Pular para o conteúdo principal

Esta estrelinha desafia teoria da formação de planetas hospedando um do tamanho de Júpiter



Por: George Dvorsky

Usando um inovador arranjo telescópico, uma equipe internacional de pesquisadores descobriu um distante gigante gasoso com aproximadamente o tamanho de Júpiter próximo de uma estrela com metade do tamanho da Terra. É considerado o maior planeta em proporção a sua estrela companheira.

Uma nova pesquisa publicada na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society desafia teorias prevalecentes sobre a formação de planetas e quão grande eles podem ser em sistemas com pequenas estrelas, como uma estrela anã vermelha. A descoberta do NGTS-1b por Daniel Bayliss e Peter Wheatley, do grupo de astronomia e astrofísica da Universidade de Warwick, representa apenas o terceiro gigante gasoso a transitar por uma estrela anã M, e o maior planeta em comparação a sua estrela hospedeira. Anteriores a ele, o maiores planetas em proporção a suas estrelas eram Kepler-4b e HATS-6b, mas este novo planeta é considerado maior e mais pesado.

Bayliss e Wheatley avistaram o planeta usando o instrumento Next-Generation Transit Survey (NGTS), uma larga instalação de observação composta por diversos telescópios no Observatório Paranal, ao norte do Chile. A instalação de última geração é operada pelas Universidades de Warwick, Leicester, Cambridge, Queen’s University de Belfast, Observatório de Genebra, DLR Berlin e Universidade do Chile.


Impressão artística do NGTS-1b com sua estrela vizinha (Imagem: University of Warwick/Mark Garlick)

“A descoberta do NGTS-1b foi uma completa surpresa para nós – acreditava-se que planetas tão grandes não poderiam existir perto de estrelas tão pequenas”, disse Bayliss em um comunicado. “Este é o primeiro exoplaneta que descobrimos na instalação BGTS e estamos desafiando o conhecimento de como planetas são formados. Nosso desafio é descobrir quão comuns estes tipos de planetas são em nossa galáxia”.

Para fazer a descoberta, os astrônomos monitoraram fragmentos do céu durante as noites de vários meses, detectando luz vermelha de uma estrela usando uma câmera especialmente sensível ao vermelho. Essa estrela anã M, NGST-1, passa por pequenas e periódicas quedas de brilho a cada 2,6 dias, sugerindo a presença de um planeta em órbita. O nível da luz, junto das medidas de agitação da estrela confirmam a presença e o tamanho do gigante gasoso.

Localizado a 600 anos luz de distância, o gigante gasoso NGTS-1b tem cerca de 20% menos massa que Júpiter, mas sua estrela companheira tem a metade do diâmetro e massa do nosso Sol. O exoplaneta – chamado de Júpiter quente – é localizado a 4,5 milhões de quilômetros de sua hospedeira, o que equivale a meros 3% da distância entre o Sol e a Terra. Um ano neste planeta dura apenas 2,5 dias terrestres e sua temperatura atinge 530º C.

Antes dessa descoberta, astrônomos não acreditavam que uma estrela deste pequeno porte poderia produzir um planeta tão grande. Cientistas determinaram que pequenas estrelas podem produzir planetas rochosos, mas o sistema de estrelas anãs não possuía material o suficiente para formar um planeta do tamanho de Júpiter. Esta última descoberta significa que teorias anteriores estão incorretas, e mais estudos precisam ser feitos.

“Foi difícil de encontrar o NGTS-1b, apesar de ser monstruoso em seu tamanho, porque sua estrela progenitora é pequena e desbotada. Estrelas pequenas são as mais comuns no universos, então é possível que existam muitos destes planetas gigantes esperando ser descobertos”, disse Wheatley. “Tendo trabalho por quase um década no desenvolvimento do arranjo telescópico NGTS, é emocionante vê-lo encontrar novos e inesperados tipos de planetas. Estou ansioso para ver quais outros tipos de novos planetas podemos encontrar”.

Em termos teóricos, os pesquisadores especulam que o NGTS-1, durante seus estágios de formação, possuía um incomum e grosso disco protoplanetário. Como e por que ainda permanece um mistério. Para o futuro, seria uma boa ideia que pesquisadores criassem modelos digitais mostrando como planetas são formados em tais sistemas, além de continuar a procurar sistemas semelhantes.

[Monthly Notices of the Royal Astronomical Society]

Imagem de topo: Impressão artística do nascer do sol no planeta NGTS-1b (Imagem: University of Warwick/Mark Garlick)

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Artur Berlet, O homem que foi para o Planeta Acart

O "Caso Berlet" ocorreu em 25 de maio de 1958 (faleceu em 1995), quando o gaúcho Artur Berlet, da cidade de Sarandí – RS, desapareceu por 11 dias.
Segundo Berlet teria sido abduzido e levado para um planeta chamado Acart aproximadamente 65,000,000 km da terra, demorou cerca de 38horas para chegar, onde ficou 11 dias em uma cidade com quase 90 milhões de habitantes. O curioso do fato que conseguiu comunicação com extraterrestres através do idioma Alemão.

Durante esse tempo, Berlet teve a chance de ver a Terra a partir do espaço. conhecer objetos e tecnologias que só teríamos posteriormente no decorrer do avanço dos humanos.
Após décadas, a fantástica história do gaúcho ainda surpreende a todos. Quem reconstituiu a história desse caso para a RBS foi a professora Ana Berlet, filha de Artur.

Vejam o nível da informação:

O Artur Berlet através de uma aparelho de Acart o qual olhou a terra, disse;
“a terra era AZUL.”



Ok ! parece nada demais, mas o fato é que ele disse anos ant…

Filme "Intruders" (Intrusos) 1992

Ao pesquisar problemas de duas de suas pacientes, proeminente psiquiatra de um importante hospital de Los Angeles (Interpretado pelo falecido ator Richard Crenna na vida real John Mack, psiquiatra formado em Harvard Medical School, 1955.) acaba penetrando em um universo de estranhas ocorrências relacionadas com OVNIs, que modificarão sua própria vida.

"Intruders" foi baseado no best-seller de Budd Hopkins e em casos verídicos que hoje compõem um vasto arquivo de histórias vividas por muitas pessoas que passaram por experiências com seres extraterrestres, e que neste filme colaboraram com renomados pesquisadores do assunto na reconstituição dos episódios.

Best Seller "Intruders" (Intrusos)

Algumas cenas do filme:








Filme legendado em português:




Inspiração do filme Intruders (Intrusos), mulher relata contato com ETs



A americana Debbie Jordan, que relata um contato com extraterrestres há 34 anos, comentou que ficaria chocada se houvesse uma nova aproximação, mas não enc…