Pular para o conteúdo principal

Chupacabras: há 20 anos, criatura que atacava animais assustou moradores no interior de SP


Supostas pegadas do chupacabras foram registradas, na época — Foto: Arquivo

Pelo menos cinco cidades no Estado registraram dezenas de ataques em áreas rurais. Caso chama a atenção de estudiosos até hoje; G1 conversou com ufólogos do Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas de Sorocaba.

Por Carlos Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí

Uma figura folclórica mexeu com o imaginário do Brasil no fim dos anos 90. Há 20 anos, o aparecimento de animais mortos e praticamente sem sangue no interior de São Paulo não deixava dúvidas aos moradores de áreas rurais: tratava-se do misterioso chupacabras.

A figura vampiresca causou temor, mobilizou investigações policiais e atraiu a atenção de ufólogos. Segundo os estudiosos que se aprofundaram no caso, a lenda ganhou o mundo com supostas aparições com registros de mortes parecidas na América do Norte, América Central, no Brasil e também na Rússia.

O Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas de Sorocaba (GEPUS) é formado por algumas das pessoas que viveram o ápice de uma época de reportagens com trilhas sonoras e com depoimentos de donos de animais supostamente dilacerados pelo chupacabras.

De acordo com o estudo, feito em conjunto com ufólogos de Curitiba, as cidades em São Paulo que sofreram possíveis ataques do bicho foram São Roque, Araçoiaba da Serra, Ribeirão Branco, Sorocaba e Pereiras.

Relatos sobre os 'monstros'

O G1 recuperou parte do material exibido em reportagens de TV entre 1998 e 1999. Segundo os relatos, os "monstros" agiam no período noturno e em áreas rurais.


Há 20 anos, o Brasil temia o chupacabras — Foto: Clayton Esteves/G1

A teoria mais plausível para os donos de propriedades rurais usada para explicar a mortandade dos animais era a existência do suposto “chupa-cabra”, conforme as reportagens da época.

As cenas eram praticamente as mesmas: galinhas, cabras, cavalos e bois mortos. No entanto, todos estavam praticamente sem sangue.

“Escureceu, tem que fechar as portas. Única coisa que vimos foram os frangos estraçalhados lá pelo fundo, com barriga cortada e sem os pés”, contou o dono de 30 galinhas mutiladas em Araçoiaba da Serra, em uma reportagem da época.

Em outro ponto da mesma cidade, o chupa-cabra virou caso de polícia. Apenas um morador afirmou tê-lo visto em uma estrada de terra. O ajudante de pedreiro alegou que o animal correu pelo mato até pular em cima do capô do carro. O rapaz descreveu a figura com altura média de 1,60 m e corpo peludo.


Desde o registro de ataques vários retratos do chupacabras foram feitos — Foto: Reprodução

Em outra fazenda na mesma cidade, o caseiro encontrou uma vaca morta e também sem sangue. O homem disse, na ocasião, que morava perto do local e não ouviu nenhum barulho durante a madrugada.

Em São Roque, cidade da região de Sorocaba, um grupo de jovens encontrou pegadas em trilhas e acreditaram se tratar do famigerado “vampiro do interior”. Eles chegaram a montar armadilhas e fazer uma caça ao chupa-cabra afim de capturá-lo, sem sucesso.


Animais foram encontrados mortos no interior de São Paulo — Foto: Arquivo

Já em Ribeirão Branco, 23 cabras mortas foram encontradas com furos nos pescoços.

“Está esquisito. Está atacando só na base da orelha, uma ou duas vezes. Mais estranho que são só as fêmeas”, explicou um fazendeiro.
Em outra propriedade na região, 11 ovelhas foram atacadas e uma morreu com um furo no pescoço. O animal foi analisado por um veterinário e os resultados dos exames apontaram que o ataque teria sido feito por um cão. Mas o dono da propriedade questionou o laudo porque toda a área era cercada por tela. E mais uma vez não havia grande quantidade de sangue.

Uma veterinária contou à reportagem que acreditava que uma pessoa matava os animais e drenava o sangue para cultos. Religiosos negaram a autoria à reportagem do Fantástico.

Investigação e euforia

Duas décadas depois de investigar os casos em Araçoiaba da Serra, o delegado aposentado Raul Francisco de Souza lembrou ao G1 o trabalho da Polícia Civil. Todos os inquéritos policiais sobre o assunto foram arquivados sem autoria.

“Todo mundo ficou eufórico com essa história e decidimos apurar quando foram feitos os boletins de ocorrência. Fomos batendo de porta em porta e coletando depoimentos. Por incrível que pareça, os casos pararam de repente. Então, concluímos que os autores ficaram com medo de serem presos e não o fizeram mais."


Grupo chegou a caçar o chupacabras à noite em Araçoiaba da Serra — Foto: Arquivo/TV Globo

O ufólogo Marco Leal, do GEPUS, trabalhou no caso com o pesquisador Carlos Alberto Machado. Os especialistas questionam a teoria de que os ataques atribuídos ao chupa-cabra foram de animais silvestres.

“Se eram animais selvagens, por que pararam de atacar? Só entre 1999 e 2000 que atacariam? É para se pensar. Os veterinários que me ajudavam não identificavam sangue e os bichos estavam secos. Isso que assustava”, diz Carlos.

Mesmo 20 anos depois, o ufólogo ainda não tem uma opinião definitiva sobre o que causou a mortandade dos animais. "Algumas fotos eu vejo e já tem uma poça de sangue e claramente não é o mesmo modo de ataque. Porém, nos últimos anos há registros de situações parecidas com as que ocorreram aqui, só que no Chile.”

A pesquisa sobre o "monstro" virou até livro. As investigações dos ufólogos continuam até hoje. Carlos Alberto afirma que ainda recebe imagens de supostos ataques. Contudo, em quantidade muito menor do que antigamente.



Mais vídeos na matéria do G1 aqui.

FONTE: G1.COM - Antônio Lessa de Oliveira

Ufos Wilson: Tomei a liberdade em alterar o título da matéria por não se tratar de uma lenda. Nesta época houveram casos inexplicáveis, onde animais apareciam praticamente sem sangue, com orifícios geralmente no pescoço por onde o líquido vital era drenado. Estes animais atacados, em grande maioria vinham a óbito, curiosamente não sendo predados por urubus e outros como em casos que eram atacados por animais conhecidos, e tendo sua decomposição retardada. Muitas explicações foram dadas por veterinários e autoridades, onças, jaguatiricas e cachorros do mato, porém sem nenhuma comprovação. Outro fato curioso foi sobre os ataques terem ocorrido em diversas regiões do estado de SP e de outros estados como sul e nordeste, na mesma época.

No link abaixo, todo compêndio documental realizado pelo Ufólogo Carlos Alberto Machado sobre casos do chupacabras. Em minha opinião a mais séria investigação realizada sobre chupacabras até hoje.

Dossiê Chupacabras: documentário Completo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…