Pular para o conteúdo principal

Cientistas descobrem no Peru vestígios do maior sacrifício de crianças da História


As crianças foram enterradas na lama junto com lhamas, por volta do ano 1450

Arqueólogos descobriram o que pode ter sido o maior sacrifício em massa de crianças da História.

Mais de 140 crianças foram mortas ao mesmo tempo na costa norte do Peru, há cerca de 550 anos.

Os vestígios do sacrifício foram encontrados perto da cidade de Trujillo, que fica próxima ao centro da antiga civilização chimú. O império chimú, que adorava uma divindade ligada à Lua, chegou a controlar um território que se estendia por 970 km na costa e nos vales do interior do Peru, entre a fronteira com o Equador até o local onde hoje se encontra a capital, Lima.

Mais de 200 jovens lhamas também foram mortas junto com as crianças – todos em um mesmo ritual.

A descoberta, possível graças ao apoio da National Geographic Society, foi revelada com exclusividade pelo site da revista National Geographic .

Até hoje, o maior sacrifício ritual de crianças de que havia evidências é o de 42 vítimas feito em um templo da cidade asteca Tenochtitlán (que hoje é a Cidade do México).

Escavações
"Eu não esperava (uma descoberta deste tamanho)", disse John Verano, um dos pesquisadores-chefe, à publicação.

A primeira descoberta de vítimas de sacrifícios humanos no local, feita em 2011, revelou os restos mortais de 40 crianças e 74 lhamas, durante a escavação de um templo de 3,5 mil anos.

A contagem final, anunciada nesta semana, foi de 140 crianças mortas. A pesquisa mostra que as vítimas tinham entre 5 e 14 anos, mas a maioria estava na faixa dos 8 aos 12 anos, segundo a National Geographic.

Os pesquisadores sabem que as crianças foram sacrificadas em um ritual porque elas têm marcas de cortes nos ossos que condizem com morte em sacrifícios humanos. A vítimas tinham cortes no esterno, o osso central do peito, e nas costelas – o que pode indicar que o coração foi removido.


Os esqueletos foram encontrados em Huanchaquito, próximo da cidade de Trujillo

Além disso, muitas das crianças foram pintadas com tinta vermelha brilhante feita com cinábrio, um minério de mercúrio.

As lhamas, que tiveram o mesmo destino das crianças, tinham todas menos de 18 meses e foram enterradas com o rosto virado para as montanhas dos Andes.

Oferta aos deuses
"Quando as pessoas ficam sabendo sobre o que aconteceu e sobre escala do evento, a primeira pergunta que fazem é: por quê?", diz Gabriel Prieto, que também é pesquisador-chefe no projeto,

A escavação dá um sinal: a camada de lama em que as vítimas foram enterradas pode ter sido criada por "uma chuva pesada e um alagamento" em uma área normalmente seca – possivelmente causados por um mau tempo resultante de eventos meteorológicos extremos, como um El Niño, por exemplo.

A situação pode ter causado problemas para os pescadores na área e destruído a extensiva infraestrutura de canais de irrigação para a agricultura da civilização Chimú, diz a National Geographic. O sacrifício pode ter tido o objetivo de acalmar o que poderia ser considerada fúria dos deuses ou de pedir ajuda para superar as dificuldades.

A datação por carbono feita nos tecidos encontrados no local sugere que o incidente aconteceu entre os anos 1400 e 1450.


O local da escavação, próximo da cidade Trujillo, é conhecido como Huanchaquito-Las Llamas

Os chimú foram conquistados pelos incas apenas algumas décadas após a época em que foi feito o sacrifício em massa. Cinquenta anos depois, os espanhóis chegaram na América do Sul e conquistaram o império inca.

FONTE: BBC BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

A mulher que descobriu a metamorfose e se embrenhou de espartilho na Amazônia no século 17

Merian desenvolveu uma forma diferente de enxergar a natureza. Ela é considerada a primeira ecologista do mundo | Imagem: Gravura de Jacobus Houbraken em retrato de Georg Gsell

No século 17, a alemã Maria Merian se propôs a investigar o mundo dos insetos. Acabou desenvolvendo uma forma diferente de pensar e enxergar a natureza e, aos 52 anos, partiu para uma perigosa aventura na América do Sul, para detalhar os ciclos de vida de borboletas, mariposas e outros insetos.

Os feitos de Merian, numa época em que pouca gente desbravava o continente americano abaixo da linha do Equador - em especial as mulheres -, deram a ela a fama de primeira ecologista do mundo.

Ela nasceu na Alemanha em 1647, numa família de editores, escultores e comerciantes, e logo cedo aprendeu a arte da ilustração.

O interesse pelos insetos surgiu no próprio jardim da casa de Merian, ainda na infância.

Aos 13 anos, ela decidiu pintar o ciclo de vida de um bicho da seda numa época em que o comércio da seda era muito …