Pular para o conteúdo principal

Encontraram um antigo navio viking enterrado perto de uma autoestrada na Noruega



Por: George Dvorsky

Usando radar de penetração de solo, arqueólogos na Noruega descobriram um antigo navio viking enterrado a apenas 50,8 cm abaixo da superfície do campo de um fazendeiro. O navio, de 18 metros de comprimento, deliberadamente enterrado durante um ritual fúnebre, parece surpreendentemente intacto — e pode conter os restos mortais de um guerreiro viking de alto escalão.

Chamado de Navio Jellstad, ele foi descoberto em terras agrícolas no condado de Østfold, no sudeste da Noruega. O local, conhecido como Viksletta, fica perto do grande e totalmente intacto cemitério Jelle, que pode ser visto a partir da movimentada rodovia norueguesa Rv41 118.

Arqueólogos do Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural (NIKU), com a ajuda de especialistas em radar do Instituto Ludwig Boltzmann de Prospecção Arqueológica e Arqueologia Virtual, detectaram a embarcação usando um radar móvel de penetração de solo. A descoberta é significativa, à medida que é apenas o quarto navio viking enterrado a ser descoberto, segundo Knut Paasche, chefe do Departamento de Arqueologia Digital do NIKU.


Viksletta: círculos vermelhos mostram os locais dos túmulos, retângulos laranja mostram as casas compridas, e o objeto verde em formato de olho é o antigo barco.

Além do navio, as imagens do radar revelaram oito túmulos anteriormente desconhecidos e várias casas compridas. Todos os oito túmulos foram arados pelos fazendeiros, mas evidências suficientes permaneceram abaixo da superfície de forma que os pesquisadores conseguissem identificá-los como tal.

Em um comunicado, Morten Hanisch, o conservador do condado em Østfold, disse que os arqueólogos “têm certeza de que há um navio lá, mas o quanto ele está preservado é difícil de dizer antes de mais investigações”.

Os pesquisadores ainda não cavaram o solo, já que esperam realizar o máximo de trabalho não invasivo possível usando “todos os meios modernos da arqueologia”, disse Paasche. De fato, as madeiras do navio, uma vez expostas aos elementos, começarão a degradar imediatamente. Além disso, as varreduras com o radar mostram o navio em sua condição não perturbada. Os pesquisadores planejam realizar mais varreduras na área, mas não descartaram uma escavação do navio em algum momento no futuro.

O navio está apenas 50 centímetros abaixo do solo e tem cerca de 20 metros de comprimento. Varreduras preliminares sugerem que a quilha do navio e as vigas de seu piso ainda estão intactas. Embora os pesquisadores ainda não tenham datado esse local, sítios arqueológicos semelhantes na Noruega datam de cerca de 800 d.C.


Versão de um artista para o navio antes de ser enterrado. Ilustração: NIKU

Os pesquisadores dizem que o navio foi deliberadamente enterrado em um túmulo, o que não é tão extraordinário quanto parece. Barcos e navios eram um aspecto indelével da cultura viking, usada para transporte, comércio e conquista no norte da Europa até cerca de mil anos atrás. Os navios eram preciosos e considerados símbolos de riqueza e status. Arqueólogos encontraram navios enterrados antes, alguns até contendo corpos. Em 2011, por exemplo, arqueólogos na Escócia descobriram um barco de cinco metros de comprimento com um guerreiro dentro, junto com seu escudo, espada, lança e outros bens de sepultura.

Esse navio recém-descoberto pode ter sido parte de um cemitério, que foi “claramente projetado para exibir poder e influência”, disse o arqueólogo e líder do projeto, Lars Gustavsen, em um comunicado. Existe uma possibilidade bem real de que o Navio Jellstad contenha os restos de um viking de alto escalão, mas isso ainda precisa ser comprovado. Não está claro se o radar de penetração de solo conseguiu detectar vestígios de um corpo ou de corpos; para isso, escavações no solo podem ser necessárias.

Cinco casas compridas — ou corredores — também foram descobertas pelos pesquisadores, algumas das quais eram bastante grandes. Os cientistas disseram que o local se assemelha a um outro sítio arqueológico viking: o sítio Borre, no condado de Vestfold, no lado oposto do fiorde de Oslo.

Todas essas descobertas são bastante preliminares, e os pesquisadores estão se preparando para o próximo estágio do projeto, que irá envolver varreduras mais profundas do sítio arqueológico Viksletta usando métodos geofísicos não-invasivos extras. A descoberta desse navio antigo é muito empolgante, mas o melhor pode estar ainda por vir.

[Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural]

Imagem do topo: O navio enterrado como visto pelo radar de penetração de solo. Crédito: NIKU

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Sintomas bizarros de “ataque sônico” estariam se espalhando por diplomatas americanos pelo mundo

Por: Rhett Jones

Por mais de um ano e meio, diplomatas norte-americanos sofreram de doenças parecidas, que incluíam danos cerebrais leves e perda de audição, depois de terem alegado ouvir sons incomuns. Os incidentes começaram em Cuba, mas os relatos agora se espalharam para outros países. À medida que as autoridades ampliaram os esforços para tratar os casos potenciais, quase 200 pessoas teriam se apresentado para serem examinadas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos teve pouco a dizer sobre os incidentes que começaram em Havana, no fim de 2016, e o vácuo de informações abriu as portas para teorias da conspiração e outras alegações não checadas. Por ora, ninguém pode dizer com certeza o que está acontecendo nesses casos, mas parece que diplomatas norte-americanos estão sendo alvos de algum tipo de ataque que tem deixado os especialistas perplexos. No começo, os oficiais acreditavam que algum “dispositivo sônico” desconhecido estivesse sendo usado contra as vítimas, mas outra…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…