Pular para o conteúdo principal

Tardígrados ainda são um completo mistério evolutivo



Você provavelmente está a par que o animal mais durão da natureza é, sem dúvidas, o pequeno tardígrado, conhecido também como urso-d’água. Eles podem ser pequenos, mas conseguem viver sem água, suportar temperaturas que vão de -200 graus a 151 graus Celsius e sobrevivem até mesmo nas profundezas do espaço. Como a evolução fez uma criatura tão estranha e quais são seus parentes?

A resposta ainda é: ¯\_(ツ)_/¯

Uma equipe de cientistas do Reino Unido e Japão sequenciaram um genoma de uma espécie do tardígrado e o comparou com o de outra espécie para tentar descobrir alguns segredos sobre o animal, incluindo a base genética de suas habilidades de sobrevivência. Mas, no que diz respeito a um parente evolutivo mais próximo, os dados ainda não são conclusivos.

A durabilidade do tardígrado está em sua habilidade de soltar toda a sua água e se enrolar como se fosse um “tonel”. Perder água das células deveria ser um processo letal, mas existe uma série de moléculas nas células do tardígrado que parecem impedir a morte celular, de acordo com pesquisas anteriores publicadas na PLoS One. O artigo também relata que determinados nematódeos e artrópodes aparentemente conseguem ficar sem água, também.

Outros artigos encontraram dificuldade para determinar a partir de quais animais os tardígrados podem ter evoluído e a base biológica de seus superpoderes, mas identificaram certos genes responsáveis por isso, de acordo com o novo estudo publicado na PLoS Biology. Eles também implicaram que grande parte do genoma do urso-d’água, possivelmente um sexto do genoma, veio da transferência horizontal de genes, material genético vindo de outros animais, inclusive aqueles de outras espécies.

Essa equipe reuniu o genoma das espécies do tardígrado Hypsibius dujardini, de cerca de 900 mil indivíduos, e o comparou com o genoma existente do Ramazzottius varieornatus para ver o que conseguia descobrir.

Além das diferenças nos tamanhos do genoma (o do H. dujardini era muito maior), eles encontraram informações adicionais sobre os genes que controlam as proteínas que protegem as células do tardígrado, de acordo com a New Scientist. Ademais, a quantidade de transferência horizontal de genes pareceu muito menor do que os estudos anteriores sugeriram, cerca de apenas 1% do genoma. Isso pode ser um grande fator de confusão sobre sua história evolutiva.

Apesar de todo o trabalho, os cientistas ainda não conseguem realmente saber se o urso-d’água está mais intimamente relacionado com os nemátodos ou com artrópodes, como insetos e crustáceos.

“Mesmo dois genomas completos de dois tardígrados, que os autores relatam aqui, não foram suficiente para decidir se eles estão mais próximos dos artrópodes ou dos nemátodos”, disse por email ao The Scientist o biólogo Thorsten Burmester, da Universidade de Hamburgo, na Alemanha. Ele não esteve envolvido no estudo.

É claro, esse é um único artigo de uma história ainda em curso, então mais pesquisas naturalmente jogarão luz sobre aquilo que está acontecendo.

A ciência perdeu mais um round contra o aparentemente incansável urso-d’água. O tardígrado se recusa a ser totalmente compreendido.

[PLoS Biology]

Imagem do topo por: Kazuharu Arakawa e Hiroki Higashiyama, plano de fundo editado por Ryan F. Mandelbaum

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovnis e estranhas criaturas próximos ao Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (RN)

Desde o ano de 2016 militares da Aeronáutica que trabalham na Barreira do Inferno já percebiam bolas de luzes alaranjadas como também feixes de luzes amarelados no céu noturno, bem próximo daquela região. Por desconhecerem totalmente a origem dessas luzes misteriosas e a finalidade delas, vários militares observavam intrigados e chegavam a comentar entre eles sobre esses fenômenos luminosos. Dias após a percepção dessas claridades no céu noturno, alguns militares começaram a perceber ao redor daquela localidade o aparecimento de criaturas vivas, de seres que não eram humanos. Um dos militares chegou a ver um "Urso Polar" e imediatamente comunicou a outros militares de plantão. Tal militar chegou a passar mal após a aparição de tal criatura. Já um outro militar flagrou uma outra criatura aparentando ser um "homem de grande porte" sair andando de dentro da água do mar. Outro militar relata que presenciou duas criaturas que de início pareciam apenas dois cachorros g…

Ovnis em Iporanga (SP)

Entrada da Casa de Pedra, caverna com maior boca do Mundo, 215 metros.

Iporanga em tupi significa “Rio Bonito” e foi palco da exploração de ouro no período colonial e, posteriormente da exploração de chumbo e zinco no século passado. Na região há famosas cavernas: Formação Iporanga e Formação Votuverava. Em Iporanga, efetuaram-se diversos estudos de mapeamento geológico e pesquisa mineral, sobretudo pela CPRM - Serviço Geológico do Brasil. A seção geológica mais conhecida é o famoso perfil Apiaí-Iporanga. A cidade atrai muitos visitantes por possuir lindas cachoeiras, piscinas naturais, vales, grutas e cavernas. Iporanga é a cidade que possui o maior número de cachoeiras em todo o Brasil, nas 365 cavernas cadastradas. O turista poderá praticar esportes radicais como o rapel, canyonismo e trekking. Atrativos culturais podem ser visitados como o museu da cidade, a Igreja Matriz e as casas com o estilo colonial. Por todos estes motivos, Iporanga é considerada um dos mais importantes cent…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…