Pular para o conteúdo principal

Charles Babbage: saiba quem foi o engenheiro "pai do computador"


CHARLES BABBAGE É CONSIDERADO O PAI DO COMPUTADOR (FOTO: WIKIMEDIA)

Matemático e inventor inglês viveu entre 1791 e 1871

Se hoje existem computadores e laptops dos mais variados modelos e tecnologia, agradeça a Charles Babbage. Talvez você nunca tenha ouvido falar nele, mas o inventor inglês que viveu entre 26 de dezembro de 1791 e 18 de outubro de 1871 é o nome por trás do primeiro computador programável do mundo. A máquina imaginada por Babbage, porém, nunca foi de fato construída por ele. O primeiro computador, na realidade, só apareceu anos depois, em 1936, a partir das mãos do engenheiro alemão Konrad Zuse.

Babbage, no entanto, é considerado o pai dos aparelhos que apreciamos tanto atualmente. A seguir, saiba mais sobre ele:

Infância

Filho de um banqueiro, Babbage foi educado em boas escolas e por bons tutores. Seu interesse pela matemática surgiu quando frequentou a academia Holmwood, que contava com uma biblioteca abastecida de livros sobre o assunto. Ele frequentou o Trinity College, em Cambridge, onde depois ensinou matemática.

Prestígio

Em 1812, Babbage ajudou a fundar a Sociedade Analítica, cujo objetivo era introduzir desenvolvimentos de toda a Europa à matemática inglesa. Quatro anos depois, foi eleito membro da Real Sociedade de Londres para o Melhoramento do Conhecimento Natural, a célebre Royal Society.


ILUSTRAÇÃO DE CHARLES BABBAGE EM JORNAL INGLÊS DE 1871 (FOTO: WIKIMEDIA/UNKNOWN STAFF ARTIST FOR THE ILLUSTRATED LONDON NEWS)

Computador

Em 1801, o francês Joseph Marie Jacquard criou um tear mecânico, com uma leitora automática de cartões. A ideia inspirou Babbage, do outro lado do Canal da Mancha, a idealizar uma máquina de tecer números que fizesse cálculos e pudesse ser controlada por cartões.

Em 1822, apresentou o projeto de sua grande máquina, a qual chamou de máquina diferencial, capaz de resolver equações polinomiais, possibilitando a construção de tabelas de logaritmos, um dos maiores problemas da época. Em 1823, recebeu financiamento do governo britânico para desenvolver um aparelho que pudesse resolver qualquer tipo de cálculo — ideia por trás dos computadores.

Ada

A condessa de Lovelace, Ada Augusta King, ajudou Babbage pesquisar e, principalmente, traduzir documentos do francês para o inglês. Ela também projetou programas para a máquina que ele tentava construir — talvez só não seja considerada a primeira programadora da história, pois a máquina nunca chegou a existir.


ADA LOVELACE (FOTO: REPRODUÇÃO)

Cérebro

Metade do cérebro de Babbage está exposta dentro de um pote de vidro na galeria de matemática e computação do Museu de Ciência de Londres. Como com outras pessoas importantes, pesquisadores da época consideraram relevante conservar o órgão para estudá-lo.


TÚMULO DE CHARLES BABBAGE NO CEMITÉRIO DE KENSAL GREEN EM LONDRES, NA INGLATERRA (FOTO: WIKIMEDIA/ASTROCHEMIST)

FONTE: REVISTA GALILEU

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…