Pular para o conteúdo principal

A história pouco conhecida da brilhante mulher de Einstein que contribuiu para a teoria da relatividade


As qualificações de Mileva não deixam dúvida de que foi uma física e cientista brilhante

"Intelectual demais". "Uma velha bruxa". Esses são alguns dos comentários que a família de Albert Einstein dedicou à primeira mulher do cientista, Mileva Einstein.

Mas a relação nem sempre foi tão espinhosa assim. Antes do divórcio, em 1916, ambos haviam sido estudantes do Instituto Politécnico de Zurique, uma das poucas universidades da Europa que admitiam mulheres à época. Ali compartilharam seu amor pela ciência.

As qualificações de Mileva não deixam dúvida de que foi uma física e cientista brilhante, às vezes com notas mais altas que as de Albert. E mesmo assim não conseguiu passar nas provas finais da carreira.

Cartas revelam também que, por volta de 1900, quando ainda não estavam casados, Mileva engravidou. Não há registros do paradeiro da primeira filha do casal, mas acredita-se que ela tenha morrido após contrair escarlatina, uma doença infecciosa.

Várias biografias indicam que o período de estudante foi o princípio de muitos anos de colaboração, pelos quais Mileva recebeu pouco reconhecimento, e que a criação de seus filhos com Albert a apartaram do primeiro escalão da ciência.

Sempre juntos
As 43 cartas entre os dois que foram preservadas mencionam "nossos trabalhos" e "nossa teoria do movimento relativo", "nosso ponto de vista" ou "nossos artigos".

"Durante as férias escolares, que com frequência passavam distantes um do outro, trocaram várias cartas nas quais Albert se referia constantemente à colaboração dela", diz ao programa Today, da BBC 4, Pauline Gagnon, física sênior da Organização Europeia para a Investigação Nuclear (mais conhecida pela sigla Cern).


Em 1904, Albert Einstein publicou quatro artigos que mudaram a compreensão sobre as leis da física

Há ainda muitos relatos de que os dois vieram a trabalhar juntos.

"Inclusive seu filho, Hans Albert, se recorda de vê-los trabalharem juntos dia e noite na mesa da cozinha", diz Gagnon.

Isso ocorreu em 1905, quando Albert publicou seus trabalhos mais importantes: quatro artigos na revista Annalen der Physik (Anais da Física) que mudaram a compreensão das leis da física para sempre, incluindo sua teoria da relatividade.

Uma mulher à sombra
Ao se divorciarem, os dois concordaram que, caso Albert ganhasse o Prêmio Nobel, Mileva ficaria com o dinheiro da premiação.

Ele recebeu o prêmio no campo da Física em 1921, quando estava separado da primeira mulher fazia dois anos e havia se casado outra vez.


Albert Einstein recebeu o Prêmio Nobel da Física em 1921

Quando Albert fez seu testamento e deixou o dinheiro do prêmio aos filhos, acredita-se que ela tenha ameaçado revelar sua participação nos trabalhos. O cientista a aconselhou a ficar calada.

"Apagar da história da ciência mulheres brilhantes como Mileva não ajuda no trabalho de demonstrar que nós mulheres somos tão capazes quanto os homens", afirma Gagnon.

A vida depois do divórcio com Einstein foi difícil para Mileva, que enfrentou problemas econômicos. Em 1930, seu filho Eduard foi diagnosticado com esquizofrenia, e ela passou o resto da vida cuidando dele.

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

A noite em que Lavras (MG) parou para ver um UFO

Serra da Bocaina no município de Lavras (MG)

Na noite de 1º de junho de 1969, um UFO sobrevoou a cidade de Lavras, região Sul do estado de Minas Gerais, sendo observado por centenas de pessoas. O fotógrafo amador e médico Dr. Rêmulo Tourino Furtini tirou diversas fotografias do estranho objeto, que chegou a fazer um pouso em um pasto existente na época. O sargento Inocêncio França do Tiro de Guerra local e vários atiradores comprovaram o pouso, constatado tecnicamente após o ocorrido. Na época, o caso foi notícia na mídia de todo o país, despertando o interesse da Nasa e até mesmo do extinto bloco soviético.


Ufo é fotografado na madrugada

Naquela fria madrugada de 1º de junho de 1969 algumas pessoas encontram-se nas ruas, já que no tradicional Clube de Lavras estava acontecendo um dos seus famosos bailes. Alguns bares encontravam-se abertos e alguns bêbados ziguezagueavam por aquelas ruas tranquilas.

Era uma noite comum de inverno, como tantas outras em uma cidade interiorana, quando…