Pular para o conteúdo principal

Engenheiros criam processo de impressão 3D de células de tecido humano



Por Rafael Arbulu

Corredores, atletas de alto desempenho e até pessoas da terceira idade podem vir, no futuro, a se beneficiar dos resultados produzidos por uma pesquisa de dois anos conduzida pela equipe de engenharia biomédica da Universidade de Utah, que desenvolveu um processo de impressão 3D de células de tecido humano para serem usadas na recomposição de ligamentos danificados ou lesionados.

De acordo com o professor assistente de engenharia biomédica da Universidade de Utah e coautor do estudo, Robby Bowles, uma pessoa com uma lesão séria em algum ligamento, tendão ou mesmo ruptura de disco poderia simplesmente receber um transplante de tecido impresso em 3D: “Isso permitirá que pacientes recebam tecidos transplantados sem a necessidade de cirurgias adicionais e sem precisar buscar tecidos compatíveis em outras fontes, o que em si já traz uma série de problemas”.


Coautor do estudo, o professor Robby Bowles atuou no desenvolvimento de um processo de impressão 3D que deve facilitar o transplante de tecidos e reconstrução de ligamentos e tendões (Foto: Dan Hickson/University of Utah College of Engineering)

O processo levou dois anos para ser desenvolvido e foi publicado em um paper acadêmico intitulado Journal of Tissue Engineering, Part C: Methods (“Jornal da Engenharia de Tecidos, Parte C: Métodos”). Basicamente, ele envolve a coleta de células-tronco de pontos de gordura do próprio paciente, imprimindo-as sobre uma camada de hidrogel para que seja formado um tendão ou ligamento. Posteriormente, cria-se uma cultura in vitro e, somente a partir daí, realizaria-se um transplante.

Apesar da apresentação resumida, Bowles assegura tratar-se de um processo extremamente complicado, já que esse tipo de tecido conector, normalmente, é feito de diferentes células agregadas em padrões bastante complexos. Células que constituem um tendão ou ligamento, por exemplo, gradualmente evoluem para um quadro ósseo para que o tecido se conecte ao osso.

“Esta é uma técnica de formato bastante controlado, para criar um padrão organizacional de células que era impossível de ser feito com tecnologias anteriores. Isso nos permite posicionar as células de maneira bastante específica, exatamente onde as queremos”, diz Bowles sobre o processo de impressão 3D.


A justaposição dos itens acima corresponde aos tecidos impressos em 3D para aplicação em transplantes de ligamentos e tendões (Foto: Ronny Bowles/University of Utah College of Engineering)

Os métodos atuais de reposição de tecidos envolvem a retirada de células de uma outra parte do corpo do próprio paciente, ou mesmo de cadáveres, mas tais amostras podem ter uma qualidade inferior. Discos espinhais, por outro lado, são estruturas complicadas, com interfaces ósseas que devem ser recriadas antes de um transplante/implante bem-sucedido. Este método de impressão 3D resolve ambos os problemas.

Para Bowles, que é especializado na pesquisa musculoesqueletal, “isso pode ser usado para literalmente qualquer aplicação de engenharia de tecidos”. Até mesmo órgãos inteiros, ele diz.

FONTE: MedicalXpress via canaltech.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…