Pular para o conteúdo principal

Esta estrelinha desafia teoria da formação de planetas hospedando um do tamanho de Júpiter



Por: George Dvorsky

Usando um inovador arranjo telescópico, uma equipe internacional de pesquisadores descobriu um distante gigante gasoso com aproximadamente o tamanho de Júpiter próximo de uma estrela com metade do tamanho da Terra. É considerado o maior planeta em proporção a sua estrela companheira.

Uma nova pesquisa publicada na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society desafia teorias prevalecentes sobre a formação de planetas e quão grande eles podem ser em sistemas com pequenas estrelas, como uma estrela anã vermelha. A descoberta do NGTS-1b por Daniel Bayliss e Peter Wheatley, do grupo de astronomia e astrofísica da Universidade de Warwick, representa apenas o terceiro gigante gasoso a transitar por uma estrela anã M, e o maior planeta em comparação a sua estrela hospedeira. Anteriores a ele, o maiores planetas em proporção a suas estrelas eram Kepler-4b e HATS-6b, mas este novo planeta é considerado maior e mais pesado.

Bayliss e Wheatley avistaram o planeta usando o instrumento Next-Generation Transit Survey (NGTS), uma larga instalação de observação composta por diversos telescópios no Observatório Paranal, ao norte do Chile. A instalação de última geração é operada pelas Universidades de Warwick, Leicester, Cambridge, Queen’s University de Belfast, Observatório de Genebra, DLR Berlin e Universidade do Chile.


Impressão artística do NGTS-1b com sua estrela vizinha (Imagem: University of Warwick/Mark Garlick)

“A descoberta do NGTS-1b foi uma completa surpresa para nós – acreditava-se que planetas tão grandes não poderiam existir perto de estrelas tão pequenas”, disse Bayliss em um comunicado. “Este é o primeiro exoplaneta que descobrimos na instalação BGTS e estamos desafiando o conhecimento de como planetas são formados. Nosso desafio é descobrir quão comuns estes tipos de planetas são em nossa galáxia”.

Para fazer a descoberta, os astrônomos monitoraram fragmentos do céu durante as noites de vários meses, detectando luz vermelha de uma estrela usando uma câmera especialmente sensível ao vermelho. Essa estrela anã M, NGST-1, passa por pequenas e periódicas quedas de brilho a cada 2,6 dias, sugerindo a presença de um planeta em órbita. O nível da luz, junto das medidas de agitação da estrela confirmam a presença e o tamanho do gigante gasoso.

Localizado a 600 anos luz de distância, o gigante gasoso NGTS-1b tem cerca de 20% menos massa que Júpiter, mas sua estrela companheira tem a metade do diâmetro e massa do nosso Sol. O exoplaneta – chamado de Júpiter quente – é localizado a 4,5 milhões de quilômetros de sua hospedeira, o que equivale a meros 3% da distância entre o Sol e a Terra. Um ano neste planeta dura apenas 2,5 dias terrestres e sua temperatura atinge 530º C.

Antes dessa descoberta, astrônomos não acreditavam que uma estrela deste pequeno porte poderia produzir um planeta tão grande. Cientistas determinaram que pequenas estrelas podem produzir planetas rochosos, mas o sistema de estrelas anãs não possuía material o suficiente para formar um planeta do tamanho de Júpiter. Esta última descoberta significa que teorias anteriores estão incorretas, e mais estudos precisam ser feitos.

“Foi difícil de encontrar o NGTS-1b, apesar de ser monstruoso em seu tamanho, porque sua estrela progenitora é pequena e desbotada. Estrelas pequenas são as mais comuns no universos, então é possível que existam muitos destes planetas gigantes esperando ser descobertos”, disse Wheatley. “Tendo trabalho por quase um década no desenvolvimento do arranjo telescópico NGTS, é emocionante vê-lo encontrar novos e inesperados tipos de planetas. Estou ansioso para ver quais outros tipos de novos planetas podemos encontrar”.

Em termos teóricos, os pesquisadores especulam que o NGTS-1, durante seus estágios de formação, possuía um incomum e grosso disco protoplanetário. Como e por que ainda permanece um mistério. Para o futuro, seria uma boa ideia que pesquisadores criassem modelos digitais mostrando como planetas são formados em tais sistemas, além de continuar a procurar sistemas semelhantes.

[Monthly Notices of the Royal Astronomical Society]

Imagem de topo: Impressão artística do nascer do sol no planeta NGTS-1b (Imagem: University of Warwick/Mark Garlick)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Sintomas bizarros de “ataque sônico” estariam se espalhando por diplomatas americanos pelo mundo

Por: Rhett Jones

Por mais de um ano e meio, diplomatas norte-americanos sofreram de doenças parecidas, que incluíam danos cerebrais leves e perda de audição, depois de terem alegado ouvir sons incomuns. Os incidentes começaram em Cuba, mas os relatos agora se espalharam para outros países. À medida que as autoridades ampliaram os esforços para tratar os casos potenciais, quase 200 pessoas teriam se apresentado para serem examinadas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos teve pouco a dizer sobre os incidentes que começaram em Havana, no fim de 2016, e o vácuo de informações abriu as portas para teorias da conspiração e outras alegações não checadas. Por ora, ninguém pode dizer com certeza o que está acontecendo nesses casos, mas parece que diplomatas norte-americanos estão sendo alvos de algum tipo de ataque que tem deixado os especialistas perplexos. No começo, os oficiais acreditavam que algum “dispositivo sônico” desconhecido estivesse sendo usado contra as vítimas, mas outra…

Fazendeiro grego encontra túmulo de 3.400 anos debaixo de suas oliveiras

Por: George Dvorsky

Um túmulo de 3.400 anos contendo dois caixões e dúzias de artefatos que remontam ao fim da era Minoica estava escondido debaixo do olival de um fazendeiro grego, no sudeste da ilha de Creta, na Grécia.

Como noticiado pelo Cretapost, o homem, que não teve seu nome revelado, estava tentando estacionar seu veículo debaixo da sombra de uma oliveira quando o solo debaixo dele começou a afundar. Depois de se afastar, o fazendeiro notou que um buraco medindo cerca de 1,2 metro de largura apareceu de repente. Quando ele olhou para o vazio abaixo, rapidamente percebeu que havia se deparado com algo importante.


O buraco. Imagem: Eforato de Antiguidades de Lasithi

O fazendeiro contatou o Eforato de Antiguidades de Lassithi — ministério de patrimônio local —, que enviou arqueólogos para investigar. Descobriram então que o fazendeiro havia se deparado com um túmulo da era Minoica contendo um par de caixões, cada um deles com um só esqueleto. Duas dúzias de vasos com ornamentos…