serem revelados nos dados que ainda serão coletados.



FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…