Pular para o conteúdo principal

Empresa oferece implante gratuito de microchip a funcionários para controlá-los ainda mais



Parece que já estamos vivendo em uma distopia, afinal a empresa Three Two Market, situada em Wisconsin, nos Estados Unidos, planeja se tornar uma das primeiras empresas do mundo a oferecer implante de microchips para seus funcionários.

Os implantes são voluntários. Assim, os mais de 50 trabalhadores da companhia “esperando” para serem “implantados” não precisam fazê-lo. Sem pressão.

De acordo com um comunicado à imprensa enviado pela 32M (é assim que a empresa estiliza seu nome), o procedimento de US$ 300 será pago pela companhia, enquanto os implantes serão realizados pela BioHax International, uma empresa sueca comandada por Jowan Osterland. O CEO da 32M, Todd Westby, vê os dispositivos RFID que possuem o tamanho de um grão de arroz – e que são colocados na membrana entre o polegar e o dedo indicador – como de grande utilidade para “abrir portas, utilizar máquinas de cópias, logar nos computadores do escritório, desbloquear smartphones, compartilhar cartões de negócios, armazenar informações médicas e de saúde e utilizar como forma de pagamento em outros terminais RFID”.

Jowan Osterland liderou um programa similar de “implantes” há alguns meses para a empresa sueca Epicenter, um espaço de coworking para startups e “primeiro lar de inovação digital de Estocolmo“. O “Diretor de Disrupção” da Epicenter, Hannes Sjöblad, conheceu Osterland em círculos de biohacking e disponibilizou implantes voluntários de US$ 120 para seus empregados e convidados. Ao contrário da 32M, esses implantes tinham que ser pagos do bolso de quem os solicitava.

De acordo com o CEO da Epicenter, Patrick Mesterton, os pequenos implantes RFID são “primariamente [usados] para abrir portas (acesso ao prédio, escritórios e salas de reunião), mas têm sido utilizados para máquinas de vendas automática (máquina de smoothie) e impressoras também”. Dito isso, ele estima que cerca de 200 pessoas tenham realizado o implante pela Epicenter, com todos os lucros indo direto para a BioHax.

A segurança é uma grande preocupação porque representa uma nova oportunidade para que hackers roubem dados e para que as empresas espiem seus funcionários. “[Dados] são armazenados em um microchip que se comunica com um dispositivo (leitor, celular, etc)”, disse Mesterton ao Gizmodo por email. “Nenhum dado é armazenado pelo Epicenter ou monitorado.” Não fica claro, no entanto, se algum dado é armazenado na BioHax ou se essa configuração poderia ser alterada a partir de uma solicitação da empresa.

Um espaço de coworking seduzido pelo vago aroma da tecnologia disruptiva faz um belo par com o implante de RFID. Agora, como a BioHax se envolveu com a 32M, uma empresa que desenvolve softwares para “micro markets” de salas de descanso, é algo menos claro.

Quais provisões, se existir alguma, estão em vigor para remover ou desabilitar os chips quando alguém for demitido, pedir demissão ou quiser sair do programa? Ninguém está preocupado com cirurgias eletivas que se tornem uma forma abusiva de coerção do empregador? Qual é a diferença significativa entre um “micro market” e “um par de máquinas de vendas automáticas”? Iremos atualizar a publicação quando recebermos as respostas da 32M.

A “festa do implante” está agendada para o dia primeiro de agosto, e a morte lenta dos direitos de privacidade do trabalhador deve começar logo em seguida.

[KTSP via Softpedia]

Imagem do topo: AP

FONTE: GIZMODO BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Mémorias da Ufologia: Caso SANTA ISABEL

FOTOS DO LAUDO

Na localidade de Santa Izabel(SP) em junho de 1999, a Sra. Alzira Maria de Jesus foi encontrada morta na sua cama, e por volta das 8 hs da manhã sua nora percebe o fato e sai imediatamente para ir ao orelhão e ligar para o seu marido e espera à ajuda e , ao chegar de volta em casa quase 40 min.depois a nora vê o corpo da sra. com o rosto totalmente desfigurado e praticamente sem carne; foi feito o boletim de ocorrência na delegacia da cidade sob n°145/99 em 24 de Junho. Posteriormente confirmou-se que à causa da morte foi a parada respiratória, mas o que aconteceu realmente como rosto desta sra. num espaço menor de uma hora?O laudo é cita sobre as configurações do mesmo, inclusive nas cavidades oculares, mas o que teria causado à perda do rosto ficou indeterminada. Mais estranho ainda é que na noite anterior aos fatos foram vistas bolas de luz voando nessa região rural e no início da madrugada os animais,como cachorros,gansos,e outros começaram à fazer um intenso barulh…

O caso Roswell nordestino: Queda de UFO na Bahia, em Janeiro de 1995

Por Ufo Bahia: Nessa data, as 09:00 horas, uma in­formante do G-PAZ, "M" da TV BAHIA me ligou contando uma mirabolante his­tória de queda de um UFO em Feira deSantana(BA) a 112 Km de Salvador. Umfazendeiro de apelido Beto, tinha ligadopara TV SUBAÉ daquela cidade oferecen­do – em troca de dinheiro – um furo dereportagem; um disco voador tinha caído na sua fazenda e ele tinha provas e ima­gens do fato!
Apenas depois do meio dia, conse­gui – por fim – falar com Beto, que apóssua proposta de negócio, ante minha (apa­rente) frieza, me contou com bastante de­talhes o acontecido. Soube que tambémtentara vender suas provas a TV BAHIA,onde procurou o repórter José Raimundo:
"Ontem pela madrugada caiu algu­ma coisa na minha fazenda, dentro de umalagoa. Era do tamanho de um fusca; aqui­lo ficou boiando parcialmente submerso,perto da beirada. Tentei puxar como pude,trazendo para perto de mim, com uma vara.Aquilo parecia um parto... (quando seabriu uma porta) começou primeiro a sa…