Pular para o conteúdo principal

Placas de circuito realmente impressas - como jornal


Esquema da impressão de circuitos eletrônicos pelo sistema rolo a rolo, como o usado para imprimir jornais. [Imagem: Ramses Martinez/Purdue University]

Eletrônica por impressão

A eletrônica orgânica viabilizou a fabricação de circuitos eletrônicos de plástico, que são impressos em larga escala e alta velocidade. Os circuitos ainda são simples, mas o potencial dessa tecnologia é gigantesco.

Mas agora a tecnologia de impressão rolo a rolo - usada para imprimir jornais e revistas - está chegando aos componentes eletrônicos tradicionais, aqueles feitos de semicondutores como silício e germânio, e interligados por fios de cobre.

É como se o termo "impresso" das placas de circuito impresso ganhasse um novo significado.

Debkalpa Goswami e seus colegas da Universidade Purdue, nos EUA, combinaram ferramentas já usadas na indústria para a fabricação de metais em grande escala, com a velocidade e a precisão da impressão rolo a rolo, o que está permitindo aumentar a velocidade não apenas do processo de fabricação, mas dos próprios circuitos eletrônicos resultantes.

Embora o processo ainda esteja em escala experimental, ele já demonstrou superar dois grandes gargalos do processo litográfico atual: A "rugosidade", que faz com que os componentes eletrônicos atuais não sejam lisinhos como deveriam, o que acaba fazendo com que eles consumam mais energia, e o "limite de formabilidade", que estabelece a menor estrutura que se consegue fabricar com precisão - o novo método chega à nanoescala sem qualquer exigência adicional.


Este teste mostra que as interligações tradicionais de cobre ficam tão finas que o circuito inteiro é flexível. [Imagem: Ramses Martinez/Purdue University]

Superplasticidade

A técnica atual de fabricação da microeletrônica, conhecida como litografia, consiste basicamente em forçar uma fina chuva de gotas de metal líquido através de uma máscara de estêncil onde está traçado um negativo do circuito que se deseja fabricar.

O novo método de fabricação, batizado de "superplasticidade induzida por laser rolo a rolo", usa uma estampa rotativa, como as usadas para imprimir jornais em alta velocidade. O laser de dióxido de carbono, já comumente usado para corte e gravação industrial, quando aplicado em pulsos, gera um comportamento superelástico nos metais. Esse comportamento dura apenas um breve período de tempo, mas o suficiente para permitir que o metal flua para criar os desenhos em nanoescala da estampa rotativa.

"No futuro, a fabricação de dispositivos rolo a rolo usando nossa técnica poderá permitir a criação de telas sensíveis ao toque cobertas com nanoestruturas capazes de interagir com a luz e gerar imagens 3D, bem como a fabricação econômica de biossensores mais sensíveis," disse o professor Ramses Martinez, coordenador da equipe.

Bibliografia:

Roll-to-Roll Nanoforming of Metals Using Laser-Induced Superplasticity
Debkalpa Goswami, Juan C. Munera, Aniket Pal, Behnam Sadri, Caio Lui P. G. Scarpetti, Ramses V. Martinez
Nano Letters
DOI: 10.1021/acs.nanolett.8b00714

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…