Pular para o conteúdo principal

Construindo um cérebro para a inteligência artificial


Esquema da sinapse artificial de grafeno. [Imagem: Mohammad Taghi Sharbati - et al. - 10.1002/adma.201802353]

Sinapse de grafeno

Mohammad Sharbati, da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, usou grafeno para desenvolver uma nova versão de sinapse artificial, um componente que processa informações não como um computador digital, mas imitando a maneira analógica que o cérebro humano usa para completar suas tarefas.

Praticamente a totalidade das sinapses artificiais feitas até agora baseiam-se em memoristores.

As propriedades condutivas do grafeno permitiram ajustar com precisão a condutância elétrica, imitando a força da conexão sináptica - também conhecida como peso sináptico. A eficiência energética apresentada pelo componente foi considerada excelente, confirmando que o hardware analógico é o caminho para a computação neuromórfica.

Com os últimos progressos da inteligência artificial, os computadores eletrônicos tradicionais já conseguem replicar o cérebro de certas maneiras, mas são necessários cerca de uma dezena de componentes digitais para imitar uma única sinapse analógica. O cérebro humano tem centenas de trilhões de sinapses, de modo que construir um cérebro eletrônico com componentes digitais é aparentemente impossível - ou, no mínimo, não escalável.

Assim, as redes neurais artificiais baseadas na tecnologia CMOS terão sempre funcionalidade limitada em termos de eficiência energética, escalabilidade e densidade.

"É realmente importante desenvolver novos conceitos de componentes para eletrônica sináptica que sejam analógicos por natureza, energeticamente eficientes, escaláveis e adequados para integração em grande escala. Nossa sinapse de grafeno parece atender a todos esses requisitos até agora," disse o professor Feng Xiong.

O que falta para um cérebro eletrônico

Estes componentes representam os primeiros passos necessários, mas o desenvolvimento de um cérebro artificial analógico que funcione como o cérebro biológico ainda depende de uma série de avanços.

Os pesquisadores precisarão encontrar as configurações certas para otimizar as sinapses artificiais, torná-las compatíveis com uma variedade de outros componentes para formar redes neurais, e precisarão garantir que todas as sinapses artificiais em uma rede neural em grande escala se comportem exatamente da mesma maneira, ou de uma maneira coordenamente configurável.

Bibliografia:

Low-Power, Electrochemically Tunable Graphene Synapses for Neuromorphic Computing
Mohammad Taghi Sharbati, Yanhao Du, Jorge Torres, Nolan D. Ardolino, Minhee Yun, Feng Xiong
Advanced Materials
DOI: 10.1002/adma.201802353

FONTE: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…