Pular para o conteúdo principal

Por que este astronauta da Nasa diz que enviar humanos a Marte seria ‘estúpido’


Bill Anders foi o piloto da missão Apollo 8

Um dos primeiros homens a entrar na órbita da Lua disse à BBC que é "estúpido" planejar missões humanas a Marte.

Bill Anders, piloto da nave Apollo 8, a primeira a deixar a órbita da Terra, disse que enviar tripulações para Marte é "quase ridículo".

A Nasa, a agência aeroespacial dos Estados Unidos, está atualmente planejando novas expedições humanas à Lua.

A agência quer entender quais habilidades e tecnologia serão necessárias para permitir uma futura visita humana a Marte.


O ex-astronauta diz que a Nasa não deveria mandar naves tripuladas para Marte

Anders, de 85 anos, disse apoiar os programas não tripulados, "principalmente porque são muito baratos". Mas ele afirma que não há apoio popular para o financiamento de expedições com humanos, muito mais caras.

"Qual é a necessidade? O que está nos pressionando a ir a Marte?", ele questionou, acrescentando: "Não acho que o público esteja tão interessado".

O retorno à Lua

Enquanto isso, robôs estão explorando Marte. No mês passado, a nave InSight - que coletará amostras do planeta - aterrissou com sucesso no planeta.

Em um comunicado, a Nasa disse que está "conduzindo um retorno sustentável à Lua, o que ajudará a nos preparar para enviar astronautas a Marte."

"Isso também inclui parceiros comerciais e internacionais para expandir a presença humana no espaço e trazer novos conhecimentos e oportunidades."


A Nasa tem planos de enviar astronautas a Marte

Em dezembro de 1968, Anders e os colegas Frank Borman e Jim Lovell deixaram Cabo Canaveral, na Flórida, para completar dez voltas em torno da Lua. A tripulação da Apollo 8 passou 20 horas em órbita antes de voltar à Terra.

Eles caíram no Pacífico em 27 de dezembro, a apenas 4,5 mil metros de seu alvo. O grupo foi recolhido pelo navio USS Yorktown.

Foi o mais longe que humanos tinham chegado até então - um passo vital para o pouso da Apollo 11 na Lua sete meses depois.

'A Nasa se transformou em um cabide de emprego'

Mas o ex-astronauta critica a trajetória da Nasa desde os dias em que o presidente John F. Kennedy prometeu levar o homem à Lua até o fim dos anos 1960.


'O nascer da Terra' foi a primeira foto em cores da Terra feita por um humano, um legado da Apollo 8

"A Nasa seria incapaz de chegar à Lua hoje. Eles estão muito engessados. A Nasa se transformou em um cabide de empregos."

Anders também critica a decisão da agência de se concentrar na exploração de órbitas próximas à Terra após o encerramento do programa Apollo, nos anos 1970. "Acho que o ônibus espacial foi um erro sério. Ele não fez quase nada além de ter um lançamento empolgante, e nunca cumpriu suas promessas", ele disse.

"A estação espacial só está lá porque houve o ônibus espacial e vice-versa. A Nasa administrou mal o programa tripulado desde os últimos pousos lunares."

É uma visão que pode parecer surpreendente para um orgulhoso patriota que ainda se lembra de sua missão com grande alegria. Também é uma opinião que Anders sabe que pode causar embaraço na comunidade espacial.

"Não sou um cara muito popular na Nasa por dizer isso, mas é o que eu penso."

Legados da Apollo


Astronautas da Apollo se preparam para decolar

Seu ex-companheiro de tripulação Frank Borman, que comandou a expedição da Apollo 8 e passou outras duas semanas na órbita da Terra durante o programa Gemini, é ligeiramente mais otimista.

"Não sou tão crítico da Nasa quanto Bill", ele disse à BBC. "Acredito que precisamos fazer uma exploração robusta do Sistema Solar, e o homem deve ser parte disso."

Questionado sobre os planos do fundador da Space X, Elon Musk, e do fundador da Amazon, Jeff Bezos, que falaram em lançar expedições privadas a Marte, Borman é menos elogioso.

"Acho que existe uma excitação em torno de Marte que é uma loucura. Musk e Bezos estão falando em montar colônias em Marte, isso é loucura."

Refletindo sobre sua missão histórica à Lua, Borman descreveu a Apollo 8 como "um grande feito".

Anders disse que o legado mais duradouro da missão é "o nascer da Terra", uma fotografia tirada pela tripulação mostrando o nosso planeta na escuridão do espaço, acima do horizonte lunar - a primeira foto em cores da Terra feita por um humano.

Outro colega da dupla, Jim Lovell também refletiu sobre o momento da foto. "Quando eu olhei para a Terra, comecei a pensar por que eu estava aqui, qual meu propósito aqui... Aquilo meio que me despertou."

Abaixo o filme gravado da nave Apollo 8, a primeira missão tripulada à lua que entrou na órbita lunar na véspera de Natal em 24 de dezembro de 1968. Naquela noite, os astronautas - Comandante Frank Borman, Jim Lovell Piloto de Módulo de Comando e William Anders Piloto de Módulo Lunar - fizeram uma transmissão ao vivo da órbita lunar, onde mostraram imagens da Terra e da Lua. Eles terminaram a transmissão com a tripulação se revezando lendo o livro de Gênesis.



FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…