Pular para o conteúdo principal

A ciência pode estar próxima de criar robôs autoconscientes



Por Jessica Pinheiro

Para o bem ou para o mal, a ciência pode estar se aproximando de criar robôs autoconscientes, de acordo com um artigo publicado na Science Robotics. Isso significa que as máquinas podem estar próximas de pensarem, agirem e aprenderem como humanos fazem, adaptando-se às mais diversas situações ao longo de suas vidas.

Até então, os seres artificiais só conseguiam executar essas ações usando simuladores e padrões fornecidos por humanos. Contudo, os pesquisadores da Columbia Engineering fizeram um grande avanço no ramo da robótica: criaram um robô que literalmente “se vira” sozinho.

O ser artificial não possui conhecimento prévio de física, geometria ou dinâmica de motor, tampouco sabe o que ele próprio é, pois não consegue reconhecer sua forma. Então, após algumas informações e um dia de computação intensiva, o robô criou padrões próprios se projetou em uma situação futura para avaliar as condições e possibilidades.

O "autosimulador" é feito internamente e, com ele, o robô consegue se observar e se adaptar a diferentes situações, além de lidar com novas tarefas e detectar e reparar danos em seu próprio corpo. Até então, os robôs só conseguiam se operar graças a um modelo humano.

Mas para se tornarem independentes e conseguirem lidar com imprevistos (criados por seus criadores, inclusive), as próprias máquinas precisam aprender a se simular diante dessas situações, certo? Foi o que questionou Hod Lipson, professor de engenharia mecânica e diretor do laboratório onde a pesquisa foi conduzida.

O estudo fez uso de um braço robótico articulado, que inicialmente se movia aleatoriamente e apenas acumulava trajetórias, sem grandes avanços. Apesar de bastante impreciso, o robô sequer sabia o que era ou como suas juntas estavam conectadas.


(Imagem: Robert Kwiatkowski/Columbia Engineering)

Para criar a "autosimulação", o robô fez uso de aprendizagem profunda. Em menos de 35 horas de treinamento, o ser artificial tornou-se consistente e conseguiu simular internamente tarefas de “pegar e mover” repetidamente. Tudo isso usando um sistema de malha fechada.

A malha fechada, vale ressaltar, é um sistema para motores com injeção eletrônica, onde os sensores enviam informações ao motor, definindo o tempo de injeção base, mas sempre contando com um sensor de oxigênio para recalibrar a quantidade e, assim, melhorar e economizar a queima de combustão. A malha aberta funciona de forma parecida, mas sem um sensor de oxigênio.

O sistema de malha fechada foi usado para que, ao final de cada trajetória onde o braço agarrava um objeto e o movia para dentro de um recipiente, o robô pudesse ele mesmo se reajustar para reiniciar o mesmo movimento. Após algum tempo, ele conseguiu depositar todos os itens dentro de um copo, usando seu próprio padrão de repetição de movimentos, com 100% de sucesso.

Quando o estudo usou de um sistema de malha aberta para a tarefa, mesmo com padrões e autosimulações criadas pelo próprio robô internamente, sem nenhum feedback externo, a mesma tarefa de agarrar e depositar objetos obteve uma taxa de sucesso de 44%. Além disso, outra tarefa também foi atribuída ao robô: escrever um texto usando um marcador.

Para esta etapa, os pesquisadores também atribuíram uma dose extra de improviso, a fim de avaliar se o braço mecânico poderia detectar mudanças ou danos em si mesmo. Para isso, imprimiram uma peça em uma impressora 3D e a encaixaram no robô. O braço mecânico foi foi capaz de detectar a alteração em sua própria extensão e reajustou seus padrões e suas autosimulações.

A partir de então, mesmo com um corpo “deformado”, o braço conseguiu reconfigurar a si mesmo e executou sua tarefa com pouca perda de desempenho. Lipson observou que a auto-imagem pode ser a chave para permitir que os robôs expandam seus conhecimentos para além da chamada IA Aplicada, executando movimentos e ações mais generalizadas.


(Imagem: Robert Kwiatkowski/Columbia Engineering)

“Isso é, talvez o que uma criança recém-nascida faz em seu berço, à medida que aprende o que é”, disse Lipton. “Acreditamos que essa vantagem também pode ter sido a origem evolutiva da autoconsciência nos seres humanos”.

Lipton também acrescentou: “Embora a capacidade do nosso robô de se projetar ainda seja modesta se comparada com os humanos, acreditamos que essa técnica levará ao caminho da autoconsciência”.

Para o pesquisador, a robótica e a inteligência artificial podem oferecer uma nova janela para a evolução da consciência em máquinas. “Filósofos, psicólogos e cientistas cognitivos vêm questionando a autoconsciência há milênios, mas têm-se feito relativamente poucos progressos”. Lipton também diz que “ainda escondemos nossa falta de compreensão com termos subjetivos como ‘tecido da realidade’, mas os robôs agora nos obrigam a traduzir essas concepções vagas em algoritmos e mecanismos concretos”. Por outro lado, Lipton e sua equipe têm consciência das implicações éticas que seu estudo pode causar.

“A autoconsciência levará a sistemas mais resilientes e adaptativos, mas também pode significar certa perda de controle. É uma tecnologia poderosa, mas deve ser manuseada com cuidado”, alerta o especialista.

O próximo passo do estudo é entender se os robôs conseguem criar padrões não apenas para seus corpos, mas também para suas “mentes”, e assim pensarem como humanos são capazes de fazer.

FONTE: Eureka Alert via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…